PÍLULAS AZUIS



Frederik PEETERS
Editora NEMO
2015
208 páginas

SINOPSE: Nesta narrativa gráfica pessoal e de rara pureza, por meio de um roteiro simples e de temas universais (o amor, a morte), Frederik Peeters conta sobre seu encontro e sua história com Cati, envolvendo o vírus ignóbil que entra em cena e muda tudo, e todas as emoções contraditórias que ele tem de aprender a gerenciar: amor, raiva, compaixão. Pílulas azuis nos permite acompanhar, sem nenhum vestígio de sentimentalismo, através de um prisma raramente (senão nunca) abordado, o cotidiano de uma relação cingida pelo HIV, sem deixar de lançar algumas verdades duras e surpreendentes sobre o assunto. Apesar da seriedade do tema, Pílulas azuis é uma obra cheia de leveza e humor. Não é à toa que é considerada por muitos a obra-prima de Frederik Peeters. Uma das mais belas histórias de amor já publicadas.

A primeira vez que tive contato com a obra autobiográfica de Frederik Peeters, PÍLULAS AZUIS, foi através de PDFs baixados na Internet. Na época, eu estava na faculdade e não tinha dinheiro para comprar álbuns importados. Ano passado, a editora Nemo lançou esta edição caprichada, com 10 páginas a mais, que contam o que aconteceu 13 anos depois do fim da história. Desta vez, finalmente, consegui ter este relato pessoal, dramático, emocionante e romântico do que é se apaixonar por uma pessoa soropositiva.


Fred conhece Cati em uma festa. Não existe conexão aparente entre eles e, pouco tempo depois, ela se casa com outro homem e tem um filho. Nos anos seguintes, Fred se encontra com ela diversas vezes de forma casual, mas sem nunca aprofundar o relacionamento. Até que ela se separa. Então, finalmente, eles descobrem que estão apaixonados.

E, nesse momento, o leitor desavisado que não leu a sinopse, como eu fiz anos atrás, leva um soco no estômago. Cati avisa a Fred que tem AIDS... bem como seu filho, que já nasceu soropositivo.


A partir daí, acompanhamos como é construído o verdadeiro amor, aquele que consegue passar por cima de obstáculos, que vão além do ordinário dia-a-dia. Não apenas o amor entre um homem e uma mulher, mas o amor de uma mãe, que se sente responsável por trazer ao mundo uma criança já doente, e o amor de um homem, que apesar de não gostar de crianças e não ser o pai biológico do filho de Cati, aprende o que é ser um e sofrer tanto quanto.


As três pílulas azuis que Cati e o filho precisam tomar diariamente, para não deixarem a doença evoluir, representam muito mais do que apenas reações químicas ou biológicas. Elas são a lembrança do quanto a vida é frágil e do quanto somos mortais.


Fred, cuja profissão é ser desenhista de quadrinhos, resolve usar sua arte para disseminar sua história, de Cati e de seu filho, de forma magistral. Seus traços construídos sobre riscos e em apenas duas cores, conseguem transmitir uma parte do que foi, e ainda é, a vida do trio.

Mais do que uma belíssima história, PÍLULAS AZUIS é um relato verídico e obrigatório para todos os que encaram a AIDS como uma sentença de morte. A doença, hoje em dia, é totalmente controlável. Nossa medicina permite que os portadores do HIV levem uma vida normal, inclusive a parte sexual, sem riscos de que o parceiro, ou parceira, contraiam a doença. Isso fica extremamente bem explicado nos quadrinhos que mostram as conversas de Cati e Fred com o médico. As chances dele contrair a doença, se tomadas as devidas precauções, seriam as mesmas de encontrar um rinoceronte branco no meio da cidade.


Essa metáfora é aplicada de forma obscena de tão clara, quando Fred desenha o animal sempre nas suas costas. E também é extremamente corajosa e sincera a conversa que ele tem em sonho com um outro animal falante, que exibe o tamanho do peso que assombra o casal, mesmo sabendo de como estão seguros quanto à doença.

É a aquela máxima de que se você tem 1% de chance de pegar algo, existe a chance.


As 10 páginas extras, desenhas com uma arte diferente do resto do álbum, mas ainda pelo próprio Frederik, servem mais como um complemento educacional de como, 13 anos depois, todos estão saudáveis, de como o vírus desapareceu do sangue, apesar de ficar para sempre alojado nos gânglios, de como eles tiveram uma filha, através de inseminação artificial, e de como são felizes no amor de casal, de mãe, de pai, de filhos, de família!


