A LISTA NEGRA


Jennifer BROWN
Editora GUTENBERG
2012
272 páginas

SINOPSE: E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas. A lista negra, de Jennifer Brown, é um romance instigante, que toca o leitor; leitura obrigatória, profunda e comovente. Um livro sobre bullying praticado dentro das escolas que provoca reflexões sobre as atitudes, responsabilidades e, principalmente, sobre o comportamento humano. Enfim, uma bela história sobre auto-conhecimento e o perdão.

"Uma tragédia shakespeariana acontece dentro do ambiente escolar deixando vítimas e sequelas mentais em todos os envolvidos" é apenas a premissa de A LISTA NEGRA. Com sangue, lágrimas e uma perna cicatrizando, Valerie Leftman tenta seguir sua vida após o massacre que seu namorado, Nick Levil, executou no dia 2 de maio de 2008. Mesmo situado em um tempo passado e em um local determinado, é inegável a contextualização com a realidade e o universalismo, que pode tornar tal obra um relato verídico de um acontecimento real.


Valerie Leftman não é apenas uma narradora personagem, é uma verdadeira máquina do tempo, que nos transporta para o massacre e a seus antecedentes e precedentes. Da primeira vez que conversou com Nick, a seu namoro, das avaliações escolares ao bullying que sofria nos corredores, dos amigos "perdedores" que tinha aos populares que a humilhavam: tudo é descrito minuciosamente, da forma mais visceral e conversativa possível.  

Uma egoísta nata, Val passa quase todo o relato vitimizando a si própria e a Nick. Definitivamente, é neste ponto que o amor juvenil aparece usando sua máscara mais assustadora. Nick é o rapaz meigo, atencioso, esquecido pelos pais, romântico e o pilar para Val, que por sua vez é sozinha e incompreendida diante dos problemas familiares. O bullying entra como o último sofrimento que eles conseguirão suportar. 

"Era como se eu e o mundo fossemos melhores amigos. Ou talvez os piores inimigos."

Como um escape para  tamanhas dificuldades, resolvem elaborar uma Lista Negra, na qual estarão o nome de todos que não gostam ou os fizeram sofrer de alguma forma. Nick, em um ato desesperado para defender sua amada contra uma inimiga escolar, abre fogo contra vários alunos e suicida-se em seguida.


Valerie consegue contar tudo que envolveu o massacre e o quão impactante se tornou na pequena cidade de forma não-linear, com a narrativa densa entre os diálogos, as notícias de jornal, os capítulos nomeados com trechos de flashback. Além da descrição impecável dos ambientes, das personagens e dos movimentos realizados. 

Impossível não lembrar das guinadas existentes no enredo, as tentativas falhas de Val de se incluir na escola após o massacre, das novas amizades que surgem, dos momentos desesperados em que foge dos seus problemas, dos olhares céticos que são lançados a ela nos seus instantes mais difíceis.


Também é relevante relatar sobre os demais personagens, já que alguns alunos tiveram suas biografias publicadas no jornal fictício, que ilustra todos os inícios de capítulos. Jessica Campbell é a líder de torcida esnobe, mas que torna-se uma amiga; Ginny é a garota fútil que tenta se suicidar por ter tido o rosto desfigurado; Troy é o chantagista que ameaça Val; Josh é o rapaz que vive implicando com a protagonista após o massacre. Todos diferentes entre si mas, ainda lembram os clichês de filmes norte-americanos. 

"Nick e eu não éramos vítimas... éramos os que mais cometiam bullying?"

Dividido entre o antes, durante e depois do massacre, o livro pode ser considerado lento por muitos, e a descrição impecável e extensa, pode cansar os leitores mais objetivos. Mas são apenas alicerces da história. Com críticas a hipocrisia midiática, a vitimização, ao bullying e a autoaceitação, se tornou um dos meus livros preferidos, mesmo sendo forte, avassalador e transformador. 

Compartilhe este post:

Mylane Damasceno

Além de ser amante da literatura, amo blogar. Gosto de atualidades ou de algo mais retrô. Leio de economia à literatura, de Rick Riordan a José de Alencar. Me emociono facilmente com filmes e livros, e tenho vontade de fotografar quase tudo que vejo. Sou fã de dias chuvosos e músicas calmas.

