AGORA E PARA SEMPRE, LARA JEAN

SINOPSE: Em Para todos os garotos que já amei, as cartas mais secretas de Lara Jean — aquelas em que se declara às suas paixonites platônicas para conseguir superá-las — foram enviadas aos destinatários sem explicação, e em P.S.: Ainda amo você Lara Jean descobriu os altos e baixos de estar em um relacionamento que não é de faz de conta. Na surpreendente e emocionante conclusão da série, o último ano de Lara Jean no colégio não podia estar melhor: ela está apaixonadíssima pelo namorado, Peter; seu pai vai se casar em breve com a vizinha, a sra. Rothschild; e sua irmã mais velha, Margot, vai passar o verão em casa. Mas, por mais que esteja se divertindo muito — organizando o casamento do pai e fazendo planos para os passeios de turma e para o baile de formatura —, Lara Jean não pode ignorar as grandes decisões que precisa tomar, e a principal delas envolve a universidade na qual vai estudar. A menina viu Margot passar pelos mesmos questionamentos, e agora é ela quem precisa decidir se vai deixar sua família — e, quem sabe, o amor de sua vida — para trás. Quando o coração e a razão apontam para direções diferentes, qual deles se deve ouvir? - Jenny HAN - Editora INTRÍNSECA - 2017 - 304 páginas.

O primeiro livro sobre Lara Jean, PARA TODOS OS GAROTOS QUE JÁ AMEI, foi um dos romances mais fofos que li em 2015 (resenha, AQUI). Todos os personagens tinham sua importância na trama, e a principal, Lara, trilhava um caminho de aprendizado, de amadurecimento, quanto a seus sentimentos amorosos, como quanto a suas relações dentro da família, em particular com a irmã mais velha.

Aí veio o segundo livro, P.S. AINDA AMO VOCÊ, e jogou toda a construção dos personagens no lixo (resenha, AQUI). Desapareceu com um dos principais, Josh, colocou outro no lugar, sem qualquer motivo, fez com Lara perdesse todo o amadurecimento do primeiro livro, reduziu a importância da irmã mais velha, como a da mais nova também, relegou a convivência com a família para dar ênfase a um conflito infantil com a ex-namorada de Peter, enfim, um total desastre.

Assim, comecei a ler AGORA E PARA SEMPRE, LARA JEAN, com um misto de esperança de que a autora retomasse a qualidade do primeiro livro, mas com medo de que ocorresse o contrário. Bem, para não criar expectativa desnecessária, digo já que ela retomou a do primeiro, felizmente.

Este terceiro volume, consegue manter a qualidade do primeiro, isso porque ele leva em consideração o aprendizado que Lara teve no primeiro livro em relação às pessoas que a cercam, e a si própria. É como se a autora tivesse pulado o segundo livro.

A narrativa é intimista, em primeira pessoa, e conseguimos perceber que Lara ainda tem inseguranças, mas não quanto às coisas que já viveu, apenas sobre aquilo que ainda vai viver e não conhece, como sua faculdade. Ela está tão mais madura, que consegue tomar decisões de forma melhor que a irmã mais velha, especificamente em reação ao casamento do pai com a vizinha, e em relação à irmã mais nova, que está mais crescida, começa a ter mudanças físicas e de comportamento, e Lara sente que indo para a faculdade, poderá perder isso.

O que Lara sente por Peter também se firmou, não existem mais as dúvidas infantis quanto ao que cada um sente pelo outro, apenas ajustes que se tornam necessários em qualquer relacionamento amoroso que precisa passar por decisões sobre o futuro, no caso, sobre a distância que os irá separar por frequentarem faculdades diferentes. O legal é que Lara não tem dúvidas de que se manterá fiel ao que sente, independente da distância, e isso, novamente, comprova o quanto a personagem aprendeu.

Existem diversos outros pontos no livro, como o relacionamento do pai, seu casamento, a nova mãe, o novo namorado de Margot, o problemas de Peter com seu pai ausente e com sua mãe manipuladora, além de outras tramas que dão vontade de acompanhar, não pelo suspense, porque todas são triviais, mas pela forma emocional que a personagem usa na narrativa para descrevê-las, e o quanto cada uma delas é importante dentro de sua vida.

Um ponto curioso nesta edição, é que a autora traz uma pequena visão de como a vida dos americanos é paranóica no seu dia-a-dia. Em um trecho, quando Laura e Peter estão visitando Nova York e no edifício Empire State, ele deixa uma mochila no terraço, perto de Laura, para que ela encontre e se surpreenda com o que tem no interior. Acontece que, para os americanos, uma mochila abandonada, significa a possibilidade de uma bomba, um atentado terrorista, e o jovem casal quase se complica com essa atitude inocente.

Quando soube que haveria um segundo livro, pensei que era desnecessário, uma vez que o primeiro livro terminava de forma satisfatória e apontava para uma direção que deixava o leitor feliz. Ignorando o segundo, após ler este terceiro, e apesar de sua qualidade, ainda acho que não deveria ter existido uma continuação, porque tudo o que Lara vivencia neste último volume, era possível de imaginar a partir do primeiro, e isso meio que terminou com a abertura criativa que a autora teve a sabedoria de criar no final do primeiro.

