REVIVAL


Stephen KING
Editora SUMA DE LETRAS
2015
371 páginas

SINOPSE: Em uma cidadezinha na Nova Inglaterra, mais de meio século atrás, uma sombra recai sobre um menino que brinca com seus soldadinhos de plástico no quintal. Jamie Morton olha para o alto e vê a figura impressionante do novo pastor. O reverendo Charles Jacobs, junto com a bela esposa e o filho, chegam para reacender a fé local. Homens e meninos, mulheres e garotas, todos ficam encantados pela família perfeita e os sermões contagiantes. Jamie e o reverendo passam a compartilhar um elo ainda mais forte, baseado em uma obsessão secreta. Até que uma desgraça atinge Jacobs e o faz ser banido da cidade. Décadas depois, Jamie carrega seus próprios demônios. Integrante de uma banda que vive na estrada, ele leva uma vida nômade no mais puro estilo sexo, drogas e rock and roll, fugindo da própria tragédia familiar. Agora, com trinta e poucos anos, viciado em heroína, perdido, desesperado, Jamie reencontra o antigo pastor. O elo que os unia se transforma em um pacto que assustaria até o diabo, com sérias consequências para os dois, e Jamie percebe que “reviver” pode adquirir vários significados.

Não sei como falar deste livro, que me deixou sem palavras do começo ao fim, com um desfecho de tirar o fôlego.

A obra, publicada pela editora SUMA, tem 371 páginas, divididas em 14 capítulos, contados pelo ponto de vista do protagonista, Jamie, e estes alternados entre o passado e o presente. A história começa quando Jamie é uma criança e conhece o pastor Charles Jacobs, que chegou recentemente na cidade, com sua mulher e filho. Contudo, tudo muda quando um grave acidente mata a família do pastor, criando um sentimento de revolta dentro dele.

Mas tem um detalhe: Charles sempre foi fascinado pela eletricidade e com tudo que ela pode fazer, os benefícios, dúvidas e medo. Ele vê algo além, vê um mundo de possibilidades, onde pode ajudar pessoas, curar doenças, desde as mais brandas, até as terminais. Após fazer um sermão, que causa sua expulsão da cidade, ele deixa de ser pastor e se torna um cientista louco e viciado pela eletricidade.

O irmão mais novo de Jamie, Con, perdeu a voz depois de uma brincadeira na escola, e os médicos disseram que voltaria ao normal com o tempo, mas isso nunca aconteceu. Assim, o pastor realiza seu primeiro "milagre", com a ajuda da eletricidade, trazendo a voz de Con de volta, sem nenhum efeito colateral.


No presente, já com trinta e poucos anos, Jamie traz marcas por estar no mundo das drogas, ter participado de varias bandas e ter perdido a irmã. Agora, ele vive jogado pelas ruas. Como o mundo é pequeno, Jamie encontra o pastor Charles, que agora não é mais pastor, mas um Curador em uma feira de uma pequena cidade.

Novamente, Charles ajuda Jamie, fazendo com que ele abandone as drogas, mas lembrando-o de que tem um dívida com ele. Os anos passam e Charles continua obcecado com a eletricidade, mas continua ajudando pessoas. Agora, com uma idade mais avançada, Jamie, já sóbrio, investiga as possíveis curas de Charles, descobrindo seus segredos e o que ela pode fazer.

Posso dizer que este mundo em que um homem mexe com eletricidade, e desde o começo faz de tudo para ajudar as pessoas ao seu redor, deixou-me feliz, mas, continuando a ler, descobri que Charles poderia até estar ajudando essas pessoas, mas todas elas faziam parte de um plano que ele vinha tentando realizar há muito tempo, e fica tão obcecado com isto, que faz de tudo, até deixar pessoas morrerem sem remorso algum para conseguir o que quer.

A evolução de Charles ao longo dos anos é bem nítida. No começo é apenas um homem curioso e fascinado pela eletricidade, mas, com o passar dos anos, a curiosidade aumenta, colocando sua vida em risco, e a vida de todas as pessoas que ele "curou". Mas, na verdade, ele pode até ter curado todas elas, mas depois de alguns tempo, a tal "cura" causa efeitos colaterais, que em muitas é fatal.

Jamie foi muito importante em toda a história, sempre percebendo que tudo o que Charles fazia, poderia trazer grandes e graves consequências. Isso foi algo que me agradou profundamente, pois não importava o que acontecesse, ele lembrava que algo seria cobrado em troca mais cedo ou mais tarde. Também acompanhamos seu crescimento na mudança de tempo e entendemos porque ele entrou para o mundo das drogas, ficou em várias bandas e até virou um pequeno produtor.


A família de Charles é citada em todo o livro, do começo ao fim, o que causa um certo desgaste, mas o que ainda resta dela é importante para os acontecimentos finais. Deus é citado durante o livro, mas Charles o culpa por ter tirado sua família. Entendo sua raiva, sua reação ao acontecimento, mas não justifica a frieza que ele assume depois da tragédia.