24 COMENTÁRIOS

  1. Esse livro está na minha lista há tempos. Cada vez que leio uma resenha eu fico com mais vontade ainda de ler. Adorei a resenha. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Que enredo envolvente, fiquei com muita vontade de ler. Acho histórias envolvendo Bullying muito comovente, e pelo que percebi o livro nos faz refletir sobre o assunto. Já vou o adicionar a minha lista! haha

    ResponderExcluir
  3. Olá! Uol! O livro é de tirar o fôlego...Preciso dle pra ontem...Meu instinto interno fla mais alto qdo vejo assuntos sendo bordados de bullying e autoaceitação, me identifico dmais...Preciso mto ler! Se eu já estava ansiosa pra conhecer mais sobre i livro, agora não tenho mais dúvidas...Adorei! Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Eu quero MUITO ler a Lista Negra. Mesmo sabendo que eu gosto de uma leitura mais objetiva, creio que o livro me chamou a atenção desde que eu li a primeira resenha sobre ele, pois temas como o Bullying estão presentes na sociedade e esse problema merece ser abordado em uma história.
    E agora, sabendo que o livro é bem impactante, eu não posso deixar de lê-lo.

    ResponderExcluir
  5. Me apaixono por livros assim, esse está na lista há anos e estou muito ansiosa pra ler ❤

    ResponderExcluir
  6. Quando eu ouvi falar sobre esse livro, sempre pensei que seria sobre algum tipo de assassino kkkk...
    Com as primeiras palavras da resenha, já pensei que seria como o anime "Death Note" (Seria legal se fosse também rs). Mesmo assim, depois de ler essa resenha mais elaborada do que as outras que eu tinha visto, minha opinião não mudou: eu quero muito ler esse livro. Assim como outro livro da autora, Amor Amargo, que eu já queria ter lido há muito tempo atrás (acho que sou a única pessoa que conheceu Amor Amargo antes de A Lista Negra '-' )!

    ResponderExcluir
  7. Oi Mylane,
    Esse livro já está na minha lista de desejados a um tempo e após ler sua resenha que está maravilhosa,aliás, parabéns, a vontade de ler só aumentou. Prefiro histórias mais objetivas, porém pelo que entendi de sua resenha, os detalhes e descrições são para construir e fazer com que o leitor entenda melhor e faça parte realmente da história.
    O assunto é super atual, e jeito que a autora abordou parece que fugiu um pouco do "clichê".
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Já tinha lido a resenha desse livro e continuo achando que se trata de uma história envolvente que merece ser lida, a minha preocupação é desistir dela no meio do livro por não ser objetiva como vc falou , porém mesmo se a leitura for um pouco extensa demais , pelo o que foi falado do livro acho que vale a penar tentar!!

    ResponderExcluir
  9. Esse é um dos meus desejados já há algum tempo, acredito que esse enredo, apesar de não extremamente original, aborda um assunto indispensável na sociedade atual, e o modo como a personagem organiza a história, nos mínimos detalhes, acaba me atraindo ainda mais, independente do peso que o tema em si carrega. A objetividade talvez seja um fator com o qual eu precise me acostumar, mas a trama é bem maior do que isso, e acredito que valha a pena a leitura.

    ResponderExcluir
  10. Oi Milane,
    Olha eu curto muito a premissa da história, acho que é um assunto que deve ser muito debatido, tanto no ambiente escolar, quanto em casa por isso acredito que abordar essa temática em obras literárias voltadas ao público jovem é de suma importância, o que faz dessa uma leitura muito válida. Paralelamente analisando aspectos que você apontou na resenha, eu não sei se a leitura cairia bem pra mim, pois geralmente não gosto de livros extremamente descritivos, mas ainda assim eu me arriscaria nessa leitura.
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Esse é um dos livros com esse tipo de tema que mais amei ler. Ela soube retratar os sentimentos, o impacto na vida daquelas pessoas, esse ir e vir entre passado e presente e desenvolver muito bem a história. Faz entender o que estava acontecendo de um modo que te faz parar e pensar em como coisas pequenas podem desencadear resultados assustadores. O que mais achei interessante é que esse livro abriu meus olhos para acontecimentos desse tipo. Ainda não tinha percebido, mas depois de ler pesquisei um pouco e caramba! Quantos massacres assim existem por lá (eua). Vi muitos casos, muita coisa que nunca tinha parado pra prestar atenção. O que o bullying provoca, essa coisa de sair matando em escolas...nunca tinha visto ou nem lembrava de ver. Mas depois desse livro descobri tanta coisa assim que fiquei pasma. É um livro muito bom, um dos meus favoritos também.

