O SOL TAMBÉM É UMA ESTRELA

SINOPSE: Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história. Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois. O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade? - Nicola YOON - Editora ARQUEIRO - 2017 - 288 páginas.

Muitos cientistas acreditam que tudo, todas as coisas, estão interligadas em algum nível. E que, por causa disso, tudo afeta tudo, de forma direta ou indireta. Eu escrevi um conto, na época do Natal, que demonstra essa conectividade, e você pode ler AQUI!


Mas, resumindo, suas decisões, por mais inconsequentes que pareçam, podem, e afetam, algum evento no futuro. Se você deixar de ir em uma festa, pode deixar de conhecer a garota, ou garoto, de sua vida. Ou pode conhecer. Você parar para olhar uma vitrine, pode impedir que seja atropelado alguns metros na frente, ou, se não parar, o inverso. Você virar à esquerda, ao invés de virar à direita, pode conduzir sua vida em sentidos totalmente diferentes, ou fazer isso com outra pessoa.

Em essência, são essas escolhas, que muitos chamam de coincidências, que conduzem a vida de Natasha e Daniel, até o momento em que eles se encontram. Natasha é natural da Jamaica e está, juntamente com seus pais, de forma ilegal nos Estados Unidos; Daniel é descendente de coreanos, tem um irmão prepotente, problemático e sem caráter, além de um pai intransigente quanto aos costumes do seu país. Natasha é racional, deseja ser uma cientista. Daniel escreve poesias e almeja coisas da alma. Natasha e família estão para serem deportados por causa de um erro de seu pai. Daniel se apaixona por Natasha. E, nas páginas seguintes a eles se conhecerem, Daniel tenta mostrar para Natasha, que ela também pode se apaixonar por ele. É a razão contra a emoção. A objetividade contra a subjetividade. E, sinceramente? É lindo de se acompanhar.


Eu li algumas resenhas de pessoas reclamando dessas coincidências. Como disse acima, não são coincidências. São atos perpetrados por pessoas, que o leitor acompanha por todas as ramificações que eles criam. Quando você tem a possibilidade, ou capacidade, de vislumbrar toda a teia que une nossas escolhas do dia a dia, você percebe a ligação que elas criam em todos nós. É disso que O SOL TAMBÉM É UMA ESTRELA trata. O que acompanhamos na história de Natasha e Daniel, e o que ocorre ao redor deles, é um reflexo do que ocorre com a gente, mas sem que possamos ver o que nós causamos nas outras pessoas, ou no que elas causam na nossa vida. É um conceito difícil de ser compreendido, ainda mais hoje em dia, onde todos parecem se preocupar apenas com o próprio umbigo.

A narrativa de Yoon é igual à de seu livro anterior, TUDO E TODAS AS COISAS. Capítulos curtos, às vezes com apenas uma página, e alternados entre os dois personagens, algumas explicações e a visão de personagens secundários. Mas a forma como ela faz isso, desta vez, é muito, muito melhor, mais firme, mais dinâmica, mais convincente, mais apaixonante.


Por exemplo, em determinado momento, Natasha cruza com uma segurança no edifício do governo que deporta os imigrantes ilegais. Acontece algo, totalmente corriqueiro, sem importância. No capítulo seguinte, acompanhamos o motivo desse algo sob o ponto de vista da segurança do edifício. E no fim do livro, acompanhamos o que esse pequeno fato isolado significou para a segurança anos depois. É surpreendente! Por quê? Porque é real. Quem nunca passou por alguma coisa, aparentemente sem significado para todos, menos para você? Algo que ninguém percebe, apenas você? E esse algo é lembrado por você anos depois, algo que, de alguma forma, incitou você tomar decisões que podem ter contribuído para mudar o caminho de sua vida.


O mesmo acontece com mais alguns personagens, com maior ou menor importância, durante o dia em que Natasha e Daniel se apaixonam. Nem tudo são eles que causam. Algumas coisas, são os atos dos outros que provocam e acabam afetando a vida do casal. Coisas como, simplesmente, não atender uma ligação, ou esquecer de um compromisso, de uma reunião. E é muito interessante acompanhar o que essas pequenas ações, ou falta delas, podem afetar outras pessoas.

Tudo isso é narrado pela autora na ordem certa em que precisam ser narradas, não necessariamente em uma ordem cronológica. E essa escolha, faz com que o leitor seja surpreendido em diversos momentos, principalmente na última página, quando a esperança de um final feliz se torna quase impossível de acontecer. A autora prova que não. O inesperado, a consequência de algo muitos anos antes, não tem prazo de validade, reflete-se no futuro como ondas provocadas por uma pedra que caiu no meio de um lago. Elas vão se espalhando, até atingirem a margem. Ou apenas esperam o momento certo para que duas pessoas possam, finalmente, encontrarem a felicidade.


Uma confissão: chorei muito no final desse livro, mas não de tristeza.

Aproveite, e compre o livro:

Compartilhe este post:

Carlos H. Barros

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

15 COMENTÁRIOS

  1. Oi Carl, tudo bem?
    É incrível parar para pensar em como nossas ações podem afetar várias coisas na nossa vida. Eu me considero uma pessoa super paranóica, e vou passar o resto da semana pensando sobre isto rsrsrs
    Adoreia sua resenha, você escreveu de forma tão bonita que ficou até filosófica. Estou muuuito curiosa para ler este livro, e conhecer essas "coincidências" que acabam mudando nossas vidas.
    Achei lindas suas fotos, simples mas cheias de charme.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Confesso que fiquei meio com medo de ler esse livro e me sentir meio sem rédeas da minha vida, mas ao mesmo tempo com uma sensação de que tudo se encaixa no devido tempo. Só de ler essa resenha já fiquei completamente estranha com um monte de coisas microscópicas de atitudes que tomei em torno de meus 35 anos! Adorei a resenha Carl!