A natureza também tem uma grande participação na história, principalmente os raios. Na verdade, posso dizer que a eletricidade é um segundo protagonista, ao lado de Jamie, já que tudo gira em torno dela, e o que ela pode trazer de bom e ruim para nossas vidas.

A diagramação do livro está impecável, sem nenhum erro de ortografia ou digitação. A numeração dos capítulos em algarismos romanos é algo que admiro e que não via há algum tempo nos livros que leio. As folhas amareladas, de que sou apaixonada, ajudam bastante na leitura. E a capa com raios, não podemos esquecer dela, demonstra bastante a sua importância na história. Ela é muito bonita, já que brilha quando colocada na luz.  No ônibus, quando lia, apareciam diversas cores. Algo simples, mas que chama muito a atenção.

Compartilhe este post:

Larissa Maciel

A vida é uma caixinha de surpresas. Posso dizer que minha vida gira em torno de surpresas. Entrei no mundo da leitura e pretendo nunca sair. Um mundo de encantos, de alegrias, de tristezas, de mágoas, de raiva e de frustrações por personagens. Mas, depois de tudo, os perdoamos, pois não conseguimos ficar com raiva de “pessoas” que conhecemos há pouco tempo e já consideramos como parte de nossa vida. Sim, sempre me verá na rua, ônibus, metrô, fila e tanto outros lugares com um livro ou o celular – pode ter certeza que és um livro – na mão, dentro de um mundo de muitas vidas e histórias agradáveis.

25 COMENTÁRIOS

  1. Olá Larissa, eu posso dizer que mesmo que o Stephen King escrevesse uma cantiga de rodas eu adoraria ser a primeira a cantar porque ele tem um jeito especialmente peculiar de escrever que prende a atenção para todos os momentos, desde o ápice da trama até as cenas mais frias. Aprendi a gostar dele em cada detalhe desde que li A incendiária, e este me fez lembrar muito da incendiária. Fiquei extremamente curiosa com a descrição do personagem , me trazendo ainda a sensação de que falávamos sobre o médico-monstro de Frankestein em uma nova adaptação. Quero ler com certeza! parabéns pela resenha. Tem um pequeno erro de ortografia na sua escrita no quarto parágrafo no finalzinho onde se lê PEÇA ELETRICIDADE, desculpa falar viu? beijos e parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriana, fala baixo! Eu sou o revisor dos textos e deixei passar esse erro de datilografia. Se descobrem, sou mandando embora do blog!!!!! ;) Já foi corrigido! Obg :)

      Excluir
    2. Eita tan nam nam hihihi DEsculpa

      Excluir
  2. Olá Larissa,
    Olha, posso dizer que nunca quis ler um livro de Stephen por ter receio ao mundo do terror. Mas caraca! olha essa resenha! eu realmente quero ler este livro. Quando li que o pastor abandonou seu cargo, uma empolgação já me atingiu e li suas palavras com uma vontade incrível! Sim, eu gosto de argumentos contra a religião kkk

    Obrigado por me fazer sentir assim, com um livro de Stephen! Nunca imaginei.

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Toda vez que eu leio uma resenha sobre algum livro do Stephen King, acabo ficando com mais vontade ler alguma obra do autor. O problema é que eu não sei por qual dos seus livros começo! O único livro que já li não foi de ficção, mas uma obra autobiográfica chamada "Sobre a escrita" (é um ótimo livro).
    Enfim, eu adorei a sua resenha e fiquei muito curiosa pela leitura. Achei o enredo diferente, o que acabou despertando a minha curiosidade.
    Acho que vou adicioná-lo na minha meta de leituras :)

    ResponderExcluir
  4. Oi Larissa ^^
    Como não amar o rei King? De uma peculiaridade e perícia incrível tudo que ele escreve se torna inesquecível. Até os enredos cansativos se tornam marcantes.
    Confesso não ter lido nenhuma resenha de Revival. Não me pergunte o pq, não sei explicar.
    Sua resenha foi instigante. Mesmo não vendo tantos detalhes que me façam pensar "esse enredo é 100% original e fodastico", o livro me chamou a atenção. Fiquei interessado em ver os efeitos colaterais causados pelos raios.
    Parabéns pela linda resenha.
    Bjs :*

    ResponderExcluir
  5. Eu ainda não li esse livro, mas meu namorado - como bom fã de Stephen King que é - leu e gostou bastante. Não curti tanto a capa, mas parece ser uma história e tanto!
    Gislaine | Paraíso da Leitura

    ResponderExcluir
  6. Muito legal a resenha!
    A capa deixou a desejar mas espero que leitura supere isso. O autor pra mim é desconhecido mas creio que é renomado por tamanha repercussão em blogs. Essa história de ficção me deixou bem empolgada pra ler e espero não me decepcionar.

    ResponderExcluir
  7. Oooi!
    O Stephen King é um autor de grande nome no mundo literário, e conhecido pelos seus livros de terror, e como eu amo ficçao, esse tem cara de ser um livro pelo qual me apaixonaria ,eu adorei a resenha e imaginei até um filme através da sinopse!!

