BIANCA PINHEIRO, AUTORA DE BEAR


Em breve, teremos resenha de BEAR, um dos quadrinhos nacionais mais fofos que conheço.  Mas antes, vamos conhecer um pouco da autora, BIANCA PINHEIRO. Abaixo, uma entrevista com fiz com ela, aproveitando sua participação na BIENAL DO LIVRO DE MINAS.

BIANCA PINHEIRO mora na cidade de Curitiba e formou-se em Artes Gráficas pela UTFPR. Fez pós-graduação em Histórias em Quadrinhos pela Opet. Começou a publicar webcomics em 2012. Seu principal trabalho, BEAR, que narra as aventuras de uma menina perdida e um urso que se torna seu amigo, teve suas histórias reunidas e publicadas em 2014, com um segundo volume sendo lançado em 2015. Ganhou, em 2015, o 27º Troféu HQ MIX, na categoria Novo Talento (Roteirista). Também em 2015, sua HQ DORA, foi apresentada em forma de leitura encenada no projeto Cena HQ, em Curitiba. Participou como convidada no FIQ BH, Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte, em Novembro de 2015, onde lançou seu segundo livro independente, a HQ MEU PAI É UM HOMEM DA MONTANHA, dessa vez em parceria com Gregório Bert. Também no FIQ BH, Sidney Gusman anunciou que Bianca Pinheiro fará a Graphic MSP inédita da Mônica.

ENTREVISTA

GETTUB: Quando li a versão impressa de BEAR, senti falta da movimentação dos desenhos feitos por Raven, bem como a de alguns outros quadrinhos. Acha que a WEB lhe dá maior liberdade criativa?

BIANCA: Não necessariamente. Ela só me dá outras possibilidades. mas eu não acho que seja uma liberdade tão maior assim. É claro que poder animar é uma agradinho interessante aos olhos, mas em matéria de linguagem de quadrinhos, não acho tão mais libertadora. É claro que não ter o limite do papel é uma grande possibilidade, mas, ainda assim, acredito que, mesmo no papel, os recursos dos quadrinhos ainda não foram totalmente explorados. :)

GETTUB: Fica óbvio que é fã de Harry Potter e dos jogos da Nintendo, como Mario e Zelda. A construção de seu enredo, inclusive, lembra as fases de um jogo, onde, para avançar na história, precisamos resolver determinadas ações. Já pensou em transformar BEAR em um jogo point and click?

BIANCA: Por que um point and click, especificamente? Confesso que é justamente um tipo de jogo que nunca pensei pra transformar BEAR. Eu penso em adaptá-lo para outras linguagens, é claro. Não só jogos de videogame, mas também jogos de tabuleiro, de cartas, por que não? Mas é uma questão de tempo e dinheiro, hehehe. Então deixemos para o futuro, por enquanto.


GETTUB: No primeiro volume de BEAR, você transmitiu ao leitor sua necessidade financeira de trabalhar em algo não relacionado aos desenhos. Pela falta de cores e pelos traços sem vida, conseguiu transmitir o quanto isso é custoso. Na época, porque, hoje, acredito que consiga sobreviver apenas com sua arte, no que trabalhava?

BIANCA: Consigo "sobreviver" apenas com a minha arte. Eu vivo de freelas de ilustração e do pequeno retorno que meus quadrinhos me dão. Não é fácil. Não mesmo. Na época dessa página, especificamente, eu trabalhava como ilustradora em uma editora de materiais didáticos, e estávamos numa fase de bastante hora extra (como sempre acontece quando precisamos entregar apostilas). Cheguei a sair da empresa meia-noite, tentando fechar material. Era a minha realidade na época.

GETTUB: Ainda relacionado com os desenhos em preto e branco da pergunta anterior, eles têm um tom escuro, lembrando uma história de terror. DORA, seu projeto independente, veio dessa vontade de contar algo mais sombrio?

