TAG: DIREITOS DO LEITOR


Olá, leitores! Hoje vou responder à TAG criada pela booktuberJotaPluftz, que foi inspirada no livro COMO UM ROMANCE, de Daniel Pennac. Na obra, o autor fala de suas experiências como professor de literatura e leitor. A partir disso, temos algumas questões para responder sobre nossos "direitos". Vamos começar...

O DIREITO DE NÃO LER
Um livro que você não quer ler nem que te paguem

Não vou colocar nenhum livro específico nesta questão, porque leio de tudo um pouco, dos thrillers a autoajuda, de acordo com a vontade que sinto. Algumas pessoas têm muito preconceito com determinados gêneros literários, mas acredito que o melhor é ter a mente aberta e aceitar novas experiências.



O DIREITO DE PULAR PÁGINAS 
Um livro que você leu... só o que interessava


Sou aquele tipo de leitora que não pula páginas, e se pula, fica se recriminando. Isso não é bacana, porque fico sofrendo com alguns livros até o fim... Algum tempo atrás, recebi o livro O ESPÍRITO DA ILHA em parceria com o autor, que me pediu para ler sua obra e escrever uma resenha com minha opinião sincera; assim o fiz. Porém, o livro não me agradou em nada: leitura muito maçante, história chata e sem objetivo, com uma mescla desorganizada de assuntos. Todos esses fatores me fizeram pular algumas pouquíssimas páginas, porque já não aguentava mais.



O DIREITO DE NÃO TERMINAR UM LIVRO
Um livro que você começou algumas vezes antes de ler inteiro


Não há livro melhor para representar esta categoria do que A MENINA SUBMERSA, de Caitlín R. Kiernan. Na época em que foi lançado, fiquei encantada com a edição e comprei o mais rápido que pude, cheia de expectativas para a leitura. O que eu não esperava era que a narrativa seria completamente desconexa e arrastada... Iniciei a obra duas vezes e abandonei; somente na terceira tentativa consegui ler até o final (coloquei na TBR da Maratona Literária de Inverno de 2017). É um dos piores livros que já li até hoje...



O DIREITO DE RELER
Um livro que você salvaria no fim do mundo, para reler pela eternidade


PSICOSE, do querido Robert Bloch, é meu favorito da vida... Foi o primeiro livro que amei de todo o coração e não queria que acabasse nunca. Sou apaixonada pela forma que o autor soube representar a loucura de Norman Bater.



O DIREITO DE LER QUALQUER COISA
O livro mais improvável que você já leu e gostou, e que algumas pessoas talvez duvidem que você leu


Por longos anos tive um grande preconceito com livros de autoajuda, mas no ano passado, li VOCÊ É INSUBSTITUÍVEL, escrito por Augusto Cury. O livro estava na minha estante há muito tempo, intocado, (minha mãe tinha comprado), até que, em um dia ruim, me lembrei dele e decidi dar uma chance. Não tenho muita experiência com obras do gênero, mas naquele momento, as palavras do autor me fizeram muito bem e eu gostei bastante.



O DIREITO AO BOVARISMO
Um livro que parecia ótimo! Mas o tempo passou... e você pensou a respeito


A MENINA QUE NÃO SABIA LER, do John Harding. Esse foi aquele tipo de livro arrastado em que nada acontece e eu fiquei muito entediada a maior parte da leitura; porém, nos últimos capítulos, várias reviravoltas ocorreram e me deixaram de queixo caído. Essa emoção final afetou muito minha percepção da qualidade da obra como um todo, então, após algum tempo, percebi que ele não era tão bom assim. 



O DIREITO DE LER EM QUALQUER LUGAR
O lugar mais estranho/improvável em que você já leu um livro

A única coisa que consigo pensar é fila e outras situações de espera, aproveito para passar o tempo e distrair.



O DIREITO DE LER UMA FRASE AQUI E OUTRA ALI
Um livro que te alimenta com pequenas doses diárias


CLARICE LISPECTOR TODOS OS CONTOS, na edição lindíssima da Rocco. Por ser um livro grosso e conter todos os contos complexos e cheios de significado da autora, leio aos poucos. Adoro Clarice, mas confesso que alguns de seus textos me cansam e/ou me fazem sentir burra, porque nem sempre entendo as mensagens das entrelinhas que ela passa.



O DIREITO DE LER EM VOZ ALTA
Um livro que você precisou ler em voz alta


Precisei ler vários trechos de ORGULHO E PRECONCEITO em voz alta para manter o foco e entender a narrativa. Foi um livro muito difícil para mim: apesar de gostar da história, não estava fluindo e eu ficava sonolenta e entediada. Demorei meses para finalizar a obra, mas gostei bastante.