    ResponderExcluir
  8. As magníficas últimas dezenas de páginas compensam o restante do livro lento. Um dos melhores finais dentre os livros que li do King até agora em minha opinião.

    ResponderExcluir
  9. Ainda não li esse :( amei sua resenha e estou muito ansiosa para ler porque o mestre King é o meu autor preferido! <3

    ResponderExcluir
  10. King e seus livros de conteúdo impecável né!
    Sou fã!! Adoro a forma que ele escreve essas histórias que viram lendas né...Mtoo bom esse livro!
    Qro conferir logo!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Oi :)
    Sempre quis ler alguma coisa do Stephen King mas nunca sei por onde começar. Mesmo os livros sendo do gênero que eu costumo não gostar muito eu quero muito ler alguma obra dele pois só ouço comentários positivos sobre a sua escrita. Porém, depois de ler sua resenha, esse não seria um bom livro para começar pois a estória não me despertou o interesse.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. faz tempo que eu não leio nada do king, mas acho que não vou voltar com esse livro. eletricidade, cura, colocar a culpa em Deus... não sei... não faz o estilo do king que eu mais gosto.
    mas tvz depois eu leia
    ah esses detalhes de diagramação são mesmo apaixonantes, né?

    ResponderExcluir
  13. Nunca li nenhum livro do Stephen King, pois sempre vejo pessoas falando bem de suas obras e sempre tive curiosidade para ler.

    Este livro foi um deles, adorei a resenha e fiquei curiosa para saber o desenrolar desta trama.

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Sou fã de Stephen King e suas obras maravilhosas! O último livro que li do autor, foi Sob a Redoma. Adorei sua resenha, perfeita! Fiquei muito ansiosa para ler esse livro, pois a premissa do mesmo é fascinante e não tem como não ficar mega curiosa para saber o desenvolvimento dessa história. Adicionado a minha lista, com certeza! Obrigada pela ótima dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Lendo a resenha, olhando um pouco da história me fez lembrar um pouco do doutor de Frankstein, em busca de uma cura para morte (É o que me deu para entender), acredito que a história seguirá neste caminho, eu leria esta obra, me parece viciante, o texto está muito bom.

    ResponderExcluir
  16. Não acredito que só li um dele até hoje. E foi mais ou menos na época que ele lançou, então fiquei de ler esse. Mas consegui? Não, não deu =/
    Ele tem uma trama bem interessante e essa parte da natureza é toda uma protagonista em si mesmo. Fico imaginando o que o autor fez com essa história. Parece ser viciante e muito boa de ler.

    ResponderExcluir
  17. Nunca li nada do King (que vergonha). Tenho aqui "Sob a Redoma", mas por ele ser tão grande, acabo sempre desanimando. Me indicaram começar com "Carrie, A Estranha", mas já assisti o filme e sempre que isso acontece, desanimo de ler o livro.
    Só que lendo sua resenha, fiquei super curiosa por esse livro, adorei o que o autor criou... Parece ser um livro e tanto.
    A capa é maravilhosa mesmo, me arrisco dizer que a mais bonita de todos os livros do King, que são muits.. rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. King sempre nesse jeito de fazer uma construção forte de personagens e trazer uma base sólida da história para então só começar o terror mesmo na segunda metade. É algo que o terror carece nos dias atuais principalmente o cinema. O Mestre do Terror continua vivo ainda.

    ResponderExcluir
  19. Olá. Vi esse livro por aí e as maravilhas que falavam dele, mas não tinha lido a sinopse. Agora que sei alguns detalhes fiquei um pouco curiosa com o final, que você disse que é muito bom.
    Outros livros do autor estão em critério.

    Cupcakeland

    ResponderExcluir
  20. Nunca li nenhum livro do Stephen King, apesar de querer ler todos! Essa resenha me deixou curioso ao extremo!!
    Ótima Resenha!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  21. Oi!
    Faz um tempo que quero conhecer a escrita do Stephen King e tenho alguns livros do autor na minha lista de leitura, e parece que ele consegue desenvolver muito bem esse livro com personagens bens escritos, mas essa não foi uma historia que me chamou atenção !!

    ResponderExcluir
  22. Eu sempre desejo os livros do King, mas sempre tenho medo de ler. Alguns dos mais bobos me dão mais medo que outros...Por exemplo: a maldição do cigano me deu um medo que muitos outros não deram, entende? Não sei se faz sentido hahaha E sei lá, lendo a resenha desse livro, a atmosfera dos dois livros (resenha e o que eu citei) me pareceu muito igual...Então eu desejo o livro, mas já tenho apreensão pra ler hahahaha

    ResponderExcluir
  23. Achei uma história interessante, embora eu não vá ler, pois não gosto de terror. Ja ouvi meu namorado falar bastante dele e de seus livros, acho que esse seria um bom presente para ele Haha
    Gostei da escrita da resenha, parabéns!

    ResponderExcluir