BIANCA: Eu, na verdade, tenho muito mais histórias "sombrias" e "sérias", do que animadas, como BEAR. BEAR é que foi a minha grande experiência nova. Muitas cores, muitas aventuras. Mas DORA foi minha primeira história de terror, de qualquer modo. Descobri que, embora eu não goste de filmes e histórias de terror, em geral, contar e criar minhas próprias histórias de terror é muito divertido.... hahahaha.

GETTUB: Tem como dividir com a gente como aconteceu o convite para desenhar a Graphic MSP da Mônica? E o que sentiu ao receber a responsabilidade de criar sua versão da personagem de quadrinhos mais famosa do Brasil?

BIANCA: Foi na Gibicon de 2014. Eu tinha lançado, naquele ano, meus dois primeiros quadrinhos, BEAR  em Julho, e DORA, independente, em setembro. Achei muito doido o Sidão (Sidney Gusman), já confiar em mim para fazer uma de suas Graphic MSP, sinceramente. Foi um voto de confiança incrível, e espero ter feito um bom trabalho! :) E sobre fazer uma HQ da Mônica, nem me fale. Ainda não me recuperei disso (sim, a HQ já está pronta). Espero que o pessoal goste.

GETTUB: O segundo volume de BEAR é mais crítico do que o primeiro. Inclusive, o final é menos otimista, mas bastante realista. Ele representa o que muitas crianças sentem hoje em dia, mas estabelece que a eliminação de um problema, nem sempre é a solução. Como foi sua infância em relação ao que desenhou? Existe algum comparativo?

BIANCA: Conscientemente, não. Eu acho que é inevitável que a minha vida e minhas vivências influenciem no meu trabalho, é claro. Mas não teve nada em particular que eu tenha usado de referência. Apenas parti da ideia de uma situação em que se fosse permitido fazer o que bem entende, mas seguindo aquela "inocência" das crianças.

GETTUB: A página extra que publicou na web (vou colocar o link para ela aqui), onde Raven e Dimas andam sobre um gigante, é fabulosa. É seu costume realizar esse tipo de divisão da ação dos personagens sobre apenas um desenho, dividindo cada momento em um quadrinho diferente. Quais são suas influências artísticas?

BIANCA: Hum… deixe-me ver. Atualmente minhas maiores influências são a Emily Carroll e a Rebecca Sugar (com o incrível Steven Universe). São coisas que eu assisto/leio e que invariavelmente me inspiram. Para começar BEAR, no entanto, eu me inspirei fortemente em Hora de Aventura (que hoje nem assisto mais) e na webcomic Nimona, da Noelle Stevenson.

GETTUB: Em 2015, ganhou o troféu HD Mix. No Brasil, é um dos poucos, senão único, prêmio de destaque voltado para os quadrinhos. Entretanto, na Europa e EUA é o oposto. Já tentou levar BEAR para o exterior?

BIANCA: BEAR vai sair na França! se não este ano ainda, no começo de 2017. :) E é claro que quero levá-lo a outros países! Estamos trabalhando nisso. :D


GETTUB: Os filmes de heróis da MARVEL e DC abriram um horizonte, que estava quase fechado, para a receptividade dos quadrinhos como leitura habitual. Mesmo assim, a geração atual, de até 15 anos, ainda encontra dificuldade em convencer os pais, que quadrinhos é cultura, com histórias bem construídas e desenhadas. Que mensagem poderia deixar para que os leitores do blog usem na tentativa de convencer os pais do contrário?

