CHICO BENTO: ARVORADA

SINOPSE: Em Arvorada, Chico Bento, o caipira mais famoso dos quadrinhos, leva uma daquelas lições que a vida de vez em quando dá em todos nós. Porque nem tudo pode ser deixado pra depois… Numa reinterpretação belíssima do clássico personagem Mauricio de Sousa, o premiado cartunista Orlandeli cria uma história tocante, com visual magnífico e momentos de amor, dor, humor, mistério e, especialmente, aprendizado - ORLANDELI - Editora PANINI - 2017 - 100 páginas.

Nada é definitivo. Talvez, nem mesmo a morte. Isso é um fato que independe de interpretação ou crença. O segredo da vida, reside no quanto cada um de nós consegue compreender, enxergar e apreciar cada um dos breves momentos que temos, seja com a família, com um amigo, com uma paixão, ou vendo um filme, nadando em um rio, sentindo o calor do sol, a brisa fria do início da manhã ou aquele calorzinho do fim da tarde. Infelizmente, a grande maioria de nós deixa passar todos esses momentos que, juntos, podem ser definidos como a essência da alegria, da felicidade.


É disso que CHICO BENTO: ARVORADA trata. Seguindo o molde de todas as GRAPHIC MSP, o autor Orlandeli, dono de um traço e de cores belíssimas, de uma arte que comove e espanta, presenteia o leitor um com história comovente, que faz amadurecer para o quanto perdemos por não prestar atenção, ou por deixar as coisas para depois.


Mas, após a leitura, não se engane quanto à mensagem. Ela não trata de arrependimento, mas de aprendizado, de reconhecimento daquilo que nos rodeia, de forma afetiva, material ou subjetiva. Isso é muito bem representado pelo ipê amarelo, pela vó Dita, por Chico, pelas lendas culturais rurais brasileiras que fazem uma ponta e, por fim, naquilo que é eterno dentro de nós: nossas lembranças.


ARVORADA é mais complexa do que é possível perceber em uma primeira leitura. A parte em que vó Dita está muito doente, quando dizem que ela pode não sobreviver a mais uma noite, e Chico precisa enfrentar seus medos diante de criaturas assustadoras, como o Lobisomen, o Saci, o Boitatá, entre outros. É a representação metafórica da vida contra a morte, do arrependimento contra a redenção, da saudade contra a partida. E quando Chico compreende que a morte nada mais é do que uma etapa natural da vida e de que não há nada que qualquer um possa fazer para impedir, a luta termina, e todos os personagens se unem em um gesto de partir o coração.


Por fim, nas últimas páginas, ainda reside uma outra lição. A de que as coisas, as pessoas, os momentos, tudo que vivenciamos, está guardado em nosso cérebro, em nosso coração, e que, por isso, podemos reviver a qualquer momento, como se estivéssemos nos locais novamente, ou se abraçássemos alguém que amamos mais uma vez.


Faça um favor a você mesmo, não deixe passar, e leia essa pequena obra prima!

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

10 COMENTÁRIOS

  1. Que lindo Carl, sou apaixonada nos personagens da turma da Mônica, não posso deixar passar esta obra por nd!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Chico Bento é ótimo sempre gostei, gostei demais de saber um pouco a respeito, é claro que vou querer comprar para conferir lindo demais.
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  3. Desde pequena a turma da MÔnica tem permeado minha vida, lembro que quando estava aprendendo a ler com mais ou menos seis anos minha tia lia pra mim as histórias do Maurício, e eu ficava sonhando com o dia em que leria sozinha as revistinhas, depois cresci e sempre guardei um enorme carinho pelos personagens. Minha filha hoje meio que reflete isso e também está nesse processo de leitura e já lê uma e outra revistinha co ajuda. Essas novas versões mais adultas de hq são uma ora de arte, eu fico encantada com cada uma delas, pena que só tenho o Bidu! Mas meu personagem preferido sempre foi o Chico

    ResponderExcluir
  4. Nossa, mas tá aí uma história que pode surpreender. Confesso que pelo tipo, de gênero, capa e tudo mais ele não me chama atenção. Mas vendo assim parece que a trama consegue passar lindas lições, um alerta de como deixamos as coisas passarem despercebidas, de como podemos nos arrepender, de vida e morte e tudo o que as pessoas representam para a gente. Parece realmente muito bonito.

    ResponderExcluir
  5. Carl!
    O ilustrdor dá um traço prório e diferenciado do original, o que torna a obra ainda mais relevante e interessante de ser lida.
    Sem contar com toda lição que podemos aprender no decorrer das páginas.
    Adoro HQs.
    Bom domingo!
    “Conhecer os outros é sabedoria. Conhecer-se a si próprio é sabedoria superior.” (Lao-Tsé)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Não é meu estilo de leitura mas o chico é muito fofo. Imagine você aprender mais sobre a vida com essa pegada infantil. As cores e os desenhos são muito lindos. Nem li o livro e já fiquei triste pela vó Dita. Beijos Carl

    ResponderExcluir
  7. Oi Carl, tudo bem?
    Ai que bonitinho este quadrinho, adorei as cores e as ilustrações. Sempre fui apaixonada pela Turma da Mônica e esta obra deixa o Chico ainda mais especial por trazer esta mensagem linda!
    Adorei e não posso deixar de conferir.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Linda resenha, Carl!
    Já li duas graphic novels desta coleção (Mônica Força e Bidu Juntos) e gostei muito. Agora, o Chico Bento é o meu personagem favorito (ao lado da Magali), nas revistinhas ele sempre traz uma lição de vida.
    Agora a lição de vida é a maior de todas, de ensinamento, da compreensão da morte e valorização da vida. Belíssima. Uma edição para ser lida, relida e guardada!

    ResponderExcluir
  9. Oi. Amei a resenha e a dica, parabéns!
    Que edição linda e as ilustrações são um encanto. Fiquei com muita vontade de ter na estante e desfrutar dessa leitura. Adoro esses personagens!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Eu achei que ARVORADA era o Chico falando alvorada iueheiuheiuehiueheiuhe
    Acho que nunca tinha visto uma HQ desse tipo, com esses traços... eles são bem estranhos pra mim, na verdade. No entanto, a lição passada por ele é algo que eu sempre gosto de ter por perto, são histórias que eu gosto de conhecer e refletir sobre.

    Adorei principalmente essa parte:
    Por fim, nas últimas páginas, ainda reside uma outra lição. A de que as coisas, as pessoas, os momentos, tudo que vivenciamos, está guardado em nosso cérebro, em nosso coração, e que, por isso, podemos reviver a qualquer momento, como se estivéssemos nos locais novamente, ou se abraçássemos alguém que amamos mais uma vez.

    ResponderExcluir