LÍRIO AZUL, AZUL LÍRIO

SINOPSE: A complexa teia de intrigas, magia e ação torna-se ainda mais enigmática no terceiro volume da série. Blue Sargent encontrou coisas. Pela primeira vez na vida, ela tem amigos em quem pode confiar e um grupo ao qual pertencer. Os garotos corvos a acolheram como se ela fosse um deles. Os infortúnios deles tornaram-se dela e vice-versa. O problema de coisas encontradas, porém, é a facilidade com que podem se perder. Amigos podem trair. Mães podem desaparecer. Visões podem iludir. Certezas podem se desfazer. Em Lírio azul, azul lírio, o leitor vai descobrir para onde Blue, Gansey, Adam, Ronan e Noah serão levados em sua jornada para encontrar o lendário rei galês Glendower - Maggie STIEFVATER - Editora VERUS - 2015 - 347 páginas.

LÍRIO AZUL, AZUL LÍRIO é o terceiro volume da SAGA DOS CORVOS, sucedendo LADRÕES DE SONHOS (resenha, AQUI), e OS GAROTOS CORVOS (resenha, AQUI). Logo de início, a história nos presenteia com um novo enigma: há três adormecidos, o terceiro não deve ser despertado. Mas quem são os três adormecidos? E como saber qual deles não deve ser despertado?


A partir daqui, farei algumas análises a respeito da história. Essa análise pode conter spoilers. Não vou falar sobre nenhuma passagem específica, mas vou tecer algumas considerações a respeito do livro. Portanto, se você ainda não leu e quer evitar spoilers a qualquer custo, sugiro que leia o livro primeiro e depois volte aqui para conversarmos a respeito.

Nesse terceiro volume, Ronan e Adam se aproximam, alguns aspectos sobre a vida e personalidade de Gansey são explorados e Blue faz importantes descobertas a respeito de si mesma. Adam e Blue continuam batendo insistentemente na mesma tecla, ambos frustrados e sempre lamentando. Adam continua supervalorizando o que ele chama de sua dignidade (que a maioria conhece como orgulho). Eu compreendo a frustração de Adam, mas, às vezes, em meio ao misto de admiração e desprezo que ele sente em relação às pessoas ricas, ele soa bastante rancoroso. No entanto, vale mencionar que nesse terceiro volume isso começa a mudar. Pude perceber que o Adam está começando a amadurecer.


Já Noah se tornou uma assombração de vez, ele quase não aparece mais e quando aparece se comporta como um poltergeist. Ronan, por sua vez, tem se mostrado cada vez mais profundo e continua provando ser o melhor personagem da série.

Um dos pontos positivos do terceiro livro da saga é que os personagens estão mais independentes de Gansey. Nos dois primeiros volumes, a narrativa quase sempre o envolvia: Blue e Gansey, Adam e Gansey, Ronan e Gansey... Enfim, em LÍRIO AZUL, AZUL LÍRIO, temos uma maior interação entre outros personagens. Na verdade, os personagens evoluíram muito desde o início da história, tanto individualmente, quando enquanto um grupo. Particularmente, não gosto do título do livro, mas vale mencionar que o título é bastante presente ao longo do livro e, obviamente, envolve Blue.


O personagem de Gansey também é mais explorado nesse livro e percebemos que ele sente uma crescente insegurança com a possibilidade de realmente encontrar Glendower. Isso porque Gansey só é Gansey quando está procurando pelo rei adormecido, esse é seu objetivo de vida, é isso que ele faz, é isso que ele é. Eu achei essa revelação a respeito do personagem incrível, pois mostra uma fragilidade severa que, até então, Gansey parecia não possuir. Ele sempre foi um personagem integro, determinado e, de repente, vemos uma fraqueza significativa no personagem que nos deixa desorientados.

Nesse volume, os avanços são menores, se comparado aos livros anteriores, o que pode dar a impressão de que a história não avançou, como se o roteiro fosse circular. Talvez isso seja proposital, como uma forma da autora nos frustrar da mesma forma que os personagens estão frustrados. Mesmo assim, acredito que os avanços desse livro, apesar de não serem tantos como nos dois primeiros, são importantes para a história.


Dos três primeiros livros, esse é o mais sombrio, o mais denso e o mais introspectivo. Todos estão preocupados, frustrados e confusos. Enquanto os dois primeiros livros tinham muitos momentos divertidos, leves e românticos, esse possui um clima constantemente mais pesado.

