O SEGREDO DOS CORPOS

SINOPSE: CSI, Dexter, O Silêncio dos Inocentes, True Detective. A medicina forense tem sido uma fonte constante de inspiração para grandes narrativas policiais. Uma tradição que remonta às primeiras histórias de Poe e Sherlock Holmes do século XIX. Mas será que a arte imita mesmo a vida - ou, nesse caso, a morte? O que realmente acontece em uma autópsia? Você não precisa mais morrer de curiosidade. Em quarenta anos de profissão, o dr. Vincent Di Maio realizou mais de 9 mil autópsias e teve papel determinante em algumas das investigações criminais e dos julgamentos mais importantes das últimas décadas. Ler O Segredo dos Corpos é como estar dentro de um necrotério, participando de uma verdadeira aula sobre patologia criminal. Sem o inconveniente cheiro do formol. - Dr. Vincent DI MAIO e Ron FRANSCELL - Editora DARKSIDE - 2017 - 285 páginas.

Ler O SEGREDO DOS CORPOS me tirou de uma ressaca literária daquelas... Nessa obra, acompanhamos a trajetória do renomado patologista e perito aposentado, Vincent Di Maio, que trabalhou por anos como médico legista, chegando a fazer mais de 9 mil necrópsias. Di Maio foi a peça chave de várias investigações criminais e julgamentos muito importantes das últimas décadas, tendo recebido premiações e ajudando a fazer justiça em vários crimes com seu trabalho acurado.

O SEGREDO DOS CORPOS não é indicado para menores de 18 anos por possuir conteúdos bastante violentos. Nele, acompanhamos casos que envolvem mortes de bebês, crianças e outras pessoas inocentes, o que pode despertar certa revolta no leitor, ainda mais quando o desfecho dos julgamentos não saem como o esperado. Diferente do que muitos imaginam, o livro não é tão focado nos procedimentos realizados em autópsias, e, sim, na importância de um trabalho bem feito por legistas e outros profissionais responsáveis, que terão papel determinante na solução de crimes.

Inicialmente, o autor nos conta sobre sua vida: sua infância, a família, a influência de um pai médico (muito renomado em sua época), como foi cursar Medicina, o que o levou a escolher a patologia forense e como construiu sua própria carreira. Logo após, Vincent começa a narrar diversos casos polêmicos para nós leitores: assassinatos, mortes suspeitas de um número impressionante de crianças em um hospital, crimes envolvendo pessoas famosas, injustiças cometidas por erros de investigação, conflitos raciais, etc.

O autor nos apresenta casos criminosos em que o trabalho dos médicos-legistas foi decisivo no julgamento dos suspeitos. Ao longo da leitura, é evidenciada a importância de um trabalho meticuloso para conclusões de casos, pois: as afirmações de um legista podem inocentar ou incriminar suspeitos, uma constatação equivocada pode colocar a pessoa errada atrás das grades ou no corredor da morte e é essencial a imparcialidade e honestidade ao relatar as descobertas de uma necropsia. Um legista tem a função de fazer seu trabalho da melhor forma possível e expor tudo com veracidade, sem se deixar influenciar por opiniões públicas, familiares da vítima ou advogados de defesa; porque as outras pessoas, durante investigações e julgamentos, deixam seus sentimentos influenciarem suas opiniões e atitudes, o que não é aceitável no trabalho de um perito.
"O que eu sei é vital; como eu me sinto é irrelevante."
Médicos legistas buscam identificar verdades que a morte deixa para trás, como fragmentos de bala, pedaços de ossos e lascas de pele, a fim de transformá-los em justiça; no entanto, são necessárias pessoas confiáveis para realizarem essas interpretações da ciência e ajudarem em investigações da forma correta.

Vincent Di Maio expõe suas opiniões criticamente (numa linguagem mais informal em alguns trechos, com direito a palavras chulas), acerca de temas variados: família, morte, vida, sentimentos, justiça, crimes... E essas opiniões me surpreenderam bastante, porque o livro, em geral, é muito expositivo, mas há momentos em que ele faz questionamentos que colocam o leitor para pensar sobre assuntos um tanto quanto polêmicos, além de expôr seus pensamentos sobre casos em que trabalhou.

