DOIS IRMÃOS

SINOPSE: É a história de dois irmãos gêmeos - Yaqub e Omar - e suas relações com a mãe, o pais e a irmã. Moram na mesma casa Domingas, empregada da família, e seu filho. Esse menino - o filho da empregada - narra, trinta anos depois, os dramas que testemunhou calado. Buscando a identidade de seu pai entre os homens da casa, ele tenta reconstruir os cacos do passado, ora como testemunha, ora como quem ouviu e guardou, mudo, as histórias dos outros. Do seu canto, ele vê personagens que se entregam ao incesto, à vingança, à paixão desmesurada. O lugar da família se estende ao espaço de Manaus, o porto à margem do rio Negro - a cidade e o rio, metáforas das ruínas e da passagem do tempo, acompanham o andamento do drama familiar. - Milton HATOUM - Editora COMPANHIA DE BOLSO - 2006 - 200 páginas.

DOIS IRMÃOS é um romance contemporâneo escrito por Milton Hatoum, um professor manauara de literatura com descendência libanesa. Nessa história, conhecemos os gêmeos Yaqub e Omar, nascidos em uma família de imigrantes libaneses, que, apesar de serem muito semelhantes na aparência, possuem personalidades quase opostas. Eles são filhos de Zana e Halim, um casal apaixonado, que conseguiu uma vida boa em Manaus. A obra é movida pela rivalidade entre os irmãos, que desde a infância tinham grandes adversidades, e, também, pela decadência da família protagonista.


O autor deixa bem claro para o leitor, desde o início, de como é a personalidade de cada gêmeo. Yaqub, o mais velho, é quieto, tímido, introspectivo, observador e estudioso; já Omar, o caçula, é temperamental, violento, ciumento, mimado e vive na farra, sempre dando problemas à família. Desde que eram garotos, não se davam bem, o que permanece na vida adulta. Apesar de todas as diferenças de temperamento, que fazem o leitor preferir um personagem a outro em alguns momentos, Milton trabalhou com a desconstrução do clichê bom e mau, mostrando que ambos tinham um pouco de cada dentro de si, e que todos erram.

O estopim da rivalidade entre os gêmeos aconteceu quando eles tinham 13 anos, e Omar feriu o irmão mais velho após um ataque de ciúmes por causa de uma garota. Depois desse episódio chocante, Yaqub fica ainda mais introspectivo e silencioso, o que deixa a família muito preocupada. Halim decide mandar ambos para o Líbano. Porém, Zana define que só o filho mais velho irá. Dessa forma, o caçula ficam sendo "filho único" e mimado por cinco anos, até o regresso do irmão. Confesso que o ocorrido me deixou muito chocada e com raiva dos pais: eles não punem Omar por seus erros em momento algum, ele sempre é mimado e faz o que quer até a vida adulta; Yaqub, que foi vítima do irmão, é mandado para outro país sozinho na pré-adolescência, onde passa dificuldades e começa a ver a vida com outros olhos, tendo grande mágoa da mãe. Essa viagem distancia os irmãos ainda mais e os transforma drasticamente: Omar fica mais egoísta e mimado; Yaqub, mais focado em trabalhar para ser bem sucedido.


Zana sempre se mostrou bastante autoritária e controladora, tanto com o marido, quanto com os empregados, fazendo sempre o que achava melhor, interferindo na vida dos filhos e impondo ao marido o que queria. Outro ponto interessante que o autor explorou, foi a relação entre patrões e empregados: na casa da família, Domingas (índia que foi doada de um orfanato para ser serviçal), era quem cuidava do serviço doméstico e, quando seu filho nasceu, ele também passou a cumprir as ordens de Zana. Confesso que a mãe dessa família me incomodou muito ao longo da leitura com suas atitudes: sempre dando ordens, criticando as pessoas, queria que todos fizessem suas vontades, interferia no futuro dos filhos, mimava o filho caçula e ignorava a existência dos outros a maior parte do tempo...