Tente não chorar, se conseguir :P

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

31 COMENTÁRIOS

  1. Olá Carlos,
    Eu não leio mangás com muita frequência, gostaria, mas não leio.
    Fiquei mesmo empolgado com a resenha e me arrepiei ao saber da trama toda. Frederik trouxe a tona um tema muito importante de uma forma extremamente nova, onde usar quadrinhos foi uma ideia sensacional
    Confesso que todos os livros que vocês resenham e me da vontade de ler, eu corro para marcar no skoob. E dessa vez não será diferente.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Oii Carlos!
    O blog tá me convencendo á gostar de mangás viu! rsrs
    Eu adorei o livro, a história eh mtoooo bacana, o tema tá incrível, esse livro deveria ser lido milhares de vezes... Nos dias de hoje eh mto importante abordar e estar em alerta sobre o assunto!
    Gostei mto!
    Parabéns pela resenha!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, fiquei muito curiosa pra ler! Parece ser uma história muito bonita e tocante! E o fato de ser verídico torna minha curiosidade muito maior!
    Enfim, gostei muito da resenha, conseguiu me deixar com bastante vontade de ler!

    ResponderExcluir
  4. Oie...
    Estou vendo esse livro quase que diariamente pela blogosfera!
    A história parece ser realmente boa, ainda mais sendo verídica. Acredito que a obra deixa muitas mensagens para o leitor e, na minha opinião, isso é ótimo!
    A única coisa que me incomodou um pouco é o fato de ser em quadrinhos, que não curto muito.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Lendo a resenha tive a impressão que o autor trata de um assunto sério com uma enorme leveza (apesar de todos as pedras no meio do caminho), me pareceu uma história muito bonita e que deveria ser leitura obrigatória, principalmente para quem acha que apenas gays a possuem e também para quem acredita que só de respirar do lado de um soropositivo a doença é transmitida.

    ResponderExcluir
  6. Apesar de não ler histórias em quadrinhos,achei essa temática bem interessante para esse tipo de livro, é bem legal ter nos livros falando sobre doenças que mesmo nos dias atuais gera um preconceito para alguns!!

    ResponderExcluir
  7. A história parece ser carregada de cenas que com certeza vai tocar quem ler e ainda mais quando se sabe que é baseado em algo real. Não leio quadrinhos mas fiquei super feliz por essa história ser em quadrinhos, deve tocar ainda mais quem está lendo, pode ler e ver. Adorei! Parabéns pela resenha

    ResponderExcluir
  8. Que tema incrível pra se tratar em um livro. Vou confessar que difícil também.
    Pra uma pessoa aceitar a outra tem que realmente existir amor, ninguém quer correr um risco tao grande, o que é aceitável. Não são muitas pessoas que tem o conhecimento da doença e a forma de viver e tudo mais. Enfim, achei uma historia bem escrita !!

    ResponderExcluir
  9. Nunca li mangá algum, mas confesso que estou louca para ler esse após sua resenha. Parece ser uma história muito interessante e emocionante, com certeza entrará na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  10. Adorei sua resenha! o assunto trazido nesse mangá parece ser abordado de uma forma muito sensível e tocante, despertando varias emoções ao leitor! Estou curiosíssima para ler *-*

    ResponderExcluir
  11. Essa HQ parece ser magnífica! Adorei os traços, a capa, e a história parece ser daquelas que nos faz refletir e questionar a vida. Super entrou na minha wishlist.

    ResponderExcluir
  12. Não leio muitos do estilo, mas adorei a ideia dessa história. Parece ser bem bonita e emocionante. Talvez até capaz de fazer chorar mesmo. E o tema de HIV, mostrar como é a vida de quem tem e etc é bem interessante. Mostrar que o amor supera obstáculos como esse, todo tipo de amor. Achei bem bonito.

    ResponderExcluir
  13. Não sou de ler quadrinhos e mangás mas gostei tanto dessa estória que com certeza irei ler. Esse tema é tão incrível e a forma como o autor retratou é mais incrível ainda. Estou muito ansiosa para ler esse mangá.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Esse é meu estilo preferido de história, também adoro o jeito como o autor aborda esse tema que é bem delicado e também muito importante, já que muita gente ainda não tem conhecimento sobre a doença. Eu não leio quadrinhos com muita frequência, mas esse é muito lindo mesmo. E o seu jeito de escrever faz a história parecer ainda mais interessante. Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  15. Hey, tudo bom?
    O tema que o autor aborda é bem intrigante, não leio muitos mangás, mas estou bem curiosa para ler esse. Na minha percepção o mangá nos trás mais conhecimento sobre a doença em questão, achei o enredo bem interessante.

    ResponderExcluir
  16. Não tenho costume de ler quadrinhos, mas esse não é apenas um quadrinho, é úmida lição de vida, que ao ler se torna um aprendizado para vida toda. Linda história, linda iniciativa, pois ainda existe muito preconceito em relação á essa doença.

