A LEITORA - MAR DE TINTA E OURO

SINOPSE: Era uma vez um mundo chamado Kelanna. Um lugar tão maravilhoso quanto terrível, onde ninguém sabia ler. Lá, as histórias não eram registradas em papel como esta que você está prestes a ler... elas eram simplesmente transmitidas de geração a geração. Em uma dessas lendas, falava-se de um objeto misterioso que guardava a maior magia que o povo de Kelanna já conheceu: o livro. Quem soubesse interpretá-lo teria acesso a um poder inimaginável. E a jovem Sefia é uma das poucas pessoas capazes de se tornar uma leitora. Mas, antes disso ela enfrentará uma longa jornada. Sefia precisa saber por que estão atrás daquele objeto retangular que está em suas mãos. São as mesmas pessoas que assassinaram seu pai alguns anos antes? A garota deseja vingança... Magia e grandes perigos, como o terrível Flagelo do Leste e sua famosa frota de piratas, cruzarão seu caminho. Mas você se engana se acha que Sefia enfrentará tudo sozinha... o jovem Arqueiro, embora calado, sempre estará ao seu lado. E por que não um certo capitão e sua tripulação lendária? Percorra cada palavra e aproveite... a aventura está só começando. - Traci Chee - Editora PLATAFORMA 21 - 2016 - 466 páginas.

Livros são objetos curiosos. Eles têm o poder de aprisionar, transportar e, se você tiver sorte, até de transformá-lo. Mas, no fim, livros - até os mágicos - são apenas objetos montados com papel, cola e linha.

A LEITORA se passa em um mundo completamente diferente do qual conhecemos, um mundo em que o ato de ler é algo desconhecido e inexistente. Histórias de bravura e guerra, como muitas outras, eram passadas de forma oral, de geração a geração, pois não existia a escrita para registrá-las, como antigamente, quando em nossa realidade, ainda não haviam descoberto a escrita.

Uma história cheia de mistérios e pistas, a cada página que se passa, há uma surpresa por trás das palavras, uma narrativa detalhada, um mundo cheio de mistérios para serem descobertos.

Como em, A BIBLIOTECA INVISÍVEL, (resenha aqui), onde os agentes d'A Biblioteca, tem como objetivos encontrar obras preciosas e guardá-las em segurança para não se perderem ou caírem em mãos perigosas. A LEITORA traz uma ordem na  qual mestres e aprendizes estudam a prática da leitura e aprendem a dominar tudo que envolve a escrita. Nesta organização existem assassinos treinados para manterem a ordem e procurarem apenas um objeto perdido, um livro.

A LEITORA conta a história de Sefia, uma garota que perdeu a mãe para uma doença e, anos depois, o pai para um grupo de assassinos. Criada por Nin, uma conhecida da família mestra em chaves, que a ajudou a fugir da cidade e, desde então, vinha ensinando a se cuidar.

Após ver Nin sendo capturada e torturada pelas mesmas pessoas que provavelmente assassinaram seu pai e que estavam atrás do estranho objeto que foi lhe deixado, Sefia jurou a si mesma que a iria encontrar e libertá-la, vingando seu pai e descobrindo o porquê de quererem tanto aquilo que ela carregava consigo.

O tal objeto era um livro, a garota não sabia o que era ou até mesmo o que fazia, mas, em uma noite, folheando aquele estranho objeto, ela descobriu algo. Sefia conseguira decifrar suas palavras, ela não sabia como, mas conseguia compreender e, então, descobriu que aquilo era um livro, um livro cheio de magia, que lhe fazia ver coisas que ela nunca vira antes.

Em seu caminho à procura de Nin, Sefia salva um garoto, um prisioneiro de um bando de homens enormes e fedidos. Ao ver o garoto naquela situação, preso em uma gaiola, sujo, com uma mistura de cheiros de mijo, palha e fezes, ela se negou a deixá-lo lá. A menina o alimentou, vestiu e ensinou um pouco de tudo o que foi ensinado a ela. Deu a ele um nome. O menino não falava, devia ter se esquecido de como fazia, ela pensava, mas era bom e aprendia as coisas muito facilmente, então passou a ser chamado de Arqueiro.

Ela mal sabia que Arqueiro se tornaria seu melhor amigo e primeiro amor. Juntos, eles foram em busca de respostas e vingança, ansiando assim para descobrir o motivo de tudo aquilo estar acontecendo.

Uma escrita contagiante, que prende o leitor em sua magia, porém com alguns pontos negativos. Com o decorrer da história, percebi que a autora não descrevia seus personagens, ela simplesmente os menciona sem nenhuma descrição. Procurei alguma indicação de como era a menina, Sefia, mas o máximo que obtive, foi a cor de seus cabelos. Não sei você, leitor, mas eu gosto de ver como os autores enxergam seus personagens, mas, neste livro, a autora nos priva disso.