BIANCA: Antes de mais nada, arte é cultura. Quadrinhos são uma forma de expressão artística como qualquer outra. mas ainda é bem jovem e talvez seja justamente por isso que não ouvimos falar muito de grandes HQs. A maior parte das pessoas ainda acha que quadrinhos são só os norte-americanos de heróis ou os mangás de grandes aventuras. Tem muito mais do que isso. Artistas em todo o mundo se empenham em explorar ao máximo essa linguagem e vêm fazendo trabalhos verdadeiramente incríveis. E, mesmo assim, mesmo que seja visto apenas como entretenimento, as HQs também podem ajudar a desenvolver a inteligência visual. Ler quadrinhos exige uma noção que não é só saber ler frases ou olhar imagens. É necessário fazer a junção das duas e trazer um significado possivelmente novo à tona. Quadrinhos são muito legais. E são também a minha vida.

GETTUB: Vender um livro nacional é muito difícil. Sei disso, porque sou escritor e conheço o caminho de espinhos. Vender quadrinhos é mais difícil ainda. Já pensou em trabalhar para editoras no exterior, como fazem alguns brasileiros para a MARVEL e DC?

BIANCA: Já pensei em sugerir alguma história minha para eles. Mas trabalhar no modelo mais comum (ou só como roteirista, ou só como desenhista, ou só como colorista) nunca nem me passou pela cabeça. Eu gosto de fazer tudo nas HQs.

GETTUB: Poderia deixar uma mensagem de incentivo para os leitores que possuem o mesmo sonho que você, ver sua arte publicada e lida por milhares de pessoas?

BIANCA: Se o que você quer é fazer quadrinhos, antes de mais nada leia quadrinhos. Explore quadrinhos, estude quadrinhos, conheça quadrinhos. É preciso amar quadrinhos para aguentar fazer, porque é um trabalho muito chato, demorado e muitas vezes difícil. É também muito solitário. Então estude para saber o que você está fazendo. E ame os quadrinhos, para que você consiga continuar fazendo mesmo quando estiver odiando os quadrinhos.

Bem, é isso :)

Semana que vem, teremos resenha de BEAR VOLUME 1 e VOLUME 2 para vocês ;)

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

20 COMENTÁRIOS

  1. Nossa, que fofa! achei muito importante ela ter ressaltado que é preciso estudar muito aquilo que se quer fazer. Sabemos que muitos autores acabam por enfrentar problemas no mercado devido a falta de informação que devia ter adquirido. Bear já é um dos quadrinhos que mais quero ler! Tanta obra bonita nacional e ás vezes nem sabemos.

    ResponderExcluir
  2. Não conheço muito dessa Hq, na verdade esse é o primeiro contato que tenho com a autora aqui no seu blog, algo que me fez lembrar muito do desenho animado Masha e o Urso. Será que de alguma forma esse desenho teve algum tipo de inspiração para o Bera? Bom, gostei muito da entrevista e também sou bem fã de Steven Universo assim como a escritora, mas fiquei muito muito curiosa para saber mais desses quadrinhos. Gosto muito de HQ's que fogem do tema Super herói...

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Ótima a entrevista com a autora, ainda não conhecia a mesma, mas já desejando muito sucesso a ela! Amei esse livro em quadrinhos, que fofo! Já querendo. Com certeza uma leitura divertida e leve. Faz muito bem aos olhos e ao coração! Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Que autora fofa! Adorei a entrevista. Confesso que não costumo ler HQs. Eu lia mais quando era criança. Contudo, sinto falta desse tipo de leitura, mas fico feliz em saber que existem autores brasileiros se dedicando a essa área e criando histórias nesse estilo. Fiquei curiosa pela leitura de alguma das HQs da autora e espero que ela tenha ainda mais sucesso em sua trajetória como escritora :)

    ResponderExcluir
  5. Wowwww
    Que entrevista!
    Já havia topado com algumas imagens de Bear, mas para ser sincero ignorava o nome do autor e colocava na minha cabeça que era crianção americana. Erro grande o meu.
    HQs precisam ser divulgadas sempre que possível. Precisa ser problematizado a questão de que elas não são só "revistas coloridas" para criança passar o tempo. Muitas trazem histórias tão profundas que adultos desconhecem e com toda certeza ficariam chocados se parassem para ler uma.
    Espero que a Bianca continue fazendo sucesso. Que Bear não se limite somente a França não. Que conquiste muitos outros países!
    Éguas. Deu vontade agora de ter Bear em mãos. kkk

    ResponderExcluir
  6. Não costumo ler HQs e as únicas que ainda leio são da DC. Fiquei muito curiosos para conferir como está BEAR, tanto na história contada quanto no aspecto visual.
    Tomara que BEAR seja publicada mundialmente e que o trabalho não só da Bianca mas como de todos os outros roteiristas seja mais apreciado.