É muito cativante a forma que ele encara seu trabalho com cadáveres, dizendo que, em todas as autópsias que realiza, vê aqueles cadáveres como uma casca do que uma pessoa já foi um dia, somente um corpo sem alma e sentimentos. Essa é uma forma de diminuir a carga emocional de um ofício bastante pesado e evitar questionamentos que nunca terão respostas sobre a vida de alguém que já se foi.

A narrativa destaca como a morte é um evento social que afeta muito mais os vivos que os mortos. Tudo que acontece e é descoberto após a perda de um ente querido, principalmente em mortes suspeitas, tem grande impacto na vida de família e amigos. A forma como alguém morre (Natural? Assassinato? Suicídio?), pode chocar todos por contrariar tudo aquilo em que acreditavam. Muitas famílias preferem ouvir que seu querido filho foi brutalmente assassinado, do que saber que ele se matou. E muitas delas esperam que esses profissionais as ajudem a manter essa ilusão de que seu ente querido era feliz e nunca se machucaria. No entanto, o legista tem que dizer a verdade, independente da reação que virá a seguir.

É falado também sobre o quanto os seriados policiais (CSI, NCIS e outros), fazem essa profissão parecer tão glamorosa, o que não é verdade. Produtores e roteiristas não se preocupam em mostrar a realidade científica, eles produzem aquilo que os telespectadores querem ver (cenas macabras com sangue falso e muitos conflitos, que sempre resultam na solução ideal dos crimes). Muitos patologistas acabam abandonando a profissão, piorando a escassez de médicos nessa área.

O livro lançado pela editora Darkside, que fez um trabalho impecável na edição, tem: capa dura, desenhos e fotografias muito bem selecionadas para complementar a obra, folha de guarda lindíssima, fita de cetim para marcar páginas, tem até o desenho de um bisturi na lombada. A única reclamação é o tamanho da fonte do texto, achei bem pequena (pessoas míopes entenderão). Outro ponto que para mim foi bastante negativo, são os capítulos grandes, o que torna a leitura um pouco cansativa em dados momentos. Mas, em suma, a leitura é muito interessante, indicada para os curiosos sobre mortes, crimes e investigações. É uma narrativa que coloca o leitor para refletir muito sobre morte e justiça


Compartilhe este post:

Sara

Mineira, bookaholic e futura fisioterapeuta. Sou apaixonada pela vida e por tudo que ela nos oferece. Ler, viajar, conversar, dançar, comer e dormir são algumas das coisas que mais amo.

20 COMENTÁRIOS

  1. Oi, tudo bem?

    Amei o post e ele me ajudou muito, pois já tinha ouvido falar sobre o livro e poder saber mais sobre ele fez toda a diferença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jacqueline. Estou bem, obrigada. Fico feliz que tenha gostado. É uma obra muito bacana. Beijos.

      Excluir
  2. Olá Sara!
    Sou louca pra ler esse livro, vindo da Dark a gte esperar só coisa boa né...
    O enredo parece dar detalhes que os leitores que amam o gênero como eu, ficam qrendo ler sem parar, já está na listinha.
    Bjs e parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline. Darkside arrasa nas edições e nas temáticas dark hahahahaa. Vale a pena ler esse livro. Boa leitura. Obrigada. Beijos.

      Excluir
  3. Oi Sara! Tudo bem?

    Já ouvi falar desse livro, e também o vi em alguns posts nas redes sociais, mas não vi críticas, a sua foi a primeira. Adorei porque não imaginava que fosse assim tão interessante, me surpreendi bastante. Parabéns pela resenha!


    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Victor. Estou bem, obrigada. Fico feliz que tenha se surpreendido. Obrigada =). Abraços.

