AS PERGUNTAS QUE NÃO QUERO FAZER


Kate de GOLDI
Editora FUNDAMENTO
2015
232 páginas

SINOPSE: Frankie Parsons é um garoto inteligente, talentoso e faz listas para manter tudo sobre controle. No entanto, ele sente que alguma coisa está errada. Sua mente é inquieta e cheia de preocupações, seja com a ração da gata ou com as pilhas do detector de fumaça. Só quem compreende sua ansiedade e responde às suas perguntas é a mãe, uma mulher que há nove anos não sai de casa. E o mais estranho é que ninguém conversa sobre o motivo de ela viver como um pássaro engaiolado. Mas a rotina de Frankie começa a mudar quando a confiante Sydney muda para a escola dele e invade o seu mundo com um jeito despreocupado e uma curiosidade irritante. E é assim que Frankie, com a ajuda de sua implicante irmã, de Sydney e de Gigs, seu leal amigo, tentará desvendar segredos guardados a sete chaves e descobrir as recompensas de falar em voz alta o que antes estava calado.

Eu preciso dizer a verdade para vocês: a capa e o título desse livro não são incríveis? Pois foram justamente esses pré-requisitos que me chamaram a atenção, e quis lê-lo com uma vontade que nem sei explicar, mesmo com a nota um pouco desanimadora que ele tem no Skoob. E fui com a cara e a coragem, e querem saber? Uma nota no Skoob, ou em qualquer outra rede, não significa muita coisa quando você para e pensa que um livro nunca irá agradar todo mundo. Felizmente, não me decepcionei com AS PERGUNTAS QUE NÃO QUERO FAZER.

Frankie é um garotinho de doze anos muito responsável: faz as compras da casa, verifica se ainda tem leite na geladeira e comida para a gata de estimação, sempre lembra de seu pai, tio George, de comprar pilhas para o detector de fumaça. Ele se preocupa tanto com as coisas, que sempre sente que algo está errado, e a única coisa que conforta seu coração, são as conversas que tem com a mãe às 22h, todos os dias (inclusive, acho que o título em inglês faz muito mais sentido). Ah, uma curiosidade sobre a mãe de Frankie: ela não coloca os pés para fora de casa há nove anos. E ninguém em casa fala sobre isso. 

Tudo em sua vida muda repentinamente quando ele conhece Sydney e gosta dela logo de cara, afinal, como não simpatizar com uma garotinha de doze anos, que usa dreads e roupas super divertidas? Apesar de as coisas terem melhorado um pouquinho, outras continuam iguais, como o porquê de mamãe nunca sair de casa, ir para escola todos os dias com o seu melhor amigos Gigs, o seu medo excessivo de contrair alguma doença e o fato de todos da casa, mas todos mesmo, chamarem o seu pai de Tio George. 

Não sabia como descrever o que era. Ela era iluminada, ligada, talvez - não literalmente ligada, é claro, mas parecia ter um tipo de força nela, como se estivesse conectada, eletricamente carregada. Frankie ficava ainda mais alerta quando estava com ela, como se estivesse passando por um artifícios o campo de força. Ela o alarmava ocasionalmente: era realmente imprevisível.

É até difícil falar de uma história com um conteúdo tão profundo quanto essa, principalmente quando o personagem principal é uma criança. Apesar de ser hipocondríaco e ter muitas dúvidas acerca de sua mãe, e principalmente de si mesmo, Frankie é uma criança como qualquer outra. Tudo bem, talvez ele seja um pouco maduro demais para a idade dele, mas circunstâncias da vida o tornaram assim. Por falar em maturidade, creio que AS PERGUNTAS QUE NÃO QUERO FAZER seja um tanto profundo demais para ser classificado como infanto-juvenil, além de também ter um vocabulário um pouquinho difícil para crianças. 

Acho que o principal motivo por eu ter gostado tanto desse livro, foi o fato de eu me identificar completamente com o problema principal do personagem, que é tentar entender as coisas à sua volta e principalmente pensar o quanto essas coisas podem o afetar no futuro. Todo mundo sabe que quando isso acontece, acabamos nos aproximando demais dele, tomamos suas dores, esperamos ansiosamente para que tudo fique bem no final. Ah, gente, Sydney e Gigs também tem um espaço guardado no meu coração. São dois amigos ótimos! Sydney também tem problemas com a mãe, e fiquei tão tocada ao ver o empenho de Frankie em tentar ajudar, que até me emocionei em diversas partes.

