THE GIRL FROM EVERYWHERE: O MAPA DO TEMPO

SINOPSE: Nix é uma viajante do tempo. Ela e seu pai, Slate, velejam a bordo do Temptation, um navio pirata repleto de tesouros. Ao longo do caminho eles encontram amigos, uma tripulação de refugiados do tempo e até mesmo um charmoso ladrão que pode significar muito mais para Nix. Tudo que Slate precisa é um mapa certo para viajar a qualquer tempo e lugar, real ou imaginário: seja para a China no século 19; terras vindas direto das Mil e Uma Noites ou até mesmo uma mítica versão da África. Apesar das inúmeras possibilidades, o pai de Nix está obcecado com um mapa específico: Honolulu, 1868 – o ano de nascimento de Nix e a última vez em que ele viu sua esposa viva. E, por uma chance de reencontrá-la mais uma vez, Slate está disposto a sacrificar a tudo e a todos.Quando o desejado mapa aparece, Nix vê sua própria existência em perigo e agora deve descobrir o que quer, quem é, e aonde realmente pertence, antes que seu tempo acabe. Para sempre. - Heidi HEILIG - Editora MORRO BRANCO - 2017 - 416 páginas.

Fantasia, viagem no tempo e protagonista feminina não é exatamente uma novidade, mas, mesmo assim, essa combinação é sempre interessante, principalmente quando bem desenvolvida. Em THE GIRL FROM EVERYWHERE, acompanhamos a tripulação de um navio pirata chamado Temptation que pode viajar para qualquer tempo ou lugar, real ou não, desde que haja um mapa para esse lugar.

Essa proposta inicial é, certamente, muito intrigante, especialmente se pensarmos nas infinitas possibilidades que isso pode gerar. E foi com essa expectativa que eu comecei a ler o livro, ou seja, crendo que a história se passaria nos mais diversos universos e cenários. Porém, a frustração começou aí. Acontece que a autora se prendeu demais ao relacionamento problemático entre a protagonista e seu pai e esqueceu que havia se proposto a escrever uma história de fantasia.

E já que mencionei ela, vamos falar da nossa protagonista: Nix é tudo o que queremos em uma protagonista feminina, forte, inteligente e determinada, a moça luta contra seus medos sem precisar ser a típica mocinha frágil que precisa ser salva pelo personagem masculino. Nix existe de forma independente no livro, ela se relaciona com as pessoas sem ser dependente delas e sem perder seu protagonismo para mocinhos lindos ou romances melosos.

Existe, sim, um interesse amoroso na história, mas a autora soube conduzi-lo de forma tão leve, natural e divertido, que a história não passa a ser apenas um romance. O romance está ali para somar e não para substituir, é doce, sem ser meloso, e importante, sem ser protagonista, na medida certa para um livro cujo gênero não é o romance romântico.

O relacionamento de Nix com o pai e Capitão do navio, Slate, é o conflito central do livro e, apesar de ter gostado dessa premissa, tenho dois pontos a ressaltar: primeiramente, como já mencionei acima, acho que a autora acabou se prendendo demais a isso e deixando de lado outras questões que eu gostaria que tivessem sido melhor exploradas, como, por exemplo, a possibilidade de conhecer novos universos. 

Além disso, o segundo ponto que gostaria de ressaltar, é que eu achei essa indiferença que o pai da Nix sente em relação a ela um pouco forçada. É estranho que, mesmo após tantos anos convivendo com ela, ele não tenha conseguido desenvolver o mínimo de afeto. Enfim, entendo todas as questões envolvidas, mas, mesmo assim, achei um pouco inverossímil e isso contribuiu para tornar o personagem pouco real para mim, sendo difícil visualizá-lo. 

No mais, O MAPA DO TEMPO foi um livro que me agradou bastante. A escrita é bem fluida e a autora consegue prender o leitor e mantê-lo interessado do início ao fim. Nix se tornou uma das minhas personagens favoritas, principalmente por obter protagonismo independente do romance. 

E Kashmir, o interesse amoroso de Nix, é também um personagem que me conquistou, fugindo dos padrões do que deve ser um par romântico. Kash é único, engraçado e está mais interessado em divertir Nix do que em protegê-la, afinal ele sabe que ela não precisa da proteção dele. Essa independência que os dois possuem, é o que os torna um casal incrível.

Apesar das ressalvas, eu realmente recomendo THE GIRL FROM EVERYWHERE não só para fãs de fantasia, mas também, e talvez principalmente, para quem está começando a ler esse gênero. É uma fantasia leve e fácil, com um conflito central interessante e um romance que tem as proporções certas para um livro de fantasia, o que é algo difícil de encontrar hoje em dia, já que, na maioria das vezes, o que vemos é o romance tomando o lugar de protagonista e empurrando todo o resto pra segundo plano.

A edição está lindíssima, como já é de costume nos livros da Editora Morro Branco. O trabalho editorial deles costuma ser impecável e com THE GIRL FROM EVERYWHERE não é diferente, além da arte de capa linda, a diagramação está perfeita, as páginas não estão cheias, as letras são grandes e eu não encontrei nenhum erro. Belíssimo trabalho editorial.

Compartilhe este post:

17 COMENTÁRIOS

  1. Realmente a premissa de Girl From Everywhere não é inédita no mundo literário.
    Conheci o livro no Skoob e apesar de ser de um gênero que leio pouco, fico feliz em saber que Nix é emponderada e auto suficiente. Sem precisar ser resgatada a cada dois capítulos pelo herói mas também uma pitada de romance não faz mal a ninguém.
    Pela sua resenha também fiquei incomodada com esse relacionamento distante entre pai e filha.
    Já vi o livro em uma livraria e a capa é realmente linda.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Priscila.

