ORIGEM

SINOPSE: De onde viemos? Para onde vamos? Robert Langdon, o famoso professor de Simbologia de Harvard, chega ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbao para assistir a uma apresentação sobre uma grande descoberta que promete "mudar para sempre o papel da ciência". Em meio a fatos históricos ocultos e extremismo religioso, Robert e Ambra precisam escapar de um inimigo atormentado cujo poder de saber tudo parece emanar do Palácio Real da Espanha. Alguém que não hesitará diante de nada para silenciar o futurólogo. Numa jornada marcada por obras de arte moderna e símbolos enigmáticos, os dois encontram pistas que vão deixá-los cara a cara com a chocante revelação de Kirsch... e com a verdade espantosa que ignoramos durante tanto tempo - Dan BROWN - Editora ARQUEIRO - 2017 - 432 páginas.

O sucesso de um livro, às vezes, pode ser mais prejudicial do que benéfico. Ainda mais se esse sucesso for estrondoso, como foi com CÓDIGO DA VINCI, um livro praticamente perfeito para o gênero. Brown tentou repetir o feito com O SÍMBOLO PERDIDO, que embora seja interessante, não chegou perto do anterior. INFERNO, seu livro seguinte, mostrou que o autor estava sem ideias, uma vez que a maior parte da história mais parece um guia turístico, e a trama que move os poucos acontecimentos, é ridícula. Então, chegamos a ORIGEM, seu mais recente lançamento. Nele, Brown ainda tenta repetir o feito de seu maior sucesso, mas, desta vez, ele parece não ter uma pressão enorme sobre os ombros, consegue criar coisas diferentes e tocar em assuntos atuais, que transmitem alguma esperança e tem a qualidade de emocionar.

Edmond Kirsch, um renomado cientista ateu, descobre algo que poderá destruir com todas as religiões, Robert Langdon é envolvido na descoberta, Ambra Vidal, noiva do príncipe Julián e futura rainha da Espanha, é a curadora do museu onde se dará a revelação da descoberta, o bispo espanhol Valdespino, junto com um rabino e um erudito muçulmano, são contra a revelação e estão abalados pelo que poderá acontecer, e um almirante aposentado serve de assassino contratado para silenciar Kirsch. Ou seja, para quem já leu os últimos livros de Brown, o tabuleiro é o mesmo, só mudaram os nomes de alguns peões.

Mas, felizmente, existem algumas coisas que conseguem trazer um pouco de frescor à trama. O leitor não é mais entulhado de descrições de locais turísticos, uma vez que os acontecimentos mudam pouco de local.

A Igreja Católica, representada pelo bispo Valdespino, é dada como a grande vilã, mas temos surpresas quanto a isso. Inclusive, o trecho final entre o bispo e o rei da Espanha, é sensível, dotado de um carinho tocante e com uma representatividade que é muito bem-vinda.

O almirante espanhol tem seus motivos para aceitar a missão que lhe é incumbida, motivos esses que também trazem discussões atuais sobre o que está acontecendo na Europa por causa dos atentados terroristas.

Ambra, a futura rainha espanhola, não é uma mulher indefesa, mas, pelo contrário, é decidida, toma suas próprias decisões, inclusive contra a vontade do príncipe, e não se deixa ser salva por Langdom, ela mesma se vira.

Kirsch, o perpetuador de tudo, é um representante do que mais existe hoje em dia, nerds que tiveram sucesso na vida devido à inteligência e ao trabalho duro.

E, por fim, chegamos a um personagem que ainda não citei, mas que até o final do livro, torna-se o mais importante de ORIGEM: Winston, uma inteligência artificial que interage e ajuda Langdon por toda a história. Ele lembra, muito, o computador HAL 9000, do livro 2001 UMA ODISSEIA NO ESPAÇO, mas com uma forma mais sofisticada de se comunicar verbalmente. Muitas das coisas que ele faz para ajudar ou descobrir coisas, são realmente possíveis hoje em dia, então não fique espantado ou incrédulo quando ler. Mas a importância dele na trama vai além de sua intromissão na solução dos problemas.

Abrir um parêntesis para exemplificar o que quero dizer. Este ano, a FAIR (Facebook Al Research), uma divisão de pesquisas do Facebook, criou uma inteligência artificial para simular situações de negociação entre dois agentes financeiros fictícios. A função do programa era colocar esses dois agentes conversando entre si para que chegassem a soluções que melhor atendessem aos dois, com o objetivo de ajudar os pesquisadores a entenderem como duas pessoas podem negociar de maneira mais construtiva. Para isso, ela utilizaria do inglês como língua de comunicação entre os dois agentes. Com o tempo, o programa decidiu por si próprio, que o inglês não era produtivo o suficiente, e criou uma linguagem própria para os dois agentes. Embora a nova linguagem fosse incompreensível para nós, ela era mais eficiente para os dois agentes, e, com ela, eles conseguiam um resultado melhor. Então, o Facebook achou melhor desativar o programa. O.O

Depois do fato acima, não duvide, nem por um segundo, do que você irá ler em ORIGEM sobre Winston. Estamos chegando a um nível de tecnologia onde uma inteligência artificial poderá ser capaz, sim, de tomar decisões, e executar essas decisões para que consiga atingir sua diretriz primária, independentemente das consequências e da moral de tais decisões.

