MEU ADEUS


Eu disse que te deixaria ir. Disse que deixaria você seguir seu rumo. Mas eu acreditei quando disseste que seria para sempre. O quê é sempre? Onde ele se encaixa aqui? E onde ele se encaixa nas suas palavras? Por que me iludiste? E ainda, por que não me amas mais? Ou ama?

No dia em que eu ouvi você lamentar, eu lamentei ao seu lado e ainda lhe dei o ombro amigo, nos dias em que você se sentiu feliz foi mútuo e as loucuras que passaste, eu também passei. Ver que você está me deixando, partindo para o desconhecido que um dia eu também irei, me agoniza e eu temo a vida que se seguirá sem você. Eu te amo, meu amor, por favor, me deixe acreditar que não se esquecerás disso. Acho que posso ir com você, mas sei que vais desejar que eu prossiga, persista, e me mantenha firme.

Talvez ainda possamos ser amantes, amigos, ou qualquer outra coisa, desde que seja com você. Eu preciso me decidir. Preciso aceitar. Mas eu também preciso de você, do teu toque com suas mãos macias, do teu sorriso único, dos teus beijos ardentes e dos teus beijos carinhosos. Eu preciso da tua essência.

É dada a hora de tomar uma decisão. Farei isso. Eu me erguerei por você, eu lutarei pelo o que foi o nosso amor, aceitarei tua partida e serei feliz. Eu não me esquecerei de ti, faça o mesmo por mim, mas, por favor, me permita uma despedida decente, quero que você me beije. Um último beijo antes de eu te deixar.

Lentamente, no seu jeito calmo de ser ele se ergue um pouco na cama, se aproxima, me toma nos braços, nossas respirações aceleradas estão em sincronia, nossas testas se tocam e uma lágrima escorre pela minha bochecha. Ele aproxima bem devagar sua boca da minha e inicia um beijo lento, molhado e cheio de sentimentos. A sensação que tenho é que ele está deixando uma parte de si comigo. Ele recua um pouco e ainda selo aquele beijo uma vez. Nos mantemos num abraço forte por um tempo e depois nos deitamos, eu enrolo alguns fios dos seus cabelos sentindo seu perfume e escutando sua respiração que aos poucos vai cessando, como as ondas que vão e voltam para o mar. 

No entanto, na última vez ela não voltou. Seu corpo foi endurecendo aos poucos e novamente eu chorei, por muito tempo até que eu pudesse iniciar o meu novo desafio: seguir em frente. E eu o farei, e levantarei um dedo médio para cada um que duvidar disso. Eu honrarei nosso amor.

Descanse em paz, meu amor.

Compartilhe este post:

ana lu

Sou Ana Lu e uma das coisas que mais gosto de fazer é ler e ouvir música. Meus livros favoritos são Perdida da autora Carina Rissi e Belo desastre de Jamie McGuire. Eu espero poder compartilhar muitas experiências literárias seguindo sempre o lema "a persistência fez os grandes líderes".

6 COMENTÁRIOS

  1. Ana Lu, parabéns pela escrita. Eu amei essa coisa da mesclagem do romance com o drama, isso cativa o leitor. Só uma dúvida, o amado da pessoa, morreu?

    Já quero um livro seu. Adorei mesmo. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, primeiramente obrigada, haha, em segundo lugar, eu acredito que você possa decidir como prefere enxergar final deste conto, é uma das coisas que prefiro deixar em aberto. Grande beijo!!!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Bom, primeiramente obrigada, haha, em segundo lugar, eu acredito que você possa decidir como prefere enxergar final deste conto, é uma das coisas que prefiro deixar em aberto. Grande beijo!!!

      Excluir