PRECISAMOS FALAR SOBRE A DEPRESSÃO
E O SUICÍDIO


Você conhece alguém que cometeu suicídio? Ou que tem depressão? Síndrome do pânico? Ansiedade?

Já ouviu alguém falar com frequência sobre se matar? O que você pensa quando ouve falar dessas pessoas? O que você diz para essas pessoas? O que você sente por elas?

Depressão, assim como as outras patologias psicológicas, não é frescura. 

Depressão é coisa séria! 

Depressão não é sobre estar triste em alguns momentos. Depressão é sobre se sentir sozinho, mesmo quando estamos rodeados de amigos. É perder o gosto pelas coisas que tanto gostávamos. É sobre se manter isolado num quarto, sem vontade de levantar da cama. É sobre se sentir sempre vazio. E em alguns casos, é sobre pensar em desistir de lutar e cogitar acabar de vez com tudo isso.

Depressão não é bonito e não deve ser romantizado. 

Tentar cometer suicídio (ou conseguir fazê-lo), não torna a pessoa fraca. Pessoas com pensamentos suicidas não precisam do teu julgamento. Elas precisam de ajuda dos familiares, amigos e de profissionais.

O suicídio normalmente pode ser evitado.

As pessoas ao meu redor demoraram muito tempo para perceber que eu precisava de ajuda. Elas percebiam, é claro, que eu passava o dia todo trancada no quarto. Eles percebiam que havia algo de errado comigo, mas nunca souberam o que era. Eu cortei meus pulsos por meses antes que alguém sequer notasse. Eu usava moletom no verão, assim ninguém percebia os cortes nos meus braços.

Eu precisava de ajuda, mas nunca pedi. Foi somente um ano depois de tudo começar, que eu aceitei ajuda. Eu nunca tentei de fato me matar, mas já havia pesquisado sobre o assunto. E às vezes cogitava a ideia.

Certo dia, um dos meus melhores amigos disse uma das piores frases que poderia me dizer naquela época. Ele disse: “Para de cortar os pulsos e enfia logo uma faca no pescoço. Você não quer morrer? Corta o pescoço de uma vez”. Em outra ocasião, uma amiga chegou a dizer para o meu ex-namorado o seguinte: “Você teria gostado muito mais dela um tempo atrás. Ela era mais feliz, mais divertida”.

Eu pensava no suicídio quando falavam coisas assim. Quando não levavam a sério o quanto aquilo tudo estava me matando lentamente.

Devo ter perdido a conta de quantas vezes me perguntaram o motivo dos cortes nos meus braços. Todas as vezes eu dizia a mesma coisa. Eu estava tão destruída mentalmente, que a dor física me fazia esquecer o quanto eu estava machucada por dentro. Acho que ninguém nunca conseguiu entender isso direito.

Precisei de tratamento psicológico e psiquiátrico para melhorar. Eu tinha quatorze anos quando isso começou. Iniciei meu tratamento com quinze anos. Esse ano faz três anos que eu superei a depressão.

Suicídios não ocorrem do dia pra noite. Eles podem ser evitados na maior parte das vezes. É preciso conversar e cuidar de pessoas com pensamentos que põem em risco suas vidas. É preciso se preocupar com elas e não tratá-las como loucas, fracas ou incapazes. Tudo o que precisamos é de apoio, cuidado e carinho. Tudo o que precisamos é de atenção e tratamento adequado.

Só não julgue essas pessoas.

Por favor, não nos julgue.

Ajude-nos.


Compartilhe este post:

Natália Palomare

Quando o assunto são livros e musicas, sou uma das pessoas mais ecléticas que existem. Não tenho livros favoritos, uma vez que me considero muito parecida com o Charlie, de As Vantagens de Ser Invisível, que diz que a cada livro lido, ele encontra um novo favorito – pelo menos até terminar de ler o próximo de sua lista.

18 COMENTÁRIOS

  1. Meus sentimentos ❤️ Parabéns por ter vencido essa luta ❤️

    ResponderExcluir
  2. Melhor post que li sobre assunto até agora!!!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, arrepiada com esse post Natália!
    Vc com toda ctz é uma guerreira, pois mta gte sempre diz que depressivos não aceitam ajuda, e que bom que vc aceitou pelo seu próprio bem...Mta luz pra vc!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?

