TRONO DE VIDRO

SINOPSE: Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, uma jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, e a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. Terá de volta sua liberdade se representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra os mais habilidosos assassinos e larápios do reino. Endovier é uma sentença de morte, e cada duelo em Adarlan será para viver ou morrer. Mas se o preço é ser livre, ela está disposta a tudo - Sarah J. MAAS - Editora GALERA - 2015 - 392 páginas.

TRONO DE VIDRO tem como protagonista a maior assassina de Adarlan, chamada Celaena Sardothien. Ela foi presa e condenada a trabalhar nas minas de sal de Endovier, local famoso pela eficácia em tratamentos bárbaros contra detentos, há cerca de um ano. Poucos sobrevivem no local. Se não fosse pelo seu temperamento assassino, Celaena dificilmente teria sobrevivido a mais de uma semana nas minas.


Com prisão perpétua, um dia ela recebe a visita ilustre do príncipe de Adarlan, que lhe faz uma proposta tentadora: morrer em Endovier ou tornar-se assassina particular do rei durante alguns anos e, depois, receber a tão almejada liberdade. É claro que sabemos qual foi a resposta da guria.

No castelo real de vidro, em Forte da Fenda, acompanhamos a readaptação de Celaena a contatos humanos, assim como sua preparação para uma grande disputa. O rei decide fazer um torneio para escolher o seu campeão assassino particular dentre 24 indivíduos altamente letais de todo canto de Erilea. As regras são simples: se Celaena ficar em último lugar durante os testes eliminatórios, que ocorrem todos os dias durante 13 semanas, é eliminada e mandada de volta para as minas de Endovier; se conseguir permanecer durante as 13 semanas de treinamento, estará no combate final, juntamente com outros 3 concorrentes, para duelar pelo título de campeão.

Celaena não é uma personagem que a princípio cause empatia. Com uma arrogância perigosa, qualquer um pode ser presa fácil em suas garras, caso deixe a guarda baixa ou esteja a poucos metros dela. Mas esse sentimento aterrorizante de cuidado que exala se desmancha no decorrer do enredo. Conhecemos Celaena pouco a pouco, e o seu passado é revelado de forma natural e fluída. No fim, compreendi o seu triste lado e o fato de ser assassina não me incomodou.


Se ser a campeã do rei é a única opção para ter a sua liberdade, para parar de fugir e viver tranquilamente, ela será o cão de caça do rei bárbaro que tanto despreza e vai ganhar o torneio custe o que custar.

No decorrer dos capítulos, acompanhamos a volta um tanto brusca da grande assassina de Adarlan para o seu porte físico padrão. Tendo treinamento quase todos os dias, busca sobreviver, de forma a não chamar atenção - ninguém sabe que ela é Celaena Sardothien -, nas provas semanais, para estar entre os quatro finais. Vê-la evoluir é algo extremamente prazeroso de presenciar. O muro que construiu para não ter relações sociais passa a diminuir de tamanho conforme acostuma-se a viver temporariamente em Forte da Fenda, mesmo com uma penca de guardas altamente treinados para matá-la, caso tente machucar alguém da corte ou cogitar fugir. Vê-la cercada de guardas do lado de fora do seu quarto é algo engraçado de ver, nunca pensei que uma guria despertaria medo e insegurança em tantos homens.


Os personagens secundários acabam gerando uma tremenda simpatia. Surpreendi-me gostando deles e isso não é muito comum de acontecer. Eles são muito bem construídos e o pouco que é revelado de suas almas me tocou profundamente.

Chaol Mestfall, capitão da guarda real, é um personagem com casca dura, mas que em seu interior esconde uma alma que sofreu horrores e entende o sofrimento humano.

Dorian Havilliard, príncipe e filho primogênito do rei de Adarlan, é outro personagem que, mesmo possuindo uma tremenda arrogância e um lado mulherengo, fez-me suspirar por seus encantos em alguns momentos. No final, peguei-me gostando dele e isso me assustou.


Nehemia Ytger é a princesa do reino de Eyllwe, que em um primeiro momento me chamou atenção, por ter as mesmas opiniões da assassina sobre as pessoas da corte, mas que depois passa a ter atitudes muito suspeitas. Foi bem contraditório o processo para chegar a decisão de que gostei da personagem.

O mundo em que os personagens vivem é muito bem construído, e a escrita da autora é simples. Isso me impeliu a devorar as 392 páginas em menos de 48 horas. O mapa no interior do livro possibilita ter uma visão clara dos territórios e fronteiras que delimitam Erilea.

Com narrativa em terceira pessoa, temos a maioria dos capítulos focados em Celaena, com alguns poucos tendo Chaol e Dorian como estrelas. É possível perceber elementos no enredo que remetem a JOGOS VORAZES e DIVERGENTE, isso foi algo bom, mas arriscado.

Ah, e só para instigá-los mais a ler essa obra, que me cativou bastante: existe magia em Erilea.

