MENINA MÁ


William MARCH
Editora DARKSIDE
2016
272 páginas

Sinopse: Publicado originalmente em 1954, MENINA MÁ se transformou quase imediatamente em um estrondoso sucesso. Polêmico, violento, assustador eram alguns adjetivos comuns para descrever o último e mais conhecido romance de William March. Os críticos britânicos consideraram o livro apavorantemente bom. Ernest Hemingway se declarou um fã. Em menos de um ano, MENINA MÁ ganharia uma montagem nos palcos da Broadway e, em 1956, uma adaptação ao cinema indicada a quatro prêmios Oscar, incluindo o de melhor atriz para a menina Patty McComarck, que interpretou Rhoda Penmark. Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também. MENINA MÁ é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.

No século XIX, o terror era representado por seres folclóricos e causos sobre vida após a morte. Com as Grandes Guerras no começo do século XXI e o relatos sobre assassinos em série, o gênero passa a ter uma nova temática: a perversidade humana. Diante de tamanhas atrocidades cometidas pelo mundo em tão pouco tempo, e a publicação de artigos sobre psicanálise, ganhou-se material para renovar a forma de aterrorizar artisticamente.


Assim surgiu o modelo contemporâneo do terror que vigora até hoje. William March não foge deste grupo, estando junto aos precursores. Sua última obra, MENINA MÁ, foi muito bem recebida pela crítica e adaptada para a Broadway e cinema em menos de dois anos, rendendo um Oscar para a intérprete da protagonista, Rhoda Penmark.


Nesta obra, a maldade humana se apresenta como forma de terror psicológico, levando ao questionamento da natureza desta condição, mostrando como isto afeta os que rodeiam os mais malvados, sob uma narrativa em terceira pessoa com várias perspectivas. 

Christine e Rhoda Penmark vivem em uma boa vizinhança, enquanto Kenneth viaja a trabalho. Amigas das vizinhas, têm em Monica Breedlove um amor familiar. Desta forma, todo o enredo se passa em um ambiente aconchegante e nada assustador. Rhoda é a queridinha dos adultos do prédio, mas não engana o malvado zelador Leroy, que já implica com a garota no primeiro capítulo.


Com o senso moral de 1950, traz elementos machistas em tal implicância e em outros momentos. Apesar disso, possui uma narrativa leve, que deixa o leitor encurralado no final de cada capítulo. Várias indagações são feitas, mas poucas são respondidas explicitamente. 

Rhoda é uma criança fria, calculista e autossuficiente. Nunca se suja, nunca faz birra, nunca desobedece. Já foi expulsa de uma escola sem grandes explicações, e tal acontecimento se repete no início da narrativa. A suspeita é do envolvimento da garota com o afogamento de um colega de turma. Desamparada com tal suposição, Christine começa a ler sobre psicopatia e assassinos em série, ficando à beira da obsessão pelo tema e pela inútil tarefa de provar a inocência da filha.


Tal trama parece uma velha conhecida dos espectadores e leitores de terror contemporâneo. Mas a forma como March dialoga com a psicopatia infantil, na confiança exacerbada das pessoas em rostinhos bonitos e angelicais, bem como sua adoração por aqueles que cedem aos seus anseios, é um apelo ao bom senso, uma verdadeira crítica de costumes. Sob uma narrativa claustrofóbica, capaz de levar a mente do leitor ao lugar onde as violências acontecem e a dissimulação de Rhoda reina.


Impossível não lembrar de Chuck, Annabelle, Samara ou Dexter durante a leitura, trazendo a sensação de "mais do mesmo", mas como já relatei, este foi o precursor deste estilo, sendo assim leitura obrigatória para os fãs do gênero. 

E claro, como uma característica da DARKSIDE, a edição está impecável, com capa dura, papel pólen, marcador de fita, ilustrações e capítulos numerados. Além de uma introdução muito bem escrita que ajuda a ter uma visão mais crítica do clássico.


Outro aspecto marcante (ou frustrante, eu diria), é o final. Banhado em maldade e frieza, as últimas páginas são de arrepiar e, apesar de ser um final em aberto, me atraiu bastante. E me fez pensar que, apesar de não ser um livro forte, foi bem escrito e seu potencial para se tornar essencial para a criação de outras obras é merecido. 

Compartilhe este post:

Mylane Damasceno

Além de ser amante da literatura, amo blogar. Gosto de atualidades ou de algo mais retrô. Leio de economia à literatura, de Rick Riordan a José de Alencar. Me emociono facilmente com filmes e livros, e tenho vontade de fotografar quase tudo que vejo. Sou fã de dias chuvosos e músicas calmas.

