RIO VERMELHO

SINOPSE: Você acredita nele... então porque está com tanto medo? Uma combinação perfeita de A Sangue Frio e Making a Murder! Como confrontar quem você ama quando você não tem certeza se quer saber a verdade? - Amy LLOYD - Editora FARO - 2018 - 276 páginas.

Quando finalizei a leitura de RIO VERMELHO, fiquei algum tempo digerindo o que havia lido. Não foi muito fácil tentar compreender a história. Isso porque os três personagens principais são doentes. Não fisicamente, mas psicologicamente. E essa construção é muito bem feita, o que explica o motivo de o livro ser premiado. A autora demonstra conhecer vários lados da psique humana que transmitem repulsa e medo.

Nos EUA, Dennis foi preso pelo assassinato de uma garota de onze anos, e é suspeito do desaparecimento de várias outras. Ele está no corredor da morte, mas devido a um processo judicial mal conduzido, provas inconsistentes, testemunhos duvidosos e à sua constante afirmação de que é inocente, é formada uma legião de fãs que lutam pela revisão de seu julgamento e por sua liberdade. Entre esses fãs, está Samantha, uma inglesa que fica obcecada por toda a história de Dennis, a ponto de criar coragem e enviar uma carta para ele. Assim, os dois começam um relacionamento à distância, que resulta em trocas de juras de amor e na ida de Sam para os EUA, com o objetivo de conhecê-lo pessoalmente e ser mais ativa na tentativa de sua liberdade.

Não é spoiler dizer que ela consegue, uma vez que isso acontece já no início do livro. Os dois se casam e, após a morte do pai de Dennis, eles partem para a cidade natal dele, para o enterro e para resolverem o que fazer com a casa da família. Lá, Sam conhece Lindsay, uma amiga de Dennis, e esse relacionamento traz consigo várias descobertas sobre a verdade de toda a história.

Dennis é doente por diversos motivos. Ele sofreu abusos na mãos do pai bêbado e não teve uma mãe presente, uma vez que ela vivia drogada. Maltratado, vivia com fome, roupas sujas, era o pária da escola, mas era bonito, e isso evitava que fosse marginalizado por todos. Mas seu comportamento sempre foi duvidoso, uma vez que era constantemente pego roubando e observando criaturas mortas.

Lindsay também era uma garota problemática. Apaixonada por Dennis, foi rejeitada por ele e acabou ocupando o lugar de melhor amiga. Eles cultuam um relacionamento estranho, cheio de segredos, que por vezes parece ser íntimo, mas não em termo sexuais, mais como se fossem irmãos. Ela não liga para ninguém além de Dennis, nem para seu filho, e é tão desleixada e rude quanto ele.

E tem Sam, a personagem principal. Ela tinha uma vida normal na Inglaterra, mas era dona de uma autoestima totalmente destroçada, não em relação à sua aparência, mas, sim, sobre seu futuro, seu lugar no mundo, na sua necessidade de ter a total atenção de alguém. Por causa dessa carência, ela se envolve com Dennis, mesmo ele sendo um presidiário, mesmo sendo um condenado à morte, mesmo sendo suspeito de matar várias garotas. Ela não acredita em nada disso, ela enxerga apenas alguém de quem ela pode cuidar e que pode retribuir com o amor que ela não recebe de mais ninguém.

Eu, no início, não compreendi onde a autora queria chegar com o comportamento de Sam. Existe um problema narrativo na parte da troca das cartas. Sam acompanhava o caso de Dennis há muito tempo, lia tudo sobre o julgamento e assistia a todos os programas, então consegui aceitar a paixão que ela desenvolve por ele. Entretanto, Dennis confessa seu amor após a troca de apenas três cartas. Achei que não foi convincente, que ficou forçado e apressado, tanto da parte dele, quanto da parte de Sam em acreditar. Mas após metade do livro, compreendi porque ambos agiram dessa forma. E aí volto ao primeiro parágrafo, quando disse que os três são doentes.

Não importa o que Dennis faça, nem o quanto ele minta, nem quem ele seja de verdade, Sam só enxerga nele alguém estragado que ela pode cuidar e que pode ser sua companhia. Mesmo quando ele, após estarem casados, se recusa a ter relações sexuais com ela; mesmo quando Lindsay entra no relacionamento; mesmo quando ela encontra provas de coisas que ela pensava que fossem mentira; mesmo quando ela começa a temer pela própria vida; e mesmo quando ela descobre toda a verdade. Nada disso abala o que ela sente por Dennis. Nada disso importa. Na mente dela, e isso fica claro nas últimas páginas, Dennis existe para que ela cuide dele, para terem um relacionamento assexuado, separado pelos vidros da sala de uma penitenciária, porque assim ela pode receber a atenção e o amor que precisa, e ele não pode fugir disso.

Dennis e Lindsay são como se fossem apenas um. Ela é a motivação, ele é a consequência. Ela tem uma dívida de gratidão por ele, além do laço emocional, e ele vê nela a justificativa para fazer o que gosta de fazer. Ambos são nojentos, com uma mente amoral que não consegue distinguir o quanto suas ações são perversas. O bandido mais perigoso é aquele que não tem compreensão daquilo que perpetua, porque ele não hesita, ele simplesmente faz, sem remorsos, sem culpa. Até o final do livro, não sabemos quem Dennis é de verdade. Nem Lindsay. E quando a verdade aparece, ela não surpreende, porque até essa parte, acontecem tantas coisas dúbias, que eu só me senti aliviado por confirmar que ainda conseguia reconhecer quando uma pessoa era equilibrada e quando ela era totalmente doentia.

