TEXTOS CRUÉIS DEMAIS PARA SEREM LIDOS RAPIDAMENTE

SINOPSE: Indo contra a tendência dos textos curtos e superficiais que são postados nas redes sociais, o coletivo literário Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente (TCD) passou a produzir e compartilhar um conteúdo extenso, profundo e extremamente poético em suas páginas no Facebook e no Instagram. Com seus escritos e ilustrações, eles acabaram atingindo um público muito maior do que o esperado, nos mostrando como, apesar da crescente agilidade que nossa comunicação exige, ainda precisamos de tempo para digerir e entender nossas complexas relações humanas. Para este livro, foram produzidos textos inéditos que ganharam a companhia das sensíveis ilustrações de Anália Moraes - Igor PIRES e Gabriela BARREIRA - Editora GLOBO ALT - 2017 - 300 páginas.

TEXTOS CRUÉIS DEMAIS PARA SEREM LIDOS RAPIDAMENTE, de fato intensos, realistas, mas também carregados pelos sentimentos que muitas das vezes se acumulam em nossos corações. É como uma enxurrada, uma expulsão de angústias, mas também de esperança e sensibilidade na forma de pequenos textos e de imagens, que podem representar (na forma do grafite preso ao papel, ou te tinta, no caso dos impressos), o que o coração tenta decifrar. 

O livro se divide em quatro partes: na primeira, Para quando você se esquecer de mim, leva o leitor de volta às relações superficiais, sobre como dói saber que não fomos bons o bastante para sermos lembrados ou que não fomos o que as pessoas queriam ou precisavam para ficar. Sobre como é se sentir quando não se pode demonstrar tudo o que se é, simplesmente pelo fato de que as pessoas já não são capazes de suportar a ideia de sentir as pessoas de forma profunda. Ela nos coloca em conflito, questiona: o que faz as pessoas serem assim? Seria o fato de estarem machucadas demais pelo mundo? Ou seria o fato de estarem amedrontadas demais pelas histórias que ouviram sobre os casos falhos das outras pessoas? 

Na segunda parte, A memória é uma pele, o autor mostra uma sensibilidade em transmitir o que pensamos quando sentimos a saudade de alguma coisa que se foi. Trata-se das boas memórias que já não podem ser alcançadas, que se perderam pelas escolhas feitas na vida.

Na terceira, Para você não esquecer de sentir, somos bombardeados com a realidade de como é deprimente o "não sentir", e sobre como isso torna as relações, e a própria vida, um conjunto de ações metódicas, repetitivas e realizadas apenas pelo hábito de se fazer a mesma coisa todos os dias. Essa parte nos coloca para pensar em: por que isso acontece? Por que passa a não ser importante dizer aquele pequeno detalhe, que insiste em nos chamar a atenção? 

E, por último, A felicidade é uma arma quente, é como um reconhecimento, aquele que gostaríamos de ouvir das pessoas ao nosso lado, é também a compreensão de que não é fantasioso demais querer algo que te faça bem, porque embora não estejamos dando muita atenção às pessoas e até mesmo ao que nós mesmos fazemos, cada um de nós se esforça de alguma maneira.

É um livro que realmente me tomou um tempinho pra ler, porque traz textos e imagens tocantes, que nos prendem e que nos fazem viajar na nossa própria existência e no que já experimentamos. A conexão entre o autor e quem lê é bem forte, e ao ler, temos realmente a impressão de que o autor está esvaziando a alma, na sua forma nua e crua, mas sem perder o encanto e a poesia.

Compartilhe este post:

ana lu

Sou Ana Lu e uma das coisas que mais gosto de fazer é ler e ouvir música. Meus livros favoritos são Perdida da autora Carina Rissi e Belo desastre de Jamie McGuire. Eu espero poder compartilhar muitas experiências literárias seguindo sempre o lema "a persistência fez os grandes líderes".

23 COMENTÁRIOS

  1. Oi, Ana.

    O livro aparenta ser intenso e de uma profundidade tremenda, que explora diversos sentimentos do ser humano, bem como, digamos, expõe situações vividas e sentidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi oi, é sim. O mais interessante é lembrar do que a gente vivencia e ver como se encaixa nos textos

      Excluir
  2. Uauuuu! Que intenso!
    Livros que fazem refletir e que faz que nos conheçamos melhor são muito importantes.
    Já ouvi falar muito bem sobre textos cruéis demais para serem lidos rapidamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiim, ele é bem intenso e as vezes a gente precisa desses choques de realidade. É realmente muito bom

