SÓ OS ANIMAIS SALVAM

SINOPSE: Nós, humanos, nos achamos o máximo. Mas o que temos feito com o nosso mundo? "Só os Animais Salvam" é um livro que tenta responder a essa pergunta de maneira inusitada. Cada um de seus contos é uma fábula moderna, narrada por um bicho diferente, vítima de uma de nossas incontáveis guerras. Em meio ao caos, os animais conseguem encontrar esperança e inspiração numa das atividades mais significativas que nossa espécie já criou: a literatura. Ceridwen Dovey reúne fragmentos e personagens da obra de escritores imortais e nos faz sonhar o sonho dos inocentes. Só os animais salvam - Ceridwen DOVEY - Editora DARKSIDE - 2017 - 240 páginas.

SÓ OS ANIMAIS SALVAM é um livro que reúne dez fábulas narradas por animais distintos em diferentes momentos históricos contemporâneos importantes.

Camelo, Gata, Chimpanzé, Cachorro, Mexilhão, Tartaruga, Elefante, Urso, Golfinho e Papagaio. Cada um narra a história de sua vida e morte. Pela premissa, pode parecer que é um livro triste. E na verdade, é. Mas o que absorvemos dele é o que faz o leitor amar essa obra.

Ceridwen Dovey foi audaciosa ao escrever esse livro. Pois quem de nós não gosta de bichinhos? Para quem gosta do contexto histórico, então, é um prato cheio. Primeira e Segunda Guerra Mundial e Guerra fria são alguns dos conflitos nos quais a autora usou como cenário para os contos. Além desse contexto, o livro cita personalidades importantes, como Tolstói, George Orwell, dentre outros.

Meus contos preferidos foram o do gato e do cachorro, que se passam durante as duas grandes guerras. Uma gata acostumada com uma vida de luxo ao lado de sua dona é abandonada e encontra refúgio entre os soldados, onde conhece outro gato. também abandonado. e se aventuram entre as trincheiras. Podemos ver um pouco. pelos olhos dos gatos. o dia a dia dos soldados e o mais tocante: a vida que eles deixaram pra trás.
 "Às vezes eles oferecem esses jarros, nas noites antes das grandes ofensivas. São destinados à leitura de mapas e esquemas dos campos de batalha. Mas ele esconde o jarro durante o dia, alimentando os bichinhos para mantê-los vivos", o gato explicou. " Fica acordado até tarde, relendo as cartas da amada." "Como sabe de quem são as cartas?", perguntei. "De vez em quando ele as declama baixinho", disse. Pag.:37 (Alma de gato). 
O conto do cachorro, que se passa na Segunda Guerra Mundial, mostra como um cachorro foi feliz por um tempo ao lado de seu dono, um dos homens de confiança do führer. O interessante desse conto, até mesmo irônico, era o evidente amor do Führer pelos animais, embora não sentisse o mesmo pelos humanos.
 " Certa manhã de fim de outono, após termos passeado pela floresta, prostei-me a seu lado, junto ao fogo, para ouvir no rádio o pronunciamento de um homem a quem meu mestre parecia respeitar. O homem anunciou que animais não deveriam mais ser usados como cobaias sem quaisquer limites, nem deveriam ser mortos sem a consideração por nosso sofrimento." Pag.: 74 (Alma de cachorro). 
Algumas partes do conto da Tartaruga também me chamaram atenção, pois destaca como os animais eram utilizados na corrida espacial, durante a guerra fria.
 " O estratagema funcionou. Os soviéticos estavam enviando animais para o espaço como se não houvesse amanhã (o que, para os animais, provavelmente era verdade)" Pag.: 136 (Alma de tartaruga). 
O livro pode ser um pouco maçante em dois casos: quando você não se interessa pelo lado histórico e apenas quer ler sobre animais. Ou o contrário. No meu caso, confesso que foi difícil em alguns contos, pois por ser dividido em várias fábulas diferentes, com começo, meio e fim, tive a impressão que o livro era mais longo do que aparenta.