RIO VERMELHO é um livro muito bem escrito, com uma construção perturbadora da mente de pessoas estragadas. É uma história que incomoda, com um final que muitos podem não compreender, não porque seja complicado, mas porque representa a escolha de uma mulher, de Sam, que é emocionalmente incapaz de amar alguém que não seja tão doente quanto ela. Eu me senti nauseado. Mas também senti que havia terminado de ler um livro muito bom, porque apenas livros muitos bons conseguem afetar o leitor de forma a que ele não esqueça da história por um bom tempo.

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

15 COMENTÁRIOS

  1. Uau Carl! Que resenha maravilhosa e instigante!
    Já tinha visto Rio Vermelho nas redês sociais da editora mas até então não havia desperado a vontade de ler mas depois da sua resenha vou correndo no Skoob adicionar o livro como desejado.
    Realmente pela resenha as três personagens parecem ter sérios problemas e também parecem ter uma relação doentia e quiçá criminosa.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carl.

    É difícil entender a mente da Sam, mas acho que ela encontrou no Dennis, uma forma de ter um vínculo com alguém, desenvolveu um amor platônico, mesmo esse alguém tendo um histórico marcado por muito sangue e com evidências... Tudo isso, talvez por causa da carência.


    Um dos meus livros super desejados! 😍

    ResponderExcluir
  3. Este é sem sombra de dúvidas, um dos livros mais desejados por mim! A capa me lembrou muito, no seu lançamento, Deixada Para Trás(que é um super livro). Mas lendo esta primeira resenha, vi que não tem nada a ver o enredo com o livro que mencionei.
    Adoro essas estórias que deixam o leitor meio confuso, meio perdido em relação aos personagens, tipo que trazem esse desconforto em relação à suas mentes meio doentias.
    Como foi a primeira resenha que li, agora entendi que preciso mais ainda conhecer estes três personagens intensos e densos.
    Espero poder ler em breve.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Carl!
    Esse livro já está na minha listinha de desejados, qro mto ter uma oportunidade de conhecer a história, é a segunda resenha que leio e que me deixou ainda mais com vontade de ler, parece que o enredo agradou os leitores.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Mas tá aí um livrinho bem bizarro heim! Nossa, parece que não tem um personagem que eu iria gostar de verdade porque sempre ficaria desconfiada ou achando algo muito errado. Os personagens serem doentes e a história de cada um, a carência, o passado ruim e histórico familiar....é pesado. Chamou atenção por isso, mas nossa...
    Agora, isso da garota lá se apaixonar pelo cara preso e o cara depois de 3 cartas declarar amor? Não cola nem a pau e não sei como alguém cairia nessa.
    Tá aí uma história que iria ler cheia da desconfiança. E vai dizer que não gostei?! xD
    Gostei da ideia, é um tanto diferente. Mas bizarra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris! Fica claro, lá para o meio do livro, porque ele diz que se apaixonou tão rápido e porque ela acreditou. Bjos

      Excluir
  6. Carl!
    Gosto de ler livros do gênero, tudo que se relaciona a mente humana me fascina e saber que a autora conseguiu trazer um enredo logo com três mentes doentes, deixa minha curiosidade muito aguçada, mesmo que seja confuso no início.
    “Jamais sofra antecipadamente. Pense positivo. Acredite nos seus sonhos. Nunca desista de lutar. A vida é generosa para aqueles que acreditam nela.” (Vitoria Cirilo)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  7. Olá! Nossa a resenha me deixou bem dividida em relação à história, só pelos relatos já me senti um pouco enojada. Tudo parece ser bem surreal, mas ao mesmo tempo fiquei instigada em descobrir o porquê de tais ações, já vi que vou ter que preparar muito bem o meu psicológico, pois depois dessa leitura tenho certeza que vou ficar bem abalada.

    ResponderExcluir
  8. Muito curiosa pra ler esse livro, parece ser bem diferente, e a capa é linda, já adicionei em minha lista!

    ResponderExcluir
  9. Até então eu não tinha ficado muito incentivada a fazer a leitura desse livro não, mas percebendo esses pontos que você destacou tão bem fiquei ansiosa por ler. Gosto muito de livros que incomodem, que nos façam ter várias sensações durante a leitura e que de alguma forma nos faça pensar em tudo!

    ResponderExcluir
  10. Oi Carl.
    Que resenha maravilhosa!
    A psique humana é algo bem estranho, mas fascinante.
    Fiquei bem curiosa para saber como esses três personagens irão se envolver e quero tentar entender o motivo de agirem do jeito que agem.
    Parece uma leitura intrigante, instigante e perplexa.
    Já coloquei na minha lista de desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá, vejo que a autora fez um trabalho primoroso de pesquisa antes de compor a obra, principalmente sobre os conceitos relacionados a psicologia. Confesso que a trama parece ser um pouco parada, mas ainda tenho curiosidade de ler. Beijos.

    ResponderExcluir
  12. O trabalho dessa autora Foi simplesmente maravilhoso nesse livro tive a oportunidade de ler ele recentemente e até agora não consegui digerir a história maravilhosa que eu acabei de ler Realmente você entende por que o livro foi premiado

    ResponderExcluir
  13. Oi, Carl!!
    Esse livro deve mexer muito com a nossa cabeça!! Achei a história perturbadora e ao mesmo tempo fiquei louca de curiosidade para entra na cabeça desses três personagens.
    Bjos

    ResponderExcluir
  14. Amo um belo Thriller psicológico,depois de romance de época é meu queridinho e esse livro me deixou com a pulga atrás da orelha,que eu possa comprar logo pra saber o que acontece com os 3 e qual a ligação entre eles.

    ResponderExcluir