      Excluir
  3. Estou aqui tentando me lembrar onde vi este título e não consegui :/
    Mas sou fã de poesia, de textos intensos, onde o autor de sua história não se importa com regras a serem seguidas, mas sim com a intensidade do que está sendo escrito.
    Senti vontade ver o livro aberto, já que você citou que contem imagens. Adoro muito tudo isso e vou por o livro na lista de desejados agora!
    Espero poder conferir!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Oi, provavelmente você viu ou no Facebook, ou no Twitter, talvez no insta, eles sempre colocam uma coisinha ou outra por lá. E é interessante que eles realmente não segue regras, inclusive pela formatação dos textos. Beijinho

      Excluir
  4. Oi Ana!
    Não conhecia os textos, nunca os encontrei nem no Facebook e nem no Instagram, mas fiquei bem curiosa pelo conteúdo que eles trazem, parece algo que nos faz refletir, e o fato de ter ilustrações representando aquilo nos faz de maneira melhor. Não sei se é um livro que eu iria ler de uma só vez, acredito que ele necessita de certos "momentos" para ser lido por conta da profundidade do que traz.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim sim. Realmente tem essa Coisa dos momentos, tem horas que os textos são fortes demais e tem outras que eles simplesmente encaixam no que a gente tá vivendo naquela hora. Ele, realmente, é cruel demais é pra ser lido rapidamente.

      Excluir
  5. Achei bem legal o estilo do livro e ter umas coisas assim pra ler é ótimo quando a gente não tá bom pra histórias grandes. Gosto da ideia e parece ter bastante texto legal, coisa pra refletir e fácil de ler. Vi tanta gente falando bem dele também que só dá mais vontade de conhecer. Parece bem legal ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cristiane, Os textos menores são mesmo um detalhe que chama a atenção porque, por serem menores, a gente pode ler mais rapidinho e ficar um tempão pensando e depois ler de novo sem se perder na ideia do livro.

      Excluir
  6. Oii!
    Gostei de conhecer o livro, adoro quando livros trazem reflexões que deixam o leitor pensando mais sobre o assunto depois da leitura, vai para os desejados com toda ctz!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você aprecie bastante a leitura, é ótimo, sem sombra de dúvidas

      Excluir
  7. Boa noite!
    Eu acho que esse livro merece ser lido por todos, simplesmente por retratar o que nó vivemos e sentimos e como o mundo parece ser cruel e que mesmo parecendo que não tem mais jeito a felicidade chega a bater em nossa porta , estando nos pequenos detalhes.
    Obrigada, eu ja quero <3

    ResponderExcluir
  8. Nossa, esse livro deve ser incrivelmente tocante. Daqueles bem arrebatador, triste e satisfatório no momento certo. Todos passam por isso algum dia na vida, por isso a conexão tão grande. Fiquei ansiosa para conhecer a obra! Adorei a resenha, beijos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Giovana, tuddo bem?
      Eu achei o livro maravilhoso, e reconhecer nele as situações que a gente passa é uma das melhores partes. sabe aquela coisa de "há uma saída pra isso tudo" ? É bem isso

      Excluir
  9. Olá! Só o titulo já me deixou impactada, imagina quando lê os textos. Esse tipo de leitura é sempre muito bem vinda para momentos de reflexão. O livro parece trazer uma grande carga emocional, já vi que vou precisar da minha caixa de lencinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este título é bem forte mesmo e se encaixa tão perfeitamente com o livro que deixa isso tudo ainda mais impressionante.

      Excluir
  10. Ana Lu!
    Bem bacana os textos e ainda vem ilustrados, vou lá fuçar no twitter depois.
    Os temas precisam mesmo ser discutidos, porque a depressão tem sido o mal do século e nós nem apercebemos das pessoas que precisam de ajuda.
    Bacana.
    Um maravilhoso final de semana!
    “Acredite que você pode, assim você já está no meio do caminho.” (Theodore Roosevelt)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  11. Olá, essa é umas daquelas obras que fazem o leitor refletir, exigindo uma leituras pausada e atenta. . Além disso, essas ilustrações contribuem para uma melhor assimilação do conteúdo presente no livro. Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Patrícia Walléria25 fevereiro, 2018

    Parece ser um livro muito tocante e necessário!
    A rapidez do cotidiano muitas vezes nos engole.
    Desde que vi essa sinopse fiquei com muita vontade de ler, depois de ver essa resenha, então, me deu mais vontade ainda.
    Adorei! <3

    ResponderExcluir
  13. Nunca ouvi falar do livro, mas gostei bastante da ideia do autor.
    Gosto de livros que nos faz pensar sobre a vida e outras coisas, acho importante te-los na estante e ler de tempos em tempos.
    Só pelo titulo já dá uma certa curiosidade.

    http://garotaeraumavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Eu acompanho a página do facebook e adoro os textos, quero muito adquirir minha edição.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Ana Lu!!
    Gosto de livros que nos fazem parar para refletir. Gostei muito de conhecer esse livro e vou procurar saber mais dele.
    Bjos

    ResponderExcluir