Outro ponto negativo, foi que a autora não soube introduzir o romance entre Sefia e Arqueiro. Até certo ponto da história, ela os descrevia como amigos, não evidenciava que algo mais estaria surgindo entre os dois, porém, no restante da história, ela força tanto o romance, que ficou algo realmente artificial.

Contudo, a autora escreveu um boa história, com momentos de ação e entretenimento, é uma leitura rápida, porém não me identifiquei com nenhum personagem pela falta de descrição, e creio que o final poderia ter sido melhor.

A capa traz um degradê de tons terrosos, remetendo a ouro, que, na minha opinião, não deu muito certo, pois não favoreceu o contraste no acabamento gráfico. A ilustração é composta por uma imagem em estilo xilográfico que causa estranheza em um primeiro olhar, e até aversão (como foi o meu caso), porém, quando se pesquisa mais a fundo, entende-se o porquê da escolha desse tipo de ilustração, pois tende a remeter a um povo com pouca instrução, com formas arcaicas de perpetuação de conhecimento. O titulo em auto-relevo é escrito com uma fonte estilizada, que remete à escrita do oriente médio, feita com uma caneta de escrita paralela (Parallel Pen). 

Gostei de como a autora introduziu certos detalhes. Por exemplo, em certas páginas, foram postos alguns desenhos para representar digitais, sujeiras, riscos e queimados. Outra coisa que achei muito interessante foram  asmensagens ocultas por todo o livro, então, fique de olho bem aberto.



Compartilhe este post:

Mariana E.

Dizem que viver é como desenhar sem borracha, qualquer erro pode ser irreparável. Confesso que não tenho muito o que dizer. Sempre que me perguntam "quem é você" ou dizem "fale sobre você", é o mesmo que dizer "queime seus neurônios pensando".

19 COMENTÁRIOS

  1. A leitora é um livro que gostei. Apesar dos pontos negativos, mencionados na resenha e que concordo. Pois faltou mais detalhes, tanto na descrição física e emocional dos personagens, como também no romance repentino entre Sefia e o Arqueiro. Mas, apesar dos pesares, este livro é muito bom e vale a pena desfrutá-lo. Pois nos mostra, ao meu ver, a importância da leitura.

    ResponderExcluir
  2. Posso dizer que mesmo este livro não tendo uma estória que me contagiou ao ponto de sentir interesse pela leitura, ainda sim me pareceu aborda uma estória bem construída, com pontos altos, como por exemplo, a questão da personagem lutar pela sua cuidadora, e querer vingar a morte de seu pai, eu confesso que fiquei curiosa para saber deste livro, e o motivo de eles o querer. Uma pena que os personagens não terem sido descritos, isto de certa maneira deixou muito a desejar.

    ResponderExcluir
  3. O plot parece interessante, mas esses pontos negativos não permitiram que o livro me cativasse, já que não aguento mais ler livro com casal forçado, não rola, preguiça... Mas ele é lindo (assim como seu blog) ;)
    Ótima resenha, inclusive.

    blogabstraindoideias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Mariana, primeira vez que ouço falar desse livro e no geral achei a premissa interessante, me fez pensar sobre a importância da escrita pra nossa história, pois as percepções mudam de pessoa pra pessoa e informações podem ser perdidas ao longo do tempo e a importância que o livro ganha dessa história é muito legal. Ainda assim, a questão da falta de descrição e do desenvolvimento abrupto do relacionamento amoroso é realmente um incomodo, mas se surgir a oportunidade vou querer conferir a história. Ótima resenha ;)

    ResponderExcluir
  5. Não conheço o livro, porém achei interessante a idéia de um livro ser algo mágico e que poucos podem lê-lo, pois pra mim os livros são mágicos mesmo, te leva a vários lugares e situações, a gente se coloca na pele dos personagens!! Acho bacana a idéia desse livro misturada a ação e romance, deu curiosidade de ler.

    ResponderExcluir
  6. TOP COMENTARISTA!
    Da para imaginar um mundo sem livro?
    A enredo é bem interessante com a descoberta
    de um objeto tão importante como um livro
    com certeza vou adorar ler pois gosto dessa
    noção de um mundo arcaico. Pena que a autora
    não descreve seus personagens :\
    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  7. Olá, apesar da trama original, a autora peca na falta de caracterização das personagens, sem contar que parece que o universo criado não convence o leitor e se torna muito superficial. Uma pena, pois a obra tinha potencial. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Olá Mariana!
    Gosto muito de livros que falam sobre livros e bibliotecas. Este aqui e a "Biblioteca invisível" já estão na minha lista de futuras leituras!
    Imagino que deve ser muito triste viver num mundo no qual livros não existam! Com certeza o livro que vai aparecer vai trazer muita magia!
    Fico contente em saber que o livro é bom, apesar da ausência de descrições essenciais sobre as personagens. Espero que eu curta a leitura apesar destes pontos negativos!

