ANDERS DE LA MOTTE, AUTOR DE THE GAME


Duas semanas atrás, o autor ANDERS DE LA MOTTE ficou sabendo da resenha que fizemos de seu livro, THE GAME, e curtiu nossas postagens nas redes sociais. Aproveitei para fazer o convite a uma entrevista. Ele, muito simpático e prestativo, aceitou de imediato. 

Abaixo, conversamos não apenas sobre seus livros, mas sobre segurança na Internet, inclusão digital, invasão de privacidade, entre outros assuntos.

Para nossa surpresa, no fim da entrevista, ele fez um anúncio exclusivo: sua próxima série de livros será lançada no Brasil. Acho que nem a sua editora aqui, a DARKSIDE, havia anunciado isso ;)

ENTREVISTA


GETTUB: Uma pequena biografia de Anders de la Motte?
(A short biography of Anders de la Motte?)

ANDERS DE LA MOTTE: Eu nasci em 1971, minha mãe era bibliotecária e, por isso, me interessei por literatura quando ainda era muito jovem. Trabalhei como policial militar, depois como policial civil na cidade de Stockholm e, por 12 anos, como diretor internacional de segurança para duas grandes empresas em países da Europa, Oriente Médio e África. Comecei a escrever durante minhas viagens, e os primeiros livros foram escritos durante meus voos, em salas de espera e quartos de hotéis. Meu primeiro livro (GAME) foi publicado na Suécia em 2010 e ganhou o prêmio de melhor livro policial. Meu livro mais recente, o quinto que publiquei, chamado UltiMatim, foi publicado na Suécia em 2015 e, novamente, ganhou como melhor livro policial do país. Hoje em dia, sou escritor em quase tempo integral, e é o melhor trabalho do mundo!
(I was born in 1971, my mother was a librarian and got me interested in literature from a very early age. I’ve worked as a military policeman, later on as a police officer in Stockholm and for 12 years as an international director of security for two Fortune-500 companies, mainly in Europe, Middle East and Africa. I started writing during my many travels and the first books are mainly written on flights, in lounges and hotel-rooms. My first book (game) was published in Sweden 2010 and won the Swedish crime-writers academy first book award. My latest and 5th book ”UltiMatum” was published in Sweden 2015 and won the Swedish crime-writers best book of the year award. Nowadays I’m more or less a full time writer. Best job in the world!)

GETTUB: HP e Rebecca são muito diferentes, mas muito unidos. Um ajuda o outro de forma fiel e comovente. O que podemos esperar dessa relação até o final da trilogia?
(HP and Rebecca are very different, but very close. One helps the other faithful and movingly. What can we expect this relationship to the end of the trilogy?)

ANDERS DE LA MOTTE: O relacionamento deles continua a evoluir à medida em que entram cada vez mais dentro do jogo. Rebecca se aproxima do misterioso Tage Sammer, a mesma pessoa que HP suspeita ser o Mestre do Jogo. Isso fará com que os irmãos enfrentem uma missão final que poderá tirar a vida de ambos.
(Their relationship keeps evolving as they get drawn deeper and deeper into the game. Rebecca is drawn close to the mysterious Tage Sammer, the same person that HP is convinced is the Game Master himself. The conflict will have the siblings facing each other in a final, deadly, mission.)


GETTUB: Você foi um policial e um diretor de segurança de uma grande empresa de TI . Hoje, você trabalha como consultor internacional de segurança. Fazendo um paralelo com THE GAME, o que você pensa da vulnerabilidade de nossos sistemas de informática quanto a invasões de grupos de hackers?
(You have been a police officer and security director of a large IT company. Today, you work as an international security consultant. Paralleling THE GAME, what you think of the vulnerability of our information systems as hacker intrusions groups?)

ANDERS DE LA MOTTE: Eu acho muito difícil impedir isso. Diariamente, ficamos sabendo de invasões feitas por hackers (como nos documentos do caso Panamá ou Wikileaks), que vazam grande volume de informações confidenciais. Nesses dois exemplos, o vazamento foi algo bom, mas imagine que os dados de seu cartão de crédito, suas informações pessoais, sua conta bancária também estão por aí. Até nossos carros e aparelhos domésticos estão on-line. Meu celular tem registros de minhas impressões digitais. O que isso nos diz quanto à vulnerabilidade e privacidade? Interessante, fascinante e um pouco assustador.
(I think it is very hard not to. We see almost daily reports of data breaches, either from hackers or (as in the Panama documents or Wikileaks) an insider who decides to leak large amounts of data. In the cases I’ve listed the leaks are a good thing, however imagine it was your credit history, your personal data or regular bank accounts being out there. Even our cars and house-hold appliances are now on-line. My smartphone records and stores my finger prints. What does this mean with regards to vulnerability and privacy? Interesting, fascinating and slightly scary.)

