DANÇANDO SOBRE CACOS DE VIDRO

SINOPSE: Lucy Houston e Mickey Chandler não deveriam se apaixonar. Os dois sofrem de doenças genéticas: Lucy tem um histórico familiar de câncer de mama muito agressivo e Mickey, um grave transtorno bipolar. No entanto, quando seus caminhos se cruzam, é impossível negar a atração entre eles. Contrariando toda a lógica que indicava que sua história não teria futuro, eles se casam e firmam – por escrito – um compromisso para fazer o relacionamento dar certo. Mickey promete tomar os remédios. Lucy promete não culpá-lo pelas coisas que ele não pode controlar. Mickey será sempre honesto. Lucy será paciente. Como em qualquer relação, eles têm dias bons e dias ruins – alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passar adiante sua herança genética. Porém, em seu 11° aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado - Ka HANCOCK - Editora ARQUEIRO - 2013 - 336 páginas.

Por motivos particulares, esta foi uma das leituras mais difíceis que tive na minha vida. Mas mesmo para quem não possui motivos semelhantes ao meu, a história de DANÇANDO SOBRE CACOS DE VIDRO é capaz de abater pela quantidade de fatos tristes que relata. Seria uma leitura depressiva, se não mostrasse como os personagens, mesmo com tantas tragédias e problemas, conseguiram superar e seguir em frente.

Devido a um histórico de câncer de mama na família, as três irmãs, Lucy, Lily e Priscilla, precisam fazer exames regulares de prevenção. Lucy, inclusive, já teve um câncer e conseguiu superar por ter sido descoberto cedo. Já Lily, perdeu dois filhos e qualquer sonho de ser mãe. Quando tentou adotar uma criança, quando já estava com ela em casa, a mãe natural mudou de ideia e a levou embora. Enquanto Priscilla afoga seus medos e traumas em trabalho e em atitudes duras, que a afastam um pouco das irmãs. Apesar de tudo, as três irmãs sabem que dependem uma da outra, uma vez que o pai e a mãe já não estão entre elas. Lucy é o tipo de mulher que não se deixa abater, que bate de frente, que persegue seus sonhos e quem ela deseja. E é isso que a diferencia das duas irmãs e que a torna a mais forte do elo. 

Mickey tem transtorno bipolar severo, que faz com que tenha momentos de total lucidez, e momentos de puro descontrole e loucura, quando precisa ser internado por vários dias, até conseguir se recuperar. Em uma festa de aniversário, ele conhece Lucy, se apaixonam, fazem várias promessas, sendo uma delas de nunca terem filhos, uma vez que ambas as doenças que enfrentam são hereditárias, se casam e vivem felizes, entre momentos difíceis, devido a seus problemas de saúde, por onze anos. Então, um dia, mesmo Lucy tendo ligado as trompas, ela descobre que está grávida. Nesse mesmo dia, ela também descobre algo mais.

Bem, DANÇANDO SOBRE CACOS DE VIDRO é um livro para você chorar. Chorar muito, por todas as páginas. Não apenas pelos momentos tristes, mas pelos momentos em que os personagens levantam a cabeça e persistem em viver, em lutar para serem felizes, em enfrentar o que aparecer pela frente. Lucy, Lily, Priscilla, Mickey, os médios que acompanham todos há décadas, os amigos que ficam ao lado em todos os momentos, enfim, todos os personagens têm uma função de passar ao leitor que a vida é feita de tragédias, algumas menores, algumas maiores, que não somos imortais, que somos máquinas imperfeitas, que todos nós, sem exceção, estamos fadados a ficarmos doentes, a superamos as doenças, ou a sucumbirmos diante delas, mas sempre com a responsabilidade de concretizarmos nossos sonhos, de fazermos os outros, e a nós mesmos, felizes, independentemente do quanto isso seja difícil, do quanto seja doloroso.

Ao mesmo tempo que DANÇANDO SOBRE CACOS DE VIDRO explica a inevitabilidade da morte, ele explica que ela faz parte da vida, que nossa missão não é viver para sempre, nem da forma mais tranquila, mas, sim, de criar vida, não apenas pelo nascimento de um filho, mas do planejamento da felicidade de quem gostamos, para que quem fica, apesar das saudades, terá condições de continuar em frente, conseguirá ser, dentro do possível, feliz.

Óbvio que isso não é fácil de compreender e nem de aceitar. Nunca é e nunca será. Mas é um fato incontestável, algo que por mais que você negue ou tenha medo, um dia terá que enfrentar, e, por isso, que seja consciente do que precisará fazer para que sua vida tenha algum significado, não apenas para você, mas para aqueles que você ama e que amam você.

Tudo isso está nas páginas de DANÇANDO SOBRE CACOS DE VIDRO, às vezes de forma alegre, às vezes de forma bela, às vezes de forma triste. Ao fim da leitura, seu coração estará dilacerado, você terá chorado muito, mas você terá um pouco mais de sabedoria para conseguir enfrentar o que poderá aparecer na sua vida. E mais, saberá, através dos personagens e de suas atitudes, como é belo e nobre fazer o que é certo, mesmo que isso custe caro, muito caro, porque apesar do preço elevado, no fim, naquele momento em que sobra apenas você e o que existe depois da vida, você estará livre de pesos, estará feliz por saber que quem fica para trás, tem chances de continuar o que você começou.

