DRÁCULA DE BRAM STOKER

SINOPSE: Obra-prima de Bram Stoker, Drácula narra o assustador confronto entre o vampiro mais famoso da literatura, apoiado por sua legião crescente de mortos-vivos, e um grupo decidido a aniquilá-lo, liderado por Jonathan e Mina Harker e o médico holandês Van Helsing. Publicado originalmente em 1897, este livro é considerado marco fundador de um gênero, a literatura de terror. Esta edição traz o texto original sem cortes e uma breve apresentação, no padrão de qualidade dos Clássicos Zahar. A versão impressa apresenta ainda capa dura e acabamento de luxo - Bram STOKER - Editora ZAHAR - 2017 - 608 páginas.

A primeira coisa que o leitor precisa ter em mente, antes de começar a leitura de DRÁCULA, é a época em que ele foi escrito, 1897, há 120 anos atrás. Naquela época, a lenda dos vampiros circulava apenas entre um pequeno círculo de pessoas que tinham acesso a livros e jornais. E, mesmo assim, essas pessoas não tinham televisão, Internet, celular, ou qualquer tecnologia para difundir ou visualizar essas criaturas como temos hoje. Ou seja, tudo era imaginação.

Com isso em mente, quando se inicia a leitura, pode-se sentir um pequeno exemplo do terror que a obra de Bram Stoker deve ter incutido nas pessoas, e fica fácil de compreender porque ela foi a base para tudo o que já foi escrito ou filmado sobre vampiros até os dias de hoje (com exceção para uma saga aí de criaturas brilhantes).

A narrativa é feita em primeira pessoa por vários personagens através de cartas e diários. O único de quem não ficamos sabendo o que pensa ou o que faz, através de suas próprias palavras, é o conde Drácula. Isso acaba trazendo um ponto positivo, que é tornar ainda mais misteriosa sua origem e mais amedrontador o seu plano, e um ponto negativo, que é exatamente não deixar o leitor saber mais sobre o vampiro.

Apesar da história ser contada por vários personagens, os principais seriam Jonathan, um jovem advogado inglês que vai ao castelo de Drácula, na Transilvânia, prestar apoio jurídico para uma transação imobiliária, mas que acaba preso pelo conde e quase morto pelo trio de esposas vampiras; e Mina, a noiva de Jonathan, que conta com a ajuda de um professor, Van Helsing, para descobrir onde Drácula se esconde e como matá-lo.

Os personagens de DRÁCULA trazem aquele fascínio das pessoas que viveram dois séculos atrás, junto com todas as qualidades e defeitos pertinentes. Mina, apesar de viver em uma sociedade que acha natural o machismo, é uma mulher decidida, corajosa, inteligente. Tanto, que causa espanto no próprio professor. É elogiável que o autor possuísse esse caráter igualitário entre os gêneros, quando isso nem sequer era muito discutido.

Outra qualidade da obra, reside exatamente na forma como ela é narrada, uma vez que são diários e cartas de pessoas diferentes. Muitas vezes, elas não contam tudo o que está acontecendo, obrigando o leitor a ir juntando os fatos para formar uma única linha de raciocínio. Sendo mais claro: um personagem escreve sobre algo, para no capítulo seguinte, outro personagem dar continuidade ao acontecimento, mas sob o ponto de vista dele, e não daquele que começou, e assim por diante.

Em 1992, com direção de Francis Ford Coppola, estreou a melhor adaptação da obra para o cinema. Com Gary Oldman (Drácula), Winona Ryder (Mina), Keanu Reeves (Jonathan) e Anthony Hopkins (Van Helsing), o filme é bastante fiel ao livro, conseguindo, inclusive, superá-lo em termos de complexidade, uma vez que explica o surgimento do conde, que seria Vlad Tepes, um líder romeno que foi traído pela Igreja que defendia, quando esta excomungou sua amada esposa por ela ter se suicidado, e Vlad jurou vingança a Deus. Quatrocentos anos depois, com a visita de Jonathan, Vlad, agora chamado de Drácula, vê no retrato de Mina, que Jonathan carrega, a reencarnação de sua esposa. A partir daí, ele parte para Londres com a intensão de conquistar o coração de Mina. Com isso, a história, além de terror, passa a ter uma linha de vingança e romance, com um final mais dramático e emocionante do que o livro.

Se você nunca leu DRÁCULA, ou viu o filme de Coppola, está perdendo uma das obras mais influentes e criativas de sempre. A minha edição é a de bolso da Zahar, que apesar de ser pequena, é muito linda e caprichada, de capa dura, folhas de papel de qualidade e letras muito bem impressas, além de ser bem barata. Recomendo demais!

