WICKED

SINOPSE: Imagine acompanhar a clássica e prestigiada história de O Mágico de Oz, de L. Frank Baum, pela perspectiva de Elfaba, a Bruxa Má do Oeste! Em Wicked, Gregory Maguire nos proporciona essa chance de conhecer o outro lado da moeda, e mergulhamos novamente no fantástico mundo da Terra de Oz. Neste livro, descobrimos todos os detalhes da vida da garota de pele verde que cresceu cercada de desafios e preconceitos, até se tornar uma bruxa infame uma esperta, irritadiça e incompreendida criatura que põe à prova todas as noções sobre a natureza do bem e do mal. A improvável amizade da Bruxa Má do Oeste e Glinda, a Bruxa Boa do Norte, donas de personalidades tão opostas que se tornam melhores amigas; a rivalidade das duas ao se interessarem pelo mesmo homem; e a reação ao governo corrupto do Mágico de Oz também estão no foco de Wicked. A obra de Gregory Maguire arrebatou milhões de pessoas em todo o mundo e baseou um musical na Broadway, que, desde sua estreia, em 2003, já quebrou diversos recordes e conquistou muitos prêmios, incluindo o Tony Awards, considerado o Oscar do teatro. Em 2016, o musical estreou em São Paulo - Gregory MAGUIRE - Editora LEYA - 2016 - 496 páginas

WICKED chegou às minhas mãos por causa de uma certa admiração que tenho por bruxas em geral. De todas os contos de fadas que eu já ouvi falar, ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS e O MÁGICO DE OZ eram as duas que eu menos conhecia. Mas eu sempre fui fascinada por contos de fadas e, então, decidi conhecer um pouco mais sobre estas histórias.


Depois de assistir filmes e ler alguns dos livros infantis, resolvi buscar a história (de O MÁGICO DE OZ) mais completa. Como eu já disse, eu ADORO entender o outro lado, o lado que é considerado malvado. E em uma de minhas procuras por Oz, fiquei sabendo do musical da Broadway que estava em temporada aqui no Brasil em 2016. O nome do musical? Wicked. Este livro que estou trazendo hoje é a história que baseou o musical. E pra exercer o meu direito de ser tendenciosa uma vez ou outra, a melhor história sobre Oz que já li.


O livro é dividido em cinco partes: Muchkins, Gillikins, Cidade Das Esmeraldas, Nos Vinkus e, por fim, O assassinato e a vida após a morte. Em cada parte, há uma passagem de aproximadamente dez anos (alguns mais, outros menos) e várias perspectivas conduzirão o caminho desta viagem. A história gira basicamente em torno da Bruxa má do Oeste (que nasceu no leste), ou eu deveria dizer, Elfaba (Elfinha para os mais íntimos)? Enfim, não importa muito, são todos apenas rótulos para a menina de pele verde, vinda de uma família na qual a mãe sempre a odiou e o pai a considerava uma maldição, e nas idas e vindas da vida, ela acaba descobrindo o porquê de tudo isso.

Pra completar esse mix de tragédia familiar, a irmã dela, Nessarose, nasceu sem os braços e seguia muito as ideologias religiosas do pai, que era um sacerdote, tendo sido considerada a "preferida" por causa disso. Ah, eu quase ia me esquecendo, ela tinha um irmão (sem deficiencias), que ganhou a vida em troca da vida de sua mãe. Os traços rebeldes de Elfaba a guiaram para uma luta contra a tirania do imperador de Oz. Adivinhem quem? Sim, sim, O mágico de Oz. Mas será que foram apenas os dramas familiares que fizeram ela ficar assim? Ou será que teve um, como posso dizer, algo mais?

"As pessoas nunca descobrem como a bruxa se tornou malvada ou se esta foi a escolha certa pra ela. Será que essa é a escolha certa em algum momento? Será que o diabo já se esforçou pra ser bom de novo ou, se fizer isso, não é um demônio? No mínimo, é uma questão de definições." 
Em sua jornada, ela percorre quase todo o reino de Oz, que é cercado de conflitos políticos e religiosos. E em uma de suas épocas (a da faculdade), ela conhece Glinda (na verdade, seu nome é Galinda e, mais tarde, a Bruxa Boa do Norte), e alguns outros amigos que estarão com ela até a última parte de sua jornada, algumas vezes ao seu lado, em outras como seus inimigos e, em algumas vezes, até como amantes.