Algumas pessoas podem achar a narrativa arrastada, já que conta o dia-a-dia, mesmo, da vida de Frankie, mas eu não vi problema algum. A única coisa que me incomodou, foi o tamanho dos capítulos, grandes demais para o meu gosto, mas o livro é tão bom e único, o final foi tão digno, que dá para relevar tranquilamente. AS PERGUNTAS QUE NÃO QUERO FAZER trata com uma sensibilidade ímpar todos os problemas de uma criança com uma família totalmente desajustada e, principalmente, como é difícil amadurecer cedo demais.

Compartilhe este post:

Ana Clara

Nasci em uma cidade do interior de Minas Gerais, chamada São Domingos do Prata. Já rodei todos os cantos do estado, até que surgiu a oportunidade de eu vir estudar em Diamantina. Amante de livros desde pequena - devo agradecer à minha mãe por isso -, sonho em ter uma biblioteca pessoal.

34 COMENTÁRIOS

  1. Já quero ler este livro, parece ser muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Já quero ler este livro, parece ser muito bom!

    ResponderExcluir
  3. Amei conhecer esse livro por aqui. No início achei que fosse ser uma história fofa sobre Frankie e sua vida, mas me surpreendi ao descobrir que o livro é muito mais que isso. Fiquei muito curiosa para saber o que aconteceu com sua mãe e o por que de chamarem seu pai de Tio George. O fato de Frankie tentar entender as coisas que acontecem ai seu redor, só fez me deixar mais curiosa para ler esse livro. Realmente, capítulos longos não me agradam, mas quando a história é boa, a gente faz um esforcinho :)

    ResponderExcluir
  4. Oiie
    Essa capa é muuuito linda e estou curiosa pela leitura desde que lançou o livro, espero gostar bastante quando ler e sua resenha está muito boa

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu não deixo que notas no skoob me desanimem também, se eu acho que vou gostar, fecho os olhos e vou em frente! Que bom que você também pensou assim e não se privou desta leitura, e, não nos privou dessa resenha! Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  6. Fico extremamente feliz quando o final compensa a leitura!
    Adorei. Parece ótimo!

    Beijos
    Dri

    ResponderExcluir
  7. Hey Ana!!!

    Achei a previa muito interessante. Mas sua resenha me chamou mais a atenção, AS PERGUNTAS QUE NÃO QUERO FAZER, é o tipo de livro que gosto de ler. Gosto de livros que trás um algo a mais.
    Adorei a resenha.

    bjs

    ResponderExcluir
  8. Que resenha linda. Gostei da história, e o livro tem uma contracapa apaixonante.

    ResponderExcluir
  9. Nunca tinha lido nada a respeito desse livro e amei a resenha. Sempre me apaixono por livros narrados por criança. Com certeza já entrou pra listinha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Ótimo enredo do livro já quero poder lê-lo

    ResponderExcluir
  11. Que livro lindinho, Ana. Obrigada por falar sobre ele aqui, não conhecia :)

    Bjs
    Um Amor de Livro

    ResponderExcluir
  12. Parece um livro super fofo e tem uma temática super sensível também. Bastante promissor.

    ResponderExcluir
  13. Me identifiquei super, essa coisa de nos preocuparmos com o que acontece ao nosso redor e que pode desencadear consequências futuras me deixa um tanto empolgada com a leitura do livro, parece que o personagem nos acha em determinada parte da narrativa e isso empolga pra caramba, mais uma aquisição pra 2016!

    ResponderExcluir
  14. Aliás eu desconhecia o livro, e geralmente as resenhas ajudam um tanto pra vermos algo em comum conosco e que nos faz ler de fato o livro <3

    ResponderExcluir
  15. Ana,simplesmente amei a sinopse e a resenha ❤ vou colocar como prioridade para comprar. Tenho o marcador desse livro então vai ser perfeito haha.

    Beijos,Blog Cupcakeland

    ResponderExcluir
  16. Eu não conhecia esse livro e amei tanto a sinopse quanto a resenha.
    Lendo sua resenha me fez lembrar de O Extraordinário, que foi um livro que eu amei e me marcou muito, mesmo sendo curto. Acredito que também vou gostar desse.

