O MARTELO DE THOR


SINOPSE: Em A Espada do Verão, primeiro livro da série, os leitores são apresentados a Magnus Chase, um herói boa-pinta que é a cara do astro de rock Kurt Cobain. Morador de rua, sua vida muda completamente quando ele é morto por um gigante do fogo. Por sorte, na mitologia nórdica os heróis mortos vão parar em Valhala, o paraíso pós-vida dos guerreiros vikings. Lá, Magnus descobre que é filho de Frey, o deus do verão, da fertilidade e da medicina. Desde então, seis semanas se passaram, e nesse meio-tempo o garoto começou a se acostumar ao dia a dia no Hotel Valhala. Quer dizer, pelo menos o máximo que um ex-morador de rua e ex-mortal poderia se acostumar. Magnus não é tão popular quanto os filhos dos deuses da guerra, como Thor e Tyr, mas fez bons amigos e está treinando para o dia do Juízo Final com os soldados de Odin — tudo segue na mais completa paz sanguinolenta do mundo viking. Mas Magnus deveria imaginar que não seria assim por muito tempo. O martelo de Thor ainda está desaparecido. E os inimigos do deus do trovão farão de tudo para aproveitar esse momento de fraqueza e invadir o mundo humano. - Rick RIORDAN - Editora INTRÍNSECA - 400 páginas.

No segundo volume de MAGNUS CHASE E OS DEUSES DE ASGARD, mais uma vez o protagonista e seus amigos são os encarregados de adiar o Ragnarök, o Juízo Final. Como se não bastasse, o sumiço do Mjölnir, o martelo de Thor, e os planos maquiavélicos de Loki para finalmente livrar-se das amarras e do veneno que amargura seus dias, são as últimas novidades dos Nove Mundos. Se Magnus e seus amigos não apoiarem Thor na busca de seu martelo e no combate a Loki, não apenas nosso mundo, Midgard, estará em perigo, mas toda a árvore que conecta o cosmos: Yggdrasil.


Magnus consegue, sem nenhum esforço, ser meu herói preferido do Rick. Sua simplicidade e astúcia aparecem na narrativa em primeira pessoa, que iniciou-se na tentativa de impedir o Juízo Final, aliada à busca da Sumarbrander, a Espada do Verão. Após abandonar a vida de morador de rua e instalar-se no conforto do Hotel Valhala, tudo parece bem na vida do sósia do Kurt Cobain, até que as confusões dos Nove Mundos parecem estar nas suas mãos para serem resolvidas. Mas ele não está sozinho, felizmente. A muçulmana brilhante, o anão estiloso, o elfo feiticeiro mudo e um novo personagem de gênero fluído, o acompanharão nessa jornada. Que, claro, terá participações especiais do deuses nórdicos, gigantes, os amigos do andar 19 e muitas viagens e confusão. 
Foi como antigamente: nós indo juntos em direção ao desconhecido, procurando armas mágicas desaparecidas e correndo o risco de mortes dolorosas. Eu estava com saudade dos meus amigos!
Inicialmente, conhecemos um novo Magnus, repleto de poderes e habilidades úteis, como o poder de cura por toque herdado de Frey, seu pai divino. Jacques, ou a Espada do Verão, adquiriu talentos vocais e pode entrar em combate sozinha, auxiliando seu einherjar nas lutas e nos treinamentos para o Ragnarök. Fora dos limites do Valhala, Samirah Al-Abbas se prepara para um casamento, enquanto Hearthstone e Blitzen organizam seu novo empreendimento.


Inclusive, nesses personagens que moram o meu amor pelo segundo volume da trilogia: todos são diferentes e fogem dos estereótipos que me incomodavam nos primeiros livros do autor. Samirah é uma estudante esforçada, uma valquíria incrível e uma excelente amiga, sem mencionar a sua capacidade de não violar as regras de sua religião, conseguindo ainda manter um namoro conforme o Islamismo e ainda sendo uma amiga para todas as horas. Definitivamente, minha nova heroína, pois não pude deixar de me identificar com o estilo girl power. Entretanto, por adorar personagens sarcásticos e com destreza, o novo einheijar levado por Sam para o Valhala foi quem me conquistou. Um filho de Loki com gênero fluído, que carrega uma personalidade muito forte e um passado cheio de cicatrizes. 

Com o poder de metamorfose, logo se torna um amigo, apesar das desconfianças por ter o símbolo de Loki tatuado e possuir postura semelhante ao deus. É um novo personagem, que também me ganhou, bem como a volta da dupla dinâmica, Hearth e Blitzen. A cada novo parágrafo, eu me apaixonava mais pelos dois. O humor do elfo mudo, através da linguagem de sinais, é muito bem descrito pelo autor, bem como os delírios fashion do anão. A habilidade do elfo com runas ajudaram a solucionar muitos problemas, bem como sua forma extrema de poder no maior estilo Hulk, sem perder a fofura.