      Excluir
  4. Oi Sara. Adorei a estrutura do livro e tudo que o autor abordou dentro dele. Realmente não é essa profissão glamorosa que todos falam, pois já tive a oportunidade de acompanhar essas pessoas que trabalham muito. Faz parte da minha área estudar o trabalho feito por eles nos casos criminais e sei o quanto é difícil estar na posição deles, tendo que dizer uma verdade que na maioria das vezes não é bonita pra ninguém. Acho que o trabalho que a editora foi bem feito pelo que estou vendo. Estou mais curiosa pra ler sobre a história do legista nesses 9 mil casos que passaram por ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nayane! Que trabalho legal o seu hahaha Adoraria conhecer o dia a dia de legistas. No livro, são abordados poucos casos em que Di Maio atuou, mas são casos mais polêmicos. Tem muita coisa interessante, vale a pena ler. Beijos.

      Excluir
  5. Oi, essa capa é realmente muito atraente, a maioria da séries que eu assisti trata de forma superficial mesmo.
    Acho que deve ser triste, sei lá na maioria das vezes você tem que ser porta voz de uma coisa que vai machucar, mas pelo menos se sabe o quanto a vida é frágil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Malu. Concordo com você, deve ser uma profissão difícil e com muitos momentos tristes. Beijos.

      Excluir
  6. Primeiramente, que foto!!
    Muito importante, como vemos nas séries mencionadas, o trabalho da necrópsia na solução de casos muitas vezes complicados para a polícia. Contudo, nas situações nas quais a justiça não é feita, acredito que até os maiores de 18 anos se sentem revoltados, principalmente as que envolvem a morte de bebês e crianças. Deve ser difícil até para o profissional de necrópsia.
    Triste saber que muitas vezes os seriados trazem uma ideia errada do trabalho feito. E muitas vezes os parentes das vítimas não querem aceitar a verdade.
    Acredito que o livro seja mesmo perfeito, como toda obra da Darkside. Pena saber que os capítulos sejam um pouco longos demais, mas com certeza se trata de uma leitura interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patricia. Diversas situações revoltantes e tristes são expostas nesse livro, nos mostrando muitas realidades que não conhecemos. É um livro muito bacana e a edição está linda. Beijos.

      Excluir
  7. Sara!
    Muito bom quando um livro consegue nos tirar da ressaca literária.
    Por ler vários livros policiais, sempre tive curiosidade na área de medicina legal. Quando cursei psicologia e tive aulas de anatomia de Psicologia fisiológica, meu interesse se exarcebou e acabei entrando no curso de Direito e queria me especializar na área penal com foco na necropsia, pena não ter conseguido concluir o curso de direito, mas ainda continuo fascinada pelo tema.
    E o livro parece trazer muito esclarecimento a luz da medicina forense em relação aos casos apresentados, o que me causa muito interesse em poder ler.
    Bom final de semana!
    “Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada.” (Immanuel Kant)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudynalva. Sim hahaha Esse me salvou de uma baita ressaca. É um tema realmente fascinante, sempre temos coisas a aprender. Como o autor e narrador é o médico legista, ele fala muito da medicina legal, aprendi muitas coisas interessantes. Acredito que você adoraria a leitura. =) Obrigada. Beijos.

      Excluir
  8. Olá!
    Essa edição da Darkside está muito linda e a premissa jé é ótima. Fiquei muito feliz e animada pra ler com seus comentários. Gosto de livros que consigam transmitir essa imersão ao leitor e aguçar a curiosidade. Estou tentando ler mais livros pesados no momento, então essa dica é super válida pra mim <3
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Natalí. A edição está linda mesmo e o livro é ótimo. Espero que goste da leitura. Beijos.

      Excluir
  9. Que livro maravilhoso, ainda não tiver a oportunidade de lê-lo mas me atrai muito pelo seu estilo diferenciado, adorei a resenha adoroo coisas do Kennedy! rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ludmila. =) É um ótimo livro. Fico feliz que tenha gostado da resenha. =) Beijos.

      Excluir
  10. Oi! O livro parece ser ótimo, bem diferente do que eu costumo ler, então eu sairia da minha zona de conforto! Mas isso é bom , e falar sobre algo que é curioso pra bastante gente , de como são feitas as autópsias e tal!! Amei, quero ler logo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana. É um livro diferente mesmo, mas talvez não seja o indicado para você sair da sua zona de conforto, pois ele é um pouco arrastado em certas partes (com capítulos grandes) e, talvez a leitura se torne chata para você. Beijos.

      Excluir