OS GAROTOS CORVOS

SINOPSE: Todo ano, na véspera do Dia de São Marcos,­ Blue Sargent vai com sua mãe clarividente até uma igreja abandonada para ver os espíritos daqueles que vão morrer em breve. Blue nunca consegue vê-los — até este ano, quando um garoto emerge da escuridão e fala diretamente com ela. Seu nome é Gansey, e ela logo descobre que ele é um estudante rico da Academia Aglionby, a escola particular da cidade. Mas Blue se impôs uma regra: ficar longe dos garotos da Aglionby. Conhecidos como garotos corvos, eles só podem significar encrenca. Gansey tem tudo — dinheiro, boa aparência, amigos leais —, mas deseja muito mais. Ele está em uma missão com outros três garotos corvos: Adam, o aluno pobre que se ressente de toda a riqueza ao seu redor; Ronan, a alma perturbada que varia da raiva ao desespero; e Noah, o observador taciturno, que percebe muitas coisas, mas fala pouco. Desde que se entende por gente, as médiuns da família dizem a Blue que, se ela beijar seu verdadeiro amor, ele morrerá. Mas ela não acredita no amor, por isso nunca pensou que isso seria um problema. Agora, conforme sua vida se torna cada vez mais ligada ao estranho mundo dos garotos corvos, ela não tem mais tanta certeza - Maggie STIEFVATER - Editora VERUS - 2013 - 376 páginas.

OS GAROTOS CORVOS traz uma história complexa e envolvente, que contém magia, mediunidade, espíritos, linhas de energia espiritual e personagens incrivelmente construídos. No livro, acompanhamos cinco personagens centrais: Blue Sargente, Gansey, Ronan Lynch, Adam Parrish e Noah.


Blue Sargent mora no número 300, da Rua Fox, da cidade de Henrietta, em uma casa repleta de médiuns. Sua mãe, tias, primas e todas as mulheres que vivem com ela, possuem o dom da clarividência, diferentemente de Blue, que nasceu desprovida de mediunidade. No entanto, Blue possui um dom diferente: ela torna o dom paranormal das outras pessoas mais intenso, ou seja, se sua mãe estiver fazendo uma leitura, por exemplo, e Blue se colocar ao lado dela, a leitura será mais clara e precisa. Assim, enquanto as demais moradoras da Rua Fox, 300, trabalham vendendo previsões, Blue é garçonete, passeia com cães e, nas horas vagas, ajuda sua família nas leituras.

Desde sempre, Blue ouve de sua família que, se ela beijar seu verdadeiro amor, ele morrerá. Isso preocupou a menina por anos, até que, aos dezesseis anos, ela tomou a decisão de nunca se apaixonar e, dessa forma, não haveria com o que se preocupar. No entanto, quando a tia de Blue, Neeve, chega à casa, a primeira coisa que ela diz à garota, é: “Esse é o ano em que você se apaixonará.


Todo ano, no dia 24 de abril, véspera do Dia de São Marcos, Blue e sua mãe, Maura, vão a uma igreja abandonada e em ruínas para ver os mortos desfilarem. Porém, esses não são espíritos comuns. Na verdade, os espíritos pertencem a pessoas que irão morrer no decorrer do próximo ano. Nesse ano, diferentemente dos anos anteriores, Blue irá com Neeve.

Blue nunca viu os mortos, afinal, ela não é médium. Tudo o que ela faz é ficar ao lado de sua mãe, anotando os nomes dos espíritos caminhantes, conforme sua mãe diz. No entanto, nesse ano, acompanhada de sua tia, Neeve, Blue vê um garoto, parecendo confuso e perdido, e reconhece o blusão que ele está usando, com o inconfundível emblema de corvo da Academia Aglionby, o colégio para garotos (muito) ricos de Henrietta. Mas por que Blue conseguiu vê-lo? De acordo com Neeve: “existem apenas duas razões para uma não vidente ver um espírito na véspera do Dia de São Marcos. Ou você é o verdadeiro amor dele, ou você o matou.