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

16 COMENTÁRIOS

  1. Este livro é maravilhoso!!!E claro, o filme idem! Li o livro(em sua primeira versão) há bem tempo e confesso que atrapalhei muito na época com a linguagem, coisa que consegui resolver um bom tempo depois, já mais adulta e mais amiga das letras..rs
    Há palavras desconhecidas, ou pelo menos, havia!
    O filme de Coppola é um marco do cinema e fez jus demais a obra inteira. Ah, se todos os vampiros e afins se inspirassem por esta ótica, não haveria tantos erros por aí.
    Super recomendado!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Sou doida pra ler esse livro alguma hora e é bem interessante poder ver as diferenças do que a gente conhece dessa história. Nem sabia que era escrito desse jeito, com cartas e tantos personagens e pontos de vista. Só vi falar desses três mesmo. Achei legal isso da garota ser uma personagem forte e decidida, o contraste com os tempos e como o autor conseguiu fazer algo fora do seu tempo, digamos assim. Esse tipo de coisa sempre acaba me chamando atenção.
    No mais tem um terror, uma coisa do imaginativo ali e de como essa ideia não era tãããão famosa assim nesses tempos, que causa uma vontade de conhecer e entender o que sentiam quando liam essa história. Deve ser interessante tentar ler com os olhos das pessoas daqueles anos, as que não estavam saturadas de histórias de vampiros e coisa assim. Dá um novo ar para a lenda, sei lá.
    Ahh, também queria ver esse filme. Um dia desses tava vendo o elenco dele e me chamou atenção, deu vontade de assistir. Deve ser muito bom poder ler e ver o filme depois ^^

    ResponderExcluir
  3. Oi Carl!
    O que eu acho super legal é você ler e conhecer como era a cabeça de um escritor naquela época. Não vou desmerecer a certa saga de vampiros que brilham no sol, até porque eu gosto kkk, mas a história de Drácula é muito mais divertida de se ler, fora que é original né.
    Acredita que não assisti nenhum filme do Drácula até hoje? kkkk Juro que vou tentar ver as adaptações.
    Bj

    ResponderExcluir
  4. Hi Carl!!

    Sou fascinada por fantasia e principalmente quando envolve lobisomens e vampiros, está em falta livros de qualidade e que tragam a essência e a originalidade dos vampiros. Anotarei para futuramente ler, ainda mais que temos a Mina como representação feminina e forte numa sociedade machista.

    Abç ;*

    ResponderExcluir
  5. Carl!
    Foi a partir da leitura desse livro que me apaixonei pelos vampiros.
    É tão bem escrito e detalhado que parece estarmos lá, vivendo a história com eles.
    E já assisti a super produção cinematográfica, a melhor, mais assisti as outras versões também.
    Um final de semana carregado de luz e paz!
    “A arte de ser sábio é a arte de saber o que ignorar.” (William James)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Olá, Drácula vai de encontro ao universo mais do que saturado do vampiros na literatura contemporânea. Esse clássico consegue entreter o leitor justamente por apresentar a originalidade dos vampiros, de forma coesa e fácil de adaptar-se na mente dos leitores, que, como dito, à época ficavam pasmas com essas criaturas. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Nunca li o livro e nem vi o filme, mas é uma história que sempre me deixa curiosa para os detalhes. A maneira como é contada e a obrigação ao leitor de ir encaixando as peças por si só dá um ar mais de suspense e o terror realmente aumenta. Se eu soubesse da história do filme e do livro, com certeza teria lido antes, mas como não, com certeza lerei futuramente.

    ResponderExcluir
  8. Adoro essa história, sou fascinada por vampiros. Esse livro não li ainda, mas o filme já assisti várias vezes, é o melhor que já vi até hoje. Se o livro é fiel como no filme, deve ser tão bom quanto!!!

    ResponderExcluir
  9. Olá Carl, que legal ver o conde por aqui!
    Li Drácula há muito tempo atrás, li em inglês por conta da faculdade. Agora fiquei com vontade de revisitar a estória. Tenho alguns títulos desta coleção de bolso da Zahar e adoro, são super confortáveis para ler, apesar do tamanho reduzido do livro. Vou querer mais este na minha coleção.
    Concordo que o personagem de Mina se destaca, por incorporar um papel marcante em uma época tão marcada pelo machismo. E muito interessante é beber da fonte, saber que o livro foi o marco zero para todas as tramas vampirescas que abordaram o tema depois dele. O original é mais medonho justamente por ser mais misterioso e não divulgado.
    Gostei muito da sua definição do vampiro Edward!

    ResponderExcluir
  10. Oi Carl!
    Que livro lindo, tenho mta curiosidade de conhecer livros que flam do Drácula, pretendo ler livros e filmes dle pq adoro....
    Vai pra minha listinha...
    Capa e enredo estão bacanas dmais!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Olá! Um clássico que existe há mais de cem anos, e com ótimas razões para isso, eu li essa obra há alguns anos, e realmente a narração do livro é maravilhosa e o filme foi bastante fiel ao seu enredo, e até mesmo para quem não curte muito o gênero terror (como eu) é uma história indispensável.

    ResponderExcluir
  12. Esse é o clássico dos clássicos do horror. Para mim é o pioneiro da melhor literatura de terror, de todos os tempos <3

    ResponderExcluir

  13. Esse é o clássico dos clássicos do horror. Para mim é o pioneiro da melhor literatura de terror, de todos os tempos <3

    ResponderExcluir
  14. OOi!! Drácula obviamente é um clássico da literatura, eu vi um filme remake dele e achei muito bom, mas o original mesmo eu não assisti, mas por saber da história, não tenho muita vontade de ler , mas valeu!!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Carl!!
    Nossa que capa linda é essa ?!! Amei!! Sem dúvida eu preciso urgentemente adquirir esse livro que é um clássico!! Adoro estórias de vampiros e sem dúvida vou procurar o filme também para assistir!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  16. Oi, Carl!
    Infelizmente nunca o livro, porém já assisti ao filme várias vezes e posso afirmar que minha paixão por vampiros vem dele.
    Da para perceber que o livro é realmente ótimo, pela forma que você descreve. Mais um livro para minha Wishlist.

    ResponderExcluir