QUARTO


Emma DONOGHUE
Editora VERUS
2011
350 páginas

SINOPSE: Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la. O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.

Embora a narrativa de QUARTO seja feita por uma criança de 5 anos, a compreensão do que ela descreve, de forma inocente e distante do que realmente acontece, só pode ser feita por um adulto. E quando isso acontece, é angustiante, revoltante, causa repulsa a ponto de criar lágrimas.

A leitura da história de Jack e sua mãe, cujo nome nunca é revelado, não é fácil. A autora não tem pressa em soltar as pontas que transmitem ao leitor o tamanho do sacrifício que a mãe é obrigada a suportar para manter Jack vivo e longe do Velho Nick, o monstro que os aprisiona. E quando solta, faz de forma sútil, mas chocante. Por exemplo: nas noites em que Nick desce ao quarto, Jack dorme dentro de um armário, sem visão do que acontece. Ele apenas ouve o ranger da cama e o silêncio de sua mãe, e fica contando quantas vezes as molas do colchão soltam chiado.

"Nada assusta a Mãe. Menos o Velho Nick, talvez. Quase sempre ela só o chama de ele, eu nem sabia o nome pra ele até ver um desenho sobre um cara que chega de noite, chamado Velho Nick. Eu dou esse nome ao de verdade porque ele vem de noite, mas ela não parece o cara da TV, que tem barba e chifres e outras coisas. Uma vez perguntei à Mãe se ele é velho e ela disse que ele tem quase o dobro da idade dela, o que é bem velho."

A cada revelação feita por Jack sobre o ambiente que o cerca e sobre as condições físicas de sua mãe,  deterioradas devido as tentativas de fugas e de manter o Velho Nick longe, o estômago revira. E na metade do livro, quando ela, finalmente, consegue elaborar um plano para escapar, e que funciona na base da sorte, o leitor pensa que a história ficará mais leve, mas se engana. Porque a partir daí, acompanhamos a dura adaptação de Jack e sua mãe ao serem inseridos no mundo: ela, novamente; ele, pela primeira vez.


Os dois, cada um a seu modo, precisam enfrentar a vida fora do quarto. A Mãe, o reencontro com a família que a considerava morta, os julgamentos da mídia e das pessoas que acompanham sua história após o resgate de dentro do quarto e, principalmente, o trauma por tudo o que sofreu. Jack, por sua vez, precisa compreender e aceitar que o mundo não se resume às quatro paredes onde nasceu e onde viveu por cinco anos, mas que é, a seus olhos, quase infinito e cheio de surpresas, inseguranças e medos.

As partes em que acompanhamos os testes médicos, porque ele não possuía qualquer anticorpo, uma vez que nunca esteve em contato com o ambiente externo ao quarto ou com outras pessoas, a descrição de que ele desce escadas sentado, uma vez que nunca desceu uma, ou que não sabe o que é o vento, ou as folhas, ou um menino de sua idade, são comoventes.


Em um trecho do livro, é perguntado à Mãe se ela não deveria ter pedido ao Velho Nick que deixasse Jack na porta de algum orfanato quando ele ainda era um bebê, ao invés de cria-lo dentro do quarto, à mercê de um lunático sádico. Jack não é apenas filho dela, mas sua âncora para continuar viva e lutando pela liberdade. Ele é sua esperança, porque por ele, ela consegue encontrar forças. E pouco depois, quando ela tenta algo desesperado, compreende-se que as coisas de que ela abriu mão, agora que Jack está a salvo, são demasiado pesadas.

"Dessa vez eu entrei, fiquei todo achatado no vidro, mas mesmo assim fui respingado. A Mãe pôs o rosto na cascata barulhenta e deu um gemido comprido.
– Você está sentindo dor? – gritei.
– Não, só estou tentando desfrutar da minha primeira chuveirada em sete anos."

QUARTO não é uma leitura fácil apenas por tudo o que disse acima, mas também porque exige do leitor a paciência de acompanhar a ação sob o ponto de vista de Jack. A autora quer transmitir ao leitor as condições em que eles vivem, o relacionamento simbiótico que eles compartilham, a fragilidade de condição psicológica que possuem e o desespero que a mãe passa a cada falta de temperamento do Velho Nick.

Em determinado momento, pensei que muitos leitores poderiam abandonar a leitura com base nessa dificuldade. Que seria menos arriscado se a narrativa tivesse sido feita em terceira pessoa, e, talvez até, com mais capacidade de se aprofundar dos detalhes que escapam dos olhos de Jack. Entretanto, o leitor perderia o choque de procurar no meio das palavras de Jack o que realmente acontece ao seu redor. E esse é o grande ponto focal do livro, que o torna ímpar!


