MUSASHI


Fiji YOSHIKAWA 
Editora ESTAÇÃO LIBERDADE 
1999 
1788 páginas

SINOPSE: Este romance épico baseado diretamente na história japonesa narra um período da vida do mais famoso samurai do Japão, que viveu presumivelmente entre 1584 e 1645. O início é antológico, com Musashi recuperando os sentidos em meio a pilhas de cadáveres do lado dos vencidos na famosa batalha de Sekigahara. Perambula a seguir em meio a um Japão em crise onde samurais condenados ao desemprego e à miséria por senhores feudais derrotados semeiam a vilania ditando a lei do mais forte. Musashi será mais um dentre estes inúmeros pequenos tiranos, derrotando impiedosamente quem encontra pela frente até que um monge armado apenas de sua malícia e alguns preceitos filosóficos zen-budistas consegue capturá-lo e pô-lo rudemente à prova. Musashi consegue fugir graças a uma jovem admiradora, para ser novamente capturado, e agora fica três anos confinado numa masmorra onde uma longa penitência toda feita de leituras e reflexões o fará ver um novo sentido para a vida assim como novos usos para sua força e habilidade descomunais. Os caminhos rumo à plenitude do ser jamais são fáceis, e em seus anos de peregrinação em busca da perfeição tanto espiritual quanto guerreira enfrentará os mais diversos adversários, tendo inclusive que sair-se várias vezes de situações desesperadoras. É numa dessas situações que, totalmente acuado, usará pela primeira vez, em meio ao calor da luta e quase inconscientemente de início, a surpreendente técnica das duas espadas, o estilo Niten ichi, que o tornaria famoso pelo resto dos tempos.

MUSASHI não é uma leitura fácil. E não digo isso pelas 1800 páginas, divididas em três volumes. Não é fácil, porque você irá ler decisões e ações baseadas numa cultura extremamente fiel a seus costumes e dona de ideais que os ocidentais muitas vezes não compreendem. Mas mais que isso, você irá ler um romance baseado em um personagem real, que tomou as decisões que o romance conta e que criou um estilo ímpar de luta com duas espadas, o Niten Ichi Ryu.

No livro, Yoshikawa cria alguns personagens e os mistura com os reais, seguindo a sequência de eventos da vida de Musashi, cujo nome de nascença era Shinmen Takezō, e viveu o caminho do guerreiro, chamado de bushido, entre 1584 a 1645, época em que as lutas de espada eram, aos poucos, substituídas por armas de fogo rudimentares.

"O pé direito de Musashi recuou cerca de trinta centímetros. Acompanhando o movimento do pé, seu corpo e ambos os braços giraram instantaneamente para a direita. Ato contínuo, a ponta da espada, que havia percorrido a linha do pescoço do menino Genjiro e acabava de retornar à posição original, tornou a saltar com um zumbido, agora para cima, e seguido de um vigoroso kiai, atingiu inicialmente o cotovelo do ancião - que vinha nesse instante descrevendo um movimento descendente - e depois o seu rosto."

O caminho de Musashi era percorrer o país procurando um adversário famoso de forma a aperfeiçoar sua técnica, ou morrer. Nessa jornada, enfrentou dezenas de oponentes e nunca foi derrotado. A sua técnica com duas espadas começou a surgir nas lutas com vários adversários simultâneos, uma vez que usava as duas mãos para conseguir atacar e defender.

Essa é uma diferença que espanta na narrativa: as lutas. Elas não são descritas de forma circense, como nos filmes. Os oponentes se avaliam e atacam, um único golpe, e acabou. Nesse golpe, feito com espadas afiadíssimas, corta-se uma cabeça, ou um braço, ou o tronco. Não existe chance para um segundo ataque.

"Musashi nunca tivera um mestre, fato que, sob o ponto de vista do aprendizado, representara boa dose de sofrimento e certo grau de prejuízo; visto de um outro prisma, porém, não ter um mestre havia sido uma vantagem."

Por conter fatos reais, existem partes que espantam e deixam uma dúvida moral sobre as ações de Musashi. Ele não deseja apenas aprimorar seu estilo, ele deseja ser um mestre na arte dos duelos. Na vida real, às vezes, para vencer, você precisa atacar o emocional do adversário e, para isso, também às vezes, é necessário escolhas que não são moralmente bem aceitas. O leitor, nesses momentos, precisa compreender a época e o estilo de vida do povo japonês. Não é possível julgar as atitudes de Musashi pelos nossos padrões. Nem as decisões pessoais que ele faz. Seu maior amor é a espada e isso ele diz de forma bem clara em um trecho, que nos choca pela dor dessa escolha.

MUSASHI é considerada uma das mais importantes obras literárias japonesas. É particularmente interessante acompanhar as mudanças do período histórico que os personagens vivem durante o romance. O autor descreve cada passagem com detalhes da política e da ordem militar, deixando o leitor ciente do ambiente em que cada ação se passa, mas sem se estender além do necessário. A forma da escrita de Yoshikawa é simples e, às vezes, ingênua na descrição das motivações dos personagens. Penso que isso se deve ao costume do autor na sua própria cultura, que acha tão natural cada fato.

"Mas eis que Musahsi surgia impávido pelo portão, expondo-se sem qualquer tipo de camuflagem à luz dos archotes. A visão tinha disso tão inesperada e os espantou tanto que ninguém se lembrou de se adiantar e barrar-lhe o caminho."

O valor existente nas páginas dos livros não é apenas literário ou cultural. É um guia de estratégia para duelos. A obstinação dele pelas técnicas de combate e na busca de conhecimento é impressionante. Ele não foi só admirável na espada, mas também na escrita, na pintura e até como escultor.

