A VIÚVA

SINOPSE: Ao longo dos anos, Jean Taylor deixou de contar muitas coisas sobre o terrível crime que o marido era suspeito de ter cometido. Ela estava muito ocupada sendo a esposa perfeita, permanecendo ao lado do homem com quem casara enquanto convivia com os olhares acusadores e as ameaças anônimas. No entanto, após um acidente cheio de enigmas, o marido está morto, e Jean não precisa mais representar esse papel. Não há mais motivo para ficar calada. As pessoas querem ouvir o que ela tem a dizer, querem saber como era viver com aquele homem. E ela pode contar para eles que havia alguns segredos. Afinal, segredos são a matéria que contamina (ou preserva) todo casamento. - Fiona BARTON - Editora INTRÍNSECA - 2017 - 304 páginas.

Os fatos narrados em A VIÚVA são apresentados em três perspectivas: de Jean Taylor, a viúva; de Bob Sparkes, o detetive encarregado da investigação em que o marido de Jean é suspeito; e de Kate Waters, uma habilidosa jornalista da cidade.


A história se inicia logo após a morte de Glen Taylor, que era suspeito de ter sequestrado e matado uma garotinha. Jean se encontra perdida depois do acontecimento e sem saber como lidar com os repórteres, que insistem em bater em sua porta. Cansada de ter que se esconder, e não querendo mais continuar calada, ela permite a entrada de Kate e começa a contar sua história com Glen.

Jean se casa muito jovem, já que encontra em Glen a atenção e amor que não possuía em casa, devido a atenção dobrada que a mãe necessita por conta de ataques de pânico. Apesar de haver sinais claro de atitudes que definem um relacionamento abusivo, o começo do casamento é agradável, e Jean se sente completa com ele.

"Dois anos depois, Glen não se ajoelhou quando me pediu em casamento. Ele me puxou bem para perto e sussurrou: 'Você me pertence, Jeanie. Nós pertencemos um ao outro... Vamos nos casar.'"
Mas tudo começa a mudar quando o casal descobre que não pode ter filhos, e também quando Glen é despedido do seu trabalho no banco e começa a trabalhar como motorista, e a ficar horas grudado no computador com seus segredos, que Jean chama de "absurdos". Conforme a narrativa avança, descobrimos que o marido decidiu sair do banco depois que descobriram fotos pornográficas envolvendo crianças em seu computador no escritório. Ele jura, até o fim, que não baixou as imagens propositalmente e, mesmo sendo difícil acreditar na palavra dele desde o começo, tudo piora quando ele é acusado de raptar Bella, uma garotinha de 2 anos.

Glen é manipulador e não se responsabiliza pelos seus atos. Jean sempre quis ser mãe e toda a situação conjugal deles muda depois que a notícia que não podem ter filhos vem a tona e piora ainda mais, pois o marido não conversa sobre esse problema com ela. Ele então a culpa pela procura de pornografia. E como ele tem poder sobre a mulher, ela acredita.

"Meu amor por bebês era obsessivo, falou. Ele disse isso com raiva. [...]
Você é doente! — gritou para mim.
Fiquei envergonhada por causa dele. Talvez eu fosse doente."
A narrativa de Barton é intercalada entre perspectivas no passado e presente, fazendo com que a história fique parecendo com uma grande teia de acontecimentos, que vemos ser construída conforme a leitura se desenvolve. Algumas vezes vemos o mesmo acontecimento contados de ponto de vista diferente.

Barton nos prende desde a primeira página e, assim com,o Glen, ela tem poder sobre nós através de sua escrita. Não dando todas as informações logo de cara e sim de forma devagar, como se estivéssemos dentro da cabeça de Jeanie, tentando entender tudo que aconteceu até aquele momento. É fascinante e vicioso.


Como uma leitora que normalmente não se interessa por livros policiais, essa foi uma leitura incrível e de extrema qualidade. Com um final emocionante, mesmo que um pouco previsível, eu fui totalmente cativada pela história de A VIÚVA. Mais que um livro sobre investigação, pedofilia ou relacionamento abusivo, é um livro sobre luto, que foi muito bem representado desde a arte do livro até a última palavra escrita.


