FUJA, COELHINHO, FUJA



Barbara MITCHELHILL
Editora BIRUTA
2014
236 páginas

SINOPSE: Quando o pai de Lizzie recusa-se a lutar na Segunda Guerra Mundial, a polícia vem à sua procura. Para continuarem juntos, Lizzie e seu irmão Freddie acompanham o pai e refugiam-se em uma idílica comunidade chamada Whiteway. Porém, a estadia não dura muito tempo, e a família se vê obrigada a fugir novamente. O inverno rigoroso é apenas um dos obstáculos que tornarão a jornada cada vez mais difícil, e a chance de permanecerem unidos ainda mais distantes.

O que mais me interessou nesse livro, foi o fato de se passar na Segunda Guerra Mundial, e eu costumo simplesmente amar histórias que se passam nessa época, por causa da carga dramática, que é gigantesca. Depois de pesquisar um pouquinho, descobri que, apesar de os personagens serem de criação da autora, os acontecimentos contidos no livro foram baseados em fatos reais. Como não ficar curiosa?


Lizzie, de apenas 11 anos, mora em uma cidadezinha chamada Rochdale, com seu irmãozinho mais novo, Freddie, e seu pai. A mãe das crianças, infelizmente, foi morta em um bombardeio, e é justamente esse fato que faz de William um pacifista, ou seja, ele acredita que uma guerra não é a melhor solução e se recusa a matar seus iguais. Sendo assim, ele tinha apenas duas escolhas: ou deixava os filhos sozinhos e ia para a prisão, ou fugia para longe, para tentar manter unida o que restou da sua família. Sendo assim, com a ajuda de alguns amigos, Willian consegue chegar são em salvo em Whiteway, uma cidadezinha praticamente isolada da guerra, mas é claro que os problemas não demoram para aparecer.


O livro é narrado em primeira pessoa, sob a perspectiva de Lizzie. Geralmente, eu gosto muito de livros narrados por crianças, porque acaba dando um tom de serenidade para história, mesmo quando um tema pesado, como a Segunda Guerra Mundial, é o centro do livro. O mais incrível é que, mesmo tudo sendo contado por apenas um personagem, consegui perceber um pouco do que os outros personagens sentiam e pensavam, e achei isso fantástico!


A narrativa é muito fluida, rápida e interessante, característica de infanto-juvenis. Infelizmente, não consegui me conectar muito com a história e, sinceramente, não sei o por quê. Sou uma mocinha muito emotiva, choro por qualquer coisa, e até me assustei por não ter me emocionado com a história de Lizzie. Para falar a verdade, achei os acontecimentos muito previsíveis e superficiais, sem contar que não teve aquele clímax que estamos acostumados a ver em livros do gênero. É claro que é bastante comovente ver como famílias podem ser destruídas e separadas, por causa da guerra, e as outras atrocidades que acontecem, mas eu simplesmente não fui pegada pelo coração.


Acho que eu estava mais acostumada com um lado mais pesado da Guerra, em que os protagonistas eram judeus e sofriam coisas que a gente não consegue nem imaginar como seria. Nunca tinha lido um livro do gênero, mas com personagens que sofrem por serem contra - deixando claro que ser contra à Guerra, naquela época, era sinal de covardia, mas eu acho totalmente o contrário, já que é preciso ser corajoso, até demais, para lidar com as consequências dos seus ideais. Enfim, o que eu estou tentando dizer, é que os protagonistas de FUJA, COELHINHO, FUJA sofreram, sim, mas não tanto quanto os judeus sofreram, acho que por isso não consegui achar "demais".


Creio que o maior mérito do livro, para mim, foi a edição, que está impecável. Não que o livro seja ruim, mas acho que a diagramação se destacou mais que a história.

Compartilhe este post:

Ana Clara

Nasci em uma cidade do interior de Minas Gerais, chamada São Domingos do Prata. Já rodei todos os cantos do estado, até que surgiu a oportunidade de eu vir estudar em Diamantina. Amante de livros desde pequena - devo agradecer à minha mãe por isso -, sonho em ter uma biblioteca pessoal.

21 COMENTÁRIOS

  1. Oi, Ana. Achei fofinho o nome desse livro, pensei que era algo relacionado a fantasia haha.
    Sei exatamente como é gostar de uma história e não se prender a ela. Isso já aconteceu comigo algumas vezes.
    É muito interessante livros que se passam em algum momento histórico, ainda não li nenhum, mas devo imaginar como devem ser bons.
    Amei a resenha ❤

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ana! Pelo título eu jamais imaginaria que a história falasse sobre o período da Segunda Guerra. Eu também adoro livros que abordam o tema e histórias narradas por crianças. A edição é mesmo linda!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  3. Oii!
    Que gracinha de livro Ana!
    Gostei mto da história, qro mto ler pra saber mais detalhes...gostei mto!
    BjS!