Aliás, é por Hearth que o grupo acaba indo visitar o mundo dos elfos: Álfaheim. Ele é apenas mais um personagem com uma família desprezível, o que já está virando um clichê nos livros do Rick, mas não critico, porque é proposto de uma forma inteligente, que garante desfechos emocionantes e cheios de lições. E tal visita à sua família é transmitida por uma ambientação incrível, assim como as visitas a Asgard e Jötunheiml, onde conhecem o excêntrico deus da selfie e os temerosos gigantes. 
O problema dos deuses é que não dá para simplesmente estapeá-los quando eles agem como idiotas.
Apesar disso, enquanto os seres místicos são cada vez mais perspicazes, os deus são mais bobos, e suas personalidades são mais fúteis e narcisistas. Isso vem desde os livros anteriores, e traz uma mensagem por trás disso, que eu adoro.


Esta edição está tão impecável quanto a primeira: nome prateado em alto relevo, em material resistente, páginas amarelas em gramatura razoável, diagramação linda e espaçamento confortável. Mas há alguns "devia" em vez de "deveria", algumas marcas de tradução, orações muito curtas. Nada que torne a obra ruim, apenas pequenos erros. 

Erros que são facilmente esquecidos diante dos títulos hilários dos capítulos, as analogias descritivas, a ausência de explicações desnecessárias de deslocamento e os elementos da cultura pop norte americana, inseridos em momentos oportunos. Tais elogios se estendem a outras obras do autor, o que me fez questionar se ele utiliza tanto sua "fórmula do best-seller", que perde a autenticidade, deixando todos os seus livros iguais, como se viessem da mesma forma.

Contudo, O MARTELO DE THOR superou o primeiro volume e me fez gargalhar, causou ansiedade e me entreteve, cumprindo sua missão.

Compartilhe este post:

Mylane Damasceno

Além de ser amante da literatura, amo blogar. Gosto de atualidades ou de algo mais retrô. Leio de economia à literatura, de Rick Riordan a José de Alencar. Me emociono facilmente com filmes e livros, e tenho vontade de fotografar quase tudo que vejo. Sou fã de dias chuvosos e músicas calmas.

21 COMENTÁRIOS

  1. Eu amo muito mitologia mas ainda não consegui ler nenhum do Rick.
    Essa série eu não conhecia mas gostei muito da resenha. Gostei de ler os termos da mitologia nórdica e tudo. Os deuses serem fraquinhos e meio irritantes mostra que não é tudo ter poder kkk espero que a série continue bem

    ResponderExcluir
  2. Já li alguns do autor e posso dizer que adoro suas escritas, ainda não tive um tempinho para saber mais sobre esses novos mais quando vi a editora fazendo toda a propaganda eu não tenho duvida do quanto é bom.
    Até mais!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Mylani!
    Como sou fã do filme tenho mta vontade de ler livros q flam sobre Thor, não conheço o autor, já vai ser duas metas na listinha pra cumprir...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Adoro os livros do Rick e sempre procuro tê-los para ler. No momento só pude ler dele Os Heróis do Olimpo, que me apaixonei demais! E com esse não vai ser diferente, pois todos parecem ser incríveis, e adoro fantasia, misterios, mitologia, aventura. Quero muito poder explorar essa história
    Amei a resenha. Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Diversos amigos meus me disseram que essa seria uma ótima escolha literária. Ficção não é muito meu forte, mas posso tentar ler depois da resenha. Ótima resenha, inclusive.

    ResponderExcluir
  6. Olá... Amei sua resenha, muito positiva sobre o livro, no momento não li nenhum li sobre o autor mais já ouvir fala muito dele, e quero poder chegar a ler... É o livro é super interessante porém acho algo misterioso, fantasia... Mas estar super legal!!

    ResponderExcluir
  7. Mylane,já ouvi falar muito dos livros dele,mesmo não sendo de um estilo que eu aprecio,mas eles são bem famosos,e por tudo que você menciona,o autor faz por onde!

    Bom saber que o autor,mesmo tendo se saído bem no 1° livro,o 2° da série foi ainda melhor e suplementou os erros do interior...essa é uma das vantagens das séries,que o autor têm a chance de concertar os erros! E outra,que diversidade de personagens mesmooo kkkk e muito animador mesmo essa mistura de personalidades,girl power,sarcásticas,cômicas...é muito bom isso pois deixa a trama mais interessante de acompanhar!

    Achei linda também essa capa,rica em detalhes e muito bem feita,ficou linda...E muito bem ressaltada sua última observação sobre algum autor sempre seguir a fórmula do sucesso..e ao mesmo tempo que isso é bom,por outro lado ás vezes isso acaba ficando meio "insosso",pois acho que o autor deve sim se arriscar,sair um pouco da fórmula tradicional,e assim até pode conquistar outros nichos de leitores.