Paralelamente à história de Blue, somos apresentados a quatro estudantes da Aglionby: Gansey, Ronan, Adam e Noah. Nenhum deles é o que Blue espera de um típico garoto corvo (como são chamados os estudantes da Academia Aglionby). Gansey é educado, e dedica boa parte de seu tempo, tentando encontrar o já morto rei galês, Owen Glendower, conhecido como Rei Corvo, que, segundo a lenda, concederá um desejo àquele que o libertar. Ronan é sombrio, misterioso, irresponsável e bastante grosseiro. Já Adam é o único dos quatro que não é rico. Ele possui três trabalhos diferentes, que lhe permitem estudar na Aglionby, e não aceita ajuda de seus amigos, mesmo que eles oferecem constantemente. Por fim, temos Noah, que não recebe muita atenção no livro. Trata-se de um garoto doce e quieto.

A busca por Glendower, inicialmente, é objetivo de Gansey, mas todos acabam envolvidos nisso. Afinal, iremos perceber, logo no início da história, que Gansey exerce um tipo de encanto sobre os outros garotos, e é isso que os mantém unidos. Durante a leitura, o leitor irá se deparar muitas vezes com o termo Linhas Ley. Tratam-se de linhas de energia que cruzam o globo e que conectam locais espirituais importantes. Uma dessas linhas, passa por Henrietta, e Gansey acredita que pode ser o local onde o Rei Corvo está adormecido.

E é claro que o destino de Blue e desses Garotos Corvos irá se cruzar.


Sim, é muita informação! OS GAROTOS CORVOS é um livro com uma temática diferente. No entanto, apesar de ser um livro de fantasia, eu achei a leitura fácil e a história verossímil. Os personagens são bem construídos, e conseguimos visualizá-los com clareza. Apesar de parecer um livro denso e até sombrio, OS GAROTOS CORVOS é muito gostoso de ler, leve e divertido. É claro que há as passagens mais sombrias e mais densas, mas tudo muito bem dosado.

Ao longo da leitura, algumas informações vão sendo jogadas, e tudo fica muito incerto. Porém, ao final do livro, muitos pontos se ligam, dando aquela sensação de: “como eu não percebi isso antes?”. Isso nos dá vontade de ler o livro novamente, para vermos as coisas com outros olhos. A autora construiu a história de forma que o leitor consegue se sentir parte da busca por Glendower. Vamos colhendo dicas ao longo da leitura e estamos sempre caminhando lado a lado com Blue e os garotos corvos.


A narrativa é feita em terceira pessoa, e a escrita da autora, Maggie Stiefvater, é detalhista e muito envolvente. Muitos outros personagens são apresentados no decorrer do livro, o que torna a história ainda mais complexa. A trama do livro foi muito bem elaborada, e a autora não se perdeu em nenhum momento.

Eu não gosto muito da sinopse do livro, pois dá a impressão de que o foco central da história será o romance, por conta da profecia que envolve Blue beijando seu verdadeiro amor. E, na verdade, o livro vai muito além disso e a sinopse engana o leitor, podendo, inclusive, afastar possíveis leitores.

Sobre a edição: Eu amei, achei realmente muito bonita. O verniz na capa foi usado de uma forma muito interessante, localizando-se no fundo e não no desenho. O desenho traz uma textura áspera, e o título nome da autora são em auto relevo. As cores e a imagem são harmoniosas e combinam perfeitamente com a história.


Eu adorei a forma como a história foi evoluindo sem perder o ritmo. Sempre tem algo importante acontecendo, envolvendo o leitor. Stiefvater acertou em cheio em não se prender aos aspectos mais românticos da história. O romance aparece na dose certa, a história convence, os plot twists são realmente surpreendentes e o final do livro é um daqueles finais que te fazem implorar pela sequência. OS GAROTOS CORVOS não é apenas um livro bom, é um dos melhores que li na vida.

Compartilhe este post:

Priscila

Sou psicóloga, casada e a leitura sempre foi parte essencial em minha vida, assim como a escrita e o cinema.

25 COMENTÁRIOS

  1. Olá!!
    Achei bem convincente sua resenha e devo acreditar que adorei e achei bem maluquinha essa historia, tenho certeza de que se eu ler vou adorar mesmo sendo uma historia complexa devo admitir que a capa é muito linda apesar de não ser fã de fantasia não vejo motivo para não ler.
    Até mais!!

    ResponderExcluir
  2. É um livro intrigante e diferente das distopias que já li.

    Tem o romance, mas ele não fica em primeiro plano e isso torna a história mais cativante.
    Toda a história tem um "Q de realidade" e fantasia que da a impressão de que esse tipo de distopia poderia realmente existir. Não é uma fantasia escancarada... é sutil e as coisas vão surgindo aos poucos.
    É apaixonante, Amei ele. Recomendo muito.

