BLAME!

SINOPSE: Em um futuro no qual a humanidade foi quase toda dizimada, Killy é um aventureiro que vive um uma superestrutura vertical repleta de corredores, escadarias e até cavernas. Ele passa seus dias lutando para sobreviver enfrentando ciborgues assassinos e monstros mutantes ao mesmo tempo que tenta acessar a rede de computares para localizar a informação necessária para salvar os seres humanos restantes - Tsutomu NIHEI - Editora JBC - 2016 - 248 páginas.

Eu conheci BLAME! por acaso. Estava de bobeira no Netflix, quando vi a chamada para o anime. Fiquei curioso, mais por causa da imagem de ficção-científica que passava. E fiquei surpreso, muito surpreso, não só pela qualidade da animação, mas, também, pelos personagens, pela ambientação, pela ação, pelos mistérios, pelos inimigos, enfim, um conjunto de qualidades que me conquistou de imediato. Óbvio que, como todo anime é baseado em um mangá, logo fui atrás da versão em quadrinhos.

Lançando originalmente no ano de 1998, no Japão, BLAME! começou a ser publicado pela editora JBC no Brasil desde dezembro de 2016. São dez volumes no total, e você ainda consegue encontrar os cinco volumes iniciais nas bancas.

O anime, que você pode, e deve, assistir no Netflix, faz uma adaptação de alguns dos acontecimentos narrados no primeiro volume. Killy é um andarilho que vaga por um mundo de metal, construído na vertical, cheio de corredores e escadas, à procura de um gene, existente em alguns seres humanos, que permitiria acessar uma rede de computadores e evitar que as máquinas exterminem toda a vida ainda restante.

O leitor não sabe nada do passado de Killy, nem sequer se ele realmente é humano, como aparenta, ou algo mais. Isso porque, apesar dele parecer um garoto normal, possui uma força e uma capacidade de cura fora do normal. Isso sem falar de sua calma. Ele anda sem pressa, não se deixa assustar ou abalar por qualquer surpresa ou acontecimento, e enfrenta qualquer perigo sem hesitar, como se não tivesse medo de morrer, ou não se importasse.

Esse seu comportamento, em paralelo com o mundo onde vive e por onde anda, sempre locais imensos desprovidos de vida, causa uma sensação incrível de solidão, como se fosse um deserto sem fim, só que ao invés de horizontal, sempre descendo ou subindo.

Os robôs e mistos de máquinas e homens que ele enfrenta, e que sempre procuram exterminar qualquer resquício de vida, são assustadores, macabros, com uma aparência que foge daquilo a que estamos acostumados em filmes do gênero. E as armas que eles usam, principalmente a de Killy, são incrivelmente poderosas, que causam uma destruição equivalente à queda de edifícios inteiros.

Os traços dos desenhos são fortes, carregando no preto, e as feições dos personagens conseguem passar com sucesso aquilo que eles estariam sentindo em cada um dos quadrinhos. A constante inexpressividade de Killy é proposital, porque ele realmente não demonstra qualquer sentimento, e quase não pronuncia uma única palavra. Inclusive, essa e uma caraterística do mangá, a ausência de balões com diálogos. Os poucos que existem, são falas de personagens secundários, que quase não recebem respostas de Killy, quando conversam com ele.

Killy poderia ser confundido com um personagem esnobe, exatamente por seu distanciamento, equivalente a seu poder de destruição, mas fica bem claro, tanto no mangá, quanto no anime, que não é isso. Esse distanciamento de Killy, serve para destacar que ele é mais do que aparenta, serve para indicar que ele tem muita coisa para ser revelada, e que é muito mais perigoso do que parece.

Indico demais BLAME! para os amantes de ficção-científica, com uma enorme pegada cyberpunk, e também para aqueles que adoram mistérios, muita ação e lutas sensacionais.




Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

9 COMENTÁRIOS

  1. Oi Carl!
    A edição tá dmais, é linda essa capa, vou ter q dar uma espiadinha depois nessa série viu...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Ainda não lino livro mas comecei a assistir o anime e tô gostando. Historinha bem amarrada, ação frenética e um visual espetacular. Espero ler o mangá

    ResponderExcluir
  3. Oi, o único anime que já assisti na vida foi Naruto, e esse parece ser bem diferente. Não me atraiu, mas vou mostrar pro meu irmão, talvez ele goste. Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  4. Não sou leitora de animes,mas de vez em quando assisto por causa do meu irmão. Gostei da personalidade do Killy e da missão dele em busca desse gene. Não tinha visto ainda na Netflix, mas valeu pela dica.

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?

    Amei este post, até porque já tinha ouvido falar de Blame ! (só coisas boas kkk) e me interpresei. Este post foi muito bom porque conheci um pouco mais do universo e também fiquei sabendo sobre a serie...então foi de grande ajuda ! :0

    ResponderExcluir
  6. Oi Carl, nunca assisti animes, nem mesmo Naruto! Quem sabe me aventuro neste?
    Se o anime é tão bom assim, imagine a série de quadrinhos! Muito talento para passar o sentimento do personagem pelo desenho! Gostei também da ideia de mistério trazida pelo distanciamento de Killy, é um fato que aprecio bastante.
    Mistério e ação aliados a uma pegada cyberpunk parecem uma boa pedida. Ainda não sou muito fã das lutas, mas quem sabe no futuro não "pego gosto"...

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Gosto muito de assistir animes mas faz um tempo que não assisto. Me animei muito por saber que esse está na Netflix <3
    A edição dele está muito boa, gostaria de ter na estante (:
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Carl!
    Não tenho costume de ler e assistir animes, uma pena!
    Uma pena também não ter assinatura na Netflix, porque gostei muito de todo enredo, da aventura e toda ação.
    Lembrei um pouco de Matrix, não sei porque...
    Valeu a dica!
    Bom final de semana!
    “Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada.” (Immanuel Kant)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  9. Oi! Não sou fã de animes, mas para quem gosta de ação vale a pena conhecer, parece ser bem repleto de ação e ser uma ótima animação! Valeu!

    ResponderExcluir