    Bjss

    ResponderExcluir
  8. Mylane!
    Bom ver que os incômodos do primeiro exemplar, não estão mais presentes nessa continuação.
    Ver um Magnus mais forte e com poder de cura que poderá ajudar em toda empreitada, traz ainda mais ação e aventura ao livro que parece bem escrito e com personagens bem definidas.
    Desejo uma ótima semana!
    “Na juventude deve-se acumular o saber. Na velhice fazer uso dele.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Mylane
    Nunca li um livro do autor, então não posso dizer o fato de ele escrever sempre da mesma forma, mas confesso que não tenho muita curiosidade em ler essa série. Mas gostei da resenha. Uma dica muito boa para quem já acompanha.

    ResponderExcluir
  10. Só li um livro do Riordan, "Tequila vermelha", que de fantasia não tem nada, mas o humor é uma das características marcantes no livro (fantástico, por sinal). Me parece, pela sua resenha, pelos filmes e por outros comentários, que o toque de comédia é uma marca do autor.

    ResponderExcluir
  11. Já ouvi falar muito desse livro,mais não gosto de livros assim.

    ResponderExcluir
  12. Achei interessante um único ler ter tantos personagens sobrenaturais, pessoas com muitos poderes e vir com alguns personagens já conhecido do público.
    A busca pelo martelo de Thor com certeza deve ser uma aventura e tanto!

    ResponderExcluir
  13. Primeiro tenho que dizer que eu já fiquei apaixonada por essa capa que é linda e já remete que vem muita aventura e ação por ai. Bom saber o a saga vem vindo muito boa e sempre impressionando. Realmente essa questão das palavras é pouco para tirar o brilho que a obra deve ter.

    ResponderExcluir
  14. Li Ragnarök e Yggdrasil e me bateu uma nostalgia aqui, já que eu jogava Ragnarök há uns 6 ou 7 anos - e era bem viciadinha, aliás. hahaha
    No entanto, esse tipo de leitura não me interessa, pelo menos não no momento. Ainda preciso ler PJO pra decidir o que sinto por esse autor e aí, quem sabe, me aventurar por outras obras.

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir
  15. Rick Riordan tem uma legião de fãs e não é a toa,né?
    O moço consegue fazer de histórias tão iguais, sempre algo que parece ter sido criado naquele momento.
    Não é meu estilo de leitura preferido, mas não há como negar que as letras dele arrasam!
    Ainda não comecei a ler esta série, mas sei que quando o fizer, terei os mesmos sentimentos.
    E lerei em breve!!!

    ResponderExcluir
  16. Eu tenho o primeiro volume e ainda não li esse livro, mas lendo a resenha do segundo e vendo como você se divertiu eu tô me arrependendo de não ter lido antes. Mas irei corrigir esse erro na minhas férias dá faculdade, que por sinal já pode vir !! Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  17. Ainda não li nada do autor infelizmente, porém conheço suas obras.Ele retorna a falar sobre a mitologia,está no caso é a nórdica.Amo este tipo de mitologia.Tinha visto a resenha do 1 livro e achei interessante.E essa aparenta ser muito boa,tendo o filho de Loki,elfos em sua jornada.
    Magnus é a cara mesmo de Cobain.

    ResponderExcluir
  18. OOi! Confesso que livros assim me deixam um pouco perdida, são muitos detalhes e também muitos nomes, mas a história em si parece boa, porém mesmo que eu seja fã de uma boa aventura eu não fiquei muito interessada em ler, valeu!

    ResponderExcluir
  19. Oi!
    Quando lançou o primeiro livro dessa serie fiquei muito curiosa, adoro conhecer novas mitologias e a nórdica sempre me deixou bem curiosa, mas lendo algumas resenha vi que esse não é muito o tipo de livro que gosto de ler, pois a historia acaba não me envolvente e me deixando coloca nas paginas, por isso esse não é um livro que irei ler por agora, mas quem sabe futuramente não acabo lendo !!

    ResponderExcluir
  20. Ola!!! Eu gosto de fantasia, aventuras, mas sinceramente esse autor eu não tenho a minima vontade de ler!!! Sei que ele tem muitos fãs, muitos elogios, mas comigo não rola!!! Mas sua resenha esta ótima!!
    Com carinho
    One

    ResponderExcluir
  21. Hey!!!

    Também sou uma grande fã do gênero Fantasia. Porém ultimamente tenho lido mais romances. Vejo muitas criticas positivas nos livros do tio Rick. Tenho muita vontade de ler.
    Gostei bastante da resenha, vou anotar a dica e ver se eu leio o primeiro livro da serie!

    Beijos Bella

    ResponderExcluir