CINDER

SINOPSE: Num mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é uma cidadã de segunda classe. Com um passado misterioso, esta princesa criada como gata borralheira vive humilhada pela sua madrasta e é considerada culpada pela doença de sua meia-irmã. Mas quando seu caminho se cruza com o do charmoso príncipe Kai, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica, e de um romance proibido, neste misto de conto de fadas com ficção distópica. Primeiro volume da série Crônicas Lunares, Cinder une elementos clássicos e ação eletrizante, num universo futurístico primorosamente construído. - Marissa MEYER - Editora ROCCO - 2013 - 448 páginas.

Cinderela. É um nome curioso, para dizer o mínimo, que poucos prestam atenção. No live action lançado pela Disney em 2015, com Lily James como protagonista, eles brincaram de forma interessante com o nome desta princesa já conhecida por todos nós. Cinder, no dicionário inglês, tem um significado. Indo do substantivo ao verbo, cinder se atrubui às cinzas, à brasa, à escória; também é conhecido como reduzir a cinzas e cremar, incinerar.

Cinzas. Literal e figuradamente, cinza é o pó que sobra depois de uma combustão completa e é a forma de outrora, de um tempo que não é o hoje, que ficou no passado, e é o sentimento nostálgico que olhar para trás nos inspira. É a desolação e a cor que se estabelece entre o preto e o branco. Refletindo sobre todos os aspectos que as cinzas espelham, o nome do livro e da personagem faz sentido, principalmente quando a Cinderela vira a gata borralheira de sua família.

Cinder, Cinderela... não há muita diferença no nome e nem no roteiro. Cinder também tem irmãs, também tem uma madrasta má, também trabalha feito uma condenada para servi-las e é constantemente humilhada e desprezada. Mas as características comuns terminam aí.

Todos os personagens possuem particularidades e identidades mais humanas e, mesmo que o livro se passe em mundos de fantasia, mais reais. Não há aquela perfeição predominante de contos de fadas de muitos livros por aí: temos a caracterização de cada um que participa da história, fugindo do padrão a que estamos acostumados, e que faz todos os personagens se parecerem e acabarem se confundindo por terem a mesma aparência. A própria Cinder, por exemplo, não é uma moça alta e bonita que canta e encanta os pássaros e os ratinhos. Não. Ela é uma ciborgue – metade humana e metade robô. Seus cabelos são de um loiro escuro com pé no castanho, sua pele é de um tom moreno e ela é o que hoje chamamos de mecânica - ela cuida dos robôs, androides e dos eletrônicos do reino; reino este governado pela família de Kai, o Príncipe Encantado que já esperávamos, mas diferente do que prevíamos: o príncipe herdeiro da Comunidade das Nações Orientais é simples, charmoso e atencioso, e como herdeiro dessas nações, também é oriental.

Marissa Meyer criou um universo fantasioso que nos é mais crível do que os contos de fadas: há doenças mortais, corridas tecnológicas, colonização da Lua, viagens espaciais, andróides lunares, planetas distantes habitados e líderes ditadores, que parecem ter a maldade de velhinhas carinhosas que entregam maçãs vermelhas e brilhantes sem nada pedir em troca. Entrelaçando histórias e enredos de forma surpreendentemente coerente, ela explora muitos conceitos morais, éticos e humanos, deixando para trás a superficialidade que os contos de fadas apresentam, e se tornando, para quem lê, mais do que uma releitura de histórias já conhecidas e pensamentos há muito explorados. É um livro incrível que mistura propriedades novas com velhas e dá uma perspectiva inédita para os leitores.

E um aspecto em CINDER que o torna diferente, tanto dos contos de fadas, quanto dos atuais romances que vendem bilhões nas livrarias mundiais: o romance não é o foco do livro – ele aparece conforme a protagonista ultrapassa todos os obstáculos que se apresentam. E mais: Cinder é mais do que a mocinha indefesa que espera que alguém lute suas batalhas por ela. Não. Com uma chave inglesa na mão e uma determinação de ferro (literalmente ou não) no peito, nossa personagem, que foi reduzida a cinzas, mostra que é preciso muito mais para impedi-la de descobrir as verdades sobre seu passado e buscar a autenticidade que o futuro lhe reserva. Marissa Meyer, por intermédio de Cinder, mostra que, mesmo sozinho e sem apoio daqueles que lhe são mais próximos, você, eu e todos nós, podemos, sim, fazer acontecer.