Não deixe de conferir nossa vídeo-resenha e assinar o canal, clicando no botão logo abaixo:



Foi feita uma adaptação de QUARTO para o cinema, com o título de O QUARTO DE JACK, e que irá estrear em breve. O roteiro foi escrito pela autora, então leia primeiro o livro e depois assista à película sem medo. O trailer está logo abaixo:

Compartilhe este post:

Carlos H. Barros

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

29 COMENTÁRIOS

  1. Morrendo de vontade de ler esse livro, já está no Kindle só aguardando =D Parece ser sensacional e angustiante, mais ainda depois desse trailer do filme!

    ResponderExcluir
  2. Oii Carlos! Parabéns pela resenha!
    Tô louca pra ler o livro, tenho lido mtos comentários por aí á respeito do livro, tdos que já leram têm flado super bem dle...Qro mto ler! Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha. Seria muito clichê da minha parte falar que quero muito este livro também?? Já li muita gente elogiando e quero ler. Quero assistir o filme tbm.

    ResponderExcluir
  4. Carlos, adorei a resenha!
    Eu achei um livro muito difícil de ler, mas não por causa da narrativa (que eu achei que ia me incomodar, mas foi ok). No meu caso, mexeu muito comigo. Lia com a sensação de claustrofobia emocional: como sair daquele terror? Não sei se daria conta de viver como a mãe do Jack viveu. Como você disse: Jack foi importante para deixá-la viva.
    É até engraçado pensar assim porque o Velho Nick deu a ela a vontade de morrer e o motivo de viver.
    Abração!!!

    ResponderExcluir
  5. Ainda não conhecia esse livro, mas me interessei logo de cara. O assunto é bem diferente dos que estou acostumada a ler. Não gostei muito de saber que é narrado em primeira pessoa pelo garoto. Geralmente livros assim prefiro que seja em terceira pessoa. Mas quem sabe eu leia, pois me interessei bastante.

    ResponderExcluir
  6. Carl ❤ já estou apaixonada por esse livro e vejo uma resenha dessa, é demais pro meu coração. Como eu disse, já está na lista infinita de livros. Amei *-*

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Já ouvi muitos falarem desse livro, mas, meu interesse não havia despertado. Após ler a resenha tenho duas coisas a dizer: 1ª UAU, 2ª preciso ler! Fiquei muito interessada, e o ponto que mais me chamou atenção foi o fato de o menino ser o motivo da luta da mãe! Adorei a resenha. Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Oi Carl!
    Ouvi falar desse livro através da minha irmã, que elogiou bastante, mas confesso que acho que não teria coragem de lê-lo, acho que pode ser pesado demais. Mesmo assim, ao saber que foi narrado pela criança, fiquei mais curiosa hahah
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Quarto é com toda certeza um livro único e com uma narrativa bem comovente, gostei bastante da resenhe e só pelos quotes já da para perceber que é um livro ótimo, to bem curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  10. Eu gostei muito da resenha,ja ouvi falar do filme ,só que pelo o que eu li aqui eu achei uma leitura monótona ,porque tudo é descrito por uma criança e a maior parte do livro acontece no quarto,por isso não me interesso em ler.

    ResponderExcluir
  11. Das primeiras vezes que eu li sobre esse livro, eu não tive muita vontade de ler. Mas de tanto postarem sobre ele, acabei mudando um pouco minha opinião kkkk
    Apesar de não estar na minha lista de leituras urgentes, quem sabe eu possa lê-lo um dia? Nunca se sabe...
    Mas o que me chamou a atenção foi a maneira que ele foi escrito. Creio eu que eu nunca ouvi falar de nenhum outro livro com essa temática e ainda assim sendo narrado por uma criança de cinco anos. Bastante criativo!

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Conheci o livro pelo filme, que assim que vi o trailer já fiquei curiosa e lendo sobre a historia parece um tema bem forte, mas uma historia emocionante, achei interessante temos o livro narrado pelo Jack e gostei muito da resenha !!

    ResponderExcluir
  13. Oi carlos
    Esse livro com certeza é o meu sonho de consumo do momento e será até conseguir realiza-lo. Gostei de sua resenha e como especificou algumas coisas. Beijos

    ResponderExcluir
  14. Ainda não tive a oportunidade de ler O Quarto, mas estou morrendo de vontade de adquirir um exemplar.
    Por meio da resenha, creio que a história é muito emocionante e eu acharia muito legal acompanhá-la sob o ponto de vista do Jack.
    Também é comovente a iniciativa da mãe do garoto, de não permitir que seu filho saiba do sofrimento que ela estava passando no momento.

