EU ESTOU AQUI

SINOPSE: No cenário frio e asséptico de um hospital surge a paixão entre Elsa, uma montanhista em coma há cinco meses depois de cair durante uma escalada, e Thibault, que se refugia no quarto da moça, por não querer visitar o irmão, o motorista bêbado que causou a morte de duas adolescentes num acidente automobilístico. Delicadamente composto, o romance mostra o envolvimento gradual entre dois personagens cuja comunicação se dá instintivamente. Enquanto Thibault pode conversar e incentivar Elsa a retomar o domínio de suas ações, a jovem ouve, percebe e sente toques em seu corpo, mas não tem como comunicar seus desejos e anseios. Os dois passam a se conhecer tanto pelo que transmitem um ao outro – Thibault em suas confidências, Elsa tentando demonstrar que corresponde a seus estímulos – quanto pelo que os amigos da montanhista comentam a respeito do rapaz ou falam a ele sobre Elsa. Junto da moça em coma, Thibault sente-se tranquilo e protegido da revolta contra o irmão, internado em estado grave no mesmo hospital. Elsa, embora cercada pela família e por amigos, se entusiasma com a ousadia de Thibault, que não se acanha em beijá-la. E quando os parentes discutem a possibilidade de desligar os aparelhos que a mantêm viva, é com ele que Elsa conta para lutar por sua própria sobrevivência - Clélie AVIT - Editora FÁBRICA231 - 2016 - 280 páginas.

Elsa está em coma há cerca de cinco meses, devido a um acidente causado ao praticar montanhismo. Thibault vai ao hospital por causa de seu irmão que está internado. Em uma dessas visitas, ele erra a porta e acaba entrando no quarto de Elsa. Então, ele decide conversar com a moça, mesmo percebendo que ela está inconsciente.

Essas visitas se tornam cada vez mais frequentes, já que Thibault vai ao menos uma vez por semana acompanhar sua mãe. Ele só vai ao hospital por causa dela, já que não consegue perdoar seu irmão e não quer vê-lo. No quarto de Elsa, Thibault encontra paz. Ele conversa com a moça e até dorme um pouco, mas o que ninguém sabe é que Elsa consegue ouvir tudo ao seu redor. Porém, após algumas visitas, Thibault tem certeza que Elsa consegue mesmo ouvi-lo.

Uma paixão delicada e perigosa surge entre os dois, já que Thibault não sabe se Elsa vai acordar ou se é recíproca. Mesmo assim, ele continua fazendo as visitas com esperança de que a moça acorde e diga que sente o mesmo.

Gostei bastante dos capítulos narrados por Elsa. Apesar de ficar um pouco agoniada com a situação, pois a moça estava presa naquela cama e não conseguia fazer outra coisa além de ouvir. Ela identificava até mesmo os sons mais baixinhos. Além disso, os sons possibilitaram que sua imaginação fluísse melhor, podendo, assim, criar as cenas ao seu redor. Suas visitas ganharam cores, que eram atribuídas de acordo com a percepção de seus sentidos. Durante a leitura, podemos sentir sua dor ao ouvir os médicos dizerem que suas chances de despertar eram quase nulas, e até sua família já não tinha mais esperanças.

Thibault foi um personagem bem confuso para mim. Em certos momentos, ele era delicado, e até consegui sentir um pouco de afeto por ele. Já em outros, ele se tornava um tanto rancoroso e desbocado, até fez uma cena bem grosseira num bar onde costumava ir. Não foi um personagem que me agradou, mas ainda assim, torci para que ele tivesse um final feliz.

Eu nunca pesquisei nada sobre coma, mas, no livro, Elsa estava neste estado cerca de cinco meses e já havia a possibilidade de ser "desligada". Foi um choque pra mim, pois cinco meses é pouco tempo para decidir uma coisa dessas. Na verdade, não sei se há um tempo certo nestes casos e isto é uma coisa para se pensar. Também não sei se este caso se enquadra exatamente na eutanásia, já que a paciente não estava teoricamente sofrendo (não sentia dor). Mas ela não conseguia sobreviver sem a ajuda de aparelhos, o que  pesou muito no pensamento desta possibilidade.