Eu considero Brown um dos autores mais criativos da atualidade, com uma escrita envolvente e com o dom de saber criar no leitor a expectativa para o que vai acontecer, obrigando a leitura de páginas atrás de páginas. Infelizmente, ele está preso a uma receita de enredo que limita sua criatividade. Como fã, anseio que ele enxergue que é capaz de criar mistérios e aventuras sem precisar de uma fórmula pré-estabelecida, e, com isso, volte a surpreender seus leitores. ORIGEM é um exemplo de como ele pode diversificar, mesmo estando preso a uma linha de ação por medo ou comodidade.

Ah, e sobre a tal revelação bombástica, ela acontece, não tenha medo, mas nem de perto tem a possibilidade de destroçar as religiões. Entretanto, ela é suficientemente interessante e atual para fazer o leitor pensar, e pensar bastante. Como se trata de uma obra de ficção, você pode achar que a revelação é exagerada, mas não é. Basta uma rápida busca no Google pelo nome do cientista que Kirsch menciona, para ver que existem diversos estudos e pesquisas em andamento sobre o assunto.

Mas o mais curioso, para quem acha, erroneamente, que Brown tenta ofuscar a religião e a existência de Deus, é que ele faz com que Langdon, no final do livro, solte um raciocínio que inviabiliza de forma lógica a revelação de Kirsch, ou melhor, ele a completa com um pensamento que confirma sua verdade, mas adiciona a fé em cima. E isso é sensacional!

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

17 COMENTÁRIOS

  1. Sou fã do Dan Brown, acho o cara um escritor maravilhoso. Reconheço que o autor vive em uma zona de conforto, mas isso não diminui a qualidade dos seus livros.
    Anjos e Demônios é o meu preferido.
    Inferno poderia ter sido muito melhor, mas também tem o seu valor.
    Ainda não tive a oportunidade de ler Origem, me segurei para não comprar. Faço aniversário semana que vem, vai que um coleguinha me presenteia...
    Pelo que li na resenha, de certa forma o Dan inovou. Estou ansiosa para ler.
    A criatividade dele é surpreendente.

    ResponderExcluir
  2. Histórias futuristas sempre me confundem um pouco. Foi como fiquei ao ler a resenha rsrs mas gosto muito. Para mim, Dan Brown é um escritor fantástico. Não vou opinar muito em relação ao livro porque ainda não li. Mas espero que seja o próximo livro dele que irei ler.

    ResponderExcluir
  3. Eu acabei lendo três livros do Dan, mas admito sem medo algum, que minha pouca "cabeça", acaba misturando é tudo.
    Ele é fantástico em sua maneira de colocar a religião, não ali, somente por colocar, mas também por ser bem plausível em seus argumentos. Não escreve por escrever, mas tudo com fundamento. Talvez seja este o ponto que eu não consiga acompanhar, por já ter uma crença totalmente oposta a dele e minha mente não conseguir se abrir.
    Preciso muito reler o Código, mas pelo tamanho do livro, eu sempre desisto.rs
    Vou tentar ler este novo livro se tiver oportunidade!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Pra ser bem sincera não sou fã dos livros do Dan, a história não me prende, mas curti a resenha e sei que ele tem muitos fãs e que assim como você vinham de algumas decepções depois do primeiro sucesso e gostei de ler na resenha que esse livro melhora em relação aos anteriores apesar de ainda não chegar perto da qualidade do primeiro. A ideia da inteligência artificial é interessante e os personagens parecem ter suas qualidades, o fato das descrições turísticas terem se reduzido também é positivo. Assim, gostei da resenha apesar desse não ser um livro que está na minha lista de desejados ;)

    ResponderExcluir
  5. Adoro os livros do Dan Brown e as aventuras de Robert Langdon, estou muito anciosa para ler esse livro. Adoro o jeito que o Dan Brown mistura suspense, religião, assuntos científicos. A cada livro ele nos faz refletir sobre o tema abordado, muitas vezes me pego se perguntando o que é real e o que não é. Esse novo livro, Origem, sem dúvida, deve ter suas polêmicas e várias reviravoltas!!

