ACHEI NA LIVRARIA #2


Neste post regular, eu mostro alguns livros que me chamam a atenção quando vou a alguma livraria. São obras que nunca li, das quais não sei nada, mas cujas capas me transmitem algo que me deixa curioso. Ou então, como no caso de hoje, obras que estão com novas capas, reedições ou indicações que precisam ser lidas por causa de suas qualidades!

Vou começar, reapresentando três livros da autora Letícia Wierzchowski. Não são lançamentos, mas as edições são novas, com capas novas (lindas!) e com uma nova revisão. Apesar de não ter lido nenhum dos três livros abaixo, tenho conhecimento do sucesso que obtiveram na época, principalmente A CASA DAS SETE MULHERES, que teve até série na televisão. Espero ler em breve e colocar resenha aqui no blog, ainda mais que estamos começando uma das coisas que você mais pedem: a leitura de clássicos!

A CASA DAS SETE MULHERES: Mostra a Guerra dos Farrapos, ou Revolução Farroupilha (1835-1845) - a mais longa guerra civil do continente - e suas consequências sobre o destino de homens e mulheres. O líder do movimento, general Bento Gonçalves da Silva, isolou as mulheres de sua família em uma estância afastada das áreas em conflito com o propósito de protegê-las. A guerra começou a se prolongar, e a vida daquelas mulheres transformou-se para sempre.

UM FAROL NO PAMPA: Depois de encantar público e crítica com A casa das sete mulheres , a gaúcha Leticia Wierzchowski volta ao século XIX com o desafio de revelar o destino das personagens que encantaram o Brasil. Um farol no Pampa começa em 1847 e termina em 1903, um período de tempo muito grande, e com vários acontecimentos importantes na vida pública e política do Brasil. Um novo livro e, ao mesmo tempo, a continuação da obra que virou minissérie e teve alto índice de audiência na Globo. Essa ambigüidade foi um dos desafios conscientes de Leticia, autora de outros sete livros. Neste, os espaços se ampliam e perdem seus contornos, já não há a clausura de uma estância sitiada pela guerra, mas há o destino de um jovem de nome Matias, e há o seu medo diante dos caminhos que pareciam traçados, mas que se desfazem a cada passo na esteira dos assombrosos acontecimentos que levam o Império do Brasil à Guerra do Paraguai.

TRAVESSIA: Giuseppe e Anita Garibaldi viveram e lutaram em três países diferentes: no sul do Brasil, à época da Revolução Farroupilha, em Montevidéu, no cerco de Rosas, e na unificação da Itália. Apaixonados um pelo outro, Giuseppe e Anita foram verdadeiros amantes da liberdade. Tudo está aqui neste livro: as grandes batalhas históricas e as pequenas batalhas do dia a dia. Todos os fãs de "A Casa das Sete Mulheres", romance que virou série de TV e já foi publicado em vários países, agora têm o prazer de reencontrar a prosa de Leticia Wierzchowski, autora que domina com maestria a narrativa do romance histórico.

Os próximos três livros são de outro autor nacional, Paulo Coelho. Da mesma forma que as obras da Letícia, são reedições atualizadas, com capas novas. Uma delas também teve adaptação, só que para o cinema. Preciso confessar, meio envergonhado, que nunca li nada do autor. Não por algum motivo, apenas porque não aconteceu. Muita gente não gosta do estilo dele, mas muito mais gente gosta, uma vez que ele é o autor nacional vivo que mais vende no mundo, além de ser o mais conhecido. Ainda vou ler um de seus livros, é uma promessa!

VERONIKA DECIDE MORRER: A loucura é a incapacidade de comunicar-se. Entre a loucura e a normalidade, que no fundo são a mesma coisa, existe um estado intermediário: chama-se ser diferente. E as pessoas estavam cada vez com mais medo de ser diferentes. No Japão, depois de ter pensado muito sobre a estatística que acabara de ler, me veio a ideia de escrever um livro sobre a minha própria experiência. Escrevi "Veronika Decide Morrer" na terceira pessoa, usando meu ego feminino, porque sabia que a minha experiência de internação não era o que interessava mas sim os riscos de ser diferente, e o horror de ser igual.
ONZE MINUTOS: Onze Minutos não se propõe a ser um manual sobre o homem e a mulher diante do mundo ainda desconhecido da relação sexual. É uma análise do meu próprio percurso, sem pretender julgar aquilo que vivi. Custou muito até que eu aprendesse que o encontro físico de dois corpos é mais que uma simples resposta a alguns estímulos físicos. Na verdade, ele carrega consigo toda a carga cultural da humanidade.
BRIDA: O livro conta a história de Brida O' Fern, uma irlandesa de 21 anos em busca da magia e dos poderes ocultos. Durante sua busca, Brida conhece um mago, Mago de Folk, que promete ensiná-la através da Tradição do Sol, que explica tudo através da natureza e de suas manifestações divinas. Mas Brida toma, na verdade, como mestra, Wicca, uma bela mulher que lhe ensina através da Tradição da Lua, a antiga Tradição das Bruxas, que explica o Universo através da Sabedoria e do Tempo. Sua evolução espiritual e sua busca pela Outra Parte (a famosa alma gêmea) estão retratadas neste livro emocionante e tão interessante quanto os outros livros do autor.
O que acharam? Só leitura que aparenta ser muito interessante, não é? E ainda mais, nacionais! Não sei como existem pessoas que ainda pensam que nossa literatura é fraca ou chata ;)

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

5 COMENTÁRIOS

  1. Dentre os citados que ja viraram filme, só assisti o Veronica decide morrer. Também não li nenhum livro do PAulo Coelho e sem motivos. Achei bem legal as edições novas inclusive da Leticia wierzchowski.

    ResponderExcluir
  2. Carl!
    As capas dessas novas edições estão lindíssimas!
    Já li os livros do Paulo Coelho, sou bem fã dele.
    E já li A casa das sete mulheres, agora quero ler a história de Anita Garibaldi.
    Belas indicações.
    OBRIGADA POR SUA AMIZADE!
    FELIZ DIA DO AMIGO!
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ainda não conheço a autora Letícia Wierzchowski! Lembro que assisti à minissérie e amei! Quem sabe não me empolgo com as reedições e leio "A casa das sete mulheres"? Já ouvi ótimos comentários.
    Os livros do Paulo Coelho também ficaram com a capa muito bonita. Li alguns títulos quando era adolescente, mas nenhum desses mostrados.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Adorei essas capas, estão muuuuuito lindas!
    Quero muito ler A Casa das Sete mulheres porque assisti a série e gostei muito <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Carl!
    Que livros lindos, capas maravilhosas, melhor ainda é o conteúdo, adoreeei!
    Bjs

    ResponderExcluir