    Tô chocada e confortada com esse texto. Descobri a campanha ano passado, quando achava que só estava triste. Como você, levei um tempo para entender que estava em depressão. Levei mais de oito meses para buscar ajuda, porque estava desesperada e com muito medo de que, de fato, eu fosse tentar algo. Pensei em querer morrer de seis a oito vezes. Em uma delas, tomei um sedativo (que é pra enxaqueca, não ia me dar nada, porque já tomei outras vezes) e esperei, desejei muito, que eu fosse embora. Eu disse pra mim mesma que, se acontecesse, tudo bem. Que eu ia morrer sem dor, porque estava dormindo. Por incrível que pareça, o que me deu força não foi um tratamento psicológico (embora eu tenha feito terapia por um tempo) ou psiquiátrico: foi eu mesma. Comecei a mudar meus pensamentos, de negativos para positivos. Tive uma conversa com uma amiga e ela me ensinou a ressignificar as coisas/pessoas/lugares. Me ensinou a importância do perdão pra ter paz. E, depois, comecei a meditar. Estou há quase três meses me sentindo ótima, em paz, com pensamentos maravilhosos dentro de mim.

    Sei que cada pessoas lida e controla a depressão de maneiras diferentes. Eu, por exemplo, passei quase um ano assim e saí da cama todos os dias para trabalhar e ir à faculdade. Mas, por dentro, eu não existia mais. Eu mantive minha rotina, porque era única faísca que me mantinha sobrevivente, que me dizia que, afinal, tava tudo certo e que eu não era uma decepção.

    Só posso te mandar muita gratidão e amor por esse texto. Fico muito feliz, de coração, por saber que você teve coragem de contar sua história e, ainda mais, de saber encontrar o equilíbrio de volta para si mesma <3

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá Natália, que lindo o seu texto, fiquei e fico muito emocionada, já tive pessoas bem próximas a mim que tentaram suicídio e que não conseguiram, mas até hoje não falamos sobre isso porque é como mexer em algo que no momento está curado, mas acho de extrema importância o ouvir o outro, sem julgamentos, sem colocar nossas opiniões, afinal quando essas pessoas nos procuram tudo o que elas querem é sentir-se acolhidas e nunca olhadas com o dedo em riste! Bom, parabéns, apenas isso, não tenho palavras porque seriam mais do mesmo, eu mesma faço o que posso com amigos quando percebo que estão entristecidos demais, e meu esposo é psicanalista, também tem inúmeros casos para contar! Vamos ajudar

    ResponderExcluir
  6. Por muito tempo fui uma guria idiota e achava que quem pensava em suicídio ou em formas de amezinar a dor era gente de mente fraca. Não aceitava que alguém com tanto pra viver e usufruir pudesse pensar em algo tão egoísta assim. Fui começar a entender quando dei uma olhada ao redor e notei que o chamado "mal do século" não escolhia suas vítimas, apenas se instalava sem aviso prévio. Minha mãe, minha tia, meu namorado, minha melhor amiga... todos esses são vítimas. Uns lidam melhor, outros precisam de um guindaste emocional pra conseguir apenas levantar a cabeça. Passei a entender profundamente quando tive um início de depressão. Infelizmente tive que vivenciar o mínimo pra abrir os olhos. Desde então vivo procurando melhorar o astral de todos, mostrar que tudo tem um lado positivo, que vale a pena lutar. Às vezes são tentativas falhas, mas mesmo assim, mesmo que a pessoa insista em não querer companhia, mostro que ela não está sozinha e que eu, assim como muitos outros próximos, estão ali para o que der e vier. Infelizmente os idiotas (como o meu eu do passado) sempre existirão e irão piorar a situação com um simples comentário não pensado. Isso é algo MUITO difícil de ser revertido, então só nos resta continuar fazendo o bem, mantendo os braços e o coração abertos.

    Amei o post, parabéns por ele e pela sua força <3

    ResponderExcluir
  7. Você conseguiu me deixar arrepiada. Parabéns por ter vencido essa luta.

