A MENINA SUBMERSA


Caitlín R. KIERNAN
Editora DARKSIDE
2015
320 páginas

SINOPSE: A Menina Submersa - Memórias é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por sereias e licantropos. Mas antes de tudo, uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de camadas, mitos e mistério, beleza e horror, em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do 'real' sobre o 'verdadeiro' e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos. Considerado uma 'obra-prima do terror' da nova geração, o romance é repleto de elementos de realismo mágico e foi indicado a mais de cinco prêmios de literatura fantástica, e vencedor do importante Bram Stoker Awards 2013. A autora se aproxima de grandes nomes como Edgar Allan Poe e HP Lovecraft, que enxergaram o terror em um universo simples e trivial - na rua ao lado ou nas plácidas águas escuras do rio que passa perto de casa -, e sabem que o medo real nos habita. O romance evoca também as obras de Lewis Carrol, Emily Dickinson e a Ofélia, de Hamlet, clássica peça de Shakespeare, além de referências diretas a artistas mulheres que deram um fim trágico à sua existência, como a escritora Virginia Woolf.


BRUNO: O livro tem como protagonista a solitária India Morgan Phelps. Digamos que ela não é muito sociável, principalmente quando levamos em conta a sua esquizofrenia, herdada de sua mãe, que herdou de sua avó, que herdou de... Mas ela tem um emprego e, nos momentos livres, pinta quadros. Alguns são para trabalhos, outros, ela pinta para si.

THUANNE: Este foi um livro bem difícil de ler. Talvez porque não seja o estilo de leitura que eu estou acostumada. O livro conta um pouco da história de India Morgan Phelps (Imp), uma garota que possui esquizofrenia, assim como sua mãe e sua avó. Ela decide escrever uma parte do que aconteceu em certo período de sua vida, quando encontrou uma mulher na estrada e levou-a para casa. Na verdade, Imp encontra duas mulheres: uma se torna sua namorada; e a outra é um completo mistério. E esta segunda, por sua vez, é o motivo pela qual Imp decide escrever.


BRUNO: A história começa com ela descrevendo um pouco do passado da sua mãe e da sua avó e como ambas morreram por causa da esquizofrenia. Ela deixa bem claro de quem herdou sua loucura. Entre suas idas e vindas a sessões, com sua psiquiatra Magdalene Ogilvy, India - que gosta de ser chamada de Imp, mas que eu não me acostumei a chamar por tal -, passa a relatar a primeira vez que teve contato com o quadro A Menina Submersa, do pintor Phillip George Saltonstall. Ela deixa em evidência que está escrevendo uma história de terror, mas isso acontece de uma forma completamente estranha, não me foi confortável ler. Não tem uma linearidade no enredo. É como se India escrevesse o que bem viesse à sua cabeça, desviando, assim, do foco do livro todo: fantasmas. Logo, foi estranho ver a personagem dar várias voltas longas para continuar num ponto que parou, ou que pulou de forma descarada. E para deixar o leitor um pouco mais confuso, não sabemos, de primeira, quem está narrando tudo, mas logo revela-se que é India quem escreve em primeira pessoa, mas tenta mostrar o enredo em terceira pessoa em vários momentos. Não é à toa que o subtítulo do livro é memórias. É como se lêssemos um diário. Só nos é revelado o que a dona bem entende.

THUANNE: Como ela tem muitas crises, não conseguimos saber o que é real em sua escrita. Por diversas vezes, ela não termina os assuntos. Começa a escrever sobre algo e, quando estamos nos acostumando e entrando na história, ela muda o foco e diz que volta a falar sobre isso depois. A escrita não é linear, o que torna o livro bem confuso. Creio que esta tenha sido a intenção da autora, já que a personagem é esquizofrênica.