    ResponderExcluir
  17. Confesso que não tenho muito interesse em livros desse tipo mas a historia deste é bastante intrigante já que aborda um tema tão importante, então acho que vale a pena adicionar na lista ;)

    ResponderExcluir
  18. eu adoro quadrinhos mas não conhecia o trabalho do frederik
    e simplesmente me apaixonei pelos traços (adorei as fotos) e a história parece ser maravilhosa, retratando o dia a dia de uma pessoa soropositivo
    adicionar na minha lista

    ResponderExcluir
  19. Estava procurando um quadrinho para ler, acabei de achar, que incrivel, achei a história e a premissa maravilhosas, meu Deus, estou maravilhada, e esses desenhos muito lindos *u*
    Cadê o dinheiro nessas horas?

    ResponderExcluir
  20. Noooossaaa! Não conhecia o trabalho de Frederik. Adoro quadrinhos e adoro temas originais. Só acho que o Gettub deveria sortear um exemplar de Pílulas Azuis! e.e #JáQuero!

    ResponderExcluir
  21. Olá. Não tenho costume de ler HQs, mas gosto e acho muito interessante. E esse que você comentou, tão bem explicado e demonstrado, me deixou bem empolgada. Ainda mais sendo um tema tão importante, hoje e sempre. Se tiver oportunidade, gostaria muito de ler. Obrigada. Abraços.

    ResponderExcluir
  22. O livro é em quadrinhos?? Já me apaixonei pela história.

    ResponderExcluir
  23. Oi Carlos!
    Nossa que HQ emocionante! Realmente é um tema raramente abordado e colocá-lo em uma situação de família na forma de quadrinhos só faz aumentar a grandiosidade da obra. Eu adoro HQ e essa história deve mesmo nos arrancar lágrimas e ao mesmo tempo torcer pela felicidade de todos. Gostei de verdade e já vou adicioná-lo nas minhas leituras!
    Abs!

    ResponderExcluir
  24. Não conhecia essa HQ/livro ainda!! Parece ser muito legal! Adoro obras que exploram de forma clara e explicativa temáticas complicadas ou tabus, como AIDs ou suicidio, por exemplo. Com certeza é uma obra que eu pretendo ler, mas como sou universitária... Vou esperar estar empregada pra comprar hehehehe

    ResponderExcluir
  25. Oi!
    Ainda não conhecia o Frederik Peeters, mas essa foi uma HQ que me surpreendeu, realmente não imagina a profundida dessa historia, parece o tipo de livro que quando terminamos de ler, ele acaba nos fazendo refletir ainda mais mais falando de um assusto tão serie e importante presente no dia-a-dia desse autor !!

    ResponderExcluir
  26. Que história dolorida. Ainda não comecei a ler HQ, mas se um começar vou comprar esse aí. Apesar de triste parece ser muito bom e trazer muitos ensinamentos ❤

    ResponderExcluir
  27. Parece realmente uma historia emocionante e contada em HQ deve ser perfeita. Nunca tinha visto ou ouvido falar da obra e fiquei curiosa para conferir.

    ResponderExcluir
  28. Eu vi essa HQ entre os lançamentos do ano passado da Editora Nemo e quis e ainda quero muito ler, por abordar uma temática que encontrei em pouco livros, pessoas soropositivas e sua rotina, suas dificuldades e alegrias.
    O autor com traços em preto e branco faz o leitor se sentir mais confortável para ler, prefiro muito quadrinhos e com contornos iguais o que ele faz, prova que o verdadeiro amor supera todas as dificuldades, querendo ou não é uma preocupação contrair a doença quando o parceiro possui, mas hoje em dia isso tem uma chance muito pequena, bacana a metáfora usada para explicar isso. Uma história que serve para quebrar muitos tabus e informar sobre algo que ainda é cercado de muito preconceito, uma leitura que está programada para ser feita.

    ResponderExcluir
  29. Essa HQ parece ser magnífica! Adorei os traços, a capa, e a história parece ser daquelas que nos faz refletir e questionar a vida. Super entrou na minha wishlist.

    ResponderExcluir
  30. Acredito que a mensagem principal que Pílulas Azuis transmite é a importância de buscarmos o conhecimento sobre um determinado assunto, que muitas vezes ignoramos e repassamos – por medo – comentários e opiniões preconceituosas, cercadas de desprezo, ódio e nojo. Um livro incrível!

    ResponderExcluir
  31. Já namorei essa hq várias vezes nas livrarias, já cheguei inclusive a colocá-la na minha cesta de comprar na Amazon, mas o cartão não passou e eu acabei deixando pra lá. E fiz isso sem nem saber do que a história se trata. Nossa! Agora eu vou comprar com certeza, estou numa vibe de dramas e quebra de tabus, quero!

    ResponderExcluir