ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE

SINOPSE: O detetive Hercule Poirot embarca de última hora no trem Expresso do Oriente, graças à amizade que possui com Bouc, que coordena a viagem. Já a bordo, ele conhece os demais passageiros e resiste à insistente aproximação de Edward Ratchett, que deseja contratá-lo para ser seu segurança particular. Na noite seguinte, Ratchett é morto em seu vagão. Com a viagem momentaneamente interrompida devido a uma nevasca que fez com que o trem descarrilhasse, Bouc convence Poirot para que use suas habilidades dedutivas de forma a desvendar o crime cometido.
DIREÇÃO: Kenneth Branagh
DISTRIBUIÇÃO: Fox Filme do Brasil
DURAÇÃO: 1H49
ELENCO: Kenneth Branagh, Penélope Cruz, Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, Judi Dench, Daisy Ridley e Willem Dafoe.

Um trem luxuoso, uma viagem longa, passageiros excêntricos e um crime a bordo. É esse basicamente o plano central da trama. Texto desenvolvido sem nenhum conhecimento prévio do livro e nem do filme dos anos 70.

O Expresso do Oriente inicia sua longa viagem, cruzando toda a Europa, com muito luxo e passageiros importantes. Um desses é o famoso detetive Poirot, que embarcou de última hora, mestre da dedução e que, felizmente, está no lugar certo, na hora certa. Em seu percurso nos Alpes, a neve avança sobre os trilhos, atrasando a viagem. Em meio à parada é descoberto que um dos passageiros se encontra morto, vítima de múltiplas facadas. Depois da insistência do dono do trem, o detetive aceita investigar o crime e levar o culpado á justiça.

A partir daí é que a produção prometia começar a ser interessante, algo que não acontece. O roteiro consiste num crime difícil de ter sido cometido e algumas pistas estranhas, começando assim o interrogatório dos passageiros pelo detetive. É basicamente muita conversa e observação, sem que muita coisa aconteça. O problema mesmo é que, dependendo do interrogatóri,o o filme se torna menos interessante. Poucos personagens são mais que caricaturas, e a trama não consegue criar um ar de suspense. É um crime insosso e a vítima, desde o começo, é desinteressante. Então, se você não sente nada pela vítima e pouco se importa com os passageiros, fica difícil entrar de cabeça no mistério.

O detetive é vivido por Kenneth Branagh, que também é o diretor do filme. No comando da produção consegue exaltar muito bem o luxo e grandiosidade da locomotiva. Visualmente, tudo é deslumbrante, sob a atmosfera dos anos 30, desde os figurinos, a fotografia e até a neve caindo é elegante. Em grande parte do filme, a câmera observa de longe, quase como se fosse um dos passageiros, porém tal técnica é abandonada e o estilo novo adotado é apenas funcional, sem grandes novidades. Agora, quanto aos personagens, o diretor não economiza quando o assunto é se auto exaltar. Seu personagem tem toda a pompa que um protagonista precisa ter, mas não escapa de piadas estranhas e um humor bobo. Um dos grandes erros da produção é sua cena inicial, onde o detetive precisa solucionar um crime rapidamente e, ao mesmo tempo, mostrar um pouco de sua personalidade. Falha em ambas, infelizmente.

Daisy Ridley, a jovem protagonista dos novos STAR WARS, tem a personagem mais interessante e a melhor atuação da trama. É a passageira mais misteriosa e, ao mesmo tempo, a que achamos que é culpada. A mesma se mostra sempre inocente, seu olhar transmite muita emoção e carisma. A personagem de Michelle Pfeiffer não é interessante e nem intrigante, mas consegue passar para o espectador uma dose de suspense. Seu desempenho dispensa elogios, a grande atriz consegue brilhar em vários momentos, principalmente no ato final. O elenco ainda conta com Penelope Cruz, Johnny Depp, Judi Dench e Willem Dafoe, todos com pequenas missões e quase nenhum espaço para se desenvolver. São apenas vitimas de algum estereótipo, coadjuvantes dos coadjuvantes.

O desfecho do crime consegue ser interessante e um pouco imprevisível, mas não nego o desinteressante caminho até ele. A cena do descobrimento é bem vergonha alheia e toda a justificativa do crime é meia boca. É um daqueles finais bem agridoces e “good vibes”. Você não se importa com o destino dos personagens e muito menos com o da vítima. É quase nada para o espectador digerir, não somos jogados dentro da investigação, só observamos o nada acontecer.

A trama base não foi bem casada com a direção, que só tem o desejo de enaltecer o personagem principal, esquecendo completamente do mistério ou dos outros personagens. A experiência aqui vai depender de pessoa para pessoa, mas os deslizes da trama vão dificultar sua imersão dentro desse mundo.

No final, ainda temos caminhos para novas sequências, que provavelmente acontecerão, torcemos para que dessa vez o mistério venha em primeiro lugar no roteiro.

Compartilhe este post:

Rafael Yagami

Cinéfilo compulsivo, amante de livros e musica. A leitura e os filmes sempre me ensinaram a confiar em mim e ter sonhos grandes e é com isso que me armo todos os dias para lutar pelos meus objetivos.