BRUNO: Num dia nublado, India conhece Abalyn de forma um pouco turbulenta e, ignorando o conselho universal de nunca falar com estranhos, ela decide abrigá-la em sua casa, pois a guria foi expulsa pela ex-namorada. É nesse momento que a pitada de romance, presente em quase todo livro fictício, se instala, mas de forma tão natural e rápida que, quando percebemos, as duas já são um casal. Isso não deixou de ser um pouco assustador para mim. Como também o ponto onde o fantasma finalmente aparece. India já contribui para instalar o sentimento de dúvida quando diz não ter certeza de quando conheceu Eva Canning. Ela apresenta duas Eva: uma que conheceu em novembro; e outra em julho. Fica evidente a sua esquizofrenia. Não podemos confiar puramente em tudo que ela escreveu, até porque a mesma não acredita que tudo tenha ocorrido como datilografou. No desenrolar dos capítulos, vemos como Eva afeta profundamente o equilíbrio frágil de India, e, como isso, consequentemente afeta sua relação com a Abalyn. Sua fixação em Eva beira a loucura, e em vários momentos me senti incomodado pela guria de cabelos loiros ser o centro da atenção.

THUANNE: Houveram muitas citações de livros e filmes, o que achei bem interessante. Mas não senti que que houve terror, muito longe disso, na verdade. Não tive nem um pouco de medo e houve pouco suspense durante o livro.


BRUNO: As referências musicais e artísticas no decorrer dos episódios são divinas! Pesquisei todas e posso dizer que gostei do que vi e ouvi. Confesso ter gostado dos momentos em que a infância e o passado da família de India eram relatados. Para mim, esses foram os únicos momentos prazerosos, mas concluí a leitura não gostando e nem gostando de India, não foi uma personagem marcante. Já Abalyn é outros quinhentos. O seu passado é doloroso, e a única vontade que sentia, era de guardá-la dentro de um pote e proteger de todo o mal que existe no mundo. Fora saber que ela é uma gamer. Isso já me deixou fascinado. Eva Canning, definitivamente, é uma personagem que não me agradou. Apareceu na vida da India só para destruir o que já estava destruído, não tem como gostar desse ser.


THUANNE: A obra não me cativou  e não foi exatamente o que eu esperava. A diagramação está impecável, a editora mais uma vez caprichou, o livro possui alguns desenhos e cada detalhe foi muito importante para o enriquecimento da obra.

BRUNO: A edição em capa dura é linda! Com bordas rosas, as páginas são amareladas, mas a fonte das letras, infelizmente, é pequena e os capítulos são relativamente longos. As ilustrações presentes na obra são colírios aos olhos. Tinha expectativas altas com relação A MENINA SUBMERSA, mas acabou que a animação toda que nutria secou logo nos primeiros capítulos. É somente mais uma história de fantasmas com final nada legal. Para quem busca sair da sua zona de conforto, adentrar uma história com narração não-linear e sentir-se confuso na mente de uma pessoa esquizofrênica, esse livro é a escolha certa.

Abaixo tem um preview de como é a edição de A MENINA SUBMERSA:



     

Compartilhe este post:

Thuanne Souza

Paulista, assistente administrativa e estudante de Farmácia ❤ Sempre tentando ser alguém melhor e seguindo o lema “levo a vida devagar pra não faltar amor.” Apaixonada por músicas (principalmente as nacionais) e livros. Aprendendo a gostar de outros gêneros, além dos romances clichês.

23 COMENTÁRIOS

  1. Ual! Gteee q bacana, adorei o ponto de vista d vcs sobre a obra, ainda mais curiosa pra ler...
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Pessoal, parabéns! Mas parabéns mesmo! Essa foi, de longe, a melhor resenha que já li sobre esse livro. E olha que não li poucas! Sempre tive curiosidade por esse livro, mas antes de lê-lo, pesquisei várias opiniões. A maioria me fez desistir, mas essa... Essa resenha de vcs me fez ver A Menina Submersa como uma obra de arte! O legal é que até um ou outro detalhe negativos que vcs destacaram aguçaram ainda mais o meu interesse, e isso é maravilhoso! Gosto demais de referências em livros, eu também saio pesquisando todas (que nem o Bruno), isso valoriza tanto uma obra, né? A edição realmente é sensacional! Eu tinha a primeira, em brochura, mas na época não tinha lido uma resenha tão boa assim é acabei doando o exemplar. Agora só me resta o arrependimento... Mas ainda vou ler esse livro. Ah, se eu vou!

