O MENINO QUE DESENHAVA MONSTROS


Keith DONOHUE
Editora DARKSIDE
2016
256 páginas


Sinopse: Jack Peter é um garoto de 10 anos com síndrome de Asperger que quase se afogou no mar três anos antes. Desde então, ele só sai de casa para ir ao médico. Jack está convencido de que há de monstros embaixo de sua cama e à espreita em cada canto. Certo dia, acaba agredindo a mãe sem querer, ao achar que ela era um dos monstros que habitavam seus sonhos. Ela, por sua vez, sente cada vez mais medo do filho e tenta buscar ajuda, mas o marido acha que é só uma fase e que isso tudo vai passar. Não demora muito até que o pai de Jack também comece a ver coisas estranhas. Uma aparição que surge onde quer que ele olhe. Sua esposa passa a ouvir sons que vêm do oceano e parecem forçar a entrada de sua casa. Enquanto as pessoas ao redor de Jack são assombradas pelo que acham que estão vendo, os monstros que Jack desenha em seu caderno começam a se tornar reais e podem estar relacionados a grandes tragédias que ocorreram na região. Padres são chamados, histórias são contadas, janelas batem. E os monstros parecem se aproximar cada vez mais.

O MENINO QUE DESENHAVA MONSTROS é um thriller psicológico que gira em torno de Jack, um garoto com síndrome de Asperger, uma doença, do espectro autista, que afeta a pessoa, tornando-a introspectiva e com dificuldades para socializar. Alem disso, Jack, após quase se afogar no mar com seu amigo, Nick, adquire agorafobia, o que faz com que o menino evite ao máximo o ambiente externo. Devido a tudo isso, o menino desenvolve obsessões regularmente, que se alternam entre brincadeiras, leituras de quadrinhos e desenhar monstros, sua ultima obsessão.


Preciso admitir que tive sérios problemas para ler este livro, principalmente por ter expectativas muito altas para ele. Infelizmente, não cheguei nem perto de superá-las. A narrativa do livro é arrastada, lenta e detalha em muito momentos desnecessários, o que me fez ter muita dificuldade de dar continuidade à leitura. A história começa a melhorar lá pela página 150, mas, mesmo assim, não foi um livro que me agradou.


A doença de Jack provoca uma ruptura familiar, e seus pais não sabem lidar com o filho. O pai insiste que tudo não passa de uma fase, e a mãe deixa claro que quer ficar longe disso tudo.

Os ossos estavam dançando em sua imaginação desde a véspera do Natal. De onde vinham aquelas imagens insistentes, Jack Peter não sabia. Às vezes, uma imagem surgia do nada, e ele se sentia obrigado a colocá-la no papel o mais rapidamente possível. Outras vezes, ele desenhava coisas apenas porque queria, e essas eram as imagens que controlava. Mas, nos últimos tempos, essas imagens surgiram sem ser convidadas

Jack começa a mencionar que tem tido pesadelos e que existem monstros rodeando sua casa e seu quarto, e passa a desenhar esses monstros. Logo no inicio do livro, vemos o menino em sua cama, temendo algo que está embaixo dela. O fato de seus pais não acreditarem nele, faz com que ele acabe se tornando mais violento e introspectivo.


Porém, em pouco tempo, seus pais acabam percebendo alguns fenômenos inexplicáveis, como, por exemplo, a presença de vultos desconhecidos, barulhos ao redor da casa, choros de criança e por ai vai.


Um outro problema, que encontrei na história, diz respeito aos personagens. Eles não são cativantes. Somado aos capítulos extremamente detalhados, que costumam terminar sem um clímax, tornaram esta leitura ainda mais complicada.


Apesar disso, o trabalho que a editora fez com a edição é maravilhoso. Não somente a capa é linda, mas também a ideia de deixar as páginas finais para que possamos desenhar, muito boa. Como sempre, a DARKSIDE está de parabéns pelo trabalho, mas, infelizmente, o conteúdo presente deixou a desejar.