O DIREITO DE CALAR
Um livro que te deixou sem palavras, porque era muito bom... ou muito ruim


Recentemente, eu li BOM DIA VERÔNICA, e foi um livro que me deixou sem palavras com o final cheio de reviravoltas surpreendentes. A história é cheia de crueldade e mexeu bastante comigo: me despertou sensações de nojo, repulsa, apreensão, etc. Gostei bastante da obra com todas as suas peculiaridades e loucuras.


Espero que tenham gostado da TAG. Deixem nos comentários as respostas que vocês dariam em cada item. 

Compartilhe este post:

Sara

Mineira, bookaholic e futura fisioterapeuta. Sou apaixonada pela vida e por tudo que ela nos oferece. Ler, viajar, conversar, dançar, comer e dormir são algumas das coisas que mais amo.

16 COMENTÁRIOS

  1. TAG muito interessante. Essa eu não conhecia. Porém achei difícil de responder.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chelle. Confesso que também achei difícil hahahaha. Beijos.

      Excluir
  2. Nao saberia respoder boa parte dessa tag🙈

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Fiquei bastante indecisa em várias categorias enquanto respondia hahaha. Beijos.

      Excluir
  3. Que espetáculo de Tag!
    Como foi a primeira que li, estou aqui encantada e tentando encontrar algumas respostas!rs
    O Direito de Não Terminar um Livro foi A Batalha do Apocalipse. Tentei ler este livro por três vezes e no final, para não ficar remoendo ele, acabei doando para a biblioteca,mas nunca me esqueci dele.
    O Direito de Reler eu só penso em livros do Zafon! O Jogo do Anjo eu já li ele três vezes e sei que repetirei em breve e também A Menina Que Roubava Livros(já li este quatro vezes)
    O Direito de Calar eu só olho para O Pântano das Borboletas. Este é um livro magnífico e sempre que olho ele ali na estante, o coração se aquece.
    A parte do ler em qualquer lugar, como tenho pouco tempo demais e só consigo ler um pouco na hora da maledita novela que o povo aqui de casa ama e não perde, eu aproveito tudo que é segundo para andar com o livro nas mãos. Mas lá vem clichê, banheiro! É o melhor lugar do mundo par ler..rs
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Estou completamente chocada em saber que leu "A menina que roubava livros" quatro vezes, porque estou com ele parado na estante há meses e nunca li (e anos antes de ter ele, peguei na biblioteca e abandonei); mas quero ler ele sim, todos elogiam. Não conheço os outros livros que citou. Quem nunca leu no banheiro né? kkkkkk Beijos.

      Excluir
  4. Oii Sara!
    Fez escolhas excelentes para responder a TAG, gostei mto!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline. Obrigada, fico feliz que tenha gostado. Beijos.

      Excluir
  5. Eu fico boba quando vejo gente falando que leu um livro mas pulou página. Pra mim não leu não. O livro pode ser chato, mas não pulo, mesmo que dê vontade de ter pulado quando a gente acaba xD
    O de A menina submersa foi um custo pra ler. Verdade, é lindo, a edição chama atenção, mas a historia é muito diferente pela forma de contar e foi um custo ler.
    Direito de ler em qualquer lugar: até levar o livro pro banheiro da escola e mofar lá xD
    Boa essa tag.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cristiane. Também não gosto de pular páginas, mas esse livro foi uma exceção (horrível!). Ler em banheiro: quem nunca? hahaha Beijos.

      Excluir
  6. Sara!
    Gostei da tag, apenas achei longa.
    Sou como você, não tenho preconceito literário, leio de tudo.
    Vixe! Nem sei como as pessoas conseguem pular as páginas de um livro, fico sem entender nadinha. Se ele tá maçante, deixo de lado, leio outro e depois volto para ele. Foi o que aconteceu comigo em A garota submersa...mas, não abandonei, li até o fim.
    Amo os livros do Augusto Cury.
    Clarice é para ser degustado aos poucos e diariamente.
    Muito bom!
    Boa semaninha!
    “Os lírios não bastam. As leis não nascem das flores. Meu nome é luta, e escreve-se na história.” (Luciana Maria Tico-tico)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudynalva. É sempre bom ler de tudo um pouco, ampliar nossos horizontes... Raramente pulo páginas, só quando sinto que não vai fazer falta na história. Li somente um livro do Augusto Cury e gostei muito. Obrigada, boa semana! Beijos.

      Excluir
  7. Olha só quem me conhece sabe que se tem uma coisa que acho super sem graça e forçado são essas tags, mas essa me pegou de uma forma completamente diferente, porque eu simplesmente adorei. E já corri pra me inscrever no canal citado porque tem muita coisa boa lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana. Que bom que gostou da tag. =) Beijos.

      Excluir
  8. Concordo com o direito de terminar um livro ou não eu abandonou livros com muita frequência e não tenho paciência de terminar um livro que eu não gosto

    ResponderExcluir
  9. Adoro Tags essa foi maravilhosa!! Quero muito essa edição linda da Clarice Lispector!!
    Bjos

    ResponderExcluir