GETTUB: Rebecca, como policial, precisa tomar decisões em frações de segundos para manter as pessoas que protege em segurança. Como vimos em THE GAME, a decisão errada por ser mortal. Já passou por situações semelhantes? Pode contar alguma?
(Rebecca, as a cop, must make decisions in fractions of seconds to keep people protecting security. As we saw in THE GAME, the wrong decision to be deadly. You have been through similar situations? You can expect some?)

ANDERS DE LA MOTTE: Como a maioria dos policiais, eu já estive em situações onde precisei confiar no meu aprendizado e experiência para resolver situações de risco de morte. A mesma coisa serve para minha carreira tardia. Na maioria dos casos, eu fiz o que mais tarde se mostrou ser a coisa certa, mas tomar uma decisão em segundos é muito, muito difícil, e da mesma forma que aconteceu com Rebecca, não é preciso muito para que tudo dê errado.
(As most police officers I have been in cases where I relied on my training and experience in order so solve life-threatening situations. Same goes for my later career. In most cases I did what later turned out to be the right thing, but split second decisions are very, very difficult and as for Rebecca, it really does not take much for everything to turn badly.)


GETTUB: HP é irresponsável em várias situações durante THE GAME. Rebecca é a pessoa que o leva para os bons caminhos. Entretanto, eles não atuaram juntos contra os responsáveis pelo jogo. Veremos os dois em ação no futuro, ou a história deles continuará em paralelo?
(HP is irresponsible in various situations during THE GAME. Rebeca is the person who takes it to the good ways. However, they did not act together against those responsible for the game. We will see both in action in the future, or their story will continue in parallel?)

ANDERS DE LA MOTTE: As histórias de HP e Rebecca vão se encontrar na parte final da trilogia, Bubble (ainda sem nome no Brasil). E os leitores poderão finalmente conhecer a verdade por trás do Jogo. (ou será que não...:)
(HP and Rebeccas stories will converge in the final part of the trilogy, Bubble. And the readers will finally know the truth about the Game. (or will they…:))

GETTUB: Da mesma forma que HP, inicialmente, também sentiria vontade de praticar do jogo?
(Like HP, initially, you also feel will participate in the game?)

ANDERS DE LA MOTTE: Não, eu sou muito parecido com Rebecca para agir de forma espontânea e perigosa. É por isso que inventei HP, a fim de explorar situações como essas, sem qualquer perigo real.
(No, I’m way too much a Rebecca kind of person to do something as spontaneous and dangerous. This is why I invented HP, in order to explore situations like this without any real danger :))

GETTUB: O que você pensa da inclusão digital dos últimos anos, onde o desejo de se mostrar e mostrar atos radicais pelo youtube virou uma necessidade para muitos?
(What do you think of digital inclusion of recent years, where the desire to show off and show extreme acts in Youtube has become a necessity for many?)

ANDERS DE LA MOTTE: Eu acho o Youtube, Facebook e qualquer outra forma de interação, muito fascinante. Por que nós sentimos necessidade de postar fotos de nosso almoço ou nossos pés na praia? Eu acho que isso remete até a idade da pedra, onde o ser humano se reunia em grupos para sobreviver. Ou você era aceito e entrava na caverna iluminada pelo fogo ou você ficava sozinho lá fora, no escuro, onde os tigres poderiam comê-lo. Mídia social é o nosso novo fogo, o lugar onde queremos ser vistos, incluídos, validados e aceitos. Muitos fazem coisas estúpidas apenas para obter aplausos virtuais, principalmente de pessoas que não sabem que existimos. HP leva esse comportamento ao extremo, mas você vê muitos como ele na Internet hoje em dia.
(I find Youtube, Facebook and other social media interaction very fascinating. Why do we feel the need to post pictures of our lunch or our feet at the beach? I think this need dates all the way back to the Stone-age where you relied on the group in order to survive. Either you where accepted and inside the cave by the fire or you where alone outside in the dark where the tigers would eat you. Social media is our new fire, the place where we want to be seen, included, validated and accepted. Many of us do really stupid things just to get a little virtual applause, mostly from people we don’t even know. HP takes this behavior to the extreme, but you seem many like him on the internet every day.)