Outro tema abordado no livro é o alcoolismo. O irmão de Thibault matou duas garotas por estar dirigindo bêbado, e durante toda a trama, este tema corrói os personagens. Isto mostra que não foi só as garotas e suas famílias que foram destruídas, mas a do condutor também. Fiquei com tanta pena da mãe de Thibault! Ela tentava, de todas as formas, aproximar os irmãos, mas sem sucesso.

Mesmo com esses temas fortes, ainda há um espacinho para um relacionamento amoroso, ou quase isso. Thibault estava se apaixonando por uma completa desconhecida que estava em coma, e Elsa se apaixonando por um desconhecido, sem saber se teria a oportunidade de um dia olhá-lo nos olhos. Mas é tudo tão sutil, que algumas pessoas podem se decepcionar. Creio que se a autora aprofundasse um pouco mais os sentimentos dos personagens, o livro seria mais emocionante. Os personagens secundários não receberam muito destaque na obra, o foco ficou mais entre os protagonistas mesmo. Parece que os secundários só estavam ali para preencher espaços entre os dias de Thibault fora do hospital.

O livro é bem fluído, os capítulos são curtos, revezados entre Elsa e Thibault. A linguagem utilizada é bem simples e encontramos muitos diálogos, o que torna o livro ainda mais rápido. Apesar da estranheza da situação (não é sempre que um homem entra em um quarto de uma mulher em coma e se apaixona por ela), decidi abandonar a lógica e desfrutar da leitura da melhor maneira possível. Não foi uma leitura que me agradou totalmente, mas fiquei ansiosa para descobrir o que estava por vir.

Compartilhe este post:

Thuanne Souza

Paulista, assistente administrativa e estudante de Farmácia ❤ Sempre tentando ser alguém melhor e seguindo o lema “levo a vida devagar pra não faltar amor.” Apaixonada por músicas (principalmente as nacionais) e livros. Aprendendo a gostar de outros gêneros, além dos romances clichês.

15 COMENTÁRIOS

  1. Oi, Thuanne.

    Li esse livro em poucas horas, gostei e chorei pra caramba. É impossível não se emocionar.

    O local onde todo o romance, aos poucos, foi desenvolvido seria algo inimaginável para que surgisse algo ali, ainda mais na condição que a Elsa se encontrava, mas ao mesmo tempo, seria bastante proprício para acontecer, pois de uma certa forma, havia uma conexão entre ambos. aconteceu.

    Foi muito bonita a forma como o amor foi surgindo de uma forma completamente diferente.

    Ao mesmo tempo, foi de extrema importância a abordar abordar a questão da imprudência no volante com o uso da bebida e o que ela pode causar não só para a vítima.

    Eu só queria que a autora tivesse escrito um pouco mais para que eu pudesse entender aquele final (sobre o que acontece depois), que pra mim, foi arrebatador!

    ResponderExcluir
  2. Realmente a premissa de um romance /amizade entre uma moça em coma e um jovem atormentado é interessante
    Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro mas pela resenha parece que falta algo,talvez aprofundar mais o casal ou dar mais espaço a importante temática do perigo que é beber e dirigir.
    Não sei se Eu Estou Aqui vai entrar pra minha lista de desejados