Conhecer a vida de Musashi é uma aventura única. Recomendo, apenas após a leitura da obra, procurar conhecer os fatos históricos. São impressionantes e parecem saídos de uma obra de ficção!

Importante: não faça isso antes, porque sofrerá spoilers gigantescos!

Compartilhe este post:

Carlos H. Barros

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

21 COMENTÁRIOS

  1. O livro parece ser incrível! Nunca li um que falasse sobre algo relacionado a vida no Japão, ou em algum país que não seja das Américas, Africa ou Europa.

    myuniversoparticular.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Carlos!
    Gostei mto da história, o livro parece ser bem diferente de td q já li ...
    Adorei!
    Qro ler pra saber mais!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho uma relação de amor com o Japão, porque sou otaku já faz bastante tempo, mas nunca li nada além de mangás, então fiquei bastante curiosa para ler essa obra, parece ser muito interessante!

    ResponderExcluir
  4. Eita que tem que ter muita paciência, força de vontade e interesse para acompanhar essa trajetória do Musashi, hein?
    1788 páginas não é pra qualquer um, ainda mais numa edição que possui páginas com folhas brancas!
    Confesso que estou dividido no desejo de ler futuramente esse obra. Gosto bastante de escritas japonesas mas encarar Musashi para mim seria um trabalho difícil.
    Gostei bastante da resenha, Carlos. Fico grato por você nos avisar sobre a pesquisa detalhada ser feita após a leitura da obra e não antes. Eu já ia correndo agora para o wikipédia. adhuhaushuhdahaus
    Parabéns.
    Abraços.

    http://peregrinodanoite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. A história é bem diferente do que costumo ler, nunca li nada relacionado ao Japão mas tenho dúvidas se iria realmente gostar. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  6. Tenho minhas dúvidas sobre livros japoneses, mas é bom variar de vez em quando.

    ResponderExcluir
  7. Ah histórias japonesas parecem ser bem complicadinhas e um pouco cansativas ainda mais esse livro que tem mais de 1000 páginas,acho que pararia na metade , gosto de histórias que facilitam o entendimento do leitor!! Enfim esse é um livro que não possu interesse em ler.

    ResponderExcluir
  8. Eu nunca li um livro sobre samurais, mas não é o tipo de tema que instantemente não me atrai. Eu simplesmente não tive nenhum contato com essa temática, ainda.De qualquer forma, ótima resenha. É muito interessante encontrar resenhas de livros pouco populares.

    ResponderExcluir
  9. A cultura japonesa é muito interessante, mas não consigo de jeito nenhum me interessar a alguma coisa relacionada a tal. Parece que tem uma barreira entre eu e asiáticos. Não vai.
    A história parece ser boa (pra quem gosta).

    Cupcakeland

    ResponderExcluir
  10. Sempre achei interessante conhecer outras culturas e principalmente outras épocas. Por ser sobre uma pessoa que realmente existiu essa obra representa um valor cultural muito maior. Definitivamente o tipo de livro que eu leria!

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia e gostei da dica. Ainda mais por ter fatos reais, o aprofundamento em técnicas e estratégia de duelos e combate...achei bem interessante. Além de ter muita coisa sobre a história e cultura. É legal acompanhar as mudanças politicas e etc. Parece ser muito bom esse livro e o que mais achei legal é ser tão diferente dos que normalmente leio. Não pego muita coisa com esse estilo e foi um ótima dica pra mudar um pouco. Gostaria de ler se puder.

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia a obra e nunca li livros sobre samurais, a história não me chamou muito atenção e sem dúvida alguma eu pararia na metade do livro.

    ResponderExcluir
  13. eu tenho que terminar de ler o musashi
    os pedaços q eu li achei bem interessante, mas ele é muuuuuiiiito grande
    edição nova? a minha é diferente

    ResponderExcluir
  14. Oiii
    Apesar de parecer interessante ele não me chamou muito a atenção.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Hey, tudo bom?
    Acredito que nunca li um livro com esse enredo, porém achei bastante interessante, ainda mais por ser baseado em uma história real. Não tenho muito interesse em ler ele agora, talvez futuramente eu o leia.

    ResponderExcluir
  16. NOSSA!!!! 1788 páginas?!?!
    Nossa nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, agradeço por nos contribuir com essa raridade!!
    Na minha opinião, se o livro é bom, quanto mais páginas melhor!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Amo livros japoneses (principalmente mangas <3), mas confesso que nn adicionaria esse livro na minha lista de leituras :(

    ResponderExcluir
  18. Oi Carlos!
    Não me incomodo com livro grandes, mas este me parece ser bem denso tanto pelo conteúdo cultura como histórico, acho que para ler um livro desse gênero tem que gostar mesmo, pq se não fica sem terminar. Como não sou muito ligada na cultura Japonesa não leria o livro, mas acho valido por ser uma obra tão celebre lá as pessoas que gostam ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Confesso que este livro não me despertou aquela vontade de ler, mas é sempre bom ler algo diferente talvez eu ate leia ele no futuro.

    ResponderExcluir
  20. Oi :)
    Nunca li nada sobre a cultura Japonesa e esse livro para ser incrível. Livros grandes não me incomodam ainda mais quando tem tantas ações que você não consegue para de ler. Não sei se irei ler esse livro por agora mas com certeza em algum período da minha vida irei ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Oi!
    Muitas paginas mesmo, não conhecia Musashi, mas achei bem interessante sempre tive uma curiosidade sobre a cultura japonesa e ainda mais sendo uma historia sobre samurais, o livro parece ser mesmo uma leitura bem envolvente e achei interessante conter alguns fatos reais, fiquei muito interessada nesse livro !!

    ResponderExcluir