Minha experiência com CINDER foi muito boa. Encontrei-me rindo, chorando e múltiplas vezes admirada com toda a genialidade com que a autora programou os fatos, os contos e as personagens. A edição lançada pela Rocco é também muito bonita e apreciável, com folhas amareladas e letras grandes, quebras de capítulo diferentes e orelhas com detalhes vermelhos e pretos, contrastando e harmonizando com as cores da capa, que também é muito bela, de forma única.

Com um olhar maduro, lógico e ousado que muda praticamente tudo o que o conto de fada nos deu, CINDER é impossível de se largar e, depois de iniciado, as chances são mínimas de que você o odeie. Cheio de personagens carismáticos e escrito de modo leve, viciante e nada cansativo, este livro é indicado para todas as idades e todos os gêneros.

Este primeiro volume de uma saga de quatro livros (na ordem e inspirados nos contos: CINDER, da Cinderela; SCARLET, da Chapeuzinho Vermelho; CRESS, da Rapunzel; e WINTER, da Branca de Neve), fará você desejar fervorosamente os outros. E se você não era fã de contos de fadas antes... depois dele, você o será.

Compartilhe este post:

Layla

Estudante de psicologia e da arte de fazer das emoções palavras e das palavras óticas com grau certo pra qualquer um que queira ver as coisas de maneira diferente.

17 COMENTÁRIOS

  1. Tenho muita vontade de ler esta série, porém os livros são tão caros que desanima. De todas as releituras que vejo de contos de fadas, este para mim e o mais original, e diferente ao mesmo tempo, pois a autora consegue através das características principais de Cinderela, no entanto produzindo um outro desenvolvimento, de forma totalmente cativante, e envolvente. Fiquei bastante curiosa para saber o desfecho desta estória.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lana, oi!

      Os preços realmente não cooperam, e a Rocco é a grande culpada, infelizmente.

      Eu sugiro que você tente lê-los, mesmo que seja digital, porque são livros que valem muuuuito a pena.

      Beijos e obrigada pelo comentário!

      Excluir
  2. Oi Layla! Tudo bem?

    É uma proposta totalmente diferente de Cinderela e com certeza mais interessante. Não o leria pela capa, talvez pela premissa e sua resenha que me estimulou muito.

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A premissa é maravilhosa, V!

      São uns dos poucos livros que recomendo para todos, porque é realmente sensacional e consegue alcançar em suas páginas romance, ficção científica, mistério, suspense... é incrível.

      Se você der uma chance, com certeza vai gostar!

      Beijo grande!

      Excluir
  3. Eu adoro quando fazem uma releitura de contos de fadas e que surpresa foi ler esse livro. Bem diferente e muito forte. A personagem encanta de cara pela simplicidade e força que ela tem. É uma garota decidida e que passa por uns perrengues e muita injustiça em casa que fazem a gente ficar fulo por ela. Mas daí vem toda a graça da personagem e só lendo pra saber porque.
    Os personagens secundários ganham nossa simpatia também. Iko é a que mais gostei nesse livro.
    E o legal é a forma como a autora tratou de enfiar detalhes do conto nessa trama e criar uma coisa totalmente nova e maluca. A ideia dos Lunares e essa magia no meio, a tecnologia e essas coisas deram um clima futurista bem interessante pra história. Até o romance ali fica bacana por não ser o foco da trama. Tem muito mais envolvido, muitas questões legais, lutas, coisas politicas e etc. Fica um livro bem gostoso de ler e olha, a série só vai ficando melhor ao longo das histórias. Essa eu queria reler alguma hora ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu mal li mas já toparia relê-lo, C!