Um detalhe curioso do livro é a existência de animais normais e animais que são diferenciados pela capacidade de sentir e compreender. Um dos animais mais mencionados é o Bode (Bode, e não bode), conhecido como professor Dillamond,  que pesquisa, com a ajuda das ciências naturais, as efetivas diferenças entre os mencionados tipos de "animais", tendo se tornado, ainda que indiretamente, o motivo da amizade de Elfaba e os outros alunos de Shiz, a universidades onde eles estudavam.


É interessante a maneira como a passagem de tempo é colocada, pois é possível perceber as mudanças de personalidade que tocam cada um deles, e isto nos faz questionar o que é bom e o que é mal. O livro trabalha bastante esses conceitos (bem e mal), e traz discussões abertas e algumas metáforas sobre a relatividade do que é ser bom. Chamou-me a atenção o fato da magia ter sido colocada, não como um artifício para levitar objetos, ou trocar coisas de lugar, mas como uma conexão entre a mente e o mundo, como uma maneira de entender o outro.

Como uma nota para resumir a minha opinião sobre a Bruxa Má do Oeste, é que se ela é má, houve inúmeros fatores que contribuíram pra isso acontecer, e se ela é boa, com certeza, ela teve todos os incentivos para não ser. Quando colocam Dorothy na história, a ideia que se tem, é que ela será má, que será treinada para odiar. E se isto é o que realmente ocorre, vocês terão que ler para confirmar.


O que devemos nos perguntar quando falamos disso é: se ela (Elfaba) é má, ela é má pra quem? Se ela tem que ser perseguida, ela tem que ser perseguida por quê? Porque nós acreditamos que ela é assim? nós realmente conhecemos a história toda?

CITAÇÕES

"[...]Fazer o quê se a santa mãe delas está em um túmulo encharcado por todos esses longos anos e o pai está fora de si? Bem, a família sempre foi brilhante, e brilho, como você sabe, entra em declínio de forma brilhante. A loucura é a forma mais brilhante."
"A ciência, meus queridos, é a dissecação sistemática da natureza, para reduzi-la a partes funcionais que obedeçam mais ou menos as leis universais. A fetiçaria é direcionada no sentido oposto. Ela não rasga, ela remenda. É síntese, em vez de análise. [...] Nas mãos de alguém verdadeiramente qualificado - nesse ponto, ela se espetou com um grampo de cabelo e soltou um gritinho - é Arte."
"Os pássaros alimentam os filhotes sem entender o motivo, sem reclamar que tudo que nasce deve morrer, que peninha. Eu faço meu trabalho de maneira semelhante: o movimento interior em direção ao alimento, à justiça e à segurança. Sou um animal de bando caminhando junto com o rebanho, só isso. Sou uma folha esquecível em uma árvore"
"'Foi um acidente eu ter visto aquilo?', pensou Fiyero, olhando para o gerente com outros olhos. Ou o mundo simplesmente se descortina aos seus olhos, repetidas vezes, assim que você está pronto para vê-lo de maneira diferente?"
"Ela cresceu vendo a morte como um padrão, bela a seu jeito. Uma forma humana é como uma folha; ela morre em uma ordem, a menos que algo interfira"
"-Você acredita em outros mundos? - Acho um esforço tremendo acreditar nesse aqui - respondeu Sarima -,mas ele parece estar aqui, então por que eu deveria acreditar no meu ceticismo sobre outros mundos? Você não acredita?"
"Quanto mais civilizados nos tornamos, mais horrendas são as nossas diversões"
"O fato sobre o mal - falou a bruxa na porta - não é nada do que vocês disseram. Você entende um lado dele, o lado humano, digamos, e o lado eterno fica nas sombras. Ou vice-versa. É como o velho ditado: como é um dragão dentro da casca. Bem, ninguém jamais saberá, pois, assim que você quebra a casca pra ver, o dragão não está mais dentro dela. O verdadeiro desastre dessa investigação é que a natureza do mal é ser secreto."
Aproveite e compre o livro:

Compartilhe este post:

ana lu

Sou Ana Lu e uma das coisas que mais gosto de fazer é ler e ouvir música. Meus livros favoritos são Perdida da autora Carina Rissi e Belo desastre de Jamie McGuire. Eu espero poder compartilhar muitas experiências literárias seguindo sempre o lema "a persistência fez os grandes líderes".

