NAMORADO DE ALUGUEL


SINOPSE: Quando Bradley, o namorado de Gia Montgomery, termina com ela no estacionamento do baile de formatura, ela precisa pensar rápido. Afinal, ela vem falando dele para suas amigas há meses. Esta era para ser a noite em que ela provaria que ele não é uma invenção de sua cabeça. Então, quando vê um garoto esperando pela irmã no estacionamento do baile, Gia o recruta para ajudá-la. A tarefa é simples: passar por namorado dela — apenas duas horas, nenhum compromisso, algumas mentirinhas. Depois disso, ela pode tentar reconquistar o verdadeiro Bradley. O problema é que, alguns dias depois do baile, não é em Bradley que Gia está pensando, mas no substituto. Aquele cujo nome ela nem sabe. Mas localizá-lo não significa que o relacionamento de mentira deles acabou. Gia deve um favor a esse cara, e a irmã dele tem a solução perfeita: a festa de formatura da ex-namorada dele — apenas três horas, nenhum compromisso, algumas mentirinhas. E, justamente quando Gia começa a se perguntar se pode transformar seu namorado falso em real, Bradley reaparece, expondo sua farsa e ameaçando destruir suas amizades e seu novo relacionamento. Inteligente e maravilhosamente romântico, Namorado de aluguel retrata a jornada inesperada de uma garota para encontrar o amor — e possivelmente até a si mesma - Kasie WEST - Editora VERUS - 2016 - 250 páginas.

Sabem aqueles filmes que passavam, ou ainda passam, de tarde na televisão aberta? Que você já viu uma, duas, três vezes, mas, mesmo assim, continua assistindo? Não porque você não tem nada melhor para ver, mas porque a fórmula deles, apesar de clichê, é universal e agrada pela inocência, pela simpatia, pela vontade que desperta em querer fazer parte da história. Bem, NAMORADO DE ALUGUEL é um livro que se encaixa perfeitamente nesse gênero.


A história de como Gia acaba se apaixonando pelo garoto que usou para substituir seu ex-namorado no baile de fim de ano para não passar vergonha na frente das melhores amigas, é isso mesmo: não tem nada de surpreendente, de diferente, de novo. Você, antes mesmo de ler, já sabe como vai terminar. Não existe drama, não existe nenhum trauma, nem família desajustada, enfim, é a narrativa de como dois jovens acabam se apaixonando por acaso.

Aí você diz: cara, nem vou ler. Não faça isso. Leia.


A narrativa é tão gostosa, a química entre o casal principal funciona de forma tão natural, tão inocente, tão gostosa de acompanhar, que você acaba lendo todo o livro em um dia. Ainda mais que ele é fininho e tem letras grandes. Nem as partes em que Gia se relaciona com seus pais, bem como com o irmão mais velho, o que acaba desviando o foco do livro, incomodam. São poucas, curtas e acabam funcionando como um intervalo entre os encontros do casal.

"Ele olhou para minha boca, e, quando eu já começava a imaginar que ele pensava em outras coisas, coisas melhores, coisas que me fariam esquecer completamente esta noite, ele franziu a testa com um suspiro frustrado.
– O que foi?
– Você está sorrindo.
– Isso é bom, não é?
– Gia. – Ele fez uma pausa e segurou minha mão. – Não combina com o que você está sentindo.
– Eu não choro, se é isso o que está pensando.
– Em que você está pensando?
– Eu estava pensando em surfar. Agora estou pensando que a sua mão é quente. – E que era muito bom segurá-la."

Sabem qual o momento certo de ler NAMORADO DE ALUGUEL? Quando você está de ressaca literária. A leveza da história afasta qualquer bloqueio que você tenha. Ela deixa um sorriso e uma sensação de felicidade, exatamente por sua simplicidade, que dão uma limpeza no seu cérebro e deixam ele pronto para qualquer nova leitura que deseje fazer.


Uma coisa que achei madura da autora, é que ela não só soube criar as situações cotidianas mais comuns e gostosas de acompanhar com os dois personagens, mas ela também teve discernimento para, no fim da história, dar um resultado realista e digno para a relação de Gia com suas amigas. Ou seja, ela não escreveu do jeito que fez por falta de experiência ou criatividade, mas de maneira pensada, com muita competência.