    ResponderExcluir
  3. Oi Priscila!
    Segunda resenha que leio da obra e q me convenceu á ler...
    O enredo parece bom e agradável, como gosto do gênero, creio q será uma leitura bem aproveitada.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oiee Priscila,adorei sua resenha,mas livros que têm como base magia, mediunidade, espíritos, e coisas do gênero não me atraem de forma alguma,não faz meu estilo,mesmo você mencionando que têm romance na dose certa,esse é um estilo fora dos livros românticos que não tenho interesse em ler :/
    Mas para quem curte deve sim ser um bom livro,visto que você menciona que a autora não se perdeu em nenhum momento,e olha isso é um ponto mega positivo,ainda mais com tantos elementos que foi trabalhado e tantos personagens que também foram sendo inseridos na trama,poucos autores conseguem segurar uma história assim nos eixos. Também achei legal que,mesmo tendo vários personagens,ela soube estruturar cada um,o que é bom,para nos apegarmos mais aos personagens e não ficar com aquela impressão de personagem aleatório,que você não consegue se ligar/identificar,aí diminui o apego com a história. Adoro quando tanto os personagens principais quanto os secundários são bem descritos...autores assim são outro nível haha
    Bjss

    ResponderExcluir
  5. Eu li uma resenha do ultimo livro da série e apesar de ter achado interessante não foi o suficiente para me fazer querer ler... Mas essa me ganhou. Achei bem interessante a historia da Blue e de como o sobrenatural está presente na história, sem contar que estou curiosa sobre os outros garotos e o Rei corvo.

    ResponderExcluir
  6. Ola...
    Amei a historia, me pareceu cativante, linda..e a resenha perfeita..!
    Essa menina Blue me chamou atenção com fato de não querer se apaixona porém será que ela consegue? fiquei nessa duvida...esse livro me cativou bastante..vou procura para ler!!

    ResponderExcluir
  7. Oii quero ler gosto de distopia, e achei essa interessante. ADORO suas resenhas Priscila. <3

    ResponderExcluir
  8. Priscila!
    Você merece mais que parabéns por ter feito uma resenha bem detalhada.
    Fiquei zonza com tantos personagens e acontecimentos, não que isso seja ruim para leitura, afinal o livro parece ser excepcional, porém é daquelas leituras que merece atenção absoluta, porque se perdermos um fato, ficaremos a ver navios...
    Semaninha De muita luz e paz!
    “Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  9. Eu já deve está a um dois anos sempre eme dizendo é esse ano que vou comprar esse livro pra ler e vou conhecer porque ele é tão bem falado. Mas esse ano eu tô sentindo que vai pelo menos em teoria. Que bom pra que um livro que vem muita informação junto ele tem o dom de ser uma história que não seja tão pesada e entediante. Eu gostei da resenha e espero ver a resenha dos outros livros.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Priscila
    Primeiramente amei as fotos! Divou!
    Esse livro nunca despertou muita minha atenção, mas gostei bastante da resenha. Realmente têm livros que possuem bastante informações, mas gostei de saber que é bom e com uma trama verdadeira. Quando o livro tem um ritmo bom do início ao fim fica difícil não gostar, né? Gostei muito da dica.


    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  11. Olá tudo bem? Excelente resenha, fotos lindas!!! Mas, não é meu estilo de leitura, acho que não me prenderia e confesso que em alguns pontos dá resenha fiquei confusa!
    Com carinho
    One

    ResponderExcluir
  12. Oie, tudo bem?
    Gente, estou apaixonada por essa resenha! Já queria muito ler esse livro, gosto dessa pegada sobrenatural, com uma mistura de fantasia e mistério, e a sua resenha me instigou maus ainda! Quero ler com certeza, e amei as fotos!