    Beijo grande pra vocês!

    Jess Ferreira
    www.arosadoprincipe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi gente do meu coração!
    Vocês só postam resenhas de livros que eu estou extremamente curiosa para ler. Eu simplesmente adorei essa edição que está maravilhosa e com as páginas rosa *-* adorei a resenha de vocês, espero poder ler em breve e decidir o que eu achei da história.

    ResponderExcluir
  4. Essa edição é linda, esse livro é um verdadeiro conto de fadas mas também é peculiar. A Menina Submersa parece ser um livro denso, lindo e intenso, precisa ser lido com calma pois há partes que parecem um tanto quanto sem noção, mas que são importantes para toda a história. Fiquei com muito vontade para ler, e a resenha está maravilhosa principalmente pelo fato de vocês apontarem também os pontos negativos

    ResponderExcluir
  5. Que edição magistral... Impecável.
    A editora está de parabéns.
    Quero muito comprar o livro, não só pela capa, claro.
    Apesar de alguns pontos negativos na história, continuo bem curiosa, confesso.
    Espero conhecer a obra em breve.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  6. Linda edição, esse é um daqueles livros que eu quero ter pela capa. Já a história, acho confusa... sei que essa é a ideia, mas não sei se vou gostar. Gostei da resenha em dupla, um complementa o comentário do outro.
    Um beijo
    Paulinha S

    ResponderExcluir
  7. Um hora quero ler outra quero passar bem longe, mesmo lendo sua resenha ainda fiquei em dúvidas porque livros em que não consigo distinguir o que é real do que é fantasia me incomodam bastante, então ainda não sei de nada

    ResponderExcluir
  8. Não tem nem o que falar desta edição, cada vez a DarkSide capricha mais.
    Este livro faz um tempinho que está na minha lista de desejados e a cada post que vejo me deixa mais curiosa.

    ResponderExcluir
  9. Estou querendo muito ler esse livro, a dark side caprichou muito na edição. Esse trhiler psicológico, com coisas confusas e subentendidas é o que me faz mais ter vontade de ler o livro, ver como é a narrativa e que elementos trazem.gostei do vídeo que mostra o livro tão detalhadamente e vi que o livro é um espetáculo

    ResponderExcluir
  10. Olá.
    Nossa, a resenha de vocês está perfeita! Muito legal esse encontro de ponto de vistas sobre o livro. Quero ler e ter na minha estante, assim como todos os livros DarkSide! Capa linda e ilustrações maravilhosas, que deixam mais curiosa sobre a leitura. Mesmo com os pontos negativos, acredito que será uma leitura muito boa. Obrigada por suas palavras. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Eu tenho esse livro maravilhoso <3 li ele em julho e já sinto saudades de Imp, o livro realmente não tem nada de terror, mas eu também não esperava isso dele, mas foi bastante interessante saber o que se passava na cabeça de Imp e suas confusões, eu gostei bastante.

    ResponderExcluir
  12. Eu quero ler exatamente por se tratar de um livro que não tem linearidade e que fala pela mente de uma pessoa que tem esquizofrenia. Talvez esse seja o maior motivo de algumas pessoas não gostarem da escrita e não se sentirem envolvidas na trama. A edição está belíssima, eu tenho a outra, mas para mim está super valendo. Vou começar minha leitura em breve!

