A FORMA DA ÁGUA

SINOPSE: Década de 60. Em meio aos grandes conflitos políticos e transformações sociais dos Estados Unidos da Guerra Fria, a muda Elisa, zeladora em um laboratório experimental secreto do governo, se afeiçoa a uma criatura fantástica mantida presa e maltratada no local. Para executar um arriscado e apaixonado resgate ela recorre ao melhor amigo Giles e à colega de turno Zelda.
DIREÇÃO: Guillermo DEL TORO
DURAÇÃO: 2H3
DISTRIBUIÇÃO: Fox Filme do Brasil
ELENCO: Sally HAWKINS, Doug JONES, Michael SHANNON, Octavia SPENCER, Michael STUHLBARG e Richard JENKINS.

O diretor mexicano Guillermo del Toro sempre soube brincar com o extraordinário em seus filmes, sempre com algum monstro ou com alguma coisa obscura nas entrelinhas. E com certeza, você já viu algum filme do diretor, principalmente os mais famosos, como CÍRCULO DE FOGO, HELLBOY ou O LABIRINTO DO FAUNO. Em A FORMA DA ÁGUA, o diretor criou, provavelmente, sua obra-prima, que fala sobre uma história de amor curiosa, entre uma criatura aquática e uma mulher muda. A produção está indicada a treze estatuetas no Oscar e compete como um dos favoritos. Parece bom, não é? Vamos descobrir!

Trabalhando em um estranho laboratório do governo em plena guerra fria, Elisa descobre uma criatura aquática que se parece muito com um homem comum. O destino da criatura é ser estudada e usada, de alguma forma, pelos Estados Unidos contra a União Soviética na corrida espacial. Porém, a moça é apenas uma tímida faxineira e, ainda por cima, muda, sendo quase impossível fazer algo para ajudar a criatura. Até que uma afeição começa a crescer entre ambos quando a moça o ensina a se comunicar em forma de libras. O tempo passa com rapidez e a moça precisa fazer algo antes que seja tarde demais para a criatura.

De fato é uma história de amor, um romance é estabelecido e o roteiro o desenvolve de maneira delicada e sútil. Ambos se sentem bem quando estão juntos e um acrescenta algo ao outro, se completam como um quebra-cabeça. A trama corre de forma linear e não se importa com pudores, é um romance, são pessoas como quaisquer outras, mas, felizmente, nada aqui é apelativo ou nojento, pelo contrário, a abordagem é linda e cativante. Porém, o filme não para por ai: passando-se na Guerra Fria e na Segregação Racial, a produção é cheia de pequenas situações onde o preconceito é despejado. Os protagonistas são uma muda, um homossexual, uma negra e um ser estranho, tudo que uma sociedade retrógada odeia.

Já temos um roteiro extremamente caprichado e poderoso que é ainda mais elevado com sua parte técnica. O visual não poupa elogios, tudo é deslumbrante, num tom de verde, como se estivéssemos em um mundo triste e molhado que vai se alegrando conforme caminhamos. Os efeitos visuais são tão singelos que nem notamos sua presença, a direção de arte faz qualquer cenário do filme ser interessante e elegante em um tom rústico. A recriação de uma América nos anos 60 é perfeita ao ponto de que tudo no filme ser real e possível. Ônibus, lanchonetes, banheiros, cinemas, tudo tem um cuidado sem igual. A trilha sonora cheia de acordes exóticos é uma das coisas mais lindas do cinema atual, uma melodia apaixonante já na primeira ouvida. É um pouco chocante notar que o orçamento do filme foi de menos de 20 milhões de dólares, algo baixíssimo para os padrões americanos, ainda mais uma ficção. E o filme merece ainda mais enaltecimento por provar que apenas dedicação e amor pelo material criam um filme belo, muito dinheiro e recursos não garantem um projeto descente, a série Transformers está ai para provar esse fato.

E a perfeição continua com seu elenco, estrelando a britânica Sally Hawkins, conhecida pelos filmes do ursinho PADDINGTON, merece todos os elogios possíveis. Sua personagem era bem complicada e arriscada, mas a atriz entrega um desempenho emocionante e tudo apenas com expressões faciais e trejeitos, já que não pode falar. E isso é mais que suficiente para transmitir para o espectador toda a sua dor, todo o seu amor e toda a sua timidez. Um dos trabalhos mais belos em muitos anos e que merece muitos prêmios, a minha torcida no Oscar ela já tem. 

