SANGUE NA NEVE


Jo NESBO
Editora RECORD
2015
154 páginas

SINOPSE: O mestre do thriller escandinavo está de volta. Olav tem apenas um talento: matar pessoas a sangue-frio. Não há nada que ele preze mais que ter o poder sobre a vida e a morte. Porém, sua natureza sensível é proporcional às suas habilidades como matador de aluguel. Uma vez tentou roubar bancos, mas não deu certo – ele se sentiu tão culpado que foi visitar uma das vítimas no hospital. Agenciar mulheres para prostituição, idem – Olav se apaixona muito fácil. O assassinato foi tudo que lhe restou. Ele leva uma vida solitária em Oslo até se ver envolvido em um trabalho importante para um dos mais perigosos chefes do crime organizado na cidade, Daniel Hoffman. Ao aceitá-lo, Olav finalmente conhece a mulher da sua vida, mas logo se depara com dois problemas. O primeiro é que ela é a esposa do chefe. E o segundo é que ele foi contratado para matá-la.

A leitura de SANGUE NA NEVE não é apenas rápida, ela é muito rápida. Não apenas pela narrativa ágil, nem pela ansiedade de chegar ao fim da história, mas porque o livro realmente tem poucas páginas. E isso acaba por ser um defeito.

Olav é um assassino que, por sua sensibilidade diante de situações inusitadas, sua ingenuidade diante do chefe e suas ações que antagonizam com sua profissão, lembra bastante o personagem Léon, do filme O Profissional, vivido por Jean Reno, com a ainda criança Natalie Portman. Isso não é um defeito, pelo contrário, consegue dar uma áurea cômica, dramática e carinhosa a um homem que mata a sangue-frio.

A ele temos duas personagens femininas que são contrárias em todos os sentidos: Maria, uma garçonete que Olav ajudou no passado; e Corina, a esposa bonita e sexy do chefe, a quem Olav precisa matar e por quem se apaixona.

Obviamente o desfecho dessa história não teria como terminar de forma satisfatória, apesar de eu torcer para que sim. Mas o que não me deixou feliz com o livro, foi o fato dele ser superficial em quase todos os momentos. Não existem páginas suficientes para desenvolver qualquer personagem, com exceção de Olav, a ponto de nos importarmos com eles.

"Enquanto eu estava ali, imerso em pensamentos felizes, Corina Hoffmann entrou na sala vindo do quarto, e tudo mudou. A luz. A temperatura. As considerações."

A relação de Olav com Maria é composta de memórias e momentos de observação à distância. Isso até que faz algum sentido quando você chega ao final do livro, mas deixa uma sensação de que a coisa poderia ser melhor se houvesse um pouco mais de contato entre os dois.

Corina é ambígua e sua entrega à paixão de Olav soa tão artificial que ficam óbvias as verdadeiras intenções dela. A relação dos dois começa tão rápido, de forma tão intensa, que não tem como o leitor acreditar na sinceridade das palavras da garota. Mais ainda: torna o próprio Olav um cara burro e coloca em dúvida como ele conseguiu se manter vivo por tanto tempo.

"Nós fizemos amor. Não é por modéstia que escolho esse eufemismo romântico, casto, em vez de uma palavra mais direta, técnica. Mas porque fazer amor realmente é a descrição mais adequada."

Apesar desses pontos que não me agradarem, o resultado ainda poderia ser positivo, se não fosse tão frio. Sem querer me alongar, uma vez que, para isso, teria que contar um pouco do desfecho, ele é vazio. Explico: numa história, no clímax, ou você apresenta algo que deixe o leitor surpreso, como uma reviravolta, ou entrega o fim da luta dos personagens principais pelo que eles batalharam durante todo o livro. Mas isso não acontece em SANGUE NA NEVE. A forma como termina, deixa sem objetivo tudo o que você leu. A pergunta que ficou na minha mente, foi: como assim? Então, essa história é sobre o quê?

Acho que Olav é construído de forma bastante cativante e que merecia uma história muito mais contundente, com mais conteúdo. Ele tem bagagem suficiente para, até, ser personagem de mais de um livro. Acho que houve um total desperdício de ideias. O que é uma pena.

Aproveite e assista nossa resenha em vídeo. Nela, poderá conhecer um pouco mais da edição! E não se esqueça de curtir o vídeo e assina nosso canal ;)

Compartilhe este post:

Carlos H. Barros

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

24 COMENTÁRIOS

  1. Nossa, uma sinopse tão boa para um livro não tão bom assim... É uma pena... Realmente a sinopse dá uma vontade enorme de ler e deixa uma grande expectativa. Fico triste com livros que poderiam ser melhor desenvolvidos e o autor prefere escrever poucas páginas... Sua resenha está muito boa, consegue ser clara e direta com poucas palavras e ainda assim comentar aspectos que parecem ser importantes para a história. Gostei bastante!

    Check-in Virtual

    ResponderExcluir
  2. Oie...
    Poucas páginas acabam realmente sendo um problema, pois, quando estamos ápice da leitura o livro acaba :(
    Mas, acho a premissa desse livro muito boa e inclusive ele já está nos meus desejados.
    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu que sou apaixonada por thrillers me interessei ao ler a sinopse, mas, concordo plenamente que poucas páginas são insuficientes para o desenvolvimento dos personagens. Mesmo assim quero ler! Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Hum,curto gêneros assim, mas esse livro não me agradou, sua resenha eh mtonlegal, mas nao curti mto o livro em si...quem sabe um dia mudo de idéia, sem julgar a capa...rsrs bjs!