    ResponderExcluir
  3. Me recordo muito bem de quando este livro foi lançado e do burburinho que ele causou.
    Um cenário totalmente diferente para rolar uma paixão né?
    E isso é muito bom, pois além de mostrar o amor desta maneira, o amor ao desconhecido, também traz mais problemas dos personagens que precisam ser resolvidos.
    Esta capa é linda e não vejo a hora de poder ler!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Olá!!
    Morrendo de vontade de ler esse livro, pelas resenhas que acompanhei dle é devastador, eu amo livros que trazem uma leitura fluída, espero conseguir ler me breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Achei interessante pela ideia, mas que agonia deve dar! Saber que a garota pode escutar tudo, que vai até desenvolvendo um sentimento por esse estranho e não pode fazer nada. Só essa premissa já me deixa com uma esperança de algo mais. Mas é um livro que deixa a gente esperançoso e triste né. Isso do desligamento das maquinas é outra coisa que sempre me deixa confusa e triste. Imaginando se tivessem dado mais tempo pra pessoa, se não teria acordado e todas essas coisas. Mas é complicado.
    Achei legal ter uns temas tipo alcoolismo e como isso pode afetar a vida de outras pessoas de uma forma tão ruim como foi com o irmão do personagem. É outra coisa que a gente vê muito e poder acompanhar uma historia desse tipo é uma forma de alerta também.
    É um livro que me chamou atenção.

    ResponderExcluir
  6. Acho que deve ser bem confuso para o rapaz se apaixonar/nutrir um sentimento por alguém da qual nada sabe e apenas vê em situação de doença/penúria. Mas como você bem descreveu talvez a história seja melhor do que estou pensando, fico com medo de achar ainda muito raso, porém fiquei bem curiosa pra saber como foram descritas as sensações da menina e do rapaz, além de toda as cenas de desenrolar da trama

    ResponderExcluir
  7. Olá, não gosto de livros com personagens superficiais, mas esse aqui ainda consegue chamar atenção, mesmo com a caracterização parca do relacionamento entre os protagonistas. Esses temas recorrentes que são abordados na trama também é um ponto positivo do livro, que mascara o enredo um tanto inconsistente. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Thuanny!
    Nem preciso dizer que já me encantei pelo livro desde a primeira vez que li a sinopse e ao ler as resenhas favoráveis que tenho lido, como a sua, fico ainda mais interessada pela leitura, e, na verdade, fico é curiosa para saber como é o final, afinal, gosto de finais felizes e espero que aqui ele aconteça...
    Bom final de semana!
    “Os lírios não bastam. As leis não nascem das flores. Meu nome é luta, e escreve-se na história.” (Luciana Maria Tico-tico)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  9. Oi Thuanne.
    Achei um pouco bizarro o Thibault se apaixonar por Elsa, sendo que ela nem o respondia.
    Deve ser uma situação angustiante não saber se a pessoa irá sair do coma e a família ter que tomar a decisão ou não de desligar os aparelhos também é uma situação muito degastante.
    A história tem uns pontos interessantes, mas não fiquei com aquela vontade de ler o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá! O livro é bem diferente, despertou minha atenção, mas fiquei com aquele sentimento de começar o livro pelo final, sabe (descobrir o que me espera, antes de realmente começar a leitura). Afinal esse amor improvável vai acabar em lágrimas de alegria ou sofrimento (ai, meu estômago já está sofrendo).

    ResponderExcluir
  11. Oi! Eu estou muito interessada em ler, justamente por ser uma história diferente e por não ter tantas páginas, tornando mais difícil ficar muito cansativo de se ler.

    ResponderExcluir
  12. Passada,eles vão desligar os aparelhos que mantem Elsa viva?os parentes descobrem a presença de Thibault no quarto?
    sou muito ansiosa e louca por spoiler,amo a editora Rocco,tenho alguns livros amorzinhos deles.

    ResponderExcluir
  13. Oi, genteee, morrendo de vontade ler este livro. Pela sinopse é o tipo de história que me agrada. É um livro bem diferente. Simplesmente me chamou muito a atenção. E amei essa capa também.

    ResponderExcluir
  14. Fiquei bem emocionada enquanto eu li esse livro A História simplesmente maravilhosa e incrivelmente delicadas parte me lembrou até o conto da Branca de Neve mas enfim eu não conheci o trabalho da autora e agora eu simplesmente estou apaixonada por ela

    ResponderExcluir
  15. Oi, Thuanne!!
    Quando li esse livro mais de um ano atras senti falta de algo, o livro é bem legal mas talvez precisa-se de epílogo ou de mais alguns capítulos.
    Bjos

    ResponderExcluir