    ResponderExcluir
  13. Oi tudo bem..
    Bem legal esse post por ja contem pontos de vistas diferentes sobre um livro é como ler duas resenhas em um só post,bacana mesmo.
    Tava querendo muito ler o livro ,por causa da capa que é linda ,por conter ilustraçoes que adoro quando tem em livros ,e por saber que tem falando de filmes e musicas o que eu amo qando tem em um livro,mas depois de ler alguns comentarios nao muito bons tô com o pe atras,ainda tô decidindo se leio ou nao..otimas resenhas.
    Um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  14. Gostei de conhecer duas opiniões do mesmo livro. Acho que esse livro fugiria da minha zona de conforto, pela própria narrativa ser desconfiada, ainda não li nenhum lido narrado por alguém que tenha esquizofrenia. Quero ler, porque mesmo sendo um livro confuso é bem complexo e trata de um doença que quero saber mais. A edição esta linda, essas páginas rosas são apaixonantes

    ResponderExcluir
  15. A menina submersa foi o livro mais diferente que eu li em toda a minha vida. Eu tive uma mistura de sentimentos lendo esse livro, gostei bastante da estória mas me incomodei um pouco na parte das loucuras e divagações da Imp, pois foi tudo muito confuso e lento de se ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Oi Bruno e Thuanne.
    Adorei a resenha dupla.
    A menina submersa é um livro que eu não tenho interesse em ler, mesmo com essa edição linda, com capa dura e folhas coloridas *-*
    Uma amiga tentou ler, não gostou muito da história e acabou abandonando.
    Já li alguns livros que não eram lineares, mas esse parece ser bem confuso e a personagem é bem peculiar.

    ResponderExcluir
  17. Hey! :)

    Amei a resenha de voces. Agora tenho mais 2 pontos de vistas sobre A Menina Submersa haha. Esse é aquele tipo de livro que meu consumismo me obriga a querer comprar apenas porque a edição é linda. A trama em si nao me encanta a ponto de querer ler desesperadamente .Mas,um dia (quem sabe) eu leia.

    ResponderExcluir
  18. Sinceramente eu não sei o que pensar desse livro.
    Um hora quero ler outra quero passar bem longe, mesmo lendo sua resenha ainda fiquei em dúvidas porque livros em que não consigo distinguir o que é real do que é fantasia me incomodam bastante, então ainda não sei de nada rsrsrs

    ResponderExcluir
  19. Que livro profundo e confuso não sei se nesse momento quero ler ele, essa junção do real e fantasia para a personagem não me agradou muito de cara, pensei que era um livro cheio de mistério, suspense e terror, algo realmente esquisito e maravilhoso, acho que deixarei esse para ler em breve, amei essa capa ela sozinha já me faria comprar o livro, sorte que tem resenhas pra dar uma iluminada na historia hahaha

    ResponderExcluir
  20. Achei bem legal o livro ser comentado por duas pessoas. Deu para perceber como os pontos de vistas e impressões foram bem parecidos. Cara, não acredito que um livro que a DarkSide publicou não é tão bom quanto parece. Tinha altas expectativas em relação a ele, mas depois dessa resenha já sei que não vou gostar muito dele. E sim, essa edição é bonita, acho que a melhor que a DarkSide já lançou.

    ResponderExcluir
  21. Oi!
    Essa edição e mesmo maravilhosa, mas infelizmente esse não foi um livro que chamou minha atenção, parece ser uma historia bem confusa, mas com personagens bem interessante e gostei muito de saber sobre as referencias que encontramos no livro, mas esse não foi um enrendo que me deixou curiosa e doida para ler !!

    ResponderExcluir
  22. Amei a edição, é linda e diferente. A história me conquistou, com certeza vou lê-lo assim q tiver oportunidade.

    ResponderExcluir
  23. Como todos os livros da editora Darkside, a edição é maravilhosa, com as ilustrações e a capa, porém não posso dizer o mesmo do conteúdo pois o livro "O Circo Mecânico", me deixou muito confusa ,acabei não terminando de ler, e esse pelo que eu pude ler não vai me agradar também, deve me causar a mesma confusão ,mais valeu pela resenha!

    ResponderExcluir