ANNA E O PLANETA

SINOPSE: Pouco antes de completar dezesseis anos, Anna começa a receber mensagens em seus sonhos. Preocupados, os pais resolvem levá-la a um psiquiatra, mas o médico não acha que existe algo errado com ela. Na verdade, o excêntrico dr. Benjamin acredita que parte do que ela vê nos sonhos é real, como o agravo do aquecimento global e a consequente extinção de vários animais. Ele está certo, pois Anna está observando o mundo através dos olhos de Nova, sua bisneta que vive em 2082 e está prestes a fazer dezesseis anos. O mundo está desolado e Nova se sente cada dia mais revoltada com as gerações anteriores. Quanto mais Anna enxerga o futuro em seus sonhos, mais ela percebe que deve agir no presente. Mas será que ela vai conseguir agir rápido o suficiente para evitar que suas visões se tornem reais? - Jostein GAARDER - Editora SEGUINTE - 2017 - 163 páginas.

Do que vocês mais tem medo?

Sei que não conheço vocês, mas posso imaginar várias respostas óbvias para essa pergunta, como: altura, aranhas, cobras, solidão, etc. Não tenho certeza se cheguei perto, mas tenho absoluta certeza de que sua resposta não foi nem um pouco parecida com a resposta da nossa personagem principal, que, no caso, foi: "Aquecimento Global".
"Tenho medo de que estejamos colocando o meio ambiente em jogo sem a mínima consideração pelos que virão depois de nós" Pág.18
Escrito em terceira pessoa, ANNA E O PLANETA conta a história de Anna Nyrud, que, prestes a completar 16 anos, ganha um anel de rubi vermelho, que pertence à sua família há várias gerações. Conta a lenda, que o "velho Carbúnculo", como gostavam de se referir à jóia, representava algo mágico, como se fosse uma maravilha destinada a eles. Desde o dia em que o recebeu, Anna começou a ter sonhos estranhos, como uma visão do futuro, mais especificamente do ano de 2082. Por acreditar que são reais, Anna resolve se consultar com um psiquiatra, o Dr. Benjamin, que assim como a garota, teme pelo futuro do planeta.
"Sonhei que era minha própria bisneta e me vi como uma bisavó velhinha."
Nos sonhos, Anna era sua própria bisneta de 16 anos, chamada Nova, que se sentia indignada pelo fato de milhares de espécies de animais e vegetais estarem extintos. Ela não entendia como o ser humano se tornou tão egoísta e deixou tantos animais desaparecerem do planeta e se tornarem apenas histórias. Mas, ao mesmo tempo, Anna também era Olla, uma senhora de oitenta e seis anos, que contava a Nova, histórias de quando os pássaros ainda viviam nas montanhas, de quando os grandes primatas, os leões, os tigres, os ursos polares, os lobos, e demais animais, ainda povoavam a terra.

Anna sente, sempre quando acorda, que tem uma ligação com o futuro, e que precisa fazer algo rapidamente para mudar essa triste realidade, que está para acontecer, e, juntamente com Jonas (o seu namorado), ela fará de tudo para conscientizar à população, o grande mal que estão fazendo para a natureza e para seus próprios descendentes.
"Ela se volta uma última vez para o mundo tal como era — as florestas tropicais infinitas, as savanas e os recifes de corais... Só que ecossistemas intactos como esses não existem mais. O que corta o coração é justamente vê-los brilhando na tela. É como se estivesse diante de paisagens de outro planeta, e não da sua terra debilitada e estéril."
O livro se inicia com uma lembrança da personagem de quando ainda era criança e gostava de esquiar com a família no alto da montanha, onde via frequentemente várias renas por entre as árvores. Seis anos se passam, e Anna percebe como a paisagem do local mudou, como a floresta não é mais a mesma e como os animais não aparecem facilmente como antes. Isso só traz para si uma enorme tristeza e preocupação com a natureza.

Confesso que o livro tem um objetivo muito nobre, que é conscientizar o leitor sobre a gravidade dos atos humanos e fazê-lo se questionar sobre isso. Por este motivo, ele aborda temas como o aquecimento global, a extinção de animais, os problemas climáticos, refugiados e, principalmente, a biodiversidade, o que eu achei bem interessante. 

A capa do livro é linda e demostra, com exatidão, as duas partes da história: presente e futuro. Mas, apesar de ter uma escrita de fácil entendimento, a leitura não fluiu. Os capítulos se intercalam entre Anna e Nova, onde pude acompanhar tanto a tristeza de Nova, por não conhecer o mundo como era antes, tanto o trajeto de Anna para mudar isso. Achei a história mal desenvolvida e muito repetitiva, talvez seja por causa da tradução, não sei, mas, realmente, me decepcionei com esse livro. Em alguns momentos me senti perdida, como se alguns trechos não devessem estar inseridos ali.

Para piorar, os personagens são vagos e suas falas são visivelmente forçadas. Essa história não me prendeu e tão pouco me apresentou algo para que eu pudesse me agarrar para continuar.