Também o fato de conter muitos detalhes sobre a vida dos animais, me deixou um pouco incomodada, pois eu esperava um pouco mais da visão dos animas sobre os conflitos ali evidenciados. Alguns contos conseguiram suprir bem essa condição, outros não. Mas isso, com certeza, é uma questão de ponto de vista. Cada um irá ler esse livro e tirar conclusões diferentes, ensinamentos variados e irá se identificar com contos nos quais eu não gostei, por exemplo.

No quesito edição, o livro não deixa a desejar a ninguém. A capa contém desenhos e cores lindas, e segue a linha de livros da editora Darkside que todo mundo quer ter na estante. A cada começo e final de cada capitulo, temos uma gravura do animal que narra aquele conto. A famosa fitinha do livro é na cor azul turquesa e temos um diferencial: o livro apresenta um espaço para escrever o nosso nome e do nosso pet. Vale ressaltar que não há erros gramaticais e de edição, já que isso é comum hoje em dia.
"Eles - os humanos, quero dizer - parecem acreditar que o que os separa dos outros animais é sua habilidade de amar, sofrer, sentir culpa, pensar abstratamente et cetera. Estão enganados. O que os separa é seu talento para o masoquismo. É ai que reside seu poder. Ter prazer na dor, tirar forças da privação, isso é ser humano" pag.: 53 (Alma de Chimpanzé). 
No geral é um bom livro, que retrata muitas coisas de forma clara e crua demais, até mesmo sem preconceitos, o que é ótimo. Nos faz exercitar a consciência a respeito dos animais e do amor incondicional, fidelidade e fragilidade dos mesmos. Não é à toa que dizem que os animais podem nos ensinar bastantes coisas.

 Às vezes nos mandam ser mais humanos, por que não ser mais animais?



Compartilhe este post:

Brena Carvalho

Sou cearense, amo música, livros, filmes, café, bebês, gatos, viagens (…) adoro escrever. Sonho cursar psicologia, viajar o mundo, enfim, ser feliz! (não necessariamente nessa ordem).

18 COMENTÁRIOS

  1. Depois de ler essa resenha fiquei curiosa sobre esse livro, pois como não sou tão fã de animais, não tinha me interessado em ler, mas gostei da parte que envolve as histórias de guerra e também sobre como o ser humano pode ser cruel. O fato de eu não gostar de animais, não me faz querer mal trata-los, pelo contrário, gosto de ver os bichinhos bonitinhos e bem tratados, mas desde de que não avancem em mim...rsrs.. Com certeza é mais um livro da Darkside que quero ter em minha coleção!!!

    ResponderExcluir
  2. Ah, que incrível!
    Já tinha visto este livro algumas vezes , mas não sabia nem a sinopse.
    Gostei de saber que são contos e que são narrados por animais. Pelo título, imaginava que era algo em relação ao amor pelos animais; nunca iria imaginar que são os pontos de vistas deles. Achei essa ideia excelente.
    A capa realmente é maravilhosa. Darkside sempre arrasando.
    Gostei dessa indicação.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei muito da capa desse livro, mas depois de ler a sinopse eu desanimei pra ler o livro.
    Nao sou fa de estonians que foca em animais e esse livro ser narrado por eles ajuda. Outro ponto que vc destacou na sua resenha e que os animais descrevem como era suas vidas durante as guerras mundiais (outra coisa que não gosto muito de ler em livros).
    Gostei de saber que a darkside fez um bom trabalho com esse livro. Tenho outros livros deles e eles não decepcionam com a qualidade dos livros.

    ResponderExcluir
  4. Guerras, conflitos, história de uma forma geral nunca foi algo que me atraiu muito, mas quando num livro é só o contexto e não o foco, ganho um pouco de interesse.
    A ideia de usar um ponto de vista fora do comum, no caso o dos animais, desperta em mim a vontade de ler para saber como a autora desenvolveu os contos.

    ResponderExcluir
  5. Olá! Tudo bem?
    Pra ser bem sincera não sou de ler muitas fábulas, mas tenho que dar uma chance a esse livro. Como não parar ler um livro que conta a vida e morte de um animalzinho? Prevejo eu chorando muito ao terminar cada historia de um cachorro. Adorei muito a premissa deste livro e espero lê-lo em breve.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. História e animais reunidos em um livro? E ainda mais, é uma fábula? Meu Deus, preciso ler esse livro. Para mim, com certeza é uma boa opção de leitura. Gosto disso. Dessa vez não muito o que falar a respeito rs, mas com toda a certeza eu já gostei e muito desse livro, mesmo antes de ler.