    ResponderExcluir
  8. Amei o post, com todos meus sentimentos, não, depressão não é brincadeira, também não é frescura e não é só ''ficar felizinho'' depressão é se sentir descolado e sozinho nesse mundo. Conheço muita gente que se corta, e nenhuma consegue me explicar o porque, apenas que conseguem desse jeito descarregar suas magoas, mesmo sabendo que não ira adiantar nada, parabéns pela sua batalha, e fiquei horrorizada pelo o que o ser humano acha do assunto

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Devi dizer que eu adorei a iniciativa de vocês em tratar sobre este assunto no blog. Sou estudante de psicologia e estou em tratamento contra depressão e ansiedade. Como você citou acima, as pessoas precisam ser mais empáticas e se colocarem no lugar das outras, pois nem todo mundo sofre igual, nem todo mundo sente igual, e uma coisa que pode ser nada para mim para você pode significar tudo de ruim. O que falta hoje em dia é as pessoas aprenderem a se colocar no lugar umas das outras. Suicídio é coisa séria e pode ser evitado. Parabéns pelo post e pela sua vitória!!!!

    ResponderExcluir
  10. Muito bom o seu post esclarecendo pontos importantíssimos sobre o assunto. Obrigada por conseguir falar o que eu muitas vezes não consigo.

    ResponderExcluir
  11. Oi Natália,
    muito forte seu depoimento viu. Parabéns por ter vencido essa luta. Há algum tempo atrás minha mãe passou por uma depressão após o fim do casamento de 20 anos. Pra mim a pior parte era perceber que por mais que fizéssemos por ela, ela não queria ajuda. É muito difícil ajudar quem não quer ser ajudado. Mas graças a Deus el também venceu esse mal, e hoje em dia é uma mulher feliz de novo. Ela não é o que era antes, mas só de vê-la se dar uma chance de viver plenamente novamente, já me faz um bem danado.

    ResponderExcluir
  12. Obrigada pela coragem de ter nos mostrado seu depoimento. Eu já convive com pessoas que tem depressão e síndrome do pânico, se para a gente que vê tudo o que a pessoa passa já é difícil imagina para quem sofre com essas doenças, é muito desgastante. Parabéns pela iniciativa, essa campanha de Setembro Amarelo é incrível.

    ResponderExcluir
  13. Olá. Já conheci muitas pessoa quando estavam com depressão e é uma das coisas mais tristes do mundo. Felizmente nenhuma delas se mataram e agradeço a Deus por isso.
    Setembro Amarelo é uma ótima e linda campanha.
    Parabéns pela sua vitória ❤
    (Carl muito fotogênico)

    ResponderExcluir
  14. nossa natália! vc é uma vencedora
    no meu caso eu aprendi a lidar com ela, nunca digo que superei pq toda vida que eu digo isso parece que ela quer me pegar de volta.
    enfim
    eu resumiria: depressão é doença e como qualquer outra precisa de tratamento médico.
    o problema que a pessoa aceitar que está doente e pior ainda as outras pessoas aceitarem isso é complicado
    as vezes eu me pergunto se as pessoas tratassem as outras doenças como depressão como seria

    ResponderExcluir
  15. Oi Natália!Achei muito importante você ter contado sobre a sua história, mostrando que muitas das vezes as pessoas julgam as pessoas por comportamentos que elas mesmas nem compreendem, ainda mais hoje em dia, eu acho que é preciso que todas as pessoas entenda sobre a depressão e que assim possam ajudar quem mais precisa!!!

    ResponderExcluir
  16. Oi Natalia, tudo bem?
    Gostaria de te parabenizar pela iniciativa de falar sobre esse assunto no blog. Eu sei o quanto é difícil, no início do ano até recentemente passei pelo pior momento da minha vida, e me vi nessa mesma situação. Acredito que só quem passe por esse problema sabe identificar o quanto é difícil pedir/receber ajuda, falar sobre o que estamos sentindo. Enquanto alguns acham que é frescura, "show", a gente se sente cada vez pior... Fico feliz que assim como eu, você tenha encontrado forças para sair dessa situação! Parabéns!

    Beijos,
    Ana | Blog Entre Páginas
    www.entrepaginas.com.br
    Participe do SORTEIO DE 1 ANO do Blog!

    ResponderExcluir
  17. Parabéns pelo texto e por falar de um assunto a qual muita gente nem se importa, minha mãe ja passou por momentos de depressão, eu tive que ser muito forte por nós duas. Hoje ela não tem mais vergonha dos momentos que passou e está muito bem.
    Eu sempre que posso, vou com ela nas consultas com a psicóloga e nunca julguei seus momentos ruins, mesmo sem entender o porquê de algumas coisas que ela dizia ou fazia. Mas hoje ela está muito melhor ♥

    ResponderExcluir
  18. Fiquei emocionada com o post, parabéns! Sei bem como essas coisas são, precisamos de muita força para superar

    ResponderExcluir