Compartilhe este post:

Aline Lanis

Amante das palavras e de histórias. Futura psicóloga que quando não tá lendo textos teóricos gigantes e/ou fazendo trabalhos cabulosos, se entope de café e lê livros variados em literalmente qualquer lugar que seja possível. Alguns outros vícios incluem: séries sobre a vida comum, Hora de Aventura e gatos.

12 COMENTÁRIOS

  1. Há tempos me interessei por esse livro, e lendo a sinopse, me lembrei de "O segredo do meu marido".
    Lendo a resenha, no entanto, percebo que trata de assuntos diferentes e inclusive mais pesados aliados ao crime em si, como pedofilia e relacionamento abusivo.
    Fiquei ainda mais interessada em ler. Sou fã do gênero policial, e achei um primor o livro ter como base a questão do luto. Já está na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  2. Oi xará! ;)
    Eu já tinha lido algumas resenhas do livro, fiquei bem curiosa pra conhecer a escrita já q todas q li só flaram bem da obra, já está na minha lista com toda ctz!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Aline. Eu estou muito doida para ler esse livro por causa de toda a propaganda que a editora fez dele. Não curto romance policial mas eu sempre estou aberta a outros gêneros e acredito que A Viúva seja do tipo que te prende por inteiro. Espero gostar.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  4. Estou gostando do que vejo desse livro, parece que a autora conseguiu fazer uma boa história, que prende e envolve os leitores que adoram livros policiais. Gosto muito desse gênero e coisas do estilo e por isso tive uma quedinha por ele. Parece que tá bem legal, tem uns temas fortes e atuais, pedofilia, relacionamento abusivo... e a narrativa parece deixar a gente se sentindo muito como a personagem, descobrindo as coisas aos poucos e sentindo as emoções do momento. Gostei dele.

    ResponderExcluir
  5. Olá. Primeiramente, que capa MAIS LINDA! Eu estou apaixonada, de verdade, pela capa eu já compraria o livro ahha. Eu realmente fiquei curiosa sobre, ainda mais por causa dos assuntos abordados. Gosto muito de uma trama policial e esse livro está na minha lista

    ResponderExcluir
  6. Li poucas resenhas mas gostei bastante da história leria sem dúvida, ainda mais com um tema bastante forte mas que acaba prendendo bem o leitor.
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  7. Ola Aline, esse livro já me instigou desde o lançamento pela capa é sinopse, amei sua resenha e sempre vejo resenhas positivas sobre esse livro é com certeza uma das minhas próximas leituras!!!
    Com carinho
    One

    ResponderExcluir
  8. Aline!
    Já eu adoro livros policiais e se vem acoplado com outros temas interessantes como pedofilia e relacionamento abusivo, além de luto, deve ser ainda mais interesante e eletrizante.
    Minha pergunta é: por que só após a morte do marido ela resolveu falar o que sabia?
    Gosto de narrativas que misturam passado e presente e quero muito poder ler.
    “Sê humilde para evitar o orgulho, mas voa alto para alcançar a sabedoria.” (Santo Agostinho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Sou fã desse estilo de leitura, adoro livros policiais e com enredos que prendem a atenção. Gostei da premissa desse e por tudo que você comentou, a leitura parece ser realmente interessante. Temas fortes e que envolvem muitos sentimentos.
    Espero conseguir fazer a leitura em breve!
    Parabéns pela ótima resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Olá Aline, tudo bem?
    Eu fiquei interessada nesta história desde que vi a premissa, adoro um bom mistério e com certeza este livro é muito bom. Achei legal também o fato de falar um pouco sobre relacionamento abusivo e pornografia infantil que são assuntos super importantes de se falar sobre.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Me interessei bastante pelo livro principalmente porque estou muito curiosa para saber quem matou a garotinha. Meus sentidos me dizem que talvez a viúva seja a culpada, mas só lendo para saber. Adorei a resenha. Beijos!!

    ResponderExcluir
  12. Oi! Ao contrário de você, eu detestei essa leitura. Avaliei com apenas 1,5 estrelas no Skoob e achei uma das minhas piores leituras do ano até o momento.
    Como sou acostumada com livros policiais, me irritei com muita coisa e achei o livro sem ação, um marasmo sem fim. Não conseguiu me cativar nem por um segundo. Só fiquei com pena da Jean pelo relacionamento abusivo, mesmo.

    Beijos!

    ResponderExcluir