GETTUB: Hoje, da mesma forma que em THE GAME, sem nosso conhecimento, nossas informações pessoais são usadas por empresas para vários objetivos, como venda de produtos, pesquisas de opinião e muitas outras coisas que tenho medo de saber! Como se sente quanto a isso?
(Today, just as in THE GAME, without our knowledge, our personal information is used by companies for various purposes, such as selling products, opinion polls and many other things that I'm afraid to know! How do you feel about that?)

ANDERS DE LA MOTTE:  Eu acho que é importante saber que nosso comportamento on-line é uma mercadoria que é comprada e vendida. Google, Facebook, etc. dizem que seus serviços são gratuitos, mas nós estamos pagando por eles com nossos dados pessoais. Lembrem-se que não existe isso de serviços gratuitos.
(I think it is important to know that our online behavior is a commodity that is bought and sold. Google, Facebook etc. claim to be ”free” services but we are paying for them with our personal data. Remember, there is no such thing as a free lunch!)

GETTUB: Tomando como exemplo as explosões que aconteceram hoje na Bélgica, ou os assassinatos meses atrás na França, os governos e empresas de segurança, com toda a tecnologia existente, ainda não conseguem antecipar e prender essas pessoas. Em THE GAME, parecem existir meios para que isso aconteça. Estamos muito longe disso?
(Taking as an example the explosions that took place today in Belgium, or the murders months ago in France, governments and security companies, with all the existing technology can not yet anticipate and arrest these people. In THE GAME, there seem to be ways to make it happen. We are very far from it?)

ANDERS DE LA MOTTE: Terroristas e criminosos, em geral, são muito rápidos para usarem novas tecnologias, enquanto as agências legislativas e de lei não são. Há também uma grande discussão se é ético e justificável monitorar milhões de pessoas inocentes a fim de prender alguns poucos culpados. A capacidade para fazer isso existe, basta olhar para a NSA, mas a questão é: nós queremos viver numa sociedade desse tipo? Empresas como a Apple, Google, Whatsapp devem permitir a obtenção de seus dados pelas autoridades para parar o terrorismo, por exemplo? Terrorismo é uma rótulo flutuante que é aplicado de forma diferente por cada país, então onde desenhar a linha de separação?
(Terrorists and criminals in general are very quick to use new technology where the legislators and law enforcement agencies are not. There is also the big discussion if it is ethical and justifiable to mass monitor millions of innocent people in order to catch the very few. The capability is certainly there just look at NSA, the question is if that is a society we want to live in? Should companies like Apple, Google, Whatsapp etc. enable the authorities to decrypt their products to stop terrorism, for instance? Terrorism is a very floating label that is been applied differently by different countries so where do you draw the line?)

GETTUB: No Brasil é muito difícil publicar um livro. As editoras não têm coragem de investir no autor desconhecido, a não ser que ele pague parte do custo inicial, porque elas tem medo de não terem um retorno do investimento. Como é a publicação de um livro no seu país? Quais dificuldades enfrentou para publicar seu primeiro livro?
(In Brazil, it is very difficult to publish a book. No publisher has the courage to invest in unknown authors, unless they pay part of the initial drawing, because they are afraid of not having the return on investment. How is the publication of a book in your country? What difficulties faced to publish your first book?)

ANDERS DE LA MOTTE: Aqui na Suécia você ainda envia seu original para uma editora (ou várias) e espera que ela responda com um sim (e pague por tudo). Muitas pessoas na Suécia desejam virar escritores, tipo 1/1000 (felizmente eu não sabia disso). Eu enviei dois originais antes de THE GAME e ambos foram recusados. Mas graças à minha esposa, que me encorajou a continuar tentando, eu não desisti e minha terceira tentativa foi bem sucedida. Também estão surgindo várias editoras híbridas aqui na Suécia, onde o autor paga uma parte do custo de produção. Autopublicação também tem crescido muito nos últimos anos. A publicação em e-book não é cara. Penso, no entanto, que muitas pessoas subestimam a importância de um editor qualificado. A revisão do texto é muito importante. Eu aprendi a maioria das coisas sobre escrever com meus editores, e eles, com certeza, ajudaram meu desenvolvimento como escritor e melhoraram muito minha habilidades com as palavras.
 (Here in Sweden you still submit your script to a publisher (or many) and hope for them to come back and say yes (and pay for everything). A lot of people in Sweden want to become writers so the ratio is about 1/1000 (luckily I didn’t know that). I submitted two scripts before Game and both were refused. But thanks to my wife who encouraged me to keep trying I didn’t give up and my third attempt was successful. We are also seeing a lot more hybrid publishers here in Sweden where the author pay some of the production cost for the book. Self publishing has also grown a lot the past years. Publishing an e-book is not very expensive. I think however, that a lot of people underestimate the importance of a skilled editor. Spell check can only take you so far. I have learned most things I know about writing from my brilliant editors and they have certainly helped me develop as a writer and vastly improve my skill-set.)