    ResponderExcluir
  15. Que livro, só com essa simples resenha criasse uma grande vontade de ler ele, só de ver e pensar que existe pessoas que realmente passam por isso já é de partir o coração imagina ainda narrado por uma eu nada, e de tirar lágrimas, ansioso para ter dinheiro e comprar esse livro!!!

    ResponderExcluir
  16. Meus amigos me falaram muito bem desse livro, pela resenha ele parece ser bem interessante.
    Pretendo ter a oportunidade de lê-lo em breve.

    ResponderExcluir
  17. Eu tô doente pra ler esse livro. Moro num estado em que o frete é mais caro que o livro, portanto tenho que esperar que chegue na livraria, sofro! Fico arrepiada cada vez que leio uma resenha sobre ele.

    ResponderExcluir
  18. Esse livro está sendo muito comentado. Quero ler para descobrir o motivo de tanta procura.
    BJS.

    ResponderExcluir
  19. ooi, vi em alguns blogs esse livro mas nunca parei para ler a sinopse ou saber mais sobre a história.. agr que li a historia me prendeu daquele jeito hahaha.. vou adiciona-lo na lista de leituras :)

    ResponderExcluir
  20. Fiquei interessada em ler depois que vi o trailer do filme e descobri que tinha um livro dele. Mas pode ser um tanto complicada essa leitura. Tenho medo de não gostar...
    Apesar de ter achado bem legal o fato de ela escrever do ponto de vista dele. Dá uma ideia diferente, você entende o personagem e o que ele passa, a vida dele e os sentimentos. Achei isso legal. Gostaria de ler também.

    ResponderExcluir
  21. Confesso que fiquei com um pé atrás antes de começar a ler esse livro, mas depois que comecei não larguei mais! haha
    Maravilhoso, super indico!

    ResponderExcluir
  22. Oi!

    Eu tinha ouvido falar desse livro quando ele lançou, mas acabei não lendo...E assisti o filme, mas não tinha ligado os dois hahahaha
    Eu tenho muita vontade de ler, mesmo. Mas sei que vai me deixar mal. Livros do genero, ainda mais quando narrados por uma criança, fazem isso comigo.
    Assim, eu quase nunca tinha chorado com filme (acho que as únicas exceções são Um Litro de Lágrimas e A Corrente do Bem)...Mas eu assisti Quarto inteiro chorando ou com o olho raso de lágrimas. Imagina como eu vou ficar com o livro????

    ResponderExcluir
  23. Este é um livro que me desperta um interesse extremo, e ao mesmo tempo uma angústia enorme, principalmente por ser narrado a partir do ponto de vista da criança que passa por essa situação. Acredito que seja impossível não se envolver com os personagens ou ficar comovido com o amor que os dois compartilham.

    ResponderExcluir
  24. Oi,
    Eu tô louca pra ler esse livre desde que vi as primeiras divulgações.
    E depois lendo as resenhas fiquei completamente encantada com a densidade dessa leitura, a premissa do livro é muito forte e essa temática é muito reflexiva. É algo que no nosso país não é muito comentado, mas é possível que ocorra muito. Quero cada vez mais ler o livro e assistir ao filme. Excelente resenha!

    ResponderExcluir
  25. Parece ser um livro muito humano, que mexe de verdade com os sentimentos do leitor. Vou tentar ter toda a paciência do mundo quando for ler. Tenho quase certeza que vou chorar durante muitas partes, haha. Muita gente está falando bem do livro tanto quanto do filme, e estou cada vez mais interessado em ver/assistir. Abraços :)

    ResponderExcluir
  26. Eu quero muito ler o livro =)
    Fiquei sabendo dele, pelo filme, acredita? Pois é.... e quando vi do que se tratava o filme, fiquei bem interessada. Quero ler e assistir o filme logo.

    ResponderExcluir
  27. NÃO ACREDITO QUE TEM LIVRO! Quero MUITO ler!

    ResponderExcluir
  28. Não sabia que tinha o livro, vou ler antes de assistir o filme.

    ResponderExcluir
  29. Não sabia que tinha o filme... ja ouvir pessoas falando muito bem sobre esse livro, tenho uma certa curiosidade em lê - lo. Ótima resenha!

    ResponderExcluir