INÁCIO: O CANTADOR-REI DA CATINGUEIRA

SINOPSE: Inácio de Catingueira, menino-escravo, um dos precursores do repente no sertão da Paraíba, deixou sua história na boca do povo, como memória cultural coletiva. E é a partir da tradição oral que a história surge neste livro, como uma biografia romanceada, mais ligada às tradições do que a fatos documentados e informações oficiais, trazendo traços da cultura de um povo que, há muito, é renegado pelo racismo e pelo preconceito - Arlene HOLANDA - Editora GAIVOTA - 2014 - 76 páginas.

Através de uma narrativa simples, sem muitos floreios, Arlene Holanda dá a conhecer a breve história de Inácio, um escravo, filho apenas de mãe, uma vez que o pai era desconhecido, mas suspeitava-se ser o senhor do engenho, que tornou-se um dos maiores repentistas do nordeste.


Metade das poucas páginas que compõem este livro, concentram-se em explicar como funcionavam as fazendas e o regime de escravatura da região. Logo em seguida, somos apresentados ao nascimento de Inácio, a venda de sua mãe, uma vez que a esposa do fazendeiro sentia ciúmes dela, sua exclusão por parte dos outros escravos e, finalmente, a descoberta do talento repentista.


Foi através dos duelos entre cantadores, que Inácio construiu sua vida. Se não como homem totalmente livre, pelo menos o mais próximo que a época permitia. Seu senhor permitia que ele se ausentasse e acumulasse os bens que adquiria das pelejas e apresentações, o que permitiu que construísse uma moradia própria e mantivesse algum dinheiro consigo.


O acontecimento mais famoso, e que até hoje perdura pelas histórias da catingueira, foi o duelo que ele travou com o maior repentista da época, Romano da Mãe D'Água, e que durou dias. Uns dizem três dias. Outros dizem até oito dias. O que se tem certeza, é que Inácio venceu o duelo e imortalizou seu nome.


A pequena obra, INÁCIO O CANTADOR-REI DA CATINGUEIRA, possui ilustrações belíssimas, além de reproduções de alguns dos versos usados pelo repentista. A leitura é extremamente rápida e agradável, indicada para qualquer um que ame o Brasil e a diversidade cultural que possuímos. Sem mencionar o quão bem seria se a obra fosse inserida em nossas escolas.

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

11 COMENTÁRIOS

  1. Oi Carlos!
    Achei bem interessante livro, acho muito importante quando valorizam a cultura nordestina. Minhas raízes são de lá, e eu adoraria conhecer a história do Inácio. As imagens são muito belas mesmo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Carlos!
    Eu não sou muito fã de biografias ou documentários, mas pelo que você descreveu, essa história parece ser bastante interessante.
    Muito boa a resenha.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Olá Carlos!
    Gostei bastante do enredo, sem contar q conhecer um pouco mais sobre obras nacionais é sempre bom né...Concordo com vc q a obra deveria sim chegar ás escolas...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Sou super suspeita de falar de obras regionalistas e que trazem a cultura de um povo e quando esse povo é o Nordestino nem tenho muito que falar, só sentir. Acho belíssimo o trabalho que esses autores e autoras trazem de reviver os tempos passados e dolorosos do povo negro e de como eles superaram suas dificuldades. Já quero. Será que a autora é minha parente? Holanda...

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Sem dúvidas, é um livro muito interessante e com uma escrita bem inteligente e informativa. Não é um estilo que eu esteja acostumada, mas espero ter a oportunidade de conferir.
    Resenha muito bem explicada. Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Oi! Acho muito importante livros que mostram a realidade do Brasil, onde resgata a história da origem do preconceito e como era a vida dos escravos. É muito cultural e importante temas assim para o própio povo conhecer um pouco mais da história do Brasil. Porém não é um um livro que casualmente escolho para ler, mas quem sabe eu não me interesse , valeu!

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde :) Pelo que pude perceber é um livro que contém informações sobre a história, e como o preconceito estava enraizado na vida da sociedade no Nordeste há muitos anos atrás, acho que vale a pena ler para conhecermos um pouco sobre o passado do nosso país e isso fará que a gente reflita sobre a nossa cultura, obrigada!

    ResponderExcluir
  8. Esse parece ser um bom livro, que vale ser lido por todos, que conta um pouquinho da nossa história e da nossa cultura, e ainda mais contendo essas ilustrações belíssimas!

    ResponderExcluir
  9. Nunca mais li livros do gênero, depois de ter lido os clássicos, e sinto muita falta disso. Misturar a história sobre escravidão e repente com certeza deve ser um acerto enorme do autor, e me parece que mesmo em poucas páginas, ele conseguiu escrever uma história densa e rica em detalhes, graças as ilustrações. Mais um que entrará na minha lista de 2017.

    ResponderExcluir
  10. Minha irmã está estudando umas coisas de história desse período da escravatura, fazendas e coisas da época. Acho que seria um livro muito bom pra ela. Ele parece ser bem fácil de ler e muito bom pra se informar.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Carlos!!
    Esse livro é bem interessante!! Amei as ilustrações!! Vale super a pena ler um livro que fala um pouco sobre a nossa história. Excelente indicação!!
    Beijoss

    ResponderExcluir