    ResponderExcluir
  5. Gostei da resenha do livro, uma pena saber que o livro é bom e tem tão poucas páginas, o autor poderia ter explorado mais o livro. Mas mesmo assim pretendo ler e como mesmo tu disse a leitura é tão rápida e quanto eu pensar que estou no meio do livro, na verdade estarei no fim.

    ResponderExcluir
  6. Fiquei surpresa pelo fato da sua opinião ser negativa. Levando em consideracao a sinopse pensei que seria um bom livro, com uma história diferente e também achei muito bonita a capa. Triste por ser tudo isso que você disse.
    Você fala muito bem, parabéns. Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    O livro apesar de curto, parece trazer uma crise existencial profunda no matador de aluguel.
    Gosto de thrillers policiais que abordam o lado psicológico, mesmo que aqui no caso nem seja tão explícita essa ligação.
    Mesmo assim quero ler!

    ResponderExcluir
  8. Interessante... Achei algumas coisas um pouco estranhas nesta história, mas fiquei muito interessada em ler. Isso porque eu prefiro os livros que eu não consigo prever o final só de ler a sinopse (geralmente acontece isso quando se trata de livros romance água com açúcar).
    Fiquei surpresa com o fato de um livro do gênero ser tão curto! Só lendo pra crer...

    ResponderExcluir
  9. Carl ❤ não acredito que um livro com a sinopse tão perfeita não tem uma história que a faça valer. Muito triste.
    Interessante o fato do Olav(lembrei de Olaf) ser um assassino e sensível ao mesmo tempo. Quase impossível isso acontecer.

    Beijos,resenha maravilhosa, como sempre. Blog Cupcakeland

    ResponderExcluir
  10. Infelizmente um suspense sem um bom desfeço na minha opinião nem compensa a ler,toda hostória precisa ter um final surpreendente algo que o leitor não tinha ideia que aconteceria,quando acabamos de ler um livro que consideramos o enredo bom mais com um final mais ou menos até desanimamos em continuar lendo um livro que contenha o mesto gênero,então pelo que o resenhista Carlos descreveu não me interessou a ler! É decepcionante pegarmos um livro com um péssimo final!!

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Esse é um gênero que gosto e lendo a sinopse já fiquei bem interessada no livro, mas realmente não gosto muito quando a historia fica muito curta geralmente acaba ficando superficial e sem trabalha o tema direito o que parece ser o caso desse livro, por isso não sei se essa é uma leitura que irei fazer !!

    ResponderExcluir
  12. Antes de ler a resenha, eu estava muito interessada no livro. Porém, me decepcionei ao saber que o final vai para um rumo diferente em relação a história em si.
    Também é lamentável saber que Olav poderia ganhar muito mais destaque, mas o autor, infelizmente não "investiu" nisso. :/

    ResponderExcluir
  13. Sabe, estou adorando suas resenhas serem tão sinceras, até agora não havia lido nenhuma critica a esse livro, não costumo ler esse tipo (serial killers, investigação) portanto nunca me interessou, mas é bom saber q posso confiar.

    ResponderExcluir
  14. Esse livro ta muito na minha lista de desejados rs.
    Amei a resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Não foi um livro que fiquei muito afim de ler por ver resenhas bem pra baixo dele. De novo desanimou =/
    Acho que deixa mais perguntas do que respostas e passa uma sensação de "o que foi que acabei de ler?" pelo visto. Não, passo....

    ResponderExcluir
  16. Gostei bastante de resenha, me chamou atenção.. Porém só 154 págs? kk não quero viciar e acabar com todo o encanto em apenas uma tarde <//3. Mas me deu muita vontade de ler.

    ResponderExcluir
  17. Oi!

    Eu já tinha visto esse livro por aí e tinha pensado em ler, mas pelo que vc disse ele parece ter uma trama meio furada. Tipo, um assassino não consegue permanecer vivo tanto tempo se for tão ingenuo e se entregar tão fácil quanto vc escreveu!!!!

    ResponderExcluir
  18. Esse é um livro que tinha tudo para ser muito interessante, principalmente por conta do mote da história, que apesar de não ser extremamente original, poderia acarretar em cenas de ação muito boas e envolventes. Infelizmente esse quesito superficial do livro acaba me deixando com um pé atrás na leitura. Preciso me sentir próxima das personagens, e acho complicado se ligar a um enredo que termina abrupta e negativamente.

    ResponderExcluir
  19. Oi Carlos,
    Essa não é a primeira resenha que leio com uma crítica do tipo em relação a escrita do autor,
    o que me faz acreditar que seja do estilo dele escrever histórias meio que superficiais e com personagens
    superficiais. Pelo que vejo as histórias seriam maravilhosas se fossem um pouco mais aprofundadas, que pena isso :/ Me desanima pra fazer leituras de livros dele.
    beijos

    ResponderExcluir
  20. Uma pena você ter se decepcionado, essa não é a primeira crítica negativa que leio deste livro e estou cada vez mais me afastando da ideia de querer lê-lo rsrs. Também não curto livros tão sérios e com um final decepcionante.

    ResponderExcluir
  21. Eu tenho livro do autor, mas ainda não o li.
    Sempre comentam muito bem dos livros dele, e é uma pena quando algo não corresponde as nossas expectativas, não é? Mesmo assim, vou querer conferir essa leitura depois =)

    ResponderExcluir
  22. A história parece ser boa, mas pq tão pequenino assim? :(

    ResponderExcluir
  23. A história parece ser boa, mas não gosto de livros curtos.

    ResponderExcluir
  24. Levando em consideração a sinopse, achei que o livro seria perfeito, só que depois de ler sua crítica fiquei triste, confesso. Otima resenha e parabéns pela sinceridade!

    ResponderExcluir