    ResponderExcluir
  3. Oi Carl!!
    Se eu já estava ansiosa pra ler este livro imagina agora com sua reação no final...Qro mto ler esse enredo, já estava na listinha, vou tentar uma oportunidade pra ler em breve...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Olá!!!
    Ainda não vejo a hora de ler, mas o que pude perceber que a autora quis mostrar em mais um de seus livros é as decisões certas que devemos tomar, adorei a protagonista e logo já imagino um lindo final.
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  5. Eu acabei de ler o Tudo e todas as coisas hoje mesmo. Adorei a escrita da autora e achei a história bem criativa e bonita. Mas esse livro está parecendo ainda melhor! Gosto quando fazem uma coisa que alterne as visões, que mostre o que outra pessoa vê em tal situação e parece que está bem interessante nesse livro. E é interessante também poder acompanhar essa teia de eventos, como uma coisa influência a outra , as ligações...tem muita coisa ali que deve dar pra se identificar, simpatizar e fazer refletir. Acho que vou adorar essa história também e não vejo a hora de ler *-*
    E nossa, até fez chorar! Deve ter sido bem emocionante então concluir essa história.

    ResponderExcluir
  6. Senti a referencia logo no início <3
    Amei Tudo e Todas As Coisas <3 e logo que vi que a arqueiro ia publicar esse livro já fiquei anciosa,ainda não tinha lido nada sobre,essa foi a primeira resenha que li e amei! Acho que vou amar tudo que a Nicola escrever hahahah quero muito ler esse livro 💜
    PS: amo suas resenhas!

    ResponderExcluir
  7. Carl!
    Tão bom quando um livro nos impacta de uma forma tão grande que chega a nos emocionar.
    Acredito mesmo que nossos mínimos atos ou a falta deles, pode mudar de alguma forma o nosso futuro, os acontecimentos ao até mesmo os relacionamentos.
    Confesso que não sabia que o livro era tão bom, achei que seria mais um daqueles onde há muita propaganda e pouco conteúdo e que bom que estou enganada.
    “Não há nada bom nem mau a não ser estas duas coisas: a sabedoria que é um bem e a ignorância que é um mal.” (Platão)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá, eu já queria ler esse livro só por ter adorado o titulo, agora só de ler a resenha me deixou com mas vontande ainda...e bem interessante esse tema que autora aborda no livro, sobre distino, coincidência e etc...e algo bom para refletir sobre si mesmo, sobre as suas propia decisões...e algo bom!!

    ResponderExcluir
  9. Olá!!! Estou bastante curiosa em relação a este livro, a capa é linda, super colorida, estou curiosa, a premissa parecer ser muito interessante, coincidências do destino, enfim esse livro já está na minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
  10. Li tudo e todas as coisas e adorei, também acho que por mínimas que nossas atitudes possam ser, elas sempre podem interferir em algo no nosso futuro, achei super interessante a proposta do livro e quero muito ler.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi Carl, tudo bem?
    Acho que o que mais me chamou atenção nesse livro foi o título. Achei super interessante e como sou vidrada nos planetas e estrelas - ciência - decidi que gostaria de ler. As vezes eu me pego pensando nas inúmeras possibilidades que uma decisão minha pode trazer e em como cada uma delas, desencadeia uma sequência de acontecimentos únicos. Já deu pra ver que vou gostar da pegada da história né.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  12. Oi Carl. Às vezes me pego justamente pensando nessa temática que envolve o livro. Caraca. Acho que vou adorar. É realmente surpreendente que uma simples escolha ou ato que pode ser feito (ou não) possa influenciar toda uma vida ou outras vidas que podem ter ou não uma ligação direta com quem fez uma escolha e realizou (ou não) tal ato. Concordo quando você fala que a pessoa toma decisões que podem ter contribuído para mudar seu caminho. E pode mudar as das pessoas à sua volta também, como no caso da segurança que você citou. Bom, eu também acredito muito no destino, acho que uma pessoa fez a tal escolha (entre fazer ou não fazer algo) justamente porque era essa a que iria fazer. Sei lá. Acho que quando as coisas têm que acontecer simplesmente acontecem, na hora certa. E tudo é como deveria ser. Por isso não me lastimo tanto quando penso que alguma situação poderia ser diferente. Poderia sim, mas (deixando claro que é na minha opinião) não seria porque não era para ser. Muuuuuito obrigada por mais esta indicação. Já quero ler e conferir todas essas "coincidências" da vida. Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi, Carl!!
    Não tenho como descrever o quanto gostei dessa resenha e da premissa do livro da Nicola Yoon!! Estou louca de curiosidade para ler essa história fantástica!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  14. Oi Carl! Eu já li essa resenha aqui no blog e logo de cara vi que esse livro parece ser bem especial, porque ele mostra um lado na vida que nós não percebemos, o destino, que coisas boas e ruins acontecem por um motivo e não apenas por uma coincidencia e o autor parece colocar muito bem isso no livro! Obg! Não vejo a hora de ler!

    ResponderExcluir
  15. Meu deus! Carl coração de pedra chora ao final de um livro. EXTRA EXTRA
    eiuheiuehuiehuiehe
    Hein, eu queria ler esse livro só pela capa sensacional, a sinopse me fisgou e a tua resenha ganhou meu coração porque acredito demais nessas coisas de ação e reação, no que poderia (ou não) acontecer por segundos de diferença e afins. E claro, fiquei curiosa pra saber por que você chorou!

    ResponderExcluir