25 COMENTÁRIOS

  1. Eu estou morrendo de curiosidade para ler esse livro, realmente parece muito impactante e a editora Darkside soube arrasar em todos os detalhes da capa e da diagramação.Já compraria esse livro só pela capa. Nunca li nada da Darkside, mas o trabalho que eles têm é impecável, vale a pena comprar só pra deixar guardado

    ResponderExcluir
  2. Para td com esse livro!!! Babando!!!
    Estou namorando ele desde o lançamento...Está realmente mto top! Tanto enredo, capa personagens, história...tudinho!!
    Eu qroooo!
    Parabéns pela resenha!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. eu tenho esse livro , a edição é impecável e a história também , nossa muito bom, gostei de tudo da capa e da história que fala sobre a psicopatia infantil é muito top

    ResponderExcluir
  4. Que resenha mais incrível de se ler! Parabéns, Mylane. Coerente e coesa! Eu acho essa edição da DarkSide (assim como todas as outras) sensacionais. A história, apesar de instigante e curiosa, não me chama muito a atenção pelo fato de que não gosto de maldade em crianças. É de mim mesma, sabe? Gosto de ter a imagem de pureza relacionada a elas, e livros assim me deixariam chocadas e frustrada com a dura realidade da vida, rs. Mas mesmo assim, acredito que o livro seja muito bom e que agrade aos fãs do gênero. Afinal, é um clássico!

    Bjos e parabéns de novo pela resenha!

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Amei esse livro desde quando começou a divulgação. E tenho ele na minha estante, somente ainda não li! Gostei muito da resenha, bem elaborada e sincera. E fiquei mais ansiosa para desvendar essa leitura! Obrigada por essa super dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá!!!
    Que resenha maravilhosa, quero muito ler este livro pois sou estudante de psicologia e apaixonada por histórias como essa. A edição é incrível o que me faz ter vontade de ter este livro para ler e reler e ficar admirando ele. Assim que tiver condições vou comprar este livro com toda certeza.

    ResponderExcluir
  7. Oi Mylane.
    Não estava muito empolgada para ler esse livro, pois não sou muito fã de suspense. Mas, a trama parece ser bem desenvolvida e os personagens são interessantes.
    É da nossa natureza não achar que crianças fofas, com rostinho angelical, possam cometer atos hediondos. Mas a Rhoda é bastante suspeita, com seu jeito frio e metódico.
    Espero ter a oportunidade de ler esse livro em breve.

    ResponderExcluir
  8. Toda vez que vou na livraria pego esse livro na mão.
    Mas só para admirar mesmo, porque que edição é essa hein? MARAVILHOSA.
    Confesso que não compraria e muito menos leria, pois não curto esse gênero literário rs.
    Sua resenha está incrível, parabéns.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  9. OOOI! Com certeza a editora Darkside sabe deixar os livros íncriveis,como o livro que ganhei aqui do Top Comentarista,O circo mecânico, é realmente gratificante o leitor pegar um livro de capa dura e com ilustrações , dá prazer de ler um livro desse! Porém "Menina Má" não faz nem um pouco o meu gênero,porque livros de terror nunca foram o meu forte!!

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem? Primeiramente, que capa é essa, gente? Ah claro, DarkSide, hahaha! Essa editora arrasa demais, meu Deus. Eu sou encantada por assuntos que tratam da psicopatia. Como as crianças normalmente são vistas como alguém "puro", é impossível desconfiar que nem todas são.

    ResponderExcluir
  11. Essa história é bem bizarra, mais que trata de uma personagem muito bem construída por se tratar de uma criança psicopata, que levanta uma questão muito interessante sobre a maldade: ela é uma semente que nasce com a gente ou produto do meio? O suspense que essa livro tem é maravilhoso, mais aquilo que dá a questão do livro ser maravilhoso apesar de ser bizarro, é terror psicológico. Essa edição da Darkisade é um colírio para os olhos

    ResponderExcluir
  12. Essa história é bem bizarra, mais que trata de uma personagem muito bem construída por se tratar de uma criança psicopata, que levanta uma questão muito interessante sobre a maldade: ela é uma semente que nasce com a gente ou produto do meio? O suspense que essa livro tem é maravilhoso, mais aquilo que dá a questão do livro ser maravilhoso apesar de ser bizarro, é terror psicológico. Essa edição da Darkisade é um colírio para os olhos