Amigos imaginários costumam partir sem se despedir. No outro travesseiro, à sua frente, jazia deitada a cabeça de Nicholas Weller. Jack Peter queria esticar a mão e cutucar a bochecha do amigo com o medo, mas, se aquele fosse Nick de verdade, ele poderia ficar bravo. Por outro lado, até amigos imaginários podem perder a paciência


RESENHA ESCRITA PELA NATÁLIA PALOMARE PARA O GETTUB!

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

18 COMENTÁRIOS

  1. Oi, Natália! Primeiramente: que fotos lindas! Somando com a edição primorosa da editora, fica quase irresistível não desejar o livro rs. Mas, infelizmente, essa não é a primeira resenha negativa que leio sobre ele. Apesar de ser lindo, fiquei sem vontade de lê-lo, confesso. Não só pela narrativa arrastada, mas também pelo que vc mencionou sobre os personagens, eles não são carismáticos. Acho que a principal característica de um thriller deve ser manter o leitor preso à história, e se isso não acontece, o livrondeixa muito a desejar, né. Parabéns pela resenha, e pela sinceridade. ;)

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Que pena que o livro não te agradou muito, desde que li a sinopse fiquei muito animada para ler. Acho que melhor eu abaixar um pouco minhas expectativas e ler normalmente pra ver se gosto do livro. Este livro está na minha lista de desejados. Não vejo a hora de poder ler, e a capa é realmente incrível.

    ResponderExcluir
  3. Oie Natália!
    Primeiramente, parabéns pela resenha, tá excelente!
    Li uma resenha dias atrás, flando da expectativa tbm que teve sobre o livro, era grande dmais e se decepcionou, mas eu tenho ctz que irei gostar assim msm, talvez seja pq gosto demais do gênero, não sei dizer, mas vou dar uma chance e não em decepcionar com a obra!
    Bjs!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá Natália entendo completamente quando você fala que a história é cheia de detalhes e arrastada, mas talvez isso se deva ao fato da síndrome de Asperger ser um ponto importante no personagem, tenho um sobrinho com Tea (alguns dos sintomas do espectro autista) e posso dizer que eles são extremamente repetitivos, e lentos em alguns momentos, e muitas vezes a falta de socialização se dá também porque muitas pessoas não o acompanham em seus pensamentos, ora muito rápidos e ora muito lentos, sempre cheios de imagens que podem ser reais ou apenas repetições de desenhos, filmes e outras coisas que porventura eles se depararam em algum momento da vida. Meu sobrinho ele várias vezes durante a conversa comigo está falando algo normal e coloca um personagem de desenho na conversa como se fosse real. Acho que esse livro tem tudo a ver comigo, estou mega ansiosa para comprar (quando eu tiver grana) hihihi. Aconselho se você me permitir, que você leia o Passarinha e Lua de larvas, são histórias que colocam essas percepções diferenciadas dessas crianças na leitura!

    ResponderExcluir
  5. Hey!
    Essa é a primeira resenha que li sobre o livro. Um amigo leu e disse que amou o livro,mas sempre que penso em O Menino que Desenhava Monstros tento não criar expectivas ,pois sempre quebro a cara quando espero mto de um livro e não acaba sendo aquilo tudo que imaginei. OMQDSM me parece ser exatamente esse tipo de livro. A edição esta tão linda *-*,enche os olhos.

    ResponderExcluir
  6. Oi :)
    Desde que soube do lançamento desse livro eu fiquei animada pra saber mais sobre a estória pois fico assim com todos os lançamentos da DarkSide. Porém depois de ler sua resenha me desencantei total, realmente não faz meu estilo de leitura e com certeza não iria gostar nenhum pouco, ainda mais por ser um livro tão arrastado.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Natália. Não tenho nenhum livro da editora, mas acompanho bastante resenhas sobre eles e percebo que a darkside capricha mais na edição do que na própria história. Infelizmente.
    A sinopse é muito boa, realmente chama o leitor, o faz criar uma espectativa enorme e a edição é linda. Sinto muito por ter se decepcionado.