GETTUB: Nós poderemos ler mais livros seus lançados pela DARKSIDE?
(We will read more of your books published by DarkSide Books?)

ANDERS DE LA MOTTE: Estou emocionado em como os leitores brasileiros têm amado a trilogia THE GAME e estou muito feliz em anunciar que minha segunda série MEMORANDOM, um conto obscuro sobre um policial corrupto, em breve, também será publicado no Brasil. Vai Brasil!
(I’m thrilled over how the Brazilian readers have taken the game trilogy to their hearts and I’m very happy to announce that my second series ”MemoRandom”, a dark tale about a corrupt cop, is also being published in Brazil in the near future. Go Brazil!)

GETTUB: Em agosto, nós teremos no Brasil a Bienal de São Paulo, um dos maiores eventos literários da América Latina. Quais as chances de uma visita sua?
(In August, we will have in Brazil the Bienal de São Paulo, one of the largest literary events in Latin America. What are the chances of your visit?)

ANDERS DE LA MOTTE:  Eu sempre desejei visitor o Brasil, e vou ficar muito feliz se for convidado. Adoraria a chance de conhecer os leitores brasileiros IRL (IRL quer dizer, in real life, ou na vida real).
(I’d always wanted to go to Brazil, and I will be very happy to go if I’m invited! I’d love the chance to meet the Brazilian readers IRL.)

GETTUB: Qual o seu celular? ;)
(What its your cell? ;))

ANDERS DE LA MOTTE:  Haha, meu número é apenas para algumas pessoas do mundo do THE GAME (ou quase). Você vai descobrir como!
(Haha, my number is leetspeak for the word Game (or almost). You figure it out! :))

ANDERS DE LA MOTTE: Obrigado por estas ótimas perguntas, tudo de bom para a equipe do GETTUB e para os leitores brasileiros!
(Thanks for some great question, all best to the GETTUB team and to the Brazilian readers!)

E então? Gostaram? Deixem comentários! 

Quem quiser seguir o autor no Twitter: twitter.com/AndersdelaMotte


Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

25 COMENTÁRIOS

  1. Oii!
    Qdo li a resenha da trilogia não tinha me interessado mto pelo tema e tal...Mas tenho q confessar q fiquei um pouco curiosa pra conhecer mais á respeito da história q se desenrola ali...Entrevista tbm me dxou curiosa pra ler...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela entrevista!! ^-^
    Faz um tempo que estou querendo ler "The Game", no entanto sempre acho ele muito caro, mas é uma trilogia que eu preciso ler! Agora com a entrevista só fiquei mais curiosa pra ler!

    ResponderExcluir
  3. Desde da primeira sinopse sobre o livro aqui, já me interessei, ai veio a resenha e cheguei a conclusão que preciso ler logo. Parabéns pela entrevista que me deixou mais curiosa kk beijos

    ResponderExcluir
  4. SENSACIONAL, ótima entrevista!
    Gostei muito do livro, espero que mais pessoas descubram os livros do Anders.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Carlos!
    Parabéns pela entrevista, ela ficou show de bola.
    Não conhecia o autor Anders De La Moite e nunca li nenhum livro dele, mas adorei conhecer ele e seus livros também.
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  6. Sempre via a capa desse livro, mas deixei passar. Acho que realmente que falta conhecer o livro pela visão de seu autor. Muito boa a entrevistas. Adorei de verdade. Sem falar que adoro as edições da Dark Side.

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Nao li The Game ainda,mas li a resenha aqui no site e parece ser um livro top demais cheio de açao e suspense ,espero poder lê-lo em breve! E bem legal a entrevista do autor,fazendo a gente conhecer um pouco sobre ele e a sua história de vida até aqui, Valeu,bjoo!!