Bem, mas já que ele veio, ainda bem que redimiu o péssimo segundo volume, e encerrou a trilogia com qualidade, com emoção, com ternura e com uma mensagem de sabedoria para a maioria de nós. No fundo, ficarei com saudades de Lara e Peter.


Compartilhe este post:

Carlos H. Barros

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

15 COMENTÁRIOS

  1. Carl, comprei o primeiro livro depois de assistir o seu vídeo no YouTube, agora tenho que comprar os próximos. Sua resenha como sempre ficou maravilhosa, já quero, hahahaha.
    Obs: Amei o novo formato, com o preview ao final da resenha. ❤😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Andressa!
      Eu sei, seu sei, só tenho boas ideais :P

      Excluir
  2. Oi Carl, tudo bem?
    Eu quero muito ler esta trilogia, mas agora fiquei com um pouco de receio de não curtir tanto a estória por causa deste segundo livro. Acho que vou ler o primeiro e se eu gostar do jeito que a história acabar, eu nem leio as continuações. Gostei da sinceridade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Esta é uma trilogia que pretendo começar em breve. Já consegui o primeiro livro através de uma troca do skoob e pretendo iniciar logo! Bom saber que o terceiro livro termina em grande estilo e traz de volta a força mostrada no primeiro livro.
    A "maldição" do segundo livro acontece com várias séries, talvez seja um preço que devemos pagar esperando pelo terceiro kkkkk
    Achei a questão da vida paranóica muito interessante, talvez um ponto que valeu ter escrito este terceiro livro! Vou logo ler o primeiro!

    ResponderExcluir
  4. Oii Carl!
    Parabéns pela resenha, adorei!
    Eu não li nenhum livro da autora acredita, tenho vontade mas ainda não surgiu oportunidade...
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Carlos, que bom que você gostou desse segundo volume, significa que as chances de eu gostar serão grandes. Já tenho o livro na estante, mas tenho que concluir algumas leituras antes de pegar esse.
    A série é realmente fofinha e que bom que termina com as características iniciais. Fiquei ainda mais curiosa com essa sequência.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Gostei do que vi daqueles outros dois livros. Será que o segundo não é tudo isso então? Ora bolas!
    Mas a ideia da história e a personagem parecem ser muito bons. Deve ser gostoso acompanhar o aprendizado dela, ver ela crescer com a trama.
    Acho que esse livro é então uma outra forma de terminar melhor a história dela. Quero só ver o que vou achar, se vai ter esse jeito que lembra mais o primeiro e a qualidade dele...

    ResponderExcluir
  7. Estou pensando seriamente em começar a ler por agora, tinha lido a poucas resenhas mas eu gostei bastante da resenha do primeiro livro, me parece tudo bem construído a protagonista indecisa, quero ver se consigo ler esse ano ainda.
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  8. Carl!
    Não li nenhum ainda, mas como gosto do estilo, até poderia ler e acompanhar todo amadurecimento de Lara e suas novas decisões a serem tomadas.
    Acredito que esse lance de colocar uma trilogia, onde alguns livros são desnecessários, é apenas jogada de marketing para poder vender mais livros. O primeiro bom, o segundo ruim e o final em grande estilo, jogada, né?
    Desejo uma semana tranquila!
    “Uma pergunta prudente é metade da sabedoria.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudy!
      Claro, com certeza é uma forma de conseguir mais dinheiro. Por isso existem tantas trilogias hoje em dia. E a maioria, poderia ser apenas um livro!
      Bjos

      Excluir
  9. Oi, tudo bem?
    Sinceramente nunca tive vontade de ler essa trilogia. Mas que bom saber que o último livro foi satisfatório, um brinde aos leitores fãs do gênero.
    Ótima resenha.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Oi Carl, eu não li nenhum desses livros, apenas acompanhei aqui e com uma amiga a saga de Lara, onde ela meio que amadurece mas ao mesmo tempo há uma desconstrução da personagem (minha amiga Cecília louca na série) e como você falou mesmo o terceiro sendo bom deveria ter parado no primeiro. Fiquei com muita vontade de ler, adoro esses livros com a delicadeza da adolescência e da juventude onde tudo o que queríamos era o amor eterno! Boa resenha!

    ResponderExcluir
  11. Oi Carl. Sabe, não imagino você lendo esse tipo de livro. Mas ok. No lançamento do primeiro eu havia ficado bem empolgada com a premissa, mas depois que as continuações foram saindo a expectativa foi diminuindo. Ainda bem! Agora, lendo sua resenha, fiquei aliviada em saber que não "perdi meu tempo", afinal parece mesmo que a autora só não quis largar o osso, só quis aproveitar a onda de sucesso da obra e forçou uma continuação, o que resultou no segundo volume desastroso. Bom, pelo menos ela se redimiu no último, né?
    Ah, não acho paranoia isso das bombas aí... com tantos atentados, é melhor prevenir do que remediar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kemmy "chata" Oliveira!
      Eu leio todos os gêneros, até livros fofinhos :P

      Excluir