O que eu mais gosto na SAGA DOS CORVOS é a forma como a autora faz com que o leitor se torne participante da busca por Glendower. Nos sentimos membros desse grupo, formado por Blue e os garotos corvos. Acompanhamos cada pista encontrada, cada descoberta, e compartilhamos das emoções e das surpresas dos personagens. Particularmente, gosto quando os segredos não são revelados anteriormente ao leitor. Portanto, gosto da forma como Maggie Stiefvater construiu a história.

Nos três primeiros volumes, os finais sempre possuem uma grande reviravolta e sempre terminam em um momento crucial, nos deixando loucos pela sequencia. Dos três, eu acredito que o final de LÍRIO AZUL, AZUL LÍRIO seja o mais intenso, e foi o final que me deixou mais curiosa pela continuação.


Posso ser suspeita para falar, mas eu amo o Universo que Maggie criou, amo a escrita da autora, a forma como ela consegue criar personagens tão reais, imperfeitos e que despertam em nós tanta empatia. A narrativa de Stiefvater é realmente incrível, e esse é o maior triunfo da saga.

Aproveite e compre o livro:

Compartilhe este post:

Priscila

Sou psicóloga, casada e a leitura sempre foi parte essencial em minha vida, assim como a escrita e o cinema.

8 COMENTÁRIOS

  1. Ainda preciso ler o primeiro livro, então pulei a parte de spoilers!
    Mas acredito que não havia nada que irá estragar a leitura, pela espiada que dei. Bom saber que existe uma evolução dos personagens e a estória vai ficando mais sombria! Me animou a começar a série!
    Pretendo entrar logo logo neste universo e me sentir parte dos garotos corvos!

    ResponderExcluir
  2. Olá Priscila!
    Cada vez que leio sobre essa saga mais eu tenho vontade de ler, tá linda as capas, e o enredo tá cada vez melhor!
    Preciso ler pra ontem!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Cara, a ideia desse livro, o universo criado pela autora e os personagens parecem tão bons! E o jeito que ela escreve, conseguindo nos conectar com a história e com os dramas dos personagens, o jeito que cada um parece ter de ser real e bem feito...gostei muito disso. E por deixar loucos pela continuação quando um livro termina. Isso é bem legal, ainda mais quando são livros de uma série.
    Ainda não consegui ler esse benditos mas eles estão na minha lista de desejados. A saga parece ser muito boa mesmo!

    ResponderExcluir
  4. Oi.
    Nunca li nada da autora, mas tenho muita vontade de ler essa série. As capas são lindas e adoro esse estilo de leitura. Sempre que encontro resenhas como a sua, fico encantada com o enredo e muito curiosa para saber mais dos personagens.
    Dica super anotada!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Priscila!
    Bom ver que as personagens estão mais independentes e conseguiram um amadurecimento maior.
    E saber que esse exemplar é o mais combrio dos três, torna-o ainda mais fascinante.
    Quero poder ler a série.
    Desejo uma semana tranquila!
    “Uma pergunta prudente é metade da sabedoria.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Priscila, ates de mais nada que capas lindas eim? amei essa última capa, assim como o título, ainda não li nenhum, desde a primeira resenha que quero ler, porém o dinheirinho está escasso estou esperando uma promoçãozinha para comprar os três, amei demais a maneira com que você falou do livro e mesmo com os "spoilers" em nada diminuiu a minha vontade de ler.

    ResponderExcluir
  7. Oii! Como pretendo ler os livros, pulei vários parágrafos da resenha rs. Mas prometo voltar aqui quando finalmente lê-los!
    Gostei de saber que a autora tem essa escrita tão boa e que os personagens são bem construídos. Fiquei surpresa ao saber que ainda tem continuação, pois podia jurar que era uma trilogia. Pois é, não me atentei ao "saga".

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Priscila, tudo bem?
    Vi um vídeo da Tamirez do Resenhando Sonhos indicando esta saga e fiquei super curiosa para conhecer. Sei bem pouco sobre a estória, mas tantas pessoas gostam que ela realmente deve ser boa. Eu particularmente preferia o título em inglÊs, achei mais bonitinho, mas se faz sentido na estória então não vamos mexer hahaha
    Beijos

    ResponderExcluir