    Amei as fotos e sua opinião.

    ResponderExcluir
  8. OOOI! Eu gosto demais de um livro cheio de mistérios e suspense, porém como você mencionou um livro cheio de detalhes até quando não é necessário, acaba tornando a leitura meio chata e arrastada, então por esse motivo eu não iria ler, o autor precisa saber até onde tem que ir com os detalhes!! Mas é uma pena um livro tão cheio de ilustrações mas com um ruim desenvolvimento!!Obrigada por ter dado a sua opinião!!

    ResponderExcluir
  9. Confesso que esperava uma resenha possitiva em relação a história. Mas isso não influenciou muito, pois já tinha ouvido sobre o livro, e mesmo assim não despertou vontade de ler. Acho que a causa disso é porque ele leva pro lado mais sobrenatural. O que não é minha praia.
    Mas as edições da darkside são maravilhosas! 😍❤

    ResponderExcluir
  10. Hey!

    Eu vi esse livro e pensei! Cara, nunca lerei! Hahaha, eu já devo ter dito um milhão de vezes que sou medrosa pra esse tipo de gênero literário e cinematográfico. Não curto. Mas realmente, a capa é bem bonita.

    beijos

    ResponderExcluir
  11. Nossa, tinha expectativas bastante altas pra esse livro. Ainda bem que li essa resenha antes de me iludir mais. Já leio sabendo que pode não me agradar taaaaanto (pq gosto é gosto né).
    Adorei a resenha, parabéns!

    ResponderExcluir
  12. os livros da darkside ganham só pela capa e pela edição
    vc não é a primeira pessoa que reclama que o livro é lento, mas como os outros dois livros da ed que eu li isso acontecia acho que não vou reclamar muito
    eu quero muito ler esse livro
    ah, as fotos estão lindas!

    ResponderExcluir
  13. Que pena que o livro não te agradou tanto assim. Os livros da Darkside são lindíssimos, mas já li 2 que não me agradaram tb... Se tiver oportunidade lerei com certeza, mas não com tantas expectativas.. E que fotos lindas, parabéns!!

    ResponderExcluir
  14. Esperava uma resenha positiva, estava com muitas expectativas para esse livro, já que li pouco sobre a síndrome de Asperger, talvez eu até leia o livro, mas esperando menos, já que a narrativa é cansativa e não consegue prender o leitor, a edição está linda, achei uma das mais caprichadas da editora.

    ResponderExcluir
  15. Eu estava com bastante vontade de ler esse livro, achei a história diferente e acabei me interessando. Entretanto, narrativas arrastadas nao são meu forte haha. Que pena que o livro teve esses pontos negativos, realmente eu esperava muito dele. Sua fotos ficaram lindas! Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Oi Natália, tudo bem?
    Primeiramente, a Darkside arrasa nas edições dos livros não é mesmo? A capa dura, a arte, tudo chama a nossa atenção, e acabamos fisgados, pena que nem sempre o conteúdo faz jus, como foi o caso desse livro pra você :/
    Eu ainda não li, tenho um sério problemas com thrillers, mas a sinopse dele tinha chamado a minha atenção, após ler a sua resenha, vou pensar melhor antes de gastar minhas dilmas hahaha
    Adorei as fotos a sinceridade na sua resenha, parabéns!

    Beijos,
    Ana | Blog Entre Páginas
    www.entrepaginas.com.br
    Participe do SORTEIO DE 1 ANO do Blog!

    ResponderExcluir
  17. Esse livro é meu desejado desde que foi lançado, a Darkside sempre lacrando com essas capas lindas ☻

    ResponderExcluir
  18. Comprei esse livro em uma promoção no submarino porque adoro a Darkside e por ser thriller psicologico, ansiosa para ler

    ResponderExcluir