MEUS DIAS COM VOCÊ

SINOPSE: Quando o marido de Zoe morre, o mundo dela desaba. Mas e se fosse possível tê-lo de volta? Numa fatídica manhã, Ed e Zoe têm uma discussão terrível, algo recorrente no seu casamento em crise, e ela acaba se despedindo de forma brusca quando ele sai para o trabalho. Pouco tempo depois, um ônibus acerta a bicicleta de Ed, matando-o e deixando Zoe arrasada por não ter lhe dito quanto o amava. Se tivessem ficado mais um pouco juntos aquela manhã, ele ainda estaria vivo? Será que poderiam ter reconstruído o amor que os unira? Após dois meses, Zoe ainda não conseguiu se conformar. De luto, decide cuidar do jardim do marido, quando acaba caindo e desmaiando. Então, algo estranho acontece: ao acordar, ela está em 1993, no dia em que conheceu Ed na faculdade. A partir desse instante, Zoe passa a reviver momentos cruciais de sua vida e percebe que talvez tenha conseguido uma segunda chance: uma oportunidade de fazer tudo diferente, de focar naquilo que realmente importa, de mudar os rumos do relacionamento – e, quem sabe, o destino de seu grande amor - Clare SWATMAN - Editora ARQUEIRO - 2017 - 288 páginas.

MEUS DIAS COM VOCÊ não é um livro de romance. É monótono o tempo todo e traz uma escrita que não instiga o leitor a continuar.

Zoe é uma mulher adulta, quase nos 40 anos, casada com Ed. Os dois têm uma relação também monótona, onde eles se amam, mas parece que tudo que acontece com eles, pesa na relação, onde qualquer briga se torna motivo para separação.

Após a perda de seu marido, Zoe não sabe o que fazer e, durante uma crise de fúria, acaba caíndo, batendo a cabeça e acordando no dia em que conheceu o futuro marido. Um pouco clichê é claro, mas a partir daí é que a história corre.

Pelo início do livro, eu achei que ela viveria todos os dias novamente, mas não foi bem isso. Basicamente, ela vive os dias mais importantes dos dois (ainda bem, porque o livro seria enorme, não?).

Zoe é bem cética (em determinados momentos) em relação ao que está vivendo. Ela se imagina em coma e que irá acordar a qualquer momento. Porém, há várias situações em que o ceticissmo acaba, e ela acredita que está revivendo tudo e achando que pode mudar o passado, alterando o resultado no futuro.

Outra coisa foi que, pelo que vi antes, o livro era sobre romance (e muita gente tá achando isso), sobre uma história de amor, e ele não é, ele é uma ficção inglesa, ou seja, se está procurando um romance, é o livro errado.

Ele é algo comparado ao filme EFEITO BORBOLETA, pois não é um casal que você lê e pensa: "Meu Deus, como são lindos!". Você não sente a paixão deles florescer, você só lê a narração dela relembrando e revivendo os dias mais importantes (para ela) com ele, e tentando alterar algo no passado.

Acredito que a característica de Zoe que eu admirei no livro, foi a sinceridade. Mesmo em momentos nem um pouco favoráveis, ela foi sincera e manteve seu jeito de ser.

Porém, uma das coisas que não foram tão agradáveis, era sempre o final dos capítulos, onde ela pedia mais um dia com Ed. Foi um pouco desnecessário.

Acredito que o livro traz uma lição, onde você deve amar profundamente, não brigar por coisas bobas, dizer que ama, fazer pequenos gestos, porque não se sabe o que pode acontecer depois, a qualquer momento pode se perder alguém.

Um fato bem interessante é a parte da infertilidade, e como ela pode atingir os casais, como eles foram atingidos. Foi algo bem pesado e o que causou a maior parte das brigas.

Também senti falta da conclusão de alguns personagens, como a Jane – sua melhor amiga -, e se ela realmente alterou algo, ou apenas o último dia.

Sobre a parte física do livro, a capa é toda detalhada, porém as letras dos capítulos são um pouco pequenas, o que pode incomodar.

Se você é um leitor que não se incomoda de ter uma leitura simples, que não esteja ávido por emoções, é um livro para isso. Agora se quer emoção, sentimentos à flor da pele, uma vontade imensa de saber o final (no caso desse livro, o final é esperado, nada de surpreendente), sugiro que busque outra leitura.



Compartilhe este post:

Amanda Mesquita

Moro em Guarulhos, São Paulo, sou do signo de trouxas, amo comer coxinha, torta de bis com morango, açaí e cachorro-quente de 50 metros de comprimento, sentada em uma mesa, ao lado da minha melhor amiga, no meio da bienal.

11 COMENTÁRIOS

  1. Gostei da sinopse do livro. O ponto que foi mencionado na resenha é bacana, onde devemos sempre expressar o quanto gostamos das pessoas a nossa volta, pois não sabemos quando será a última vez que as veremos. Brigas é normal num relacionamento, porém tem que ter prudência, saber conversar, chegar num consenso se as duas pessoas ainda se gostam, senão tudo é motivo pra separar. No livro o fato da personagem principal não poder ter filhos é um fator de peso, porém algo que pode ser resolvido. Acho que deve passar uma mensagem de reflexão sobre várias coisas que podem acontecer em nossas vidas, voltar no tempo, mudar o que não saiu do jeito que queríamos. Um livro que eu gostaria de ler!!