NAMORADO DE ALUGUEL é o tipo de livro que passa despercebido nas livrarias, por transmitir, através de seu título, que o leitor não irá se interessar pelo conteúdo, uma vez que ele já foi tratado em diversas mídias diferentes. Mas é uma percepção errada. Dê um voto de confiança e não se arrependerá ;)

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

23 COMENTÁRIOS

  1. ADORO clichês. Melhor coisa que existe pra ajudar a mente a voltar no lugar depois de um livro pesado. Tô precisando de livros assim agora, tô passando bem mal lendo Os Miseráveis, minha mente pede por coisas mais simples.

    Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  2. Eu já tava bem assim " não vou ler " mas talvez um clichê maravilhoso seja o que precisamos quando estamos com aquela ressaca literária. Eu vou dar uma chance a esse livro e espero gostar tanto da leitura quanto você.

    ResponderExcluir
  3. Confesso que ao ler o nome do livro tive um certo preconceito, mas quando comecei a ler a resenha me interessei bastante na história, pode até ser clichê, mas não deixou de ser boa (pelo menos de acordo com as minhas impressões ao ler a resenha), já quero ler!

    ResponderExcluir
  4. Galera eu já li e gostei muito, não sei se isso se deu ao fato de coincidentemente eu o ler quando estava em uma ressaca literária! rsrs

    ResponderExcluir
  5. Oi Carlos, adorei sua resenha, tô qrendo ler faz tempo esse livro, o enredo está uma graça msm!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Carlos você lei meus pensamentos kkkk lendo á sinopse não me animei a ler mas depois da sua resenha e levando o fato de que assisti muitos filmes da sessão da tarde eu quero dar uma chance

    ResponderExcluir
  7. Não tenho nada contra clichês de Sessão da Tarde, pelo contrário, amo/sou! Assisto todos KKKK e quando ouvi falar que Namorado de Aluguel seguia esse rumo, logo me interessei. Amo histórias que fluem e nos deixam apaixonados pelos protagonistas.
    Está na minha lista de desejados, assim que tiver uma oportunidade (ou seja, grana rs) irei comprar!
    Gostei bastante da resenha e do quote que você colocou!
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  8. Oooi Carlos! Justamente por ter a cara da sessão da tarde não me anima de ler, coisas clichês estão longe de me agradar, mas valeu!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Carlos!
    Sua resenha, como sempre, muito bem explicada. Esse estilo de leitura não prende minha atenção. E como tenho uma lista grande no aguardo para ler, deixo passar a dica. Mas acredito que seja uma leitura leve e divertida.
    Obrigada.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    eu iria comentar exatamente o que disse, ele é perfeito para ler enquanto você passa por uma ressaca literária, leve, simples, escrita fluída.
    gosto desse tipo de livro principalmente porque parece que vivo em uma ressaca literária infinita.
    abraço.

    ResponderExcluir
  11. Bom dia :) Livros assim são ideais para mim, parece ser uma leitura leve que faz você querer ser um pouco daquele ou daquela personagem principal, uma história que faz você viajar e sair um pouco do chão!! Gosteei muito :)

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bom?
    Eu já tinha vontade de ler o livro, agora tenho certeza de que irei ler o mais breve possível, mesmo que ele seja clichê, a leitura deve ser muito gostosa, e gostei da dica de ler ele para sair da ressaca me lembrei disso.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  13. Assim que li a sinopse já fiz a referência aos filmes de sessão da tarde, e é justamente o que você menciona, eles são ótimos (principalmente nos momentos certos), porque apesar de serem clichês possuem uma fórmula que funciona. Livros mais leves, como este, são muito úteis também porque apresentam personagens bacanas que nos acompanham em uma leitura rápida, até mesmo contra uma ressaca literária. Fiquei bem mais interessado do que poderia ficar se tivesse simplesmente passado pelo livro em uma livraria, quem sabe eu reserve a leitura para uma tarde...

    Julio Cesar Vieira

    ResponderExcluir
  14. Amoooooooooooo clichês desse tipo, a gente sabe até as falas decoradas, e mesmo que a gente já conheça tudo a gente não consegue desligar a TV nem fechar as páginas dos livros assim. Adorei essa temática. Mesmo sabendo que vai dar namoro no final da trama a gente quer saber assim mesmo! adoroooooooooooo, e legal saber que ainda existem essas fórmulas decoradinhas que nos prendem!