16 COMENTÁRIOS

  1. Quando este filme começou a ser anunciado, eu já vibrei! Que emoção poder ter a oportunidade de ver do detetive mais doidinho das histórias de Ágatha ali, se tornando real.
    Mas daí, começaram a vir as críticas e eu já fui me desfazendo das expectativas.
    Acredito que tenham pego um roteiro que era perfeito e o reduziram a diálogos cansativos e monótonos.
    Infelizmente...
    Mesmo assim, quero muito poder ver, claro, sem expectativas!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É importante assistir pra conferir mesmo, quem sabe você se divirta né, mas infelizmente eles erraram a mão no roteiro mesmo!

      Excluir
  2. Oi Rafael, li a resenha do livro que a Sara fez e mesmo essa não sendo uma história repleta de ação, o suspense é algo que prende e interessa o leitor e achei triste que o filme não conseguiu levar pra tela o envolvimento e interesse que deveria ter despertado no telespectador. O filme tem muitas estrelas e o fato de que algumas ficam um pouco apagadas durante a história também não é interessante. Contudo o trailer anima um pouco e mesmo esse não sendo um filme que irei ver no cinema vou querer conferi-lo mais a frente quando chegar em DVD ;) Ótima critica :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Longe de ser um filme ruim, mas não é tão interessante quanto o material de divulgação diz ser, talvez para uma experiencia em casa seja melhor e menos cansativo.

      Excluir
  3. Vishi, mas que doido isso. Será que a coisa toda fica chatinha de ver? É mesmo verdade que se a gente não tem muito apego à vitima ou o interrogatório não dá aquela curiosidade boa, ser bem estruturado, os personagens não são lá interessantes ou coisa assim fica uma droga se importar com toda a questão. Já me bate um medo de ver filme do tipo pela maioria ser uma coisa clichê, algo que já espero e não empolga tanto. Como livro já gosto mais de tramas assim, não sei se como filme dá aquela mesma graça de ler...
    Mas ainda tô curiosa pra ver tudo o que foi feito ali. O visual da história, ambientação e coisa e tal me animou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você não se apegar com a trama logo no inicio a experiencia pode ser bem tediosa, já que praticamente nada acontece, felizmente o elenco e a parte técnica fazem o filme valer a ida ao cinema.

      Excluir
  4. Olá Rafael, tudo bem?
    Foi muito bom saber que meu livro favorito da Agatha Christie teria sua adaptação nas telonas!
    O suspense é a melhor parte do livro, e acredito que isto se manteve no filme. O que mais me fascinou na estória foi o número de suspeitos e seu desenlace imprevisível. Uma pena que o desfecho ficou "meia boca"! Já li e reli a estória, mas sempre gosto como o final ficou trabalhado. Uma pena a cena do descobrimento não ter sido melhor trabalhada!
    Em relação ao elenco, imaginava que o detetive Poirot iria arrasar, sou muito fã de Kenneth Branagh, e fiquei muito triste ao saber que tanto a apresentação do protagonista quanto a direção.
    Acho que não vou assistir para não me decepcionar e manter a estória na minha mente na forma em que eu a imaginei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra quem leu o livro a experiencia pode ser um pouco melhor, o filme acrescentou apenas algumas coisas, mas infelizmente o Kenneth perdeu um pouco a mão aqui.

      Excluir
  5. Esse é meu maior medo quando anunciam a adaptação de um livro para o cinema. Sei que algumas mudanças e cortes de trechos são necessários mas quando mudam muito perde a essência do livro.
    Ainda não li nem assisti ao filme mas lendo essa crítica fiquei um pouco desanimada para assistir. Darei prioridade ao livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro com certeza merece ser conferido primeiro, infelizmente esse filme não será tão lembrado e aclamado como a versão dos anos 70.

      Excluir
  6. Confesso que como não tenho costume de ler nem assistir filmes com estas tentativas de desvendar mistérios, assassinatos, que quando me aventuro a assistir não consigo me prender aos mínimos detalhes já que tudo e uma novidade. Porém e uma pena que a adaptação tenha pecado tanto, pois sempre vejo muitos elogios aos livros, e é notório o quanto a trama era bem construída, e deixaram muito a desejar neste desenvolvimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é realmente um sucesso de vendas, classico e aclamadissimo por todos, algo que esse filme não vai conseguir, a única coisa boa que ele proporciona é o interesse no publico jovem no material original. Eu mesmo estou doido pra ler o livro, tenho certeza que tais erros não estão na leitura!

      Excluir
  7. Como eu disse anteriormente, não li ainda, espero ansiosa pra conseguir ler e em seguida ver esse filme é espero mto não me decepcionar...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro com certeza não irá te decepcionar, já no filme, ele tem elementos para pelo menos distrair, não é uma total perda de tempo, apesar dos deslizes!

      Excluir
  8. Rafael!
    Triste ver que 'mataram' a adaptação da Rainha do Crime...
    Já li o livro há muitos anos e estava tão ansiosa por essa adaptação, por causa da trama e também dos atores, mas você jogou um balde de água fria em cima de mim...afffffe!
    Ainda assim, como boa teimosa, quero conferir...
    Um final de semana abençoado!
    “Desejo a você e à sua família um Natal de Luz! Abençoado e repleto de alegrias. Boas Festas!” (Priscilla Rodighiero)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  9. Não vejo a hora de assisti ao filme. Espero não me decepcionar.

    ResponderExcluir