    ResponderExcluir
  2. Quando li a sinopse fiquei com a imagem de um casal beirando aos 25 anos. Talvez influência da minha última leitura.
    Esse é o tipo de livro que realmente não me empolga como leitora, mas ainda leria por curiosidade de escritora. Principalmente pra observar a característica de Zoe que se manteve.

    ResponderExcluir
  3. Amanda, obrigada por esta resenha.
    Vi alguns comentários sobre este livro, dizem ser tão bom... mas eu não sinto a mínima vontade de ler. Me lembra muito Uma curva no tempo (não gostei de Uma curva no tempo; achei confuso e o final foi sem graça), e não quero uma leitura daquele tipo novamente.
    Eu realmente achava que era um romance, daqueles de fazer chorar... isso me deixava na dúvida se eu leria ou não. Agora tenho certeza que não.
    A única coisa que me chama atenção é capa, uma das mais lindas que já vi.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Nossa, Amanda, eu tinha certeza que se tratava de um drama com pitadas de muito romantismo.
    Na imagem que eu formei do casal, eram completamente apaixonados e não conseguiriam imaginar a vida sem estarem um ao lado do outro!
    Apesar dos pontos negativos, a aproximação com o filme "O efeito borboleta" me interessou. Este é um dos meus filmes favoritos de toda a vida, e vou querer conferir o livro.
    Também achei importante o fato de a estória falar sobre o efeito da infertilidade nos casais, este é um tópico que não costuma ser discutido nos livros.
    A capa é de fato linda, o único problemas são as letras pequenas, minha vista já está muito cansada!

    ResponderExcluir
  5. Lendo a sinopse eu pensei em "Um dia", só que mais fantasioso.
    Agradeço a sinceridade no primeiro parágrafo hahahahaha.
    Achei que a capa ajudou a passar essa falsa sensação de romance (apesar disso é linda).
    Enfim, passo!

    ResponderExcluir
  6. Amanda!
    Gosto dos livros de dramas familiares e ver que a protagonista Zoe, apesar de tudo que passou ao lado do marido, ainda tenta resgatar o relacionamento, mostra o quanto ela é forte e traz para nós leitores, uma grande identificação, afinal, quem nunca passou por situação similiar ou já viu alguém passar por isso?!...
    Agora se é um tanto monótono, já me deixa em dúvida sobre fazer ou não a leitura...
    Que o final de semana seja de alegria e paz!
    “Conhecimento sem transformação não é sabedoria.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  7. Quando vi esse livro nas livrarias, realmente achei que era um romance. Decepcionada :'( Mas ele traz um ponto muito importante a ser discutido: Dê valor antes de perder. As vezes não damos o devido valor a uma pessoa ou uma coisa, enquanto a temos conosco. E quando perdemos, ficamos com o sentimento de arrependimento por não ter aproveitado, dito coisas, feito coisas, enquanto tinha aquele alguém ao nosso lado. Portanto, esse livro tem uma lição a ser seguida. E eu gostei disso, apesar de ter me decepcionado por não ser um romance rsrs
    Parabéns pela resenha, que sempre nos mostra o que os livros traz para seu público. Continuem assim porque ganharam mais uma leitora assídua 😊

    ResponderExcluir
  8. Gostei da capa e da sinopse do livro (que me fez achar que era um romance bonitinho)
    Depois de ler a sua resenha fiquei um pouco desanimada com a estória.
    Nao gostei muito do jeito que vc escreveu como a autora trabalhou com a protagonista. Fora que a comparação com o casal do filme Efeito Borboleta não me motivou muito pra ler esse livro.

    ResponderExcluir
  9. Nossa pela capa parece ser um livro todo romântico, tipo Como eu era antes de você!
    Eu também gosto de livros onde mostra o fechamento de personagens secundários, quando não mostra fico super chateada com o autor.
    Me desanimei com a resenha, não é o tipo de livro que eu gostaria de ler.

    ResponderExcluir
  10. Olá, estava com as expectativas lá em cima para ler esse livro, mas pela resenha vejo que não era o que eu esperava. Tramas que envolvem volta no tempo por si só já chamam atenção, mas aqui a autora teve a oportunidade de explorar uma história de amor e isso não aconteceu. Uma pena. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Olá, adoro livros que trazem alguma reflexão de vida e eu não conhecia este livro. Inicialmente a capa me chamou a atenção, pois é muito bonita, achei bem diferente a história, então adicionei este livro em minha lista de leituras. Deve ser bem nostálgico relembrar os dias importantes do casal, além de refletir melhor sobre o que aconteceu e como foram parar em um relacionamento.
    Beijos.

    ResponderExcluir