ENTREVISTA COM MATS STRANDBERG, AUTOR DE CÍRCULO


Amanhã sai a resenha do livro CÍRCULO, cujo preview você pode ver AQUI! Então, antes de ler o que a Ana Lu achou da história, vamos conhecer um pouco mais do autor?

ENTREVISTA

ANALU: Quando foi que você percebeu que queria ser um escritor?
(When did you first realize you wanted to be a writer?)

M. STRANDBERG: Eu acho que eu sempre soube. Meus pais eram jornalistas, então eu costumava sentar em frente a maquina de escrever deles e fingia que estava escrevendo, eu até escrevia... Eu amava os livros mais do que tudo e eu queria escrever o meu próprio livro. Felizmente eu cresci em uma casa onde tanto a leitura quanto a escrita eram incentivadas.  
(I think I have always known. My parents were journalists, so I used to sit by their typewriter and pretend I was writing, until I actually could write… I loved books more than anything, and I wanted to create my own. Luckily I grew up in a home where both reading and writing was encouraged.)

ANALU: O que você acha que faz uma história ser boa?
(What do you think makes a good story?)

M. STRANDBERG: Para mim isso tem sempre a ver com os personagens. Eles não têm que ser adoráveis, mas eles tem que parecer reais. Se os personagens não funcionam bem, a história também não funciona bem. 
(For me, it’s always about the characters. They don’t have to be likeable, but they have to be believable. If the characters don’t work, the story doesn’t work.)

ANALU: Quando criança, o que você queria ser quando crescesse? 
(As a child, what did you want to do when you grew up?)

M. STRANDBERG: Bem, eu queria ser um escritor. Mas eu também sonhava em virar um pop star quando eu era bem mais novo. Eu costumava praticar meus autógrafos por horas, o que é embaraçoso, mas na verdade isso ajuda agora quando autografo os livros. Eu também queria ser um psicólogo e eu trabalhei como jornalista e gostava disso. Eu amo entrevistar pessoas. 
(Well, I wanted to be a writer. But I also dreamt of becoming a pop star when I was very young. I used to practice my autograph for hours, which is embarrassing, but actually comes in handy now when I sign books. I also wanted to be a psychologist, and I have worked as a journalist and enjoyed that. I love interviewing people.)

ANALU: Escrever um livro é algo que mexe bastante com o nosso estado emocional. O que você sentiu quando terminou de escrever seu livro? 
(To write a book is something that changes our emotional state. What did you feel when you finish your book?)

M. STRANDBERG: Então, quando eu e a Sara terminamos de escrever a trilogia de Engelsfors, nós estávamos mesmo era exaustos haha. Mas nós também ficamos muito orgulhosos. Estes livros eram sobre nossa vida toda e foi incrível compartilhar aquelas experiências com alguém. Isto se tornou, de certa maneira, mais real. 
(Well, when me and Sara finished the Engelsfors trilogy, we were mostly exhausted, haha. But we were also very proud. These books were our whole life, and it was amazing to share that experience with someone. It sort of made it more real.)

ANALU: Todo mundo tem um lugar especial de leitura. Qual é o seu? 
(Everyone has a special place for enjoy reading. Where are yours?)

M. STRANDBERG Eu realmente me distraio facilmente, então eu prefiro ler na minha cama. Sem música ligada. 
(I’m really easily distracted, so I prefer to read in bed. With no music on.)

ANALU: Com qual dos seus personagens você gostaria de se casar? 
(Which of your characters would you want to date?)

M. STRANDBERG: Então, as Escolhidas são claramente muito novas para mim, especialmente no primeiro livro. No meu último livro, o romance Färjan (Blood Cruise), tem um personagem chamado Vincent que me lembra a minha esposa! A propósito, o livro vai ser publicado no Brasil, o que me deixa muito feliz. http://www.grandagency.se/authors/mats_strandberg/blood_cruise.htm 
(Well the Chosen Ones are of course too young for me, especially in the first book. In my latest book, the horror novel Färjan (Blood Cruise), there is a character named Vincent that reminds me of my husband! The book will be published in Brazil, by the way, which makes me so happy:
http://www.grandagency.se/authors/mats_strandberg/blood_cruise.htm)

ANALU: Qual dos seus personagens você mataria? 
(Which of your characters would you want to kill?)

M. STRANDBERG: Eu não acredito que mataria ninguém na vida real, então eu preferiria na responder isto... 
(I don’t believe in killing in real life, so I’d rather not answer that…)

ANALU: Quais são suas partes favoritas e as que você mais detesta no processo de escrita, e como você enfrentou as partes difíceis? 
(What are your favorite and least favorite parts of the writing process, and how do you get through the difficult bits?)

M. STRANDBERG: O que eu menos gosto são as minhas próprias dúvidas. Isto sempre toma muita energia e tira toda a graça de escrever. Isso é um problema maior no começo de uma nova história. A medida que eu comecei a me apaixonar pelos novos personagens, eu me senti mais confiante. Para mim, a única coisa que ajuda é simplesmente continuar escrevendo. Eu me forço a continuar trabalhando no livro até ele começar a ganhar vida. A melhor coisa sobre escrever com a Sara foi que nós podíamos discutir sobre tudo e descobrir as coisas juntos. Nós trabalhamos muito, mas nós nos controlamos para nos divertir enquanto escrevíamos. Minha parte favorita é difícil de descrever, mas eu acho que “é o fluxo” como vocês dizem. Quando está tudo dando certo e o texto pare estar fluindo sozinho e você sabe que ele vai ficar bom. É um sentimento mágico. 
(Well, what I like the least is the self doubt. It takes away so much time and energy and sucks all the fun of the writing process. This is more of a problem in the beginning of a new novel. As soon as I start to fall in love with the new characters, I feel more confident. For me, the only thing that really works is to just keep on writing. Force myself to work until the book starts to come to life.