    ResponderExcluir
  12. Antes de ler a resenha, sempre imaginei que fosse um livro juvenil não tão forte, mas a história parece ser bem pesada (e atual, infelizmente), bem desenvolvida e com uma escrita genial. Quero muito ler, muita gente fala bem e acho que trata de um tema que tem de ser discutido cada vez mais em todo lugar. Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Eu consegui terminar esse livro. Estou ouvindo palmas? Emoticon kiss
    Eu comecei com um pé atrás com esse livro, por que na sinopse já conta o que aconteceu e livros sobre bullying tendem a ir pelo mesmo caminho ( tragédia e mudança de atitudes dos 'vilões'), entretanto me surpreendi. Não com a Val, mas com os pais , o diretor , a melhor amiga e certas partes do livro que condiz muito com a realidade.

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Assim que lançou o livro gostei da sinopse e fiquei interessada na historia, ainda mais falando de um tema tão importante como o bullying, mas acabou que não li e achei bem interessante as estrategias que o autor usa para narrar a historia, mas lendo a resenha vi que não é muito o tipo de livro que gosto de ler !!

    ResponderExcluir
  15. Fiquei chateada q meu comentário sumiu :(

    Adoro esses livros densos e com temática atual! Acho q ele mostra como é complicado julgar as pessoas, quero dizer, em primeiro momento vc nem sabe k que a pessoa passou pra agir daquela maneira, e em segundo vc nem sabe se a pessoa tinha a intenção. Quer dizer, Val ajudou a criar a lista, sim, mas eu não acho que ela quisesse matar ninguem. Não é culpa dela não perceber q o norado era tão desequilibrado assim.

    ResponderExcluir
  16. Esse gênero me deixa bastante curiosa, sempre quis ler esse livro.

    ResponderExcluir
  17. Outro livro mega comentado e indicado que eu ainda não li.
    Já li livro com o tema bullying, e sempre achei as histórias bem intensas... mas acho que esse deve ser um dos melhores nesse assunto. Tenho interesse em lê-lo.

    ResponderExcluir
  18. Toda vez que leio resenha desse livro fico doido pra comprar, mas na hora de por no carrinho acabo desistindo.

    ResponderExcluir
  19. Toda vez que leio resenha desse livro fico doido pra comprar, mas na hora de por no carrinho acabo desistindo.

    ResponderExcluir
  20. Esse livro está na minha lista de desejados há tempos!
    Adorei a resenha e to bem curiosa para ler, principalmente por abordar um tema que me interessa muito: Bullying.

    ResponderExcluir
  21. Próximo na lista de livros para ler esse ano.

    ResponderExcluir
  22. Nossa!! Sempre via esse livro, mas nunca me chamou a atenção e acredito que nem a sinopse dele parei para ler alguma vez. Sua resenha me deixou simplesmente louca para ler esse livro e já!
    Cada vez mais acredito que as consequências bullying é muito mais culpa da relação domestica dos jovens, principalmente das vítimas. E pela sua resenha percebemos essa disfunção do papel dos pais. Se não tem alguma ali do lado da vítima para apoiá-la e direcioná-la já era. Hoje muitos pais veem seus filhos distantes e não se emprenham em entendê-lo melhor, além das aparências.

    Simplesmente preciso desse livro. Parabéns pela resenha.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amei a resenha, nunca li o livro mais parece ser muito bom esse tipo de livro e o meu preferido ♡

      Excluir
  23. A história honra a capa! Tira o fôlego de qualquer um, é um da minha pequena lista de desejados. Ótima resenha Mylane!

    ResponderExcluir