O MISTÉRIO DOS CAVALOS ALADOS

SINOPSE: Nosso mundo tem cores. Você só precisa saber onde procurar. Existem cavalos alados nos espelhos do Hospital Briar Hill – esses espelhos refletem os elegantes quartos que já pertenceram a uma princesa, mas que agora são o lar de crianças doentes. Somente Emmaline pode enxergá-los. Este é o seu segredo. Certa manhã, a menina escala o muro dos jardins abandonados do hospital e descobre algo incrível: um cavalo branco com a asa quebrada que deixou o mundo dos espelhos e invadiu a realidade. Esse cavalo branco – uma égua chamada Lume de Luar – está se escondendo de uma força sombria e sinistra: o Corcel Negro. Para Emmaline mantê-lo longe de sua nova amiga, ela precisa rodear Lume de Luar com tesouros de tons brilhantes. Mas como a menina encontrará cor em um mundo tão cinzento? Ambientado durante a Segunda Guerra Mundial, O mistério dos cavalos alados traz uma prosa que se aproxima do lirismo e, assim como O jardim secreto e A princesinha, já pode ser considerado um clássico - Megan SHEPHERD - Editora PLATAFORMA 21 - 2017 - 208 páginas.

O MISTÉRIO DOS CAVALOS ALADOS, da autora Megan Shepherd, é ambientado no interior da Inglaterra no período da Segunda Guerra Mundial. Nossa narradora é Emmaline, uma garota sonhadora que vive no Hospital Briar Hill, uma espécie de abrigo para crianças.


No hospital, as crianças ficam sob os cuidados de duas freiras, Irmã Constance e Irmã Mary Grace, além de um caseiro chamado Thomas e um médico que vem com frequência para checar a saúde de todos. As crianças que abitam esse Hospital têm o que Emmaline chama de águas paradas, mas que nós conhecemos como tuberculose.

Desde que chegou ao Hospital, Emmaline vê cavalos alados nos espelhos. Porém, ela evita contar isso para as pessoas, especialmente para as outras crianças, que zombam dela. A única outra criança em quem Emmaline confia, é Anna, a mais velha e também a mais debilitada entre os habitantes de Briar Hill.

Emmaline gosta muito de passear pelas imediações do Hospital, mesmo sabendo que isso não é permitido. Um dia, em um desses seus passeios proibidos, ela acaba encontrando um cavalo branco, um cavalo alado, que, mais tarde, ela descobre se tratar de uma égua, cujo nome é Lume de Luar.


Após receber uma carta do Lorde dos Cavalos, Emmaline fica encarregada de proteger Lume de Luar de um Corcel Negro que a está caçando. Emmaline precisa esconder a égua, já que ela está com a asa machucada e não consegue voar. Para manter Lume de Luar a salvo, Emmaline precisa cercá-la com todas as cores do arco-íris. Acontece que o mundo de Emmaline não tem cor, é um mundo cinzento, mas, mesmo assim, ela está disposta a encontrar as cores e salvar Lume de Luar.
“Não é para menos que atraímos o Corcel Negro. Nosso mundo não tem cor, como o auge do inverno.”
O livro é cheio de metáforas e, ao longo de toda a leitura, ficamos nos pergunto se essas coisas estão realmente acontecendo ou se são apenas fruto da imaginação fértil de Emmaline. A narrativa é muito poética, e o mundo, especialmente o mundo em guerra, visto pelos olhos de uma criança é fascinante.

Eu amei essa leitura, amei a narrativa simples e doce, amei criar diversas teorias ao longo do livro e amei a protagonista, que foi capaz de me dar uma lição de vida. O livro nos faz refletir e, ao fim, eu acredito que cada leitor terá atribuído um significado diferente para a história.


O trabalho da Plataforma 21 está maravilhoso. A edição está linda, a capa é encantadora e a diagramação está perfeita, com letras grandes e capítulos curtos. Um trabalho impecável para uma bela história.

Compartilhe este post:

Priscila

Sou psicóloga, casada e a leitura sempre foi parte essencial em minha vida, assim como a escrita e o cinema.

9 COMENTÁRIOS

  1. Oi Priscila! Já vi resenhas sobre o livro que já está nos meus desejados. Adorei a visão da Emmaline, pq gosto de mistura de realidade com fantasia. Deve ser muito fofa a ligação entre a Lume de Luar e a menina. Ansiosa pela leitura.

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esse livro, gosto muito de realismo fantástico de história ambientado na época da Segunda Guerra Mundial e além disso com animais e crianças, essa resenha me deixou bastante interessada em conferi isso tudo.

    ResponderExcluir
  3. OI!! Que história mais linda, e encantei logo de cara, com essa capa divina!! A imaginação é uma das melhores coisas que temos, e se tratando de crianças e cavalos, não tem como eu não me apaixonar!! Quero muito conhecer, obg!!

    ResponderExcluir
  4. Priscila!
    Bom ver que o livro é um amorzinho.
    Achei a história bem elaborada e bem sensível, porque além da fantasia, da para perceber que a protagonista tem a sensibilidade aguçada e mesmo ingênua, tenta fazer o que é o melhor.
    E a dúvida em relação ao significado das visões dos cavalos alados é bem intrigante, né?
    Quero poder ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Oi Priscila!!!
    Morro por esse livro, qro tanto ler, o enredo tá lindo, a capa então, perfeito!
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Estou doida pra ler esse livro!
    É minha próxima leitura <3
    Amei sua resenha e os comentários. Mal posso esperar pra começar a ler (:
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá Priscila!
    Estou doidinha para ler este livro! Sua resenha me deixou ainda com mais água na boca!
    Parece se tratar daqueles livros doces pelos quais nos apaixonamos. A pergunta principal é estabelecer o que é sonho e imaginação do que é a realidade. Eu aposto no sonho e nos cavalos!
    A amizade entre humanos e animais é algo muito belo, e as metáforas trazidas aqui provavelmente lidarão com questões universais como vida e morte. Realmente um livro muito amorzinho.

    ResponderExcluir
  8. Oi, costumo fugir de livros que se passam na Segunda Guerra Mundial, acho eles fortes demais.
    Mas a fantasia deve trazer uma leveza, me lembra os filmes de sessão da tarde que tem cavalos. Já está na lista!

    ResponderExcluir
  9. JÁ OUVIR FALAR DESSSE LIVRO,SÓ PELA CAPAE LINDA!PARECER SER UMA ÓTIMO LIVRO..AMEI A RESENHA

    ResponderExcluir