    ResponderExcluir
  7. É essa linda que é a autora de Bear? Já li alumas resenhas e fiquei apaixonada por tanta Fofura. O livro ta lindo, muito bem ilustrado ;)

    ResponderExcluir
  8. Bear é um HQ super fofo, fiquei apaixonada pelas ilustrações, a autora parece ser muito carinhosa, fico feliz em saber que vai publicar seu livro em outro pais, ainda não li ''DORA'' da autora, mas acho que nem lerei, já que sou apavorada com histórias de terror, achei bem legal ela disponibilizar algumas cenas exclusivamente para os leitores, mostra que se importa conosco

    ResponderExcluir
  9. Oi tudo bem..
    Adoro livro em quadrinhos,infantis,adorei as ilustraçoes do livro,super bacana a entrevista e ico feliz que esse livro vai ser lançado na frança ,espero que ele rode o mundo...
    um abraço e muito sucesso.

    ResponderExcluir
  10. eu adoro entrevista com autores
    e essa foi mais especial ainda, pq ela gosta de fazer de tudo né? roteiro, arte. parece muito com os desenhistas de mangás q eu acompanho.
    eu adoro HQ e amei conhecer o trabalho dela. fiquei encantada com traço dela!! espero que ela tenha muito e muito sucesso, ah parabéns pelos prêmios!

    ResponderExcluir
  11. Muito legal a entrevista, amei!
    Muito sucesso!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi! Achei muito legal a entrevista, é sempre bom conhecer mais sobre os autores! Obrigada!!

    ResponderExcluir
  13. Oi :)
    Não sou muito de ler quadrinhos mas eu achei esse tão fofo e dela ser fã de Harry Potter que eu fiquei com vontade de lê-lo. A edição parece ser linda e as ilustrações também. Ansiosa para as resenhas :)
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. essa história em quatrilho é muito bem desenhada , eu vou compra-la já esta na minha lista . gostei bastante da entrevista e essa capa é tão simples mas tão bonita . obrigado

    ResponderExcluir
  15. Me deu uma vontade enorme de ler esses quadrinhos. Parebens pela resenha.

    ResponderExcluir
  16. A capa é muito fofa, adorei a entrevista, deu para conhecer mais sobre a autora, desejo que o livro chegue a vários países e com muito sucesso.

    ResponderExcluir
  17. Não sei o que é mais fofo , o livro ou a autora. Não costumo ler quadrinhos, mas me arriscaria a esse. Adorei a entrevista !

    ResponderExcluir
  18. Esse livro parece ser muito lindo, amo livros ilustrados!! E a autora é uma fofa , só não é o meu gênero histórias em quadrinhos, mas obrigada!!

    ResponderExcluir
  19. A Bianca é muito talentosa, e o traço dela é muito fofo e lindo *-* Morro de amores pelos seus desenhos <3 Adorei a entrevista, principalmente por saber quais são as suas influências, e por ela compartilhar um pouquinho das suas experiências. super torço por ela. Beijo :)

    ResponderExcluir
  20. Oi!
    Ainda não conhecia a Bianca, pelas imagens fiquei curiosa sobre seus livros, mesmo não lendo muito HQ fiquei bem curiosa para ler Bear que parece ser muito fofo e linda essa historia, gostei muito da entrevista é bem interessante poder conhecer um pouco mais dos autores, muito sucesso !!

    ResponderExcluir