A obra é bastante descritiva, com linguagem rica e de fácil entendimento, tendo uma gama de informações muito grande e sendo extremamente enriquecedora, tudo isso sem ser maçante. O livro é envolvente desde a primeira página, com uma trama bem construída, que não deixa pontas soltas e permite diferentes interpretações ao leitor (de acordo com seus conhecimentos).


O narrador principal de DOIS IRMÃOS vivenciou muitas das cenas descritas, conta tudo o que viu e, também, descreve relatos que ouviu de outros personagens. Os diálogos das cenas permitem que o enredo seja contado por múltiplas vozes, tornando a leitura mais fluída e tocante. No início do livro, não sabemos quem é o narrador-personagem, mas, aos poucos, descobrimos sua identidade e sua grande importância na história.

A narrativa não tem uma lógica linear: o autor vai e volta nas histórias de cada personagem, contando fatos essenciais para que o leitor entenda a complexidade da trama, às vezes retornando ao passado para "justificar" acontecimentos presentes. Como o enredo envolve um período de pós-Segunda Guerra Mundial e Ditadura Militar no Brasil, existem abordagens de diferentes contextos históricos que interferem na cidade onde a família vive e, consequentemente, em toda a população. Essa jogada astuta de Hatoum mostra como esses acontecimentos influenciaram nosso país.


Ao finalizar a obra, o leitor começa a se questionar: quem é o grande culpado por esse desfecho tão triste? A culpa é dos pais? Erraram na educação dos filhos? Ou é tudo culpa da personalidade de cada gêmeo? O que provocou esse final? E essas são dúvidas que ficam em aberto, cabendo a cada pessoa sua própria interpretação...

Compartilhe este post:

Sara

Mineira, bookaholic e futura fisioterapeuta. Sou apaixonada pela vida e por tudo que ela nos oferece. Ler, viajar, conversar, dançar, comer e dormir são algumas das coisas que mais amo.

17 COMENTÁRIOS

  1. Quando vi o livro na livraria estava aquele alvoroço todo por conta do lançamento da minissérie na Globo. Li a sinopse pra saber um pouco sobre o livro e achei bem interessante. Bateu vontade de ler, mas foi aquela coisa mais moderada, sabe? Mas essa coisa de a mãe amar mais um filho que o outro é tão ruim, isso chega a dar um trauma na gente, mas quero saber como tudo ocorreu e espero gostar tanto da história assim como você...

    ResponderExcluir
  2. Assisti um poco da série e detestei porque não entendia nada de nada, foi ai que fui procurando saber mais a respeito e descobri até que comecei a entender, mas tal decisões da família que discordei totalmente, não tenho aquela ilusão para ler o livro só por causa da série.
    Até mais!!

    ResponderExcluir
  3. Pelo que acompanhei na série é uma história e tanto!
    Fiquei curiosa pra conhece mais detalhes no livro desses dois irmãos!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Sara, tudo bem?
    Essa história é muito interessante por abordar as relações familiares, que por muitas vezes chegam a incomodar por certas atitudes. Quando vi que seria lançada a minissérie da Globo, não quis assistir para não influenciar na leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Fiquei interessada nesse livro depois de ver falar da adaptação. Não conhecia antes disso. Não deu pra assistir, mas gostaria de ler.
    E pelo que vejo a trama é muito rica e cheia de questões interessantes e fortes. Parece fazer pensar e é bem envolvente, acho.
    Gosto desse tipo de narrativa também. É legal poder ter vários elementos e fatos desse jeito, fica uma maneira interessante de conhecer os personagens e suas histórias. Torna as coisas mais complexas...
    É um livro muito bom pelo visto.