    Acho que todo o contexto do livro está envolvido com sentimentos, no qual é preciso abrir de algo, para conseguir outra... Talvez essa longa viagem servirá para abrir os olhos do Slater com relação à sua filha, Nix.

    ResponderExcluir
  3. Admito que é a primeira resenha que leio deste livro. Já tinha dado uma olhada na capa pelo mundo literário, mas não havia parado nem para ler a sinopse.
    Mas gostei demais de tudo que li acima.
    Engraçado como a autora tenha acertado na dosagem do romance(alguns autores nunca conseguem isso) e em contrapartida, tenho deixado o ritmo desandar na parte principal, a aventura!
    Relacionamentos familiares sempre tem alguma coisa a ser resolvida, ainda mais neste caso que parece ter uma ponta enorme de passado de cada personagem.
    Mas como tudo na vida, é preciso saber remar...e ter paciência!
    Vai para a lista de desejados com certeza!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Achei legal essa mistura e é, não tem novidade nisso, mas parece ter um jeito bem legal de ver as coisas e gostei da ideia. A personagem forte também ajuda,parece que é fácil gostar dela. Não sei se iria me importar tanto com a coisa do relacionamento dela com o pai, pode ser até interessante ver isso mesmo com outras coisas que a gente queria que explorassem. Não sei, aí só lendo mesmo pra ver. Mas no geral gostei, parece uma boa história.

    ResponderExcluir
  5. Ainda estou me descobrindo nos gêneros literários. E fantasia é um dos que ainda não tive o prazer de apreciar a fundo. Bom, pela capa eu já me interessei bastante pelo livro, e espero gostar da história também. E quando eu li o início da resenha eu imaginei sim, que seria um livro repleto de viagens por vários universos e ambientes fantásticos. Mesmo não sendo assim, me interessei bastante pela história.

    ResponderExcluir
  6. Priscila!
    Interessante ver que o título é em inglês, mas há a tradução.
    Já gostei de ver que é uma viagem de barco que pode singrar, não apenas o mar, mas também o tempo e amo livros que falam viagem no tempo.
    Realmente é um diferencial ter de ter um mapa para poder viajar no tempo.
    Achei bem bacana todo enredo e cheio de dramas familiares também em relação ao pai e filha.
    Mesmo com suas ressalvas, gostaria de ler.
    “Os lírios não bastam. As leis não nascem das flores. Meu nome é luta, e escreve-se na história.” (Luciana Maria Tico-tico)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  7. Oi Priscila.
    Quero muito ler esse livro.
    Fantasia, piratas, viagem no tempo para qualquer tempo desde que haja um mapa real ou fictício e protagonista feminina empoderada? Não tem como não gostar.
    Achei ótimo o romance não se sobressair na trama. É horrível quando o romance toma conta de uma boa história.
    Espero gostar.
    Adoro essa capa! A editora realmente caprichou.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Eu estava esperando uma resenha pra saber se leio ou não.. .. Agora é claro que quero ler. Nada de ressalvas pra mim. Adorei!

    Bjks

    ResponderExcluir
  9. Olá, é uma pena que a fantasia tenha sido deixada de lado na obra, que tinha um grande potencial. Esse enfoque dado aos dramas familiares da protagonista mostra que a autora quis seguir por um caminho menos extraordinário e mais realista. Realmente fará mais bom proveito do livro que ainda não teve contato com o gênero. Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Olá! O gênero fantasia é uns dos meus favoritos, uma pena que a autora deixou um pouco de lado isso para dar enfoque em outros temas. Mas de qualquer forma a protagonista já me conquistou, por ser forte, inteligente, determinada. A capa está realmente linda, por isso vai para a minha lista.

    ResponderExcluir
  11. Eu sempre tive essa curiosidade em livros de volta no tempo de certa forma até divertido mas bate uma crise complexa de fato que caso o pai consiga voltar no tempo talvez ela deixa de existir Achei bem interessante abordarem isso no livro realmente matemática interessante

    ResponderExcluir
  12. Qdo vi esse livro pensei que não iria me agradar, mas pelo contrário, só me deixou ainda mais com vontade de ler.
    Capa linda tbm!
    Vai para minha lista!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia esse livro, a resenha despertou vontade de ler!
    Viajem no tempo e a capa linda me chama a atenção acima de qualquer coisa nesse livro...
    bjs!

    ResponderExcluir
  14. gente porque não consigo gostar de livros de fantasias e mitologia nórdicas?Isso só acontece comigo?Vejo cada livro lindo cada resenha no blog de vocês e simplesmente não consigo desempacar e dar uma chance...

    ResponderExcluir
  15. Amo fantasia, e estou curiosa pra ler esse livor, parece ótimo. Só vejo resenhas falando bem dele!

    ResponderExcluir
  16. Amo livros de fantasia e o que mais me chamou atenção nesse foi a questão das viagens no tempo eu adorei a preguiça do livro e eu fiquei interessado de primeira em conferir a história até porque até agora não vi uma resenha falando mal sobre ele

    ResponderExcluir
  17. Oi, Priscila!!
    Adoro livros de fantasia e esse livro sem dúvida tem todos os elementos para ser uma história incrível!! Gostei muito da personagem feminina que é uma verdadeira heroína!!
    Bjoss

    ResponderExcluir