ATYPICAL

SINOPSE: Sam, um jovem de 18 anos no espectro do autismo, decide que é hora de encontrar uma namorada, afetando toda a sua família na sua procura por mais independência.
TEMPORADAS: 1
EPISÓDIOS: 8
GÊNERO: Comédia/ Drama
DURAÇÃO: 30 minutos
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
CANAL: Netflix

Sam (Keir Gilchrist), em uma das conversas com a sua terapeuta, Julia (Amy Okuda), mostra interesse em encontrar alguém e é incentivado pela mesma. Ao dividir essa vontade com a família e amigo, eles tem reações bem diferentes.

Sua mãe, Elsa (Jennifer Jason Leigh), superprotetora, não vê com bons olhos, acha cedo e prejudicial aos sentimentos do filho. Já seu pai, Doug (Michael Rapaport), começa uma aproximação tardia, já que nunca tinha interesses iguais aos dele.

Sua irmã, Casey (Brigette Lundy-Paine), ainda que mais nova, se preocupa com ele e, de um jeito meio torto, quer ajudar. E o seu amigo e também colega de trabalho, Zahid (Nik Dodani), prontamente se dispõe a dar dicas de sedução.

Conhecendo os pensamentos do Sam, e também pelas conversas com a terapeuta, é possível ter uma visão bem real do seu dia a dia.
“Às vezes não entendo o que os outros querem dizer e acabo me sentindo só, mesmo com outros ao meu redor.”
Não há apelação, o autismo é tratado de uma forma bem humorada e com analogias à natureza - principalmente à Antártida -, ficando fácil de entender.
“Às vezes, quando me sinto só, me imagino naquele gelo congelado, sem poder me mover, mas seguro.”
Também traz o bullying, traição e relacionamentos entre pais e filhos. É acima de tudo, fácil se identificar com temas tão cotidianos.

O romance e quase tudo parece um pouco corrido, mas talvez seja essa a intenção, por ser tão curta, a série não aprofunda muito nos assuntos.

É como a criadora Robia Rashid (também roteirista de alguns episódios de How I Met Your Mother) disse: “Ninguém é normal, mas Sam é provavelmente o mais normal de todos eles”, todos têm dificuldades, mas ele lida com as adversidades sem se vitimizar.

Apesar da temática um pouco delicada, a maneira como foi apresentada, aproxima até os mais leigos no assunto. São apenas algumas horas, mas rende muito mais em reflexão. 

Lançada no dia 11 de agosto, tudo indica uma segunda temporada, tem muito mais a ser explorado.

Compartilhe este post:

Maria Luiza

Paraibana, apaixonada por séries de super-heróis (sempre disposta a discutir teorias), livros, química, poesia, músicas antigas, coisas verdes e palavras difíceis.

8 COMENTÁRIOS

  1. Achei bem legal o tema de autismo tratado ali. Me deu vontade de ver e por ter essa visão mais humada da história parece interessante, legal de assistir. Não fica pesado e ainda dá pra entender um pouco como é a vida da pessoa assim, as diferenças, se tem alguma diferença e etc. Achei legal e pelo que estou vendo parece valer a pena assistir.

    ResponderExcluir
  2. Oi.
    Já conhecia a série, claro, mas ainda não assisti. Realmente trata de um assunto delicado e importante. E se traz conhecimentos sobre a doença e reflexão sobre os assuntos tratados, deve ser uma boa série.
    A interpretação do ator, parece estar muito boa. Espero ter a chance de assistir!
    Obrigada pela dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Tenho muito interesse em livros e filmes ligados a temáticas delicadas.
    Em relação ao autismo, já li vários livros do gênero e acho importante qualquer obra que traga mais informação para o público em geral.
    Com certeza vou assistir, já está na minha listinha!

    ResponderExcluir
  4. Comecei a assistir a série, assim que houve o lançamento, porque o autismo e um tema que me desperta muito interesse e curiosidade, por isto gostei muito com a estória que eu me deparei, apesar de o adolescente, já ser diagnosticado, e ter sintomas bem claros, e objetivos, de pessoas que possuem este transtorno, e o mais legal e a forma como ele para que possa conseguir se inserir dentro da nossa sociedade cheias de padrões. Enfim, louca para terminar a primeira temporada.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Luiza!
    Pelo que vi no trailler, chega a ser uma série hilária, devido as situações que ele se envolve.
    Acho importante que o tema seja abordado também em filmes, porque mostra as dificuldades, tanto com a família, quando com os amigos e colegas de escola.
    Desejo uma semana mais que tranquilo e abençoado!
    “Deus com Sua infinita Sabedoria, escondeu o Inferno no meio do Paraíso para que nós sempre estivéssemos atentos.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  6. Bom, essa série eu só vi o trailer, mas ainda não vi (Estou baixando agora pra ver, como não tenho Netflix, esse é o jeito e.e), mas gostei muito do tema que aborda a série, onde ainda uma parte da sociedade julga por ser diferente e acha estranho :/
    E Netflix, meu amor, continue trazendo séries com temas que ainda é um tabu pra sociedade, pra jogar na cara deles!!

    Agora estou indo lá assistir, beijos.

    ResponderExcluir
  7. Alegra-me ao ver séries como esta, com assuntos que valem a pena serem mais divulgados e mencionados. E a Netflix está de parabéns por investir e apoiar, assim como o blog em divulgar.

    ResponderExcluir
  8. Este tipos de seriados que tratam de assuntos diferentes que nos façam ver com outros olhos sobre temas tão costumeiros e que as vezes nem temos conhecimento,agrega demais para algo que vamos parar e assistir. Adorei a proposta dele, e com certeza vou amar conferir!

    ResponderExcluir