VERMELHO COMO O SANGUE

SINOPSE: No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue. Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos. Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios. Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma - Salla SIMUKA - Editora NOVO CONCEITO - 2014 - 240 páginas.

Eu tentava ler VERMELHO COMO O SANGUE há algum tempo, mas ficava indeciso, por causa das resenhas negativas que surgiam na mesma velocidade das positivas. A história parecia levantar uma dualidade que não incentivava minha leitura. Mas, recentemente, a editora publicou o segundo volume da trilogia (sim, é uma trilogia, como tudo hoje em dia), e isso foi suficiente para me incentivar a, finalmente, encarar a obra.


Antes de mais nada, eu gostei de VERMELHO COMO O SANGUE. Bastante, até. E, por causa disso, preciso esclarecer algumas coisas, que a maioria das pessoas não leva em conta ao avaliar criticamente uma história.

A maioria das reclamações que li, eram sobre como Lumikki, a personagem principal, se deixava envolver em uma confusão mortal para ajudar colegas de escola de quem não gostava muito. Na verdade, em quase todas as resenhas que li, essa era a principal reclamação.


Bem, não concordo. Lumikki tem dezessete anos. Como quase todo adolescente nessa idade, o que motiva a vida, são as emoções mais fortes, ou a química que as produzem, como adrenalina e hormônios. Por isso, jovens adoram parques de diversões, esportes radicais, festas agitadas, contrariar ordens dos pais, fazer coisas escondidas, enfim, qualquer coisa que seja proibido ou que provoque um aumento das batidas do coração. Quem nunca, ao ver um acidente de carro, ou uma tentativa de assalto, ao invés de se afastar e se manter seguro, não tenta espreitar, se aproximar, para ver melhor, para descobrir o que aconteceu, quem se machucou ou o que foi roubado? É exatamente isso que Lumikki faz.

Ela viveu a infância sobre algum tipo de ameaça, por isso suas habilidades furtuitas e sua capacidade de se defender fisicamente de oponentes mais fortes. Alguém educado nessas situações, está acostumado com emoções fortes. Somado à sua idade, quando ela descobre que os três colegas, Elisa, Kasper e Tuuka, estão envolvidos com uma sacola cheia de dinheiro, manchado de sangue, e que o pai de Elisa parece estar ligado a atividades ilícitas, ela sente necessidade de se envolver. Nem tanto para ajudar os pretensos amigos, mas para ela se sentir útil, viva.


No início do livro, acompanhamos alguns momentos de sua rotina diária, sem qualquer atrativo, que a deixa aborrecida e sem perspectiva. Isso vai mudando conforme ela se envolve nessa confusão. Em todos os momentos em que Lumikki avança para desvendar de onde vem o dinheiro, quem é seu dono, entre outros segredos que vão sendo jogados ao leitor, ela passa a ser uma personagem mais vibrante, mais feliz, até.

Ou seja, ao contrário do que a maioria dos leitores acusou a personagem, ela está muito bem desenvolvida e coerente.

Quanto à história em si, muita coisa é explicada de forma superficial, principalmente o passado de Lumikki. Acredito que seja proposital, uma vez que, como disse no início, se trata de uma trilogia. Se a autora jogar tudo no primeiro livro, complica para os seguintes. Então, isso não me causou incomodo ou espanto.


Outro ponto onde houve muita reclamação, é quanto aos pulos temporais e à conclusão da história. Alguns autores possuem características bem definidas quanto à forma de descrita. O estilo de Salla Simukka se assemelha muito ao estilo de Jo Nesbo, onde ambos utilizam essas quebras abruptas de narrativa para construir a história. Não é um defeito, mas um feitio. Cabe ao gosto de cada um, apreciar ou não.

Mas, independente do gosto, não pode ser considerado um defeito. Embora o resultado da trama não tenha sido presencial, ou seja, o leitor apenas fica sabendo através da descrição feita por Lumikki após os eventos, isso é suficiente, a meu ver. E mais importante que isso, é a revelação de quem é o vilão principal da obra.

Enfim, VERMELHO COMO O SANGUE é um thiller de suspense bem ágil e que satisfaz diante do proposto. Lumikki me conquistou com seu jeito atrevido, confiante e, por que não, prepotente de ser. Ela não hesita nas coisas que faz, controla seu medo, raciocina sobre pressão e, embora ajude as outras pessoas, mantém para si a principal preocupação. Ou seja, é uma personagem que tem firmeza, que sabe o que deseja e mantém essas características por toda a história. Isso, para mim, é suficiente para tornar a obra de grande qualidade.


Entretanto, antes de finalizar, preciso reclamar enfaticamente de uma coisa: a revisão e a tradução do texto é um dos piores trabalhos que já vi. Existem erros gramaticais primários, vergonhosos, até. E a tradução, em alguns pontos, parece ter sido feita diretamente no Google de tão ruim. Isso é vergonhoso, para uma editora do porte da Novo Conceito. E o pior: parece que o segundo volume, pelo que já me contaram, repete a mesma displicência em relação a isso. Triste.

Mas isso, felizmente, não consegue pagar a qualidade da história.

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

16 COMENTÁRIOS

  1. Já tinha visto uma resenha desse livro um tempo atrás, e confesso que gostei bastante, e vs citou pontos bem importantes ai que muitos n entendiam, é uma pena que a revisão do livros seja tão ruim assim, e é realmente vergonhoso para a novo conceito um trabalho tao ruim desses, mas ainda bem que a história compensa.