    ResponderExcluir
  4. Que coisa mais fofa o nome *_*. Não acreditei que falava sobre o período da Segunda Guerra Mundial (kkkk). Gostei muito do livro. Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  5. Saber do que se trata o livro trás um pouco de surpresa pois o nome não tem muito a ver,para quem ainda não leu a história. O gênero e o momento que se passa a trama me deixou curiosa. E a diagramação está bem chamativa. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  6. eu achei o livro fofo, tomei um susto quando eu vi que a história era sobre guerra.
    eu acho bastante interessante ver histórias a partir do ponto de vista de crianças, porque normalmente são as que mais sofre e ainda não entende o que está acontecendo.
    mais um para a minha lista

    ResponderExcluir
  7. Oiii
    Quando vi a capa desse livro achei que ele era mais infantil não sabia que o assunto era sobre guerra.
    E interessante ver uma situação seria nos olhos de uma criança.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Confesso que também adoro livros que se passam na segunda guerra, gostaria muito de ler esse livro. Porém, fiquei um pouco insegura depois que você ressaltou que não conseguiu se conectar com a história. Acredito que o melhor de um livro é a emoção que ele nos passa. Vou colocar o livro na minha lista, espero gostar do enredo.

    ResponderExcluir
  9. Quando vi a capa desse livro aqui imaginava algo um pouquinho diferente, sei lá, tipo a história do filme Alice no país das Maravilhas,não sei porque mais tive essa primeira impressão kkkkk Achei um enredo bem interessante, por se tratar de um fato histórico da humanidade, algo que afetou o mundo inteiro , porém não é um gênero por qual me interesso , mas valeu pela resenha, beijoos !!

    ResponderExcluir
  10. Oi Ana!
    Ai meu Deus!!!! que livro lindo <3 sou apaixonado por capas e mais ainda por história que envolvem a segunda guerra mundial. FUJA, COELHINHO, FUJA, já está na minha lista e pretendo lê-lo o mais rápido possível. Suas palavras foram incríveis e acho que justamente pelo fato de serem contra a guerra estou super ansioso.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  11. Muito linda e fofa essa edição, achei o nome também super fofo, embora eu nunca imaginaria sobre o que se trata o livro só pelo nome! Mas só pela edição eu já compraria, hahaha
    Eu com certeza leria essa obra, parece ser muito boa!
    Enfim, muito boa resenha! É uma pena que a história não tenha causado tanto impacto em você!

    ResponderExcluir
  12. Adorei o nome e amei a capa❤❤

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Fiquei um pouco surpresa quando li a resenha pois quando vi a capa desse livro logo pensei que fosse um livro infantil haha, por isso sempre dizem para não julgar o livro pela capa :p

    ResponderExcluir
  14. Oi, Ana!
    Confesso que se não lesse a resenha, pela capa eu não saberia que se tratava de uma história durante a segunda guerra... achei a diagramação linda e leria com certeza essa obra...
    Adoro histórias sobre a segunda guerra e como essa é do ponto de vista infantil me deixou bastante curiosa!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Gostei da resenha, vendo a capa não me interessei muito mas ao continuar lendo sua resenha me surpreendi ao saber do que se tratava então agora estou bem mais curiosa ao saber mais sobre este livro

    ResponderExcluir
  16. Falou em guerra, Segunda guerra ou coisa assim já quero ler. Também adoro histórias nesse tempo pela carga dramática. São cheios de sentimentos, o livro ganha um peso a mais pela intensidade daquela época e por ser real. Gostei de ver que além de tudo ainda é baseado em fatos que acontecerem. Dá uma curiosidade pra ver como é. E não conhecia, é a primeira vez que vejo falar dele. Parece ser uma boa história e bem escrita, uma boa dica mesmo e vou procurar mais dele. Deu vontade de ler.

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem?
    Nossa, gostei do enredo. Ainda mais por ser narrado por uma menina de 11 anos. Deve ser muito emocionante ver o ponto de vista dela sobre esse horror todo, que é a guerra. Entrou para lista de desejados, gosto de livros assim.

    ResponderExcluir
  18. Gostei da ideia da história, mas não é do tipo que eu leria. Apesar de gostar dessa ambientação de guerra, o livro me passa um pouco a ideia de ser mais direcionado as crianças, principalmente por ser narrado por uma. Mas a edição é realmente linda!

    ResponderExcluir
  19. Oi :)
    Deve ser interessante ler um livro narrado por uma criança de 11 anos. Amei muito a capa e a edição, a capa branca também não me incomodou. Amo estória que tem o tema a Segunda Guerra Mundial e com certeza vou me emocionar com esse livro. Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Oi Ana!
    Concordo com você acho que o maior mérito ficou para edição que esta linda! Talvez o erro erro ou acerto seja uma falta de intensidade nos fatos narrados, gerando um livro mais leve para outras idades. A pesar de ter achado o livro lindo acho que não o leria :(
    Bjs

    ResponderExcluir
  21. Oi!
    Com certeza a diagramação do livro acaba se descantando, a edição está linda, ainda não conhecia esse livro mas lendo a resenha achei a historia interessante pois ela mostra um olhar sobre Segunda Guerra Mundial que eu ainda não tinha visto em outros livros, mas não foi uma historia que me prendeu !!

    ResponderExcluir