    ResponderExcluir
  15. Eu gosto muito de ler clichês. Não me incomoda nenhum pouco saber o que vai acontecer no fim de uma história, acho completamente válido. Estou super curiosa com a escrita da autora, e acho que vou ler esse livro logo logo, pois estou de ressaca literária, sem conseguir ler nenhum livro mais complexo. A capa é muito fofa também, adorei a dica, vou ler com certeza.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  16. Acho que não é o fato de ser um romance clichê que vai desesteressar os leitores, acho que é mais a forma da escrita que muitas vezes não prende que faz o clichê ser deixado de lado! Ah gente adorava assistir seção da tarde com os mesmos filmes...hahaha....livros assim são ótimos quando estamos perdidos na leitura e que nada avança!!!vou por ele sim na minha listinha, que ao invés de diminuir sempre aumenta!!kkk....muito obrigada pela dica e pela resenha linda!!!;)

    ResponderExcluir
  17. Bom dia, olha eu li vários comentários sobre esse livro ser mega clichê, porém, foram comentários bem positivos. Parabéns pela resenha, e a resenha ficou tão maravilhosa, que eu acabei de efetuar a compra do mesmo, um beijo.

    ResponderExcluir
  18. Oi :)
    Eu nunca tive vontade de ler esse livro pois eu não gostei da capa e nem do título. Porém depois de ler sua resenha eu mudei de ideia, pois adoro assistir esses filmes clichês da sessão da tarde. Estou justamente precisando de livros leves como esse, espero algum dia poder lê-lo.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Sou suspeita para falar qualquer coisa desse livro porque entrou para os meus favoritos, é bem isso que você falou no vídeo, uma ótima pedida para quem quer sair da ressaca literária. Eu peguei ele para ler de madrugada e me apeguei tanto que duas horas depois já tinha terminado, e é bem como disse, fica aquele sorriso no rosto, um livro tão gostoso que mesmo sendo clichê vale a pena ler.
    Outro ponto que eu gosto de destacar é a critica que o livro faz as pessoas que vivem dependendo de redes sociais ou de outras pessoas para se sentirem melhor. Achei genial como a autora incluiu isso no livro de forma leve, e as amizades da Gia também, achei incrível.
    Ótima resenha, e adorei as fotos, essa capa é muito fofa <3
    Beijos!
    Lost Words

    ResponderExcluir
  20. Oi!
    Gostei muito da sua resenha, faz um tempo que vi essa historia e ela logo me chamou atenção e lendo a resenha essa historia acabou me conquistando, mesmo não tendo nada de diferente parece ser uma historia linda e fofa com certeza um livro sessão da tarde, e quero muito ler. A capa desse livro ficou maravilhosa !!

    ResponderExcluir
  21. Curti muito a resenha, realmente, se eu visse esse livro numa livraria ia passar bem despercebido por mim, mas depois disso: "Sabem aqueles filmes que passavam, ou ainda passam, de tarde na televisão aberta? Que você já viu uma, duas, três vezes, mas, mesmo assim, continua assistindo? Não porque você não tem nada melhor para ver, mas porque a fórmula deles, apesar de clichê, é universal e agrada pela inocência, pela simpatia, pela vontade que desperta em querer fazer parte da história." Cara, no fim, todo mundo ama clichês, eles deixam de fato essa sensação de alegria, entao com certeza esse livro vai pra lista de ressaca literaria, adoro ver um filme de comédia romantica logo depois de ver um filme pesado, acho que pra livros deve funcionar da mesma forma, bjos.

    ResponderExcluir
  22. Eu postei o comentário na conta errada , sou uma anta

    ResponderExcluir
  23. Curti muito a resenha, realmente, se eu visse esse livro numa livraria ia passar bem despercebido por mim, mas depois disso: "Sabem aqueles filmes que passavam, ou ainda passam, de tarde na televisão aberta? Que você já viu uma, duas, três vezes, mas, mesmo assim, continua assistindo? Não porque você não tem nada melhor para ver, mas porque a fórmula deles, apesar de clichê, é universal e agrada pela inocência, pela simpatia, pela vontade que desperta em querer fazer parte da história." Cara, no fim, todo mundo ama clichês, eles deixam de fato essa sensação de alegria, entao com certeza esse livro vai pra lista de ressaca literaria, adoro ver um filme de comédia romantica logo depois de ver um filme pesado, acho que pra livros deve funcionar da mesma forma, bjos. (ESSE É MEU PERFIL REAL)

    ResponderExcluir