    ResponderExcluir
  2. Olá!!! Eu não gostei muito desse livro, achei bem chato, minha leitura foi arrastada e o livro não me convenceu.

    ResponderExcluir
  3. Eu me interessei por esse livro quando ele saiu, mas cometi o erro de ver resenhas e praticamente todas que via acabaram me desanimando. Já não estava muito a fim, era um desses livros que entraram para possibilidades de leitura, e com as resenhas eu meio que desisti. Agora com o lançamento do segundo até deu uma vontade de tentar pegar.
    Mas o que vi de ruim dele era mesmo com a protagonista. Acho que aí pode ser com cada leitor, cada um tem um jeito de ver as coisas e talvez as atitudes, ações e etc dela, o jeito da histórias ser contada, não me importassem tanto...mas sei lá, dá um medo de pegar e não gostar =/
    E que pena que o texto esteja tão mal revisado. Isso pode até prejudicar na hora da leitura.
    Acho que no fim das contas é um desses livros que a gente arrisca ao ler, mas é melhor não esperar muito...

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    De acordo com a resenha o livro parece ser até um pouco interessante, mas não sei se leria..Tem uma história diferente, mas não me despertou tanta curiosidade.

    ResponderExcluir
  5. CArl!
    Já li o livro também há uns dois anos e gostei, embora veja alguns furos no enredo.
    Pois é... ela já tem discernimento do que faz, não tem porque dizer que ela ajudou os amigos como que obrigada, ela fez porque quis fazer mesmo.
    Ela é daquelas protagonistas que precisa de adrenalina para sair no lugar comum.
    Sou daquelas que gosta desse tipo de narrativa.
    Realmente os erros foram bem gritantes e que pena que no próximo isso continua.
    Verdade é que quero ler o próximo volume.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Ganhei este livro mas ainda não li Carl, pra ser sincera comecei e abandonei, vamo v se consigo começar d novo...
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi, Carl
    Primeiramente, tua resenha está TOP!
    Eu tenho muita vontade de ler esse livro ainda. Uma pena que ainda não li. Vi muitas pessoas criticando mesmo, mas olhando sua análise sobre a atitude da personagem, eu concordaria com você. Uma pena que existam tantos erros na revisão, isso é sempre muito triste.

    ResponderExcluir
  8. O livro parece ser bem curtinho, mas achei o nome muito instigante. Não havia lido nenhuma resenha a respeito desse livro, portanto não posso dizer nada pelas outras comparações. A idade realmente tem essa característica de ser um 8 ou 80. Achei bem curiosa essa premissa, e fiquei com muita vontade de ler e entender a história como um todo(a trilogia). Adoro trilhers de qualquer forma! Esse e deu muita vontade mesmo de ler (estou até sendo repetitiva)

    ResponderExcluir
  9. Oi Carlos! Eu até me interessei pela história, porque parece se tratar de uma aventura e tanto! Porém o que me deixou com um pé atrás foi o fato dos erros gramaticais e erros na tradução , então eu não leria!

    ResponderExcluir
  10. O livro parece totalmente ame ou odeie. Eu gostei muito da capa e como estou variando nos gêneros esse seria um bom para mudar. Mas o que me desanima é ser uma trilogia. Estou cansada de esperar as continuações e com algumas decepções que surgem

    ResponderExcluir
  11. É aquele ditado né, não dá pra agradar a todos ? O que você viu de bombom livro os outros interpretaram de outro modo mas isso sempre acontece no mundo literário ou em qualquer outra situação. Eu fico feliz que tenha realmente curtido o livro e fiquei um pouco curiosa em relação ao mistério do dinheiro, vou dar mais uma pesquisada na história.

    ResponderExcluir
  12. Eu confesso que não tenho nem um pouco de vontade de ler esse livro. Realmente, tem bastante resenha negativa dele. Mas o livro parece ser muito bom, e muito bem construído. E a protagonista é o que mais reclamavam nas outras resenhas mesmo, mas eu acho que gostaria da protagonista hahaha
    Mas nunca tive interesse nesse, e não pretendo lê-lo logo :P

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. eu tb estava querendo ler ai comecei a ler resenhas detonando e acabei desistindo, mas eu acho que eu vou ter que ler para descobrir de "que lado" eu vou ficar - agora pensando nem sei pq não li, tenho o hábito de gostar dos livros que o povo detona e odiar os livros que o povo ama...
    quanto a revisão isso é triste: erros primários? aff, acho que vou tentar ler o original então

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bom?
    Me lembro de já ter visto o livro, mas não me lembro de ter lido alguma resenha dele, acredito que por não me sentir interessada por ele. Que bom que gostou do livro, mesmo tento lido resenhas negativas, realmente a adrenalina é o que move os jovens, e sobre os erros, que triste isso hein, a editora poderia ter cuidado melhor da edição não é mesmo.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  15. Esse livro não faz muito meu estilo!
    Não gostei da capa nem da trama!
    Nunca tinha ouvido falar sobre esse autor!
    Mas vou recomendar para meu irmão!
    Que livros assim!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  16. Oi!
    Sempre vi esse livro, mas nunca tinha parado para ler a resenha dessa historia, gostei muito dela, foi uma historia que me surpreendeu pois esperava algo totalmente diferente, parece ser uma trama bem interessante e construída e gosto quando temos saltos temporais ao longa da historia !!

    ResponderExcluir