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li nem um livro do autor Dan Brown, mas tenho muita curiosidade em ler algum livro dele, então quando vi este livro entre os lançamentos e li a sinopse, acabei ficando curiosa para ler Origem.
    Fiquei muito curiosa para ler este livro após ler sua resenha sobre ele, a história parece ser ótima, fiquei curiosa para saber o que é a revelação bombástica, pretendo ler Origem em breve.

    ResponderExcluir
  7. Eu sou muito fã do autor.. Já li Anjos e Demonios (que para mim é o melhor), o código da vinci, o símbolo perdido, ponto de impacto, fortaleza digital e nem lembro se li mais... mas tentei ler inferno e achei bem horrível, nem consegui terminar, bom saber que não fui a única. E gostei dessa resenha, pois eu estava perdendo minhas chances no autor, já que o padrão dele com esse personagem é sempre a mesma coisa

    ResponderExcluir
  8. Estou ansiosa para ler Origem, acho Dan Brown muito inteligente, um dos meus autores favoritos!!! Mesmo com críticas em Inferno, eu amei o livro, amei conhecer "os pontos turísticos" é um autor que faz você realmente se sentir no local, visualizando tudo a sua volta, isso é muito positivo pra mim!!! Amo muito os livros e a escrita, Brown é um escritor muito inteligente e prova isso em seus livros!!!
    One

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente ainda não tivesse oportunidade de ler nenhum dos livros deste autor, mas vejo pelas criticas que realmente suas estórias são originais, como esta, e muito criativa, principalmente por se tratar de uma ficção que nos questiona a pensar se isso não poderia acontecer, ou até mesmo ser real. Bom, sua resenha por si só foi capaz de me fazer mudar de ideia e quer da uma chance a está leitura, espero de coração não me decepcionar.

    ResponderExcluir
  10. Olá, ainda que não supere sua obra mais famosa, Origem ainda é capaz de enfatizar todo o talento do autor, com uma trama conduzida de forma brilhante e aquele toque de mistério que é típico de Brown. Ainda que não impressione os já cativos de sua escrita, essa obra é capaz de surpreender aqueles que ainda não leram nada do autor. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Dan Brown como sempre nos coloca para pensar sobre assuntos importantes, como fanatismo religioso, perigos da inteligência artificial, polarização entre ciência x religião entre outros. Adoro isso, ainda não li Origem mas irei ler com toda certeza

    ResponderExcluir
  12. TOP COMENTARISTA!!!
    Oi CARL!
    Nunca li nenhum livro de Dan Brown, mais com toda certeza vou gosta
    de ler algo dele. Assisti ao filme CÓDIGO DA VINCI e gostei bastante.
    O livro ORIGEM me deixou curiosa sobre a grande revelação pois gosto
    de temas que nos deixam pensando sobre o fanatismo e aonde ele pode nos
    levar e o que estamos despostos a fazer em favor daquilo que acreditamos.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Carlos!!
    Gosto bastante de resenha, mas infelizmente nunca li nada de Dan Brown, o máximo que que cheguei perto foi dos filmes que por sinal são maravilhosos!! Gosto muito do Tom Hanks interpretando o Robert Langdon nos filmes. Mas espero ainda conseguir algo desse autor.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  14. Carl!
    Já sou bem fã do Robert Langdon e claro do Dan Brown, porque gosto muito das questões que levanta em seus livros, principalmente sobre religião e como elabora todo enredo voltado para a utilização dos conhecimentos de Langdon. E agora tudo se passa na Espanha, já fiquei empolgada.
    Uma pena que achou ter faltado algo e não foi empolgante como os anteriores.
    Ainda assim, quero ler.
    Desejo um maravilhoso e florido final de semana!
    “Para saber uma verdade qualquer a meu respeito, é preciso que eu passe pelo outro.” (Jean-Paul Sartre)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudy! Gostei do livro, sim! kkkkkkkkk Não gostei de Inferno, mas os outros, gosto de todos. Código Da Vinci ainda é o melhor, mas Origem resgatou um pouco da criatividade do autor que ele esqueceu de usar no livro anterior. Bjos

      Excluir
  15. Oi! Nunca li nenhum livro do autor, e por isso não sei que padrão ele seguiu igual ao seus livros anteriores. Porém, que bom que ele conseguiu deixar de lado toda pressão do sucesso de um de seus livros criou algo diferente. Fiquei bem curiosa para saber que revelação bombástica é essa! Beijos

    ResponderExcluir
  16. Eu tentei demais ler O Simbolo Perdido, mas não deu. Não conseguiu me prender de forma alguma. Achei que as descrições excessivas me atrapalharam muito.
    Esse parece ter uma premissa diferente. Não leio muito cronologia futurista, por isso acho que não tenho propriedade pra falar sobre o assunto de forma mais profunda. Pelo menos o autor conseguiu criar algo novo e diferente daquilo que ele tentou antes.
    Não me interessou a leitura, mas valeu pela indicação ;)
    Abc

    ResponderExcluir