BELAS MALDIÇÕES

SINOPSE: Um descendente direto de O Guia do Mochileiro das Galáxias escrito por dois dos maiores autores britânicos de fantasia O mundo vai acabar em um sábado. No próximo sábado, e ainda por cima antes do jantar. O que é um grande problema para Crowley, o demônio mais acessível do Inferno, residente na Terra, e sua contraparte e velho amigo Aziraphale, anjo genuíno e dono de livraria em Londres. Depois de quatro mil anos vivendo entre os humanos, eles pegaram um gosto pelo mundo, e o Armagedom lhes parece um evento bastante inconveniente. Então, para evitar o fim do mundo, precisam encontrar a chave de tudo: o jovem Anticristo, agora um menino de 11 anos vivendo tranquilamente em uma cidadezinha inglesa. Em seu caminho, acabarão trombando com uma jovem ocultista, dona do único livro que prevê precisamente os acontecimentos do fim do mundo, caçadores de bruxas ainda na ativa e, quem sabe, até os Quatro Cavaleiros do Apocalipse. Mas eles precisam ser rápidos. Não é só o tempo que está acabando - Terry PRATCHETT e Neil GAIMAN - Editora BERTRAND - 2017 - 350 páginas.

BELAS MALDIÇÕES é uma reedição, a décima quarta, de um grande sucesso de Gaiman, desta vez em parceria com Pratchett. Como o livro foi escrito em 1990, ele foi revisto pelos autores e teve alguns detalhes atualizados para os dias de hoje.

A história do demônio Crowley, a serpente que convenceu Adão a morder a maçã, e do anjo celestial Aziraphale, o encarregado dos portões do paraíso, que convivem pacificamente e tentam impedir o fim do mundo por interesses próprios, é recheada de referências, sarcasmo, indiretas, bizarrices, piadas, entre outras muitas coisas, que tornam a leitura uma tarefa prazerosa, mas cansativa.

Cansativa, porque existem muitos personagens, a maioria deles com indicações dúbias de quem são, ou o que fazem, conversas de duplo sentido, referências que se misturam entre a ficção e a realidade, muitos nomes estranhos, etc., obrigando o leitor a uma atenção maior no que está lendo.

Prazerosa pelos mesmos motivos. É impossível não rir e se espantar exatamente com tudo o que está no parágrafo acima. É divertido procurar no texto o que os autores realmente querem dizer, quem realmente são os personagens e o que realmente irá acontecer.

Neil Gaiman e Terry Pratchett nunca disseram quanto cada um escreveu da obra, existem relados diferentes deles mesmos, dependendo da época e dependendo de quem pergunta. O que é igual nas respostas, é que eles trocaram muitas ideias por telefone, criando, aos poucos, todas as sequências da narrativa. Isso, de certa forma, explica um pouco o quanto ela é confusa em certos momentos, e o quanto alguns diálogos acabam se tornando desnecessários para a trama. O que fica parecendo é que os autores estavam se divertindo, fazendo os personagens trocarem ideias que eles mesmo tinham, mas sem ser conclusivo para a história.

Apesar de todo humor negro existente em BELAS MALDIÇÕES, a mensagem final que o livro entrega, independente da religião do leitor, uma vez que os personagens são todos da Bíblia, é universal. O que os autores passam é que uma pessoa não nasce má, ela se torna má, devido a diversos fatores, como sua educação, sua família, seus amigos, o que acontece de ruim com ela, enfim, devido a todas as influências negativas que recaem sobre ela durante a vida. Mesmo o anticristo, alguém que deveria ser o inferno encarnado, como foi criado acidentalmente por uma família de boa índole, se tornou alguém bom. Até seu cachorro, que é uma cria demoníaca, torna-se um animal dócil que conquista o leitor.

BELAS MALDIÇÕES, apesar de possuir vários trechos confusos e cansativos, é uma leitura ímpar, diferente e inspirada, uma crítica sobre nossa sociedade, nossa religião, nossos costumes, nossos preconceitos, nossas esperanças e sobre o quanto somos facilmente influenciáveis.



Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

8 COMENTÁRIOS

  1. Oi Carl!
    Gostei das ilustrações, são bem feitas, estou curtindo bastante esse gênero, qro conhecer mais sobre esse mundo pois passei á seguir mto sobre ele, adorei a dica.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Carl :)
    Eu vi uns comentários positivos sobre o livro e fiquei interessada, apesar de ser um pouco confuso. Curiosa pra saber como a Bíblia e os personagens dela são abordados. Gostei do livro ser carregado de humor e sarcasmo. A capa dessa edição também tá linda.
    Abc

    ResponderExcluir
  3. Olá Carl,
    Já tinha colocado este livro entre os meus desejados sem saber que era uma reedição (santa ignorância!!!) Vi o nome do autor e simplesmente quis ler!
    Ao ver agora o quão profundo eles vão para retirar as ideias, fiquei ainda mais contente. Acredito que não tem como um livro assim não ser cansativo, ao mostrar as facetas das diversas personagens. Me senti dentro de um episódio de Supernatural!
    Muito interessante o fato de o mal ser mostrado como algo adquirido, com o garoto que se transformará no Anticristo sendo criado com boa índole e recebendo uma boa educação. Fiquei até curiosa para conhecer o dócil "cão infernal".
    Parabéns pela resenha e obrigada por abrir meus olhos em relação à reedição!

    ResponderExcluir
  4. Carl!
    Gosto desse humor mais cáustico e sombrio.
    Fato é, não apenas pelo autor(es), mas pelo próprio enredo, porque gosto demais de livros que envolvem anjos (e demônios) e por toda confusão feita na troca do local onde ele deveria ser criado e ainda pela forma hilária com que foi escrito, mercece sim ser lido e fiquei bem curiosa, viu?
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  5. Gostei da resenha e o livro apesar de ser um pouco cansativo parece que a mensagem dele é muito boa. O que me fez ficar interessada nele foi quando tu disse que aborda nossa sociedade, religião e o como podemos ser facilmente influenciados.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Gostei muito dos seus comentários.
    Já faz um tempo que esse livro está na minha lista de leituras. Parece ser muito engraçado e envolvente. Gosto muito do autor e pretendo ler mais livros deles, principalmente este.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, tinha muita vontade de ler algo do Neil, e tive indicações para começar com esse, só que por causa da série comecei a ler Deuses Americanos e a escrita não me prendeu.
    Tô adiando a leitura desse com medo de me decepcionar, mesmo aparentando ser bem diferente.

    ResponderExcluir
  8. Oi! Lendo a sinopse lembrei de cara de Supernatural!! Apocalipse, demônio, bem parecido! Então como gosto desse universo místico e bem misterioso eu não me decepcionaria com o livro!!Obg!!

    ResponderExcluir