Octavia Spencer encantou a todos em HISTÓRIAS CRUZADAS, personagem que lhe rendeu um Oscar de atriz coadjuvante em 2012, e aqui não está diferente. Cheia de carisma e atitude, nunca é deixada para trás e caminha pela trama sempre sendo útil. 

Richard Jenkins é o melhor amigo de Elisa e o arco do seu personagem é maravilhoso. Além de ter um ar cômico, passa também por dramas bem pesados, ator talentosíssimo que nos entrega um personagem muito amoroso.

Poderia ficar escrevendo eternamente sobre as maravilhas de A FORMA DA ÁGUA, um dos filmes mais delicados e apaixonantes dos últimos tempos. Merece ser conferido na maior tela possível, o encantamento é real e oficial. Se jogue e se apaixone!

Compartilhe este post:

Rafael Yagami

Cinéfilo compulsivo, amante de livros e musica. A leitura e os filmes sempre me ensinaram a confiar em mim e ter sonhos grandes e é com isso que me armo todos os dias para lutar pelos meus objetivos.

12 COMENTÁRIOS

  1. Muito interessante. Realmente poucos diretores fariam um belo filme com esse tema tão difícil é mítico.
    Com certeza vou torcer pelo diretor no Óscar mas para melhor filme minha preferência é outro filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza será um destaque no Oscar e qualquer premio que venha a levar será super merecido <3

      Excluir
  2. Este filme é maravilhoso!!! Mas acredito que tudo que se elogiar sobre ele, ainda será pouco! Tá, admito que ainda não vi Três Anúncios Para um Crime(verei hoje a noite),que é o outro forte candidato a algumas estatuetas, mas Guillermo conseguiu mais uma vez, criar um mundo à parte com tanta beleza, simplicidade e amor!
    Sou do estilo romântica e concordo com você, a parte visual do filme é magnífica!
    Octávia é outra que também acrescenta demais na estória!
    Já vi o filme uma vez e verei novamente!
    Super recomendado!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um primor para os olhos e a alma, tão belo e tão delicado, merece com certeza todo o destaque que vem tendo. Três anúncios para um crime também é um filme maravilhoso, até difícil escolher qual é o melhor rs

      Excluir
  3. Eu adorei a doideira dessa história, mas uma história de amor dessas é pra lá de maluca. Tô doida pra ver esse filme. E já achei super legal isso dos personagens, de ter uma negra, um homossexual, essas pessoas um tanto "diferentes". Já começa por aí a graça desse filme. E ahh, confesso que deu ainda mais vontade de ver pela Octavia. Essa mulher arrasa, tá doido, adoro os filmes que tô vendo saindo com ela. Só tem coisa boa nesse daqui. Ansiosa pra assistir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Octavia só faz filme bom mesmo, tão lindo ver essa atriz amorzinho conseguindo destaque em grandes filmes!

      Excluir
  4. Rafael!
    Não li o livro ainda, mas bem tenho vontade e ainda tenho mais vontade de assistir o filme, porque além do Del Toro ser um 'cara' super inteligente e versátil, o plot do filme, bem como toda caracterização, são excepicionais.
    Gosto desse lance de amor entre espécies e acredito que ainda, ainda tem a lição de que não há problema algum em se amar o diferente, muito pelo contrário.
    Um maravilhoso final de semana!
    “Acredite que você pode, assim você já está no meio do caminho.” (Theodore Roosevelt)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro parece ser incrível como o filme, ainda não tive oportunidade de ler, mas os elogios para tanto o livro como o filme já são um ótimo motivo para correr atrás né rsrs

      Excluir
  5. Preciso ir no cinema!!!
    Faz um bom tempo que não assisto a um bom filme de romance, daqueles cujo não dá vontade de terminar nunca. Assisti La la land e me apaixonei de mais, foi um filme maravilhoso e sinto que A forma da água vai ser igual ou melhor.
    Só de assistir só trailer já da para sentir a emoção da historia.
    Boa resenha ;)

    http://garotaeraumavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece muito com La la land mesmo, tem a mesma delicadeza o sutileza se tratando do amor, sem falar que tudo isso é reforçado com um lado estético belíssimo, no cinema é uma experiencia sem igual!

      Excluir
  6. Olá!
    Não conheço o livro, na vdd nem sabia que tinha, estou louca pra conhecer o filme já que não vou conseguir ler antes o livro, espero gostar e não me decepcionar...

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro acabou de ser lançado, foi escrito em simultâneo com o roteiro do filme, uma obra complementa a outra, parece ser uma leitura incrível depois de assistir ao filme. Estou doido para poder conferir!

      Excluir