      É realmente muito bom e a autora me ganhou. Leria até a lista de compras dela, se pudesse!

      Fico contente que você tenha gostado dos livros! Adorei saber sua opinião.

      Obrigada, de coração.

      Excluir
  4. Louca para ler essa série. Sei que vou amar a Cinder, pela postura dela é a personalidade. Adorei que a autora não colocou o romance como o foco do livro mesmo sendo uma releitura. Além de que, ela inseriu muita coisa robótica. Um pouco de tudo. Muito curiosa pra conhecer o mundo da Cinder *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você disse absolutamente tudo, N! A autora faz uma mistura magnífica que cai muito bem. É a receita pra maravilhosidade, se for possível existir algo assim!

      Leia e conheça! Vale muuuuuito a pena. E espero que você goste tanto quanto eu!

      Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  5. Oi, Layla! Achei curiosa e diferente a proposta do livro. Fiquei "espantada" quando li que nesse livro a Cinderela é metade humana e metade robô hahah To curiosa pra conhecer mais sobre esse mundo (e sobre as doenças mortais hihi). Que bom que nesse livro o foco não é o romance e não tem toda aquela superficialidade dos contos de fadas. Pretendo lerr
    Beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi um "espantada" bom, eu espero!

      É um livro realmente bom, G, e cheio de peculiares. É bem único e tenho certeza que você vai gostar de ler!

      Beijos grandes e obrigada por estar por aqui!

      Excluir
  6. Olá Layla, tudo bem?
    Eu li os dois primeiros livros e amei fazer uma imersão neste mundo fantasioso de Marissa Meyer! Agora estou doida para continuar a série e principalmente ler "Levana"!!
    O foco na série, não é o romance, mas a trajetória das heroínas. Também achei isso fantástico.
    A releitura dos contos de fadas tradicionais é feita de modo bastante crítico, e não superficialmente. Trazem conceitos importantes que muitas vezes são deixados de lado. Achei que talvez o mundo robótico fosse ser um pouco chato, mas isso não aconteceu, muito pelo contrário!
    Com certeza fiquei fã e pretendo continuar com a série!!

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Eu já conhecia essa série, mas não li nenhum livro e não havia parado para prestar a atenção em alguma resenha e saber mais dos livros. E, fiquei encantada com sua resenha! Além de ansiosa para fazer a leitura! Por tudo que você comentou e que eu nem imaginava que seria assim, o desenvolvimento do enredo, fiquei certa de que vou gostar muito.
    Ótima resenha! Obrigada pela indicação.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi tudo bem?

    Gostei muito da resenha, a capa do livro é linda, gosto do gênero e a proposta está arrasadora ! Já quero ler ele !

    ResponderExcluir
  9. Layla!
    Ai como gosto das releituras dos contos e aqui é feita de forma futurista e cibernética o que é uma grande junção.
    A série parece maravilhosa e com ação, apesar de ter dito que o último tenha mais ação que os outros.
    Desejo uma semana de muita luz e paz!
    “Para cultivar a sabedoria, é preciso força interior. Sem crescimento interno, é difícil conquistar a autoconfiança e a coragem necessárias. Sem elas, nossa vida se complica. O impossível torna-se possível com a força de vontade.” (Dalai Lama)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  10. Gosto bastante quando os contos de fadas são recontados e adaptados sob uma nova perspectiva.
    Li algumas resenhas sobre essa série e essa em especial despertou a minha curiosidade.

    ResponderExcluir
  11. Adorei poder conferir suas impressões a respeito desse livro, que para mim é muito bem desenvolvido e eu adorei todas as características apresentadas. Como já deu para perceber, eu também já fiz essa leitura e particularmente adorei a narrativa e os elementos inseridos. Foi uma boa surpresa e recomendo bastante a leitura, é muito envolvente carismático.

    ResponderExcluir
  12. Que plot twist com o conto de fadas que conhecemos maravilhoso é esse?! Adorei a proposta de Cinder que quebra aquele conceito de tantos anos e transforma numa super ideia.

    ResponderExcluir