11 COMENTÁRIOS

  1. Eu sabia da existência dessa série (sim uma série) quando assistia ao canal da Tatiana Feltrin do blog Tinny Little Things e fiquei encantada, mas é uma pena que só tem em português esse primeiro, porque a história é bem densa e tem muito pano pra manga, eu também gosto de descobrir os lados mais sombrios dos fadados contos de fadas que são passados de forma leve e fofinha, mas que no findo sempre tem o outro lado!

    ResponderExcluir
  2. Oii Ana!
    Eu ainda não vi a série e nem li o livro, tenho mta curiosidade já que adoro o gênero, sempre bom ver o outro lado dos contos q conhecemos.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Eu estou com esse livro aqui mas ainda não li acho que estou perdendo uma leitura e tanto, a historia é bem constritiva e achei ótima a resenha, não li muito pois penso em ler em breve acho que vou gostar.
    Até mais!!

    ResponderExcluir
  4. Recentemente dei pra ler uns livros de contos e recontagens assim e me interessei por esse. Nunca li nada de Oz, só sei mesmo por desenhos ou filmes. Mas confesso que adoro o lado mal desses contos de fadas. Os personagens bonzinhos nunca me chamaram muita atenção. Gostava mesmo dos malvados, de toda a personalidade que eles tinham e de tentar entender porque eram assim.
    Por essas e outras esse livro me deixou curiosa. Vejo muita coisa legal sobre esse musical e achei bacana um livro contando a história que ele foi baseado. Acho legal conhecer o outro lado da história, ver se ela tem motivos pra ser má ou só entender mesmo todo o contexto. Parece um bom livro por isso e acho que iria adorar ler.

    ResponderExcluir
  5. Eu também sempre me interessei pelo outro lado e sempre tive uma admiração pelas bruxas. Esta é mesmo uma das menos conhecidas, fiquei sabendo dela por via do musical. Muito interessante a visão do bem e do mal no livro, fiquei super interessada em conferir. Comprei o livro em uma promoção da Amazon mas ainda não tive a oportunidade de ler, e reconheço que é uma das capas mais lindas da minha estante.
    Fico sabendo agora que é tão lindo também por dentro, e pretendo ler logo logo! As citações são de arrasar! Parabéns pela escolha e pela resenha!

    ResponderExcluir
  6. Ana Lu!
    Gosto sempre de ler as releituras e fiquei extasiada em saber que temos aqui a versão de Elfaba, a bruxa má do Oeste.
    O mais interessante é que todos vivemos de acordo com nossas motivações, e pelo visto o livro esclarece as da protagonista e tá, já sei, se quiser saber se ela é mesmo má ou se é boa, vou ter de ler o livro, o que não será nada difícil, porque adoro o tema bruxas.
    “A juventude é a época de se estudar a sabedoria; a velhice é a época de a praticar.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ana Lu!
    Que ótima resenha! Parabéns, muito bem escrita, como sempre.
    Eu tenho esse livro, ganhei em um sorteio e fico muito feliz em saber que será uma leitura divertida. Já estou bem curiosa!
    Adoro esse tema!
    Obrigada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana Lu, tudo bem?
    Adorei a sua resenha, completíssima e super caprichada. Tenho que confessar que de todas as histórias de contos de fadas a do Magico de Oz sempre foi a que eu menos gostei e eu não sei porque isso aconteceu rsrsrs
    Gostei desta outra visão da historia.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Nossa, esse livro deve ser muito legal. Nunca imaginei as coisa pelo lado da bruxa má, achei que ela já tinha nascido assim. Me interessei bastante pelo livo, principalmente porque sempre amei as estórias do magico de OZ. Beijos

    ResponderExcluir
  10. A capa desse livro está incrível e a premissa já me fisgou de primeira. De fato, é interessante conhecer esse "outro lado da moeda" e não existem muitas histórias assim, né? Também conheço muito pouco da história de Mágico de Oz e gostei de saber que esse livro especificamente deu origem a um musical.
    Apesar de nem sempre justificar, creio que conhecer o que leva as pessoas a serem más ajuda na compreensão ou, ao menos, leva a muitos questionamentos sobre o que é bom ou ruim.
    Mais um pra lista!

    ResponderExcluir
  11. Que visão impressionante este livro nos passa!! Penso que Elfaba, não é tão má assim, e realmente depende muito de quem vê e conhece o contexto que a tornou na Bruxa Má do Oeste!! A capa do livro está muito linda!! Interessei-me pelo livro desde o momento em que li a sinopse, e agora lendo a resenha, tenho certeza de querer lê-lo!!

    ResponderExcluir