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

15 COMENTÁRIOS

  1. Puxa, que título! E antes de dar minha humilde opinião, fui colocar o livro na listinha de desejados.
    Não o conhecia, mas estou aqui meio boba com a resenha. Tá, a vida já é dura demais, difícil demais, mas não abro mão de forma alguma de ler livros assim, que trazem toda essa dureza da vida,mas que também podem nos mostrar uma portinha de saída bem ali, naquele canto escondido.
    A capa é linda,título lindo e eu espero sinceramente que eu possa ler esse livro!
    beijo

    ResponderExcluir
  2. Tinha pensado em ler esse livro uma vez e acabei não conseguindo. Não sei se teria estomago no momento. Fala de umas coisas que estou correndo de ler, mas tem um lado bonito por como parece valorizar a vida e mostrar uma superação, problemas demais e a força pra continuar...tem uma mensagem aí que pode ser bonita mesmo.
    Se faz chorar pelo jeito é bem emocionante, então tem isso que me chama atenção. Gosto de uns livros assim. Que fazem a gente repensar na própria vida, que faz você querer valorizar as coisas que tem e ter força pra enfrentar o que está por vir e essas coisas. A gente no momento da crise se perde, mas é sempre interessante ter uma perspectiva, nem que seja na ficção...
    Ainda queria ler ele algum dia.

    ResponderExcluir
  3. Esse livro deve ser lindo de se ler, apesar da história triste, é algo para lermos e refletirmos sobre o que fazemos de nossas vidas. Admiro muito quem tem esses tipos de doenças graves e que continuam vivendo e buscando algo melhor, independente de seu estado clínico, coisa que muitas pessoas saudáveis não fazem.

    ResponderExcluir
  4. Ual Carl, que livro eh esse pelo amor de Deus...
    Preciso mto conhecer o enredo, amo leituras que emocionam e que trazem reflexões...
    Qro ler o mais rápido possível.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Carl!
    Me emociono muito com os sick-lits. Geralmente são livros dolorosos.
    Espero poder acompanhar o drama de Lucy e Mickey e do relacionamento de amor que possuem um pelo outro, deve ser lindo!
    No momento ando evitando livros do gênero, já tenho meus próprios dramas em relação a doenças para enfrentar no momento...
    Boa resenha.
    Desejo uma ótima semana!
    “A poesia contém quase tudo que você precisa saber da vida.” (Josephine Hart)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Olá Carl,
    Pelo que entendi da resenha, a palavra que define o livro é realmente "superação"! Mesmo com tantas estórias tristes, os protagonistas se dispõem sempre a conseguir passar por tudo com a cabeça erguida.
    Ao mostrar a morte como parte essencial da vida, o livro nos traz a mensagem do quanto a vida é preciosa e o quanto é doloroso passar por esta situação, por mais preparação que a pessoa tenha, o processo dói como nenhuma outra coisa.
    Apesar de todo o choro, uma grande lição será ensinada: sempre devemos fazer o que é o certo, mesmo que para isso soframos mais ou pagamos um preço caro.

    ResponderExcluir
  7. Nossa acabei de colocar um alarme no zoom para quando ele baixar um pouquinho o preço irei adquiri-lo, pois essa resenha me deixou com muiita vontade de le-lô. Ele pareçe ser muito lindo, com toda certeza ele irá mexer intrinsecamente comigo.

    ResponderExcluir
  8. AI MEU DEUS! Estou com esse livro pra ler já ansiosa, depois da resenha então nem me fale. Adoro esses livros que acabam com o nosso emocional, mas sei que também entre uns e outros esses conseguem passar uma mensagem absurdamente importante para a nossa vida e, hora ou outra, parece que o autor fez aquilo olhando nossa vida. Tenho certeza que não vou me arrepender dele!

    ResponderExcluir
  9. Olá! Estou esperando o momento certo para ler esse livro, tenho que preparar meu psicológico (e meu estoque de lencinhos), mas com certeza será lindo, só o título e essa capa já me deixam com os olhos cheios de lágrimas, imagina quando eu ler, essa história intensa, forte e emocionante.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Oii Carl!
    Este livro me lembrou A Culpa é das Estrelas, por conta da trajetória dos personagens. Não conheço a escritora e a história em si, mas gostei do tema, é uma situação triste e ao mesmo tempo trazendo uma narrativa forte para os leitores. Estes temas são complicados, pois passamos a nos solidarizar com as dificuldades e a vida dos personagens, e levamos um aprendizado para nossas vidas e ainda mais quando alguém importante em nossas vidas já passou por alguma situação dessas. Muito lindo e boa descrição.

    ResponderExcluir
  12. Olá, pela resenha vejo que o livro se trata de uma leitura densa e dolorosa, pois o leitor se apega aos personagens e começa a torcer por um final feliz. Entre os vários temas abordados, a ênfase dada à superação chama atenção, mostrando que o luto pode ser trabalhado de modo a resgatar o sentido da vida. Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Oi Carl!
    Eu já me emocionei na resenha, imagine lendo o livro .. tenho medo dessa leitura por ser muito sensível aos temas mostrados e também porque perdi alguém que amo muito recentemente, então ainda não consigo lidar muito bem em entender a morte. Não sei se lidaria bem com a carga emocional que a história carrega nesse momento, mas achei a história linda apesar de tudo e ainda sinto vontade de ler o livro futuramente! Dançando sobre cacos de vidro poderia ser uma leitura obrigatória para todos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi, Carl!!
    Já conheço esse livro a um bom tempo, pois uma amiga me emprestou mas infelizmente não tive coragem de ler nenhuma página dele por que li baita spoiler da estória e acabei devolvendo sem ler. E sinceramente não vou ler essa estória.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  15. Oi Carl
    que capa e foto linda, fiquei com muita vontade de ler esse livro, a mensagem de superação dele parece linda de mais, com certeza vou comprar.

    ResponderExcluir