Enfim, o tema do livro é muito interessante, mas se abordado corretamente e desenvolvido de forma mais complexa, mais detalhada e descrito com personagens mais marcantes, tenho certeza que teria conseguido me cativar e deixado outra impressão, o que não foi o caso.

Não indico esse livro, mas se você, leitor, gosta do tema em questão, sugiro que dê uma chance a ele. E espero realmente que sua opinião seja diferente da minha, e que não se decepcione. 

Compartilhe este post:

Natalia Jesus

Sou capixaba (ES), apaixonada por livros, filmes e séries. Minha série favorita é "Sobrenatural" e meu livro é "Por lugares Incríveis" (Como não amar esse livro, gente?). Enfim, espero que gostem das minhas resenhas, da mesma forma que eu amo fazê-las. Um grande beijo!

12 COMENTÁRIOS

  1. Achei a ideia desse livro muito legal e parece muito bom por deixar esse alerta do que a gente está fazendo com o nosso planeta. Ver um futuro onde um monte de animais e vegetais estão extintos é triste demais. E uma realidade, porque do jeito que as coisas estão isso não é impossível.
    Uma pena que não tenha agradado tanto. Parece ter algumas coisas na trama que a deixam sem graça e por isso não consegue alcançar sua totalidade. O tema é bom de qualquer forma e fiquei com vontade de ler por ter gostado dessa ideia dele. Mas sei lá, melhor não ir com muitas expectativas, talvez...

    ResponderExcluir
  2. Oi! Que pena que o livro não fluiu. É horrivel quando uma história tem tudo pra ser boa e o autor não sabe desenvolver. Principalmente um assunto tão importante.
    Gostei da resenha, beijoss

    ResponderExcluir
  3. Natália!
    O que mais tenho medo é não ter medo...
    Já li um outro livro da autora e gostei muito porque também nos faz refletir sobre o futuro.
    É preciso que mais livros sobre o tema sejam editados, quem sabe assim, mais pessoas comecem a ter consciência sobre a preservação.
    “Como eu não tenho o dom de ler pensamentos, eu me preocupo somente em ser amigo e não saber quem é inimigo. Pois assim, eu consigo apertar a mão de quem me odeia e ajudar a quem não faria por mim o mesmo.” (Desconhecido)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. OI Natália!
    Gostei da ideia do livro é de abordar temas políticos, econômicos e sociais como esse. Só que eu notei que os autores, por mais que entendam do assunto, não consegue passar por leitor uma história com desenvolvimento conexo. Não leio livros assim mais por conta disso. Focam demais na questão e esquecem o resto.

    ResponderExcluir
  5. Olá Natália!
    O que me chamou atenção, além da sinopse, foi o autor!
    Uma pena que a estória deixou a desejar, talvez tenha se perdido muito na tradução. Me apaixonei pela escrita do autor quando li "O mundo de Sofia" há muito tempo atrás, e desde então sempre tenho boas experiências com seus livros.
    A premissa é muito boa, pena que não foi desenvolvida de forma convincente, pois tinha tudo para dar certo. Eu vou dar uma chance ao livro, como disse, pelo tema e também pelo autor! Tomara que eu não me decepcione!!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Já tinha visto esse livro em algumas livrarias e sempre gostei da capa, mas nunca li a sinopse. Parece ser bastante interessante. A premissa é muito boa e fiquei triste em saber que você não gostou tanto assim. Ainda não li nada do autor, mas pretendo ler em breve <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oii!
    Não conhecia o livro, eu adorei o tema desenvolvido, me chamou bastante atenção, só pela resenha eu já me interessei mto!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Que pena saber que o enredo não foi tão satisfatório para você. Sinceramente também não fiquei muito animada para faze a leitura. Ma quem sabe, em outro momento.
    Não conheço a escrita do autor.
    Ótima resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Realmente a resposta da personagem do livro sobre o que ela tem medo foi um pouco inesperada, o que fez eu ficar bem curiosa em ler este livro, inicialmente a capa me chamou a atenção.
    Uma pena que para você a leitura não fluiu e a história não te prendeu, quem sabe futuramente eu leia este livro, pois achei bem interessante o que o autor quer abordar na história.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Natália!
    Não conhecia esse livro da autor achei a premissa da história bem bacana mas que pena que o Jostein não consegui desenvolver a história!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia o livro, mas tenho dois ou três livros do autor na estante. Ele parece se dedicar bastante a esses livros voltados pro público infantojuvenil mas que deveriam ser lidos por todos!
    Achei a premissa bem interessante apesar desse sonho fazer um nó na nossa cabeça, misturando presente e futuro, mas pelo jeito é uma leitura daquelas obrigatórias, que fazem a gente refletir e mudar nosso jeito de ser. Já quero!

    ResponderExcluir
  12. Bem... como não li algo completo do autor, só li algumas páginas de O MUNDO DE SOFIA, não posso questionar muito de seus livros. Espero conhecer mais do autor e se possível ler este livro! Mas vou levar em consideração as obs feitas por vc, Nati rsrsrsrssr

    ResponderExcluir