    Com carinho,
    Ana | Blog Entre Páginas
    www.entrepaginas.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oie!!!
    As cores da capa e os desenhos chamam bem a atenção!
    Gostei muito de saber que o livro foca mais na história dos meninos corvos em busca de seu rei e nos mistérios em torno da protagonista e dons de sua família do que no romance, pois o mesmo não fica forçado.Outra coisa ressaltada em sua resenha fa qyal gostei foi saber qe o ritmo da leitura se mantém constante, ou seja, não existem momentos parados.
    Valeu a dica!
    Mil Bjinhos ;)
    Elaine M. Escovedo
    Caminhando Entre Livros
    Http://www.caminhandoentrelivros.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi!! Amei essa sua resenha, e essa capa ta mais que perfeita e parece que combina demais com que a história passa! Adoro livros sombrios que envolvem o mundo sobrenatural , parece ser um suspense e tanto , nao vejo a hora de ler, beijo!

    ResponderExcluir
  15. Olá,adorei sua resenha,com certeza vou ler esse livro,adoro histórias assim.

    ResponderExcluir
  16. Essas tramas psicologia geralmente são incríveis e essa se mostra ser muito boa em muitos pontos, Concerteza vou procurar para ler ele 💙

    ResponderExcluir
  17. Eu pensava mesmo que esse livro fosse mais centrado na questão do romance mas deu pra perceber que tem coisas a mais nele. Gosto de romances na medida certo e livros que tenham coisas sobrenaturais. Espero ler algum dia.

    ResponderExcluir
  18. Olá, Priscila!

    Já tinha lido algumas resenhas sobre o livro pelo o Skoob, mas nenhuma despertou tanto meu interessa na leitura como a sua. Adorei a forma como o romance, a fantasia e a ficção se entrelaçam. Com certeza se eu tiver a oportunidade de lê-lo, irei. Gosto muito de livro que tem acontecimentos o tempo todo, melhor ainda quando a autora não se perde.
    Amei a resenha muito bem construída.
    Beijos Bella

    ResponderExcluir
  19. Essa história de que se beijar o primeiro amor ele vai morrer me lembrou um pouco a história de Fallen, apesar de que só vi o filme, mas lembrou mesmo. Gostei muito de uma junção de muitos gêneros em um mesmo livro onde a gente pode ver um pouquinho de tudo. Fiquei bem animada para ler.

    ResponderExcluir
  20. Gosto de livros que abordam o sobrenatural.Queria saber se o Gansey é realmente o amor de Blue,e se ele morre ou não.Essa busca pelo rei Glendower é o interessante,quero muito saber qual é o desejo de Gansey, e como todos fazem para encontra-lo.

    ResponderExcluir
  21. Primeira resenha que leio desse livro!
    Apesar de não curtir muito essa pegada mais sobrenatural, fiquei simplesmente encantada com o que li. O fato do romance não ser o foco é, com certeza, um ponto positivo.
    Adoro quando as informações vão sendo "jogadas" e a gente se pergunta como não percebeu antes. De fato dá vontade de reler logo que terminamos hahah
    vou adicionar na minha lista!

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir
  22. Gente, o que é isso? Esse livro deve ser simplesmente maravilhoso, nunca vi ninguém falar com tanta empolgação de um livro. Quero ler pra ontem!!
    Os personagens parecem ser muito bem construídos. Gosto muito de mitologia, acho que dá pano para um enredo bem legal. E coisas sinistras, e mistérios, ai, ai.

    ResponderExcluir
  23. Já li livros de fantasia que são ótimos e livros de fantasia que são horríveis. Geralmente, não compro porque não é meu gênero favorito, mas esse eu fiquei curiosa até auehauehau Já escrevi uma história com corvos, mas era bem mais macabra que o livro (nem sei porque falei isso, mas ok)

    ResponderExcluir
  24. Oi!
    Sempre vejo algum falar do livro Os Garotos Corvos o que acaba me deixando bem interessada nessa historia, acho esse enrendo que a autora construí mesmo bem diferente e muito interessante, parece ser um livro envolvente e que acaba nos conquistando mesmo no começa essa historia parecendo confusa, quero muito ler esse livro !!

    ResponderExcluir
  25. Olá!!!
    Li esse livro faz uma semana e ainda não consegui tira-lo da minha cabeça! Que historia sensacional! Fiquei tão envolvida quanto os personagens em relação as linhas ley e saca só: elas existem (bem, não como no livros porém existem). Acho que misturar coisas reais numa historias que envolve mediuns dá uma sensação de que talvez (e somente talvez, lá no fundo mesmo) possa ser possível tais coisa. Tô louca pra ler a continuação, existe muita coisa que esse primeiro livro não respondeu.
    abraços!

    ResponderExcluir