The great thing about writing with Sara was that we could discuss everything, and figure out stuff together. We worked very hard, but we managed to have so much fun in the process.
My favourite part is hard to describe, but I guess it is what you call “flow”. When everything just works, and the text feels like it’s writing itself, and you know it’s gonna be good. It’s a magical feeling.)

ANALU: Qual parte da sua obra “Círculo” foi a mais difícil ou louca de fazer? 
(Which part of your book “The cirkeln” was the most difficult or crazy of doing?)

M. STRANDBERG: O mais difícil foi manter todas as partes da história conectadas e criar um elemento sobrenatural que tinha que fazer sentido. Outra coisa que fez isto ficar mais difícil foi porque não existe “bem” e “mal” no nosso mundo, existem muitas partes sombrias. A mágica pode ser usada tanto para o bem quanto para o mal, o que causou tanto a gente quanto os personagens com vários dilemas morais. As discussões que a Sara e eu tivemos foram algumas vezes muito além disso... 
(The most difficult was keeping all the storylines straight, and create a supernatural element that had to make sense. Also, what made it more difficult was that there isn’t really “good” and “evil” in our world, there are a lot of grey areas. Magic can be used for both good and bad purposes, so that confronted both us and the characters with many moral dilemmas. The discussions me and Sara had were sometimes very, very out there….)


JOGO RÁPIDO

AUTOR FAVORITO: Eu realmente não tenho um autor favorito, mas eu acho que Stephen King tem sido a minha maior influência. 
(FAVORITE AUTHOR: I don’t really have one favorite author, but I think Stephen King has been my biggest influences.)

LIVRO FAVORITO: A história sem fim do Michael Ende 
(FAVORITE BOOK: Neverending story by Michael Ende)

UM FILME: Posso por favor falar um programa de TV? Porque isso é fácil: Buffy the vampire slayer 
(A MOVIE: Can I please say a tv show? Because that’s easy: Buffy the vampire slayer.)

UM ARTISTA: Eu tenho uma quedinha pela Rihanna 
(A ARTIST: I have a girl crush on Rihanna.)

UMA MÚSICA: Frankie Goes To Hollywood: The Power of Love. Nós tivemos esta música no nosso casamento e pra mim esta é a melhor de todos os tempos. 
(A SONG: Frankie Goes To Hollywood: The Power of Love. We had that song at our wedding, and it’s my favourite lyrics of all time.)

UMA FRASE: Eu não consigo pensar em uma! Desculpe! Eu tentei muito, eu juro! 
(A PHRASE: Can’t think of one! Sorry! I tried really hard, I promise!)

UM HOBBY: Eu simplesmente amo passar um tempo com meus amigos. Esse é meu hobby número 1 (e único). 
(A HOBBY: I just really love spending time with my friends. That is my number 1 (and only) hobby.)

ANALU: Você pode deixar um recadinho para os leitores? 
(Can you leave a message to the readers?)

M. STRANDBERG: Nós estamos muito felizes que o Brasil tenha colocado Engelsfors no seu coração. Obrigada pelos recadinhos tocantes e engraçados mandados para mim e para Sara no Twitter e na outras redes sociais.
(We are just so happy that Brazil has taken Engelsfors to their hearts. Thank you for all the great, funny and touching shout-outs to me and Sara on Twitter and other social media! @matsstrandberg_ and @sarabelfgren)



Compartilhe este post:

ana lu

Sou Ana Lu e uma das coisas que mais gosto de fazer é ler e ouvir música. Meus livros favoritos são Perdida da autora Carina Rissi e Belo desastre de Jamie McGuire. Eu espero poder compartilhar muitas experiências literárias seguindo sempre o lema "a persistência fez os grandes líderes".

8 COMENTÁRIOS

  1. Oii Ana!! Adorei conhecer o autor desse livro que me dxo instigada de curiosidade!
    O enredo é perfeito tbm...Agora mais q nunca qro ler!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana Lu, gosto muito quando o blog traz entrevistas porque assim nos aprofundamos um pouco mais na história por trás da história e isso enriquece de alguma maneira o olhar que damos ao livro! gostei das perguntas, agora é esperar a resenha! bjs

    ResponderExcluir
  3. Nossa que super essa entrevista Ana, gostei muito, percebi que algumas coisas o autor é parecido comigo, como ficar treinando autógrafos hahaha quem nunca né.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  4. Adoro entrevista acho muito legal saber como o autor se sente e de como começou a carreira

    ResponderExcluir
  5. Oi.
    Parabéns pela entrevista. É ótimo conhecer um pouquinho dos autores e saber mais sobre suas obras. A leitura do livro fica bem mais especial.
    Obrigada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Adoro conhecer um pouco mais sobre os autores, me sinto ainda mais curiosa para ler suas obras! ♥
    Também gosto de ler na cama porque me distraio MUITO fácil, acho que no meu cantinho consigo me concentrar melhor..
    Eu sou a única que nunca leu Stephen King, sério KKK mas vou mudar isso ainda esse ano!
    Quem não tem uma quedinha pela Rihanna migo? HAHHAHA
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Adorei a entrevista. Gosto muito de ver entrevistas de autores nos blogs, e é mais legal ainda com um autor internacional, já que deve ser mais difícil conseguir falar com eles. Achei ótimo conhecer mais o autor, e pretendo ler o livro com certeza.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana, tudo bem?
    Eu acho incrível conhecer mais do autor antes ou depois de ler o livro, saber inspirações e tudo mais e a sua entrevista está incrível.
    Super concordo que uma história boa é relacionada aos personagens, isso faz todo sentido *-*
    Beijos!
    Lost Words

    ResponderExcluir