    ResponderExcluir
  13. A Darkside realmente sabe encantar com maestria histórias horripilantes. Linda capa e toda a atenção aos detalhes, só pela capa já compraria. Gostei da resenha, sim, quero muito ler. Um precursor e inspirador para tantas outras histórias. Será que a gente já nasce com a maldade plantada no coração?
    Um beijo
    Paulinha S

    ResponderExcluir
  14. Olha que essa resenha foi uma das mais bem escritas que já li sobre esse livro, isso se não for a melhor. Você soube dosar a maldade da menina na medida certa, sem esquecer que ela tem uma família, que ao acompanhar suas estranhices estavam buscando um lado humano e sem maldade na mesma. Gostei demais da maneira com que você mostrou esse lado do livro, sem dar nenhuma indicação de mais detalhes. Eu já desejo esse livro desde que saiu, por um bocado de motivos, a começar pela temática de psicopatia infantil, como pela edição e pela capa!

    ResponderExcluir
  15. Faz um tempo que este livro está na minha lista de desejados, porém o que me deixa mais curiosa é saber como vão finalizar a obra, pois a maioria das resenhas que vejo a respeito do livro fala que o final é frustrante rsrs.

    ResponderExcluir
  16. Faz um tempo que esse livro está entre meus desejados, sou apaixonada pela Darkside, essa edição é realmente impecável, eu amo livros de capa dura, e essas paginas e ilustrações é muito lindo! tenho a edição de capa dura da menina submersa e é um dos meus livros favoritos não só por ser lindo, mas por ser inteiramente maravilhoso, acredito que esse é tão maravilhoso quanto.

    ResponderExcluir
  17. Oi :)
    Eu sou apaixonada pelas edições da DarkSide, assim como todo mundo rs, então queria esse livro só para enfeitar a estante pois eu não tenho coragem de lê-lo. Sou muito medrosa, e são poucos os livros de terror que leio, porém acho esse muito pesado, por se tratar de um terror psicológico e ter crianças. Enfim, a estória parece ser interessante mas não tenho interesse nesse livro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Oi tudo bem..
    Eu quero muito ler esse porque ja li bastante comentarios positivos sobre ele e adoro os livros da darkside sao maravilhosos ,mas confesso que tenho um pouco de medo de ler sobre crianças psicopatas,e muito profundo,a gente nunca espera ou consegue visualizar uma criança fria, calculista e autossuficiente,logico que tem ,mas e dificil entrar na nossa mente que seja possivel.
    otima resenha.
    Um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  19. Esse livro já estava na minha lista só pela edição incrível da dark, fora o filme que eu adoro, e é claro a pitada de polemica que sempre me deixa piradaaaaaa, quero muito ler, adorei o filme e preciso ler esse livroooo!

    Ana Carolina
    https://leitureira-filmeserie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Que resenha maravilhosa, a DarkSide arrasou na edição e divulgação do livro, gosto quando aborda o tema terror psicológico e mente humana, também acho bom que livros assim apresentem leitura leve e que crie muitas dúvidas ao leitor durante a trama, mesmo que com o machismo em certos momentos. Quero ler e conhecer a maneira como o autor conduziu a história de uma maneira diferente e conquistadora

    ResponderExcluir
  21. Já li muitas coisas a respeito desse livro, não deteve meu interesse por me parecer só mais um livros de terror psicológico, contudo essa resenha me fez pensar melhor a respeito, se o autor conseguir conduzir e apresentar ao leitor novas perspectivas sobre o tema, sinto-me obrigada a descobrir mais sobre a Menina Má e como sua mente funciona, adorei as ilustrações e a resenha.

    ResponderExcluir
  22. To de olho nele desde o lançamento.Essa capa e edição é simplesmente coisa de outro mundo.Sem falar na trama,neh?! A primeira coisa que pensei ao ver essa capa foi: AHAM!!!BARBIE FINALMENTE FOI DESMASCARADA...
    Enfim,preciso ler logo.

    ResponderExcluir
  23. Desde o lançamento estou querendo ler esse livro. Como gosto muito desse gênero e Menina Má foi o precursor de todos os outros, com certeza vou ler e gostar. Só pela sinopse já fiquei curiosa e preciso saber logo o que vai acontecer no final das contas.

    ResponderExcluir
  24. Oi!
    Essa capa está incrível e logo me chamou atenção, fiquei bem curiosa sobre esse livro pois por ele acontecer nos anos 50 trás um olhar sobre o terror bem interessante e me surpreendi por achamos uma narrativa leve nesse livro !!

    ResponderExcluir
  25. Eu sinceramente n gostei da capa, mas a história me atraiu.

    ResponderExcluir