    ResponderExcluir
  9. Uau! Apesar de não ser muito o meu estilo, gostei de conhecer melhor este livro. Amei que o livro (esse objeto que amo tanto) ser o ponto principal da história. É interessante ler sobre uma época em que esse hábito não era da comun, ou melhor, não era existente.
    De fato, não descrever os personagens é um ponto negativo. Gosto de saber os detalhes de como são logo no início; é chato quando você imagina e lá no meio descobre detalhes que não estão na sua imaginação.
    Gostei dessa resenha, Mariana. Parece uma história bem interessante.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Conheci esse livro tem um tempinho. Está na minha lista de desejados. Essa questão das mensagens ocultas foi a primeira coisa que despertou o meu interesse.
    Espero ler em breve.

    ResponderExcluir
  11. A capa deste livro é muito bonita, a história me deixou bem curiosa, por que fala sobre livro, então após ler sua resenha, adicionei este livro em minha lista de leituras e estou bem ansiosa para ler ele, que bom que é uma leitura contagiante e que a história prende o leitor em sua magia, mas é uma pena ter alguns pontos negativos, pretendo ler este livro em breve.

    ResponderExcluir
  12. Mariana!
    Apenas pelo fato do livro falar sobre o poder da leitura, seja de algo ou alguém, já merece uma atenção diferenciada e se a isso, está acoplado uma grande fantasia, personagens instigantes e magia (ah! como gosto quando há magia...), não tenho como me furtar a leitura desse livro, embora seja uma série e traga sentmentos como raiva e vingança, estimulando a busca da protagonista (é que não gosto muito desses sentimentos).
    Desejo um ótimo final de semana!
    “Saber quando se deve esperar é o grande segredo do sucesso.” (Xavier Maistre)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  13. Olá! Tudo bem?
    Não imagino um mundo a onde não existe leitura, os livros são tão amorzinhos. Adorei muito a resenha e a premissa do livro. Apaixonei-me pela capa e os detalhes em certas páginas.
    Já adicionei em minha listinha, beijos.

    ResponderExcluir
  14. Oi! Gostei bastante da proposta do livro. Deve ser muito estranho conhecer esse mundo em que nada é escrito, mas achei sensacional o fato do livro citado ser tão procurado, como algo precioso. Não gostei muito de saber que tem romance no meio (pq sempre tem que ter um romance no meio dos livros??) e o fato da autora simplesmente ter forçado isso, mas ainda sim quero ler. Beijos

    ResponderExcluir
  15. Eu amei a capa do livro rsrs e a história parece ser interessante, mas pensando nos pontos negativos que você expôs, talvez eu não goste muito. Eu odeio quando os autores forçam algum romance entre os personagens, sem nem explicar como o amor surgiu, por essa razão não consegui gostar do tão aclamado Corte de Espinhos e Rosas, por mais que a ideia do livro seja boa, o romance surgiu do nada para mim, o que me fez achar o livro muito sem graça.

    ResponderExcluir
  16. Oi Mariana ;)
    Quando eu vi o livro pela primeira vez, fiquei incomodada com a capa. É difícil distinguir a letra entre tantos detalhes dourados.
    A premissa é muito boa, mas que pena que a autora não soube descrever os personagens, além de forçar um romance desnecessário.
    Sinto que não vou gostar devido a esses fatores me incomodarem muito.
    Obrigada pela indicação ;)
    Abc

    ResponderExcluir
  17. Acho que o único ponto ruim de toda a história realmente seja os detalhes dos personagens. Eu penso que isso seja importante demais, ainda mais quando de uma maneira ou outra, são partes fundamentais de todo o enredo!
    No mais, é com certeza, um livro super indicado e traz valores demais, principalmente, aos leitores que sabem o quanto o livro é mágico e ler, mais mágico ainda!
    Beijo

    ResponderExcluir
  18. Oi, Mariana!!
    Gostei da premissa da estória do livro, acho super interessante uma livro sobre um lugar que ninguém sabe ler e que as tradições são passadas oralmente. Sem dúvida o livro tem alguns pontos fracos mais fiquei bem interessada para descobrir mas sobre essa estória incrível!! Adorei a indicação!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  19. Gostei muito dessa resenha. Na faculdade debatia muito sobre o que aconteceria se a sociedade não dispusesse de livros. Livros é conhecimento, mesmo que para os que não gostam de leitura veem como desnecessário. Curti a história, é curiosa, quero saber o que acontece.

    ResponderExcluir