    ResponderExcluir
  6. Sara!
    O livro deve retratar uma 'realidade' vivida por essa família tão desestruturada desde o início.
    Um tremendo drama.
    Sempre me interesso por livros, filmes, desenhos... que tem gêmeos, porque tenho gêmeas em casa e fico sempre aprendendo mais. Aqui elas tem personalidades diferentes também, mas ao contrário do livro, são unidas em tudo, até mais do que nós, os pais.
    Gostaria de ler.
    “Ouse saber!(Sapere aude)” (Immanuel Kant)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  7. Não me interessei muito por esse livro, a única coisa que consegui sentir foi raiva da mãe desses meninos, fala sério, qual o problema dela? Que mãe, em sã consciência, cria os filhos de forma tão diferente e manda um para outro país enquanto o outro é mimado? Não gostaria de ler esse livro e acho que a única coisa que realmente sentiria é a raiva, somente isso.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá!!! Li este livro já faz um tempão, lembro que quase não consegui finalizar, pois ele tem uma história bastante densa, existe uma riqueza tão grande de detalhes, que exige um pouco de atenção ao lê-lo, a obra trata, principalmente, das relações humanas e por isso foi enriquecedor concluir essa leitura.

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Nossa, como os pais tem coragem de fazer isso com mas velho manda ele sozinha pra aquele lugar enquanto o menor se aproveita de tudo, eu acho muito errado isso...
    Até que a historia e interessante porém só não gostei muito disso mas acho que lendo poderei entender a real historia!!

    ResponderExcluir
  10. Ainda não li esse livro, mas me interessei ao ouvir falar um pouco sobre o enredo através de minha mãe (que assistiu a minissérie). Lendo a resenha, achei interessante pelo fato do autor não ter nutrido o clichê de que uma pessoa é totalmente mau ou totalmente boa, já que na realidade não é assim que acontece. Também já gostei do fato da narrativa ir e voltar ao passado, pois, para mim, essa “viagem no tempo” faz com que a história fique mais interessante, o que faz com que a atenção se prenda na história ainda mais para não perder detalhe algum da trama. E já estou muito curiosa para descobrir quem faz essa narrativa e o desfecho da história. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  11. Oi ! Eu cheguei a ver o seriado que passou na globo sobre esse livro, eu achei uma história muita intensa com conflitos entre os dois irmãos gêmeos , onde os temperamentos dos dois se divergem completamente um do outro, e mostra a preferência da mãe por um dos gêmeos, adorei sua resenha! Obrigada!

    ResponderExcluir
  12. É um drama e tanto essa história,pelo pouco que vi na minissérie,não cheguei a ler o livro e nem sei se leria,tanto que não acompanhei a série porque me agoniava muito o modo como a mãe nem escondia a preferencia por um dos gemeos,e como cada um deles cresceu sobre esse sentimento ali pairando sobre eles.

    ResponderExcluir
  13. Oii, Sara!
    Um dos grandes erros do pais é tratar um filho melhor do que o outro e a questão de deixar o filho mimado. Não assistir o seriado da globo, pois nem vi quando começou. Mas quero ler o livro.Principalmente agora que sei que o enredo envolve a 2º Guerra Mundial, um assunto que amo ler.

    ResponderExcluir
  14. Oi, Sara!!
    Adorei a resenha. É uma pena que não pude acompanhar a minissérie!! Mas gostaria muito de ler esse livro!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  15. Esse livro foi um dos escolhidos no clube de leitura que participo para o mês de janeiro, se bem me lembro, mas acabei não conseguindo lê-lo. Na verdade não sabia bem do que se tratava, mas sua resenha "me abriu os olhos". Acho que quando ler vou acabar me identificando, pois apesar de não ter uma irmã gêmea, nós somos bem opostas em personalidade e tivemos uma infância bem turbulenta rs

    ResponderExcluir
  16. Oi Sara, tudo bem?
    Já ouvi falar desse livro mas nunca parei para ver a fundo sobre o que ele se trata. Essa diferença de personalidade entre os dois irmãos deve render muitas desavenças, digo isso por experiência própria, já que eu e minha irmã somos totalmente diferentes. Posso dizer que fiquei interessada na história.
    As vezes quando leio uma história em que os pais são injustos na educação dos filhos,fico muito brava e até brigo com o personagem, fazendo com que quem vê de fora, ache que sou louca kkkk
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  17. Oi! Esse livro parece ser muito bom , mostra a realidade da vivencia dos irmãos os conflitos que acabam aparecendo com um tempo a medida que vão descobrindo a personalidade própria, gostei da resenha! bjo!

    ResponderExcluir