    ResponderExcluir
  7. Brena!
    Achei o plot do livro muito interessante, tanto pelo lado histórico, bem como por trazer a história dos animais que as protagonizam, cada um com sua fábula, consequências e ensinamentos.
    Desejo uma semana de muito amor no coração!
    “Inteligência não é não cometer erros, mas saber resolvê-los rapidamente.” (Bertolt Brecht)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  8. Olá, a obra chama atenção por aparentar ser bem original, sem falar que a autora usa dessas fábulas para canalizar os sentimentos conflitantes diante de cada período histórico. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olá Brena, que coincidência! Também iniciei esta leitura!
    Por enquanto só li dois contos, o do camelo e o da gata. Confesso que é diferente do que eu imaginava, a interpretação dos contos é um tanto quanto complexa. Achei que se tratava de algo mais "light".
    Gostei do quote escolhido para o conto da gata, que mostra o animal percebendo para quem o soldado escreve a carta. Como gosto de histórias de guerra, achei o conto muito bom.
    Fiquei mais animada para continuar a leitura, especialmente interessada pela história da tartaruga.
    Concordo com você que o livro é lindo, diagramação perfeita e lindas ilustrações!

    ResponderExcluir
  10. Estava super curiosa para ler este livro, amo animais(inclusive ontem mesmo fiz uma video conferencia com minha mãe só para ver minhas cachorras, me julguem kkkk) e quando vi esse livro nos instagrams gostei muito dele.
    É a primeira vez que leio uma resenha dele, e acho que não se encaixa no meu perfil. Gosto muito de contos, mas questões histórias não é muito comigo, sou meio preguiçosa nessa parte, acho meio massante.

    ResponderExcluir
  11. Eu achava que era um livro de auto ajuda, pelo título (apesar de não ser a cara da darkside). Sempre achei muito bonito mas não tinha interesse em ler.
    Gosto de ter contextos históricos, mas ainda assim acho que não é o bastante para chamar minha atenção.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Acredita que esse foi o primeiro livro publicado pela Darkside pelo qual não me interessei?
    Pois bem, não sei se por se tratar fábulas ou pelos personagens, meu interesse realmente não foi fisgado.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Brena!
    Gosto muito dos livros da editora Darkside, achei essas estórias que falam um pouquinho das vida e da morte dos animais bem interessante e estou muito curiosa para ler esse livro lindo!! Parabéns, pela resenha.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  14. Depois de ler essa resenha fiquei curiosa sobre esse livro, amo animais <3 eu vou ler kkkkkk

    ResponderExcluir
  15. Amo animais s2
    A autora realmente foi inteligente de abordar esses períodos históricos na visão dos animais ou pelo menos, contar a história de muitos.
    Já tinha visto essa dicotomia do Hitler gostar de animais e não de humanos. Achei interessante o formato dos contos também.
    A Darkside arrasa nos acabamentos. Vi esse livro na livraria e fiquei babando nele *-*

    ResponderExcluir
  16. TOP COMENTARISTA!!!
    GENTE QUEM NÃO AMA ANIMAIS?
    Achei bem interessante o enredo diferente
    Mostrando a visão dos animais em diferentes situações
    E em épocas diferentes de nossa história.
    Mostrando as dificuldades e os maus tratos aos animais e
    não só focando em um ponto de vista humano
    que é o que geralmente nos importa quando lemos um determinado livro.
    Adorei o post!!!

    ResponderExcluir
  17. Um tanto inusitado e um grande diferencial da autora misturar dois temas que normalmente não se cruzam. Achei um pouquinho triste o clima da obra, mas fiquei maravilhada com a edição!

    ResponderExcluir
  18. Oi! Desde que fiquei sabendo sobre o que se trata o livro, fiquei com muita vontade de ler. Amo animais assim como amo livros com o cenário da Segunda Guerra, e ver uma mistura dos dois deve ser sensacional. Fiquei bem curiosa para ler o que cada animal relata em seus contos. Com certeza algo diferente de tudo o que eu ja li. Beijos

    ResponderExcluir