    ResponderExcluir
  17. Ana!
    Como o livro fala de uma família desajustada e de um garoto tentando entender o mundo ao seu redor, muito me interessei, porque gosto dos livros que abordam o lado psicológico das personagens.
    Mesmo arrastado e com capítulos longos, que também não me atraem, gostaria de ler esse livro.
    “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.” (Cora Coralina)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  18. Já quero muito. Achei muito legal a resenha e vou procurar saber mais sobre o livro. Muito legal a temática e sei que vai ser uma leitura agradável.
    É interessante ver a visão das crianças sobre o mundo que as entorna, como em O sol é para todos, que exprime a visão apurada e ao mesmo tempo ingênua da personagem. Acho digno livros assim e vou dar uma chance pra esse livro sem sombras de duvidas.

    ResponderExcluir
  19. Achei bem interessante. Pensava que ia ser um livro leve, mas ela é muito do que isso! Adorei!
    TOP COMENTARISTA

    ResponderExcluir
  20. nunca tinha escutado falar sobre o livro. as vezes mesmo com notas baixas não quer dizer q não seja um bom livro, muitas vezes é que não faz o estilo. é sempre legal ver essa questão do amadurecimento e familias desajustadas e crianças virando adultos rápido demais tá ficando tão comum que talvez um livro desse ajude a lidar com a situação
    realmente a capa é muito fofa! ah, e a foto ficou bem legal =) diferente do que normalmente aparece nos blogs

    ResponderExcluir
  21. Nossa amei, não tinha ouvido ainda falar sobre ele, mas com certeza quero ler muito. Um livro que aborda uma criança tendo que amadurecer cedo, com problemas em casa e mistérios? Muito bom.

    ResponderExcluir
  22. Quero muiito esse livro. Esta parado na minha estante faz tempo.

    ResponderExcluir
  23. Já tive a oportunidade de comprar esse livro, mas não me interessei muito. Depois dessa resenha, com certeza vou compra-lo!

    ResponderExcluir
  24. Já quero esse livro, estava atrás de alguns títulos dessa editora e acabei vendo esse livro, mas ainda não tinha ouvido ninguém falando do mesmo, mas agora tirei minhas conclusões e quero sim!!
    Esperar uma promoção básica!!!

    ResponderExcluir
  25. Depois dessa resenha fiquei só na vontade de ler esse livro, hahaha

    ResponderExcluir
  26. Esse livro parece ser bom, só por ter um mistério a ser desvendado me deu vontade de ler hahahahahaha

    ResponderExcluir
  27. Esse livro parece ser incrível!!
    Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  28. awwwn, a capa é demais mesmo! Eu tbm já gostei só pela capa. E amei o Frankie logo de cara pq tbm amo fazer listas pra tudo.
    E gente, para tudo, já quero andar no recreio com a Sidney. Doze anos e já tem dreads? hahaha <3
    Gostei bastante da resenha, dá pra ter uma ideia de qual o problema com a mãe do Frankie e tudo mais, super me interessei.

    ResponderExcluir
  29. Ana, eu não conhecia esse livro, mas já percebi que é daqueles que eu me apaixonaria pela capa e pelo título sem nem dar atenção para a sinopse. Eu acredito que o fato de o pessoal não estar gostando muito do livro tenha muito a ver com a narrativa. Outra coisa que sempre penso qdo vejo que livros sensíveis que abordam temas profundos não agradam é que provavelmente a pessoa não mergulhou na história da forma que ela merece e acaba não compreendendo a beleza da obra. Bom, eu vou colocar na lista pq apesar de não gostar de capítulos grandes e de narrativas arrastadas eu me interessei muito pela história!

    ResponderExcluir
  30. Ja quero esse livro *-----* Sua resenha foi maravilhosa!

    ResponderExcluir
  31. Parece ser tão legal esta história! Só com a sinopse, já sinto um carinho especial por este livro. Com certeza lerei ele!
    Resenha impecável!

    Beijos =*

    ResponderExcluir
  32. Não conhecia, mas parece um livro tão lindo e inspirador. Realmente você não deve basear suas leituras apenas no parecer dos outros, gostos são diferentes, e às vezes perdemos grandes histórias por não dá uma chance a um livro. Você sempre arrasa nas resenhas.

    ResponderExcluir