O trabalho editorial no livro físico é extremamente lindo, assim como sua capa, as folhas são amareladas, os capítulos são relativamente curtos e a fonte das letras é mediana, possibilitando uma leitura rápida e prazerosa. Infelizmente, encontrei alguns erros de gramaticais que me incomodaram, mas fora isso não tenho nada a declarar da edição

Será que Celaena conseguirá ser a campeã assassina do rei? Será que o rei de Adarlan conquistará todos os reinos de Erilea?


Quem curte enredos recheados de intrigas, assassinatos, vestidos lindos, rebeliões e luta num cenário de medieval, TRONO DE VIDRO é uma leitura prazerosamente válida. Espero que venha filme ou série do enredo.

Compartilhe este post:

Bruno Marukesu

Um guri que é apaixonado pela 7ª Arte. Desde cedo procurou abrigo nos livros e de lá não saiu mais. Quando está em momentos de dificuldade os livros são o seu porto seguro. Atualmente, ele vive em vários fandons. Tornou-se seriador, é bookaholic, dorameiro em hiatus, kpopper desatualizado. Ah, e que é apaixonado por pandas, zumbis, lasanha, pizza e farofa.

11 COMENTÁRIOS

  1. Oi Bruno, tudo bem?
    Desde a primeira vez que eu soube que a protagonista do livro era uma mulher, e que ela era uma assassina e não uma mocinha indefesa, me interessei demais para lê-lo. Ao ler sua resenha, me interessei mais ainda hahaha que personagem foda a Sarah conseguiu criar. Quero muito este livro.
    Ah a capa é realmente muito linda.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Essa história me pegou de surpresa e me fez querer devorar a página a cada capítulo.
    Ela é uma mulher forte e batalhadora, sei que ela vai ganhar no final(eu acho).
    Amei a resenha.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Oi Bruno eu tenho esse livro, mas ainda não comecei a ler, não por falta de entusiasmo com a trama ou algo assim, mas porque estou meio que numa fase meio parada de leituras. O fato de ter alguns pontos semelhantes com Jogos Vorazes e Divergente me incomoda porque gosto de leituras diferentes, mas você falou que mesmo sendo arriscado é interessante, então, bora ler!

    ResponderExcluir
  4. Oii Bruno!!
    Teho mta vontade de ler obras da Sarah...Já estão anotados na minha listinha, mas ainda não conseguir ler acredita...
    Adorei o enredo, capa...Livros com mapas..eu amo!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Os livros de fantasias, quando se tem um mapa, fica tudo mais fácil de entender, com o Trono de Vidro não parece ser diferente.
    Essa história promete me deixar vidrada, terminar em pouco tempo, assim como você!
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  6. Oi.
    Adorei sua resenha. Eu ganhei em um sorteio, Coroa da Meia-Noite, o segundo livro dessa série. E já fiquei super ansiosa para comprar os outros livros e fazer a leitura. Gostei muito da sinopse e lendo sua resenha, com mais expectativas fiquei.
    Ótima resenha.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Oi Bruno, ganhei este livro há um ano, e caí na besteira de trocar. Depois que li Corte de Espinhos e Rosas da mesma autora, percebi que fiz uma besteira gigante, e não posso mais voltar atrás. Pelo visto além da sua resenha, todas as que li falaram muito bem do livro. Agora, só quando eu puder comprar outro para ler. :/

    ResponderExcluir
  8. OOOi Bruno ! O Trono de Vidro parece ser um livro ótimo, com muita ação e magia, e a capa é maravilhosa e livros desse tipo com um mapa deixa tudo mais envolvente e mágico pra quem ama livros assim que fogem bem da realidade, quero muito leeer , amei sua resenha, beijo!!

    ResponderExcluir
  9. OOi!Gostei muito da sua resenha, e como você disse é uma leitura rápido caítulos não muito grandes o que facilita a fluidez, e livros assim são os melhores, a capa é linda e a história parece nos surpreender, ansiosa para conhecer "O trono de vidro", obrigada :)

    ResponderExcluir
  10. Nossa, sou louca pra ler essas histórias da série. É um livro mais legal que o outro. E o melhor é que a escrita não é daquelas arrastadas, parece que você lê bastante e sem dificuldade por ser simples mesmo. Os personagens são todos muito bem feitos e até aqueles que não tem muito destaque parece que já deixam a gente simpatizado com a cara deles e esperando por mais. O mundo é bem feito também, pelo que vejo. Tem uma ambientação legal e fácil de imaginar. E muita intriga, então já deve deixar a gente louco pra saber o que acontece. Ah, parece bom demais!

    ResponderExcluir
  11. Oi!!!
    Já li esse livro e só posso dizer uma coisa: Essa história e maravilhosa!! Quem ainda está pensando em ler pode ler sem medo!! Os personagens são muito interessantes e a premissa é fantástica!!
    Beijoss

    ResponderExcluir