    ResponderExcluir
  8. Eu ja timha ouvido falar de THE GAME, mais nunca quiz ler ate ler isso.

    ResponderExcluir
  9. Desde que eu vi The Game estou muito curiosa para ler *-* Adorei a entrevista deu para conhecer mais sobre o autor.

    ResponderExcluir
  10. Que simpático, adorei o autor.

    ResponderExcluir
  11. Entrevista internacional! A capa me chamou atenção, porém, o tema não me deixou muito interessada de certo modo. Parabéns pela entrevista!

    ResponderExcluir
  12. eu amo entrevistas com autores, mas essa bateu recordes, ameiiiiiiiii. foi um misto de como a obra foi criada, vida do autor, processo de publicação lá fora e ainda analise de TI.
    muito bom!!
    quero muito q ele venha ao brasil

    ResponderExcluir
  13. Ah que massa, eu estava louca para ler essa trilogia e agora fiquei mais louca ainda. Tomara que eu me identifique com o autor já que terá mais! Parabéns, beijos.

    ResponderExcluir
  14. Que legal essa entrevista! Dá pra conhecer como surgiu o livro, as dificuldades do autor para publicar e como ser perseverante valeu a pena. É difícil pra quem está começando e publicar um livro às vezes parece pouco, mas quando você vê o que eles tem de fazer até chegar lá...caramba!
    Gostei de conhecer mais o autor. Deu pra perceber que o livro tem aquelas partes de inspiração na vida real, uma experiencia dele próprio ali ou coisa assim. Partes do autor. Ainda não tive oportunidade de ler esses livros dele mas estou interessada em tentar. E que venha mais!

    ResponderExcluir
  15. Hey, tudo bom?
    Que entrevista maravilhosa! Ainda não li essa trilogia, mas já conhecia. Pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir
  16. Me seguraaaaaa, não acredito, Carl, está ficando famoso mesmo ❤ entrevista com autor internacional hhuuuuuumm que luxo. Orgulhosaaaa. *-*
    Parabéns pela entrevista, ficou maravilhosa.

    Cupcakeland

    ResponderExcluir
  17. Que entrevista legal! É sempre bom saber um pouco sobre os autores, gostei muito de saber que ele foi policial e profissional do TI e que usou essas coisas que ele já viveu em seus livros. Entrou pra lista de leituras!

    ResponderExcluir
  18. Oiii
    Achei ótima a entrevista,gosto muito de conhecer mais sobre os autores.
    Ainda não li o livro dele,mas ele ja esta na minha lista de leituras.
    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Olá,
    Eu não conhecia a série The Game, e confesso que depois dessa entrevista estou arrepiado. Preciso urgente ler esses livros, que autor simpático <3

    ResponderExcluir
  20. uau!
    mais um livro ou melhor uma série do anders (sabendo antes de todo mundo até da editora, vocês se garantiram)
    eu definitivamente preciso ler a série the game

    ResponderExcluir
  21. Já ouvir falar muito bem dessa trilogia, espero que ela seja tão boa quanto falam, pois pretendo ler ela em breve :) Parabéns pela entrevista ficou incrível...

    ResponderExcluir
  22. Muito legal vocês conseguirem essa entrevista além de uma informação exclusiva!
    Tenho o segundo livro da série, mas não tenho o primeiro por isso ainda não li.
    O autor parece ser muito receptivo e simpático pelas suas respostas :D, acho que não imaginava isso.
    Bjs

    ResponderExcluir
  23. SENSACIONAL, ótima entrevista.
    Gostei muito do livro, espero que mais pessoas descubram os livros do Anders!

    ResponderExcluir
  24. Oi :)
    Que autor incrível, que bom que vocês conseguiram uma entrevista com ele, parabéns!
    Adorei as perguntas de vocês e as respostas dele foi bem interessante. Ainda não li a série THE GAME mas sempre tive vontade de lê-la pois eu amo as edições da DarkSide mas poucos livros me interessam e esse eu gostei bastante da sinopse. Parabéns mais uma vez.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  25. Oi!
    Parabéns, adorei a entrevista, vi a resenha da serie The Game aqui no blog e fiquei como já estava interessada fiquei ainda mais, bem legal poder conhecer um pouco mais do Anders de la Motte ele pareceu